África Oriental

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: África Oriental.
África arco-íris, a parte oriental fica por aí.

Cquote1.png Você quis dizer: Oriente Cquote2.png
Google sobre África Oriental
Cquote1.png Experimente também: Somália Cquote2.png
Sugestão do Google para África Oriental
Cquote1.png Oriente? Eles não tem olhos puxados... Cquote2.png
Você sobre África Oriental.
Cquote1.png COMIDA! COMIDA! Cquote2.png
Pessoal de lá.
Cquote1.png Eles são bons maratonistas porque percorrem grandes distâncias para ir pedir esmola. Cquote2.png
Seu pai sobre África Oriental.
Cquote1.png Eles enchem o saco. Cquote2.png
FMI sobre os constantes empréstimos aos países da região.

África Oriental é mais uma daquelas subdivisões continentais que ninguém liga e que nem o seu professor de Geografia sabe distinguir com exatidão, como é parte integrante da África pode-se já deduzir que o local é subdesenvolvido e repleto de macacos afim de procriar com humanos.

Local e habitantes[editar]

Jogo de futebol por lá.

A África Oriental, teoricamente, seria a porção leste do continente, contudo é uma parte da parte leste, isto é, bem, é estranho, engloba apenas meia dúzia de países periféricos, memo se tratando de África, então deduz-se que por lá a coisa é cú de ruga bem complicada, que diga o pessoal da Etiópia.

Os habitantes como em qualquer outra parte do continente negro são famélicos, entupidos de esquistossomos e só tem como futuro a carreira de maratonista da São Silvestre, onde eles podem ganhar um carro movido a petróleo, ou um cheque cujo dinheiro realmente valha alguma coisa.

Vegetação e o tempo[editar]

Uma plantação da região.

Por lá o tempo é só fechado, todo o tempo, a fome e as doenças impedem que os habitantes comtemplem o belíssimo sol de 60°C e toda a beleza natural, a fauna antropofágica e a flora repleta de plantas com venenos capazes de dizimar civilizações inteiras ou mesmo locais pouco avançados, como o Brasil.

A vegetação do local já foi comida pela população, nisso ocorreu a desertificação da região, a parte que não foi comida é composta de plantas carnívoras que devoraram que tentou comê-las, o mesmo ocorreu com a fauna, ou foi assada como churrasco grego ou papou os caçadores.

Economia[editar]

Lá a pirataria ainda vigora.

A sina da região não foi diferente do resto do continente, eles foram dominados pelos árabes, que propagaram sua ideologia bombástica e, quando deu, os preceitos de Alá. Também o pessoal de lá virou colônia dos gigantescos monopólios europeus e, atualmente, vem sofrendo ataques da Igreja Universal.

Ou seja, lá eles apenas produzem matéria-prima para a reles exportação para os "gringo", e a miséria que eles faturam acabam dando no dízimo, buscando a prosperidade, ou pelo menos a salvação, até hoje ninguém conseguiu, mas eles juram que Deus mudou positivamente a vida de cada um deles. Hoje o modo de vida mais lucrativo é a pirataria, seja de animais, diamantes ou vendendo escravos para a Nike.

Política[editar]

Político nativo.

Não muda muito do resto do abismo social que é a África, ainda existem ditadores do nível do José Sarney às toneladas por lá, dominando toda a máquina política que rege os países da região, instaurando sua democracia ditatorial, que ninguém contesta, já que sequer tem energia para isso.

As políticas sociais são muito bem sucedidas, copiando os modelos de sucesso comprovado da Coreia do Norte e do Haiti, que prezam pelo bem estar da população e pelo contínuo estado de paz e tranquilidade, contudo isso o pessoal de lá só fica nesse estado quando picados pela Tsé-Tsé e contaminados pela doença do sono.

Ver também[editar]

gl:África oriental