África do Sul

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Saaaf Effrika Zululand
Iphabraliki do Sotho Afriki Rafiki
Colônia dos Diamantes do Norte do Sul da África
Bandeira da África do Sul
Brasão de Armas da África do Sul
Bandeira Brasão
Lema: Queremos diamantes
Hino nacional: Apartheid já!

Localização de Colônia dos Diamantes do Norte do Sul da África

Capital Cidade do Cabo Frio
Cidade mais populosa Safari Zone
Língua Inglês, africâner e SeSotho Pirahã
Religião oficial Umbanda Catolicismo, racismo calvinismo e outras 154848865 denominações protestantes
Governo Apartheid
 - Presidente 2 André Pretorius
Heróis Nacionais Snoop Dogg
Área  
 - Total Todo o pedaço de baixo da África km² 
 - Água (%) 60
Analfabetismo 93 
População 100.000.000 de macacos negros e 40.000 pessoas 
PIB per Capita 234.654 (só que porcamente mal distribuídos) 
IDH
Moeda Escravos
Fuso horário +1
Clima Antártico
Website governamental ...


Cquote1.svg Nem é assim tão longe, é logo ali... Cquote2.svg
Fernando Vanucci sobre África do Sul
Cquote1.svg Éééé... Sal de Africa prey semem Cquote2.svg
Joel Santana sobre a África do Sul
Cquote1.svg Waka waka, eh eh! Tsamina mina zangalewa! This time for Africa Cquote2.svg
Shakira sobre África do Sul
Cquote1.svg Poucof lugaref do mundo fão tão limpof e bonitof. Nem parefe que eftamof num paíf africano Cquote2.svg
Lula sobre África do Sul

África do Sul é um país de nome muito criativo que provavelmente se localiza no sul da África. Talvez sim, ou talvez não... enfim, isso foi apenas um palpite. E nem é tão longe assim: é logo ali. Mesmo sendo um país da África, lá tem mais branco que preto. Vê se pode uma coisa dessas! Por esse motivo, algumas entidades como a FIFA consideram que este seja o melhor país da África, permitindo até que houvesse uma Copa do Mundo ali. Nos últimos anos, a África do Sul tornou-se o precursor da "esperança" na África: os mais otimistas realmente acreditam que tal nação será, um dia, o primeiro país desenvolvido da África. Mas se, por um acaso (ou ironia do destino), deixaram o país integrar organismos como o BRICS, foi por pura dó mesmo e não por mérito. Para o resto do mundo, tudo lá é belo e maravilhoso. Mas a verdade é que o país está apodrecendo, não mostrando ao exterior o que realmente acontece dentro das fronteiras, onde a maioria das pessoas é forçada a construir casas feitas de sacos plástico e papelão, já que os fundos internacionais para a construção de suas casas foram desviados.

História[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: História da África do Sul

Antiguidade[editar]

Adão e Eva eram sul-africanos.

Cavucando os sítios com fósseis de hominídeos de Sterkfontein, Swartkrans, Kromdraai e arredores procurando diamantes, pesquisadores de renome encontraram (por acidente) fósseis de Australopithecus africanus, datados de aproximadamente 10 milhões de anos. Mesmo que esses fósseis tenham sido espalhados propositalmente por Deus para enganar os estudiosos, é claro que isso coloca em dúvida a veracidade da Bíblia. E o que esses exploradores faziam no tempo livre, bom, você só descobre lendo os quadrinhos do Piteco, ou assistindo os filmes do Pai de Família.

Por volta do século I, o sul da África é dominado pelos bantus, os ascendentes de Kid Bengala. Ao invés de construírem embarcações e armamentos baseados no uso de pólvora, os bantus ficavam dançando em volta de fogueiras, ou então construíam umas casas de palha aqui e outras acolá. Em outros termos, eles praticamente pediram para serem dominado por uma civilização tecnologicamente superior.

Colonização[editar]

Apesar de ninguém saber, o primeiro europeu a chegar na África do Sul foi o navegador português Bartolomeu Dias, o problema é que nem ele mesmo sabia do fato. O pobre homem pensara que tinha chegado às Índias, mesmo só tendo encontrado um monte de negão por lá. Infelizmente, Dias morreu de maneira trágica após decidir tomar banho nos mares calmos e tranquilos da África do Sul, que são recheados de tubarões brancos.

No ano de 1652, um holandês chamado Jan van Riebeeck estava de passeio pelo mundo, quando chegou ao Cabo da Boa Esperança. Como era mais esperto que os portugueses, ele tratou de ficar longe do mar e fundou a Cidade do Cabo. Apesar de esperto, ele não era tão criativo para inventar nomes de cidades.

Em 1795 é marcado um amistoso entre a seleção da França (liderada pelo técnico Napoleão Bonaparte) e a Holanda. Como consequência, Jan van Riebeeck é convocado e é obrigado a deixar a África do Sul. Enquanto isso, alguns ingleses viram a comissão técnica de Jan van Riebeeck indo embora e falaram "Perdeu playboy! All your South Africa are belong to us!", ocupando o país em seguida.

Guerras Boers[editar]

O time de futebol neerlandês posa para a foto do vice-campeonato.

Quando os holandeses voltam do jogo contra a França, encontram aquele bando de ingleses e falam "WTF?". Começa a Primeira Guerra dos Bôeres, onde a derradeira Batalha de Blauberg terminou com a vitória dos ingleses após um pênalti duvidoso.

Os holandeses, claro, pediram revanche, e na Segunda Guerra dos Bôeres... Perderam outra vez. A Holanda tem síndrome de vice.

Depois de ganhar os dois jogos, os ingleses falaram "E agora? O que a gente faz com essa m****?". Assim como os holandeses, os ingleses também não são criativos. Alguém teve a ideia de unificar todas as 433768876 províncias do sul africano para criar a União da África do Sul, definindo o idioma como o inglês e mandando os negros para a PQP.

Apartheid[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Apartheid

A União da África do Sul se torna independente da Inglaterra, e adivinhe: ela forma um novo país, chamado República da África do Sul. Não é demais?

Nessa época negra (desculpe o trocadilho), a África do Sul fica famosa pelo Apartheid, que é a exclusão dos sith black metallers da sociedade pelos white metallers malvados.

Governo Nelson Mandela[editar]

Nelson Mandela após o golpe militar que instituiu o comunismo na África do Sul.

Depois de pressões de George W. Bush, a África do Sul determina o fim do Apartheid. Nelson Mandela é eleito presidente em 1994 no segundo turno, mesmo sendo o único candidato. Após alguns anos, devido às várias acusações de ter traído o movimento punk, Mandela pede pra cagar e sai.

Apesar dessa crise política, tudo continua bem, porque é nesse período que a África do Sul ganha a Copa do Mundo de Rugby. Essa copa é a que realmente importa pra eles, já que estão pouco se lixando pro futebol.

População[editar]

Mulher sul-africana de fama, representando a etnia do país.

A África do Sul possui atualmente 55 milhões de habitantes, sendo este um dos maiores países da África. Ele encontra-se demograficamente dividido em 56% de africanos bantos, 11% de sul-coreanos, 10% de jogadores de rugby, 9% de chineses, 8% de brasileiros que vão lá visitar os "parentes" pela África inteira, 3% de bôeres que não foram chacinados no século XIX, 2% de leões, 1% de elefantes, 1% de girafas, 1% de zebras, 1% de rinocerontes, 102% de aidéticos e 0,01% de otakus.

Política[editar]

Um dos principais problemas da África do Sul são os seus altos índices de criminalidade, que também levam em conta os crimes causados pela estupidez de seus políticos, embora sejam considerados crimes leves as práticas comuns de assassinatos, estupros, assaltos e venda de gasolina adulterada.

Ao contrário de outros países africanos, que cometem crimes de corrupção brutais como Nigéria, Camarões, Quênia e Brasil, na África do Sul a corrupção é legalizada, tendo inclusive o apoio das sociedades civis e das ONGs de Bono Vox. Enquanto outros países africanos sofrem de corrupção endêmica, esse não é o caso na África do Sul, porque lá ninguém precisa esconder suas falcatruas: tudo é muito livre e genuíno. O governo, dotado de profunda sabedoria em todos os lados, evitou o destino cruel que castigou todas as outras repúblicas das bananas e simplesmente legalizou a corrupção. Ele até deu um nome respeitável a este projeto: Black Economic Empowerment, ou BEE. Este programa governamental visa supostamente conceder, para todos os negros do país, uma compensação histórica em forma de vantagem econômica, de modo a beneficiar todos os negros já obscenamente ricos do país. Os três beneficiários da BEE até o momento são Japan Fornicatewale, Patrice Motsepe e Smuts Ngonyama. Todos eles são muito ricos mesmo, não possuindo a menor habilidade para lidar com as empresas nas quais são forçados a participarem como acionistas.

Subdivisões[editar]

Atualmente, a África do Sul encontra-se dividida em nove bantustões e dois territórios rebeldes bantos (Lesoto e Suazilândia). Todas essas províncias já foram algum dia independentes entre si, porém unidas na marra em 1910, após uma dose de genocídio com uma pitada de DSTs. Para evitar briguinhas de ego, ficou também decidido que a África do Sul seria o único país do mundo com quatro capitais, sendo Bloemfontein para os rednecks africanos (bôeres), a Cidade do Cabo para os falantes de imbromation, Pretória para os pretos (trocadilho não intencional pois é o nome da cidade que diz), e Joanesburgo para as girafas e elefantes.


Economia[editar]

A economia da África do Sul é amplamente baseada na exportação de escravos e na fabricação de lixo para a Argentina. Brad Pitt também ajudou a economia sul-africana comprando uma mansão em Pringle Bay, na província de Cabo Ocidental, onde nenhum sul-africano vive porque eles não podem mais pagar por uma casa nesse lugar, devido aos esquemas de bolhas imobiliárias que o governo sul-africano adora soprar e estourar em certas cidades pequenas como Pringle Bay.

A moeda utilizada na África do Sul é chamada de "Rand" (ou "Tha Reeeend!" no idioma imbromation local). Esta moeda, como toda moeda colorida com imagens de animais, é basicamente inútil. Ter uma nota de rand significa ter literalmente qualquer coisa, uma vez que a África do Sul tem uma política socialista de "renda compartilhada", o que quer dizer que todo o dinheiro e todos os itens que você comprou com o referido dinheiro rand estão disponíveis gratuitamente para qualquer outra pessoa - e a qualquer momento - com ou sem permissão prévia.

No setor agrícola, a África do Sul baseia-se no plantio de leões e elefantes. Havia um excelente potencial para o plantio de feijão, mas com o fim do Apartheid, a legislação proibiu a exploração do feijão preto, e como o arroz não cresce no solo infértil do país, o jeito é cavar minas espaçosas para se esconder e fingir que a escravidão não existe, enquanto centenas de pessoas morrem para trazer diamantes e ouro das profundezas.

Na África do Sul, matar um desses e pegar os chifres é mais rentável que ganhar na loteria ou roubar um banco.

A indústria têxtil sul-africana tem destaque e confecciona calças, blusas, camisas, meias e até mesmo cuecas feitas a partir de couro de crocodilo, rinoceronte e demais animais ameaçados de extinção. A ideia é incentivar o povo a usar roupas confortáveis e mais baratas, pois há muitos crocodilos e rinocerontes no país. Caçar leões faz bem à saúde e também faz parte da economia sul-africana: a juba do leão é um item muito exportado para o Brasil, que tem grande demanda por causa do seu carnaval. A indústria automobilística se estabeleceu na África do Sul em 2008, produzindo em série os carros mais populares da África do Sul, que são vendidos somente no país e serão conhecidos em breve como "Animalmóvel Popularico Tabajara", na qual a matéria-prima a ser utilizada virá de elefantes, zebras, girafas e camelos. Nelson Mandela ganhará um Animalmóvel para cada tipo de terreno. Para pessoas aventureiras e que curtem off-road, será recomendado a compra do Elefancar; mas para quem prefere fazer rally no deserto, é melhor escolher o Supercamel; para táxi é melhor chamar o Girataxi; e para quem gosta de correr no asfalto, tem também a Zebraturbo, que vai de 0 a 100 km/h em apenas 4 segundos.

Infraestrutura[editar]

Saúde[editar]

Cquote1.svg A AIDS não existe. AIDS é uma conspiração criada por empresas farmacêuticas estrangeiras lideradas por pessoas brancas. Nós sabemos disso porque nosso líder também já nos revelou que tudo isso está escondido na Área 51 e também que Elvis está morando em Boksburg. Cquote2.svg
Ministro da Saúde sul-africano em comunicado oficial à população

Como ainda está localizada na África, a África do Sul não decepciona o estereótipo esperado deles e possui um dos sistemas de saúde mais caóticos e degradados do mundo. Como se já não bastasse os recorrentes surtos de malária, tuberculose, cólera, disenteria, doença do sono, oncocercose e pneumonia, a África do Sul detém o título de país do mundo com o maior número de infectados com HIV.

Por muitas décadas um mistério, hoje finalmente sabemos (graças a um surto de delírio coletivo conspiracionista) que a AIDS foi um plano maligno criado por neonazistas com a intenção de obliterar a África do Sul. Tudo parecia estar indo bem entre os anos de 1980 e 1990, e a África do Sul parecia de fato caminhar a passos largos rumo à autodestruição, mas estes neonazistas só não contavam com o fato de que um grupo de homofóbicos se organizou para roubar seus planos, utilizando os mesmos para tentar exterminar os gays do mundo. Aí então as indústrias farmacêuticas, lideradas obviamente por pessoas de sexualidade duvidosa, tiveram que fabricar a cura da AIDS, e a África do Sul acabou sendo acidentalmente salva nesse processo. Porém, para que os sul-africanos não ficassem totalmente salvos, foi inventado um novo hoax dizendo que a AIDS não tem cura, mergulhando mais uma vez o país num fosso de desesperança.

Segurança[editar]

Na África do Sul, é a população que prende a polícia.

A taxa de criminalidade na África do Sul é muito baixa, na verdade é inexistente. Isso ocorre porque os policiais não têm permissão para publicar estatísticas criminais que não sejam revisadas pelo governo antes. Outro fator agravante para essa situação é o fato de que existem policiais em apenas 5% das cidades sul-africanas, o que força o governo a tolerar práticas como assalto, furto, homicídio e espancamento como atos não criminosos. Graças a essas fraudes, recentemente o governo sul-africano está muito feliz em anunciar que a África do Sul é o único país do mundo que tem uma taxa de criminalidade negativa, pois é só lá que os bandidos invadem casas para deixarem objetos roubados de outros lugares.

Transportes[editar]

Os transportes na África do Sul, contrariamente à crença popular, não envolvem animais selvagens. Quando os animais selvagens aparecem nas ruas (o que costumava ser uma ocorrência relativamente comum), a maioria dos motoristas começam uma espécie de minigame local, que consiste em testar a inteligência e reflexo dos animais e conferir se é o suficiente para saírem da estrada antes de serem atropelados. Foi esse jogo que quase resultou na extinção do elefante-roxo sul-africano, uma versão menor do elefante comum e do tamanho de um Fiat Uno, que recebeu esse nome devido à cor de seus intestinos (os quais já pintaram as ruas das cidades várias vezes).

Os sul-africanos estão entre os piores motoristas do mundo; portanto, para evitar burocracia e maiores irritações, qualquer tipo de lei de trânsito foi abolida no país. Essa liberdade atiçou o comportamento dos táxis na África do Sul, que ultrapassam qualquer limite de velocidade seguro em instantes. Tudo porque um dia um certo físico maluquinho disse que era impossível superar a velocidade da luz, e como isso é algo que os taxistas sul-africanos ainda não aceitaram, é por esse motivo que eles sempre tentam ultrapassá-la toda vez que pegam um passageiro, culpando o maluquinho quando dá merda. Outra peculiaridade ocorre quando analisamos que, apesar da capacidade de carga máxima teórica de cada van sul-africana ser de cerca de 9 pessoas, os cientistas só podem balançar a cabeça com perplexidade quando a mídia sul-africana relata que 23 pessoas morreram quando uma van capotou, 15 ficaram feridas e os 38 passageiros restantes escaparam ilesos. Após uma investigação mais aprofundada, as origens da superlotação desses veículos remontam aos antigos métodos de abate da população humana, onde nos dias tribais muitos aldeões eram introduzidos na barriga de um elefante (através do reto do animal) para então serem todos empurrados de um penhasco numa tacada só. Para atender a essa necessidade nos dias modernos sem causar alardes ao PETA, a corporação de veículos automóveis Toyota desenvolveu e comercializou uma substituição adequada para auxiliar este processo de abate. Chama-se Toyota Hiace (High Impact African Culling Equipment), que provou ser o objeto mais adequado para o abate coletivo, e é até hoje o veículo para transporte coletivo mais amplamente utilizado não apenas na África do Sul como também nos países vizinhos, que compartilham de cultura similar.

Comunicação[editar]

Telecomunicações do país.

A economia sul-africana gira em torno da cidade de Batida. Através dos batuques e sinais de fumaça com os quais se desenvolveu a telecomunicação local, essas novas tecnologias revolucionárias facilitaram a comunicação entre os nativos, pois eles não precisam mais correr vários quilômetros para dizer "olá". Os sul-africanos foram mais rápidos e já patentearam a ideia. Os americanos, japoneses e russos ainda querem investir milhões de dólares para que os sul-africanos vendam essa tecnologia para eles.

Cultura[editar]

Duas das atividades culturais mais populares na África do Sul incluem: o assassinato de agricultores brancos desprotegidos, e a fome (não são excludentes, podem ser feitos juntos). Então, se você deseja visitar a África do Sul, que é logo ali, você pode celebrar a rica cultura deste belo país matando um fazendeiro, ou se recusando a doar alimentos para instituições de caridade.

Esportes[editar]

Sem ter o que fazer nas horas vagas, os negros inventaram um esporte para si, chamado guerra civil. A África do Sul infelizmente não é tão boa nesse esporte, sempre perdendo para Guiné-Bissau, Burundi, Moçambique, Nigéria e outros países desconhecidos (desconhecidos porque os participantes já estão devidamente mortos). Os jogos desse esporte, quando realizados na África do Sul, incluem uma variante na qual é comum vermos lojas queimadas, destruídas, roubadas e vandalizadas.

O esporte nacional da África do Sul é a corrupção, uma prática comumente praticada pelos políticos do país, mas também amplamente difundida entre a população. O segundo esporte mais popular é a corrida de táxis, que transforma os principais centros urbanos do país em lindos cenários que fazem qualquer um acreditar que está na cidade de Burnout 3: Takedown. Embora não tão populares quanto os esportes já citados, a África do Sul também apresenta comumente muitos dos melhores jogadores nos esportes de críquete, pesca, golfe e polo (basicamente qualquer esporte que os negros não jogam). Durante anos, acreditava-se que o rugby era um esporte favorecido dos sul-africanos, mas sempre que alguma equipe de investigação via o time do país, achava que estava assistindo a seleção holandesa jogar, e no fim a decepção era tanta que falavam nada da seleção sul-africana.

Em 2010 a África do Sul virou o centro das atenções quando tornou-se a sede da Copa do Mundo, feito alcançado por algum motivo ainda não investigado, porque só propina mesmo para chancelar um país desses a sediar um grande evento assim. Sem mencionar que o esporte principal do país é o futebol com as mãos. Tirando os canteiros de obra inacabados, os engarrafamentos, a alta taxa de criminalidade e outros problemas menores (como o atropelamento de elefantes-roxos), a realização dessa copa foi considerada um sucesso e o país aumentou a exportação de seu principal produto, o vírus da AIDS.

Idioma[editar]

Atualmente são faladas mais de 400 línguas no país, incluindo o imbromation, o holandês com sotaque horrível, zulu, klingon, C# e C++. Devido a esta variedade linguística, a África do Sul é o país com a maior gama de variações de palavrões do mundo, existindo 1143 palavras diferentes só para dizer "sua puta ordinária", por exemplo. Das 400 línguas oficiais na África do Sul, cada uma inclui ainda mais de 400 maneiras de descrever sentimentos de angústia, derrota e humilhação, logo o país também é recordista nesse quesito.

Embora todos sejam livres para falar seu próprio idioma, é muito comum encontrarmos a maioria dos falantes do holandês com sotaque horrível tentando conversar em inglês, causando inevitáveis avarias na comunicação. Por exemplo, a simples frase "Will you please help me remove these jeans?" pode ficar "Can you like to please help me to remove this jean pant, mah bru?", embora também ocorra o oposto, dos falantes de imbromation tentarem se comunicar em africâner e dizerem coisas do tipo "joumanaivirbaksteneom’nhoerhuistebou".


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de África do Sul no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Flag-map África do Sul.png
África do Sul
HistóriaGeografiaDemografiaPolíticaSubdivisões
EconomiaMoedaTurismoCulturaBandeiraBrasãoHino
Leaotarado.jpg
África
v d e h

Países: África do SulAngolaArgéliaBenimBotswanaBurkina FasoBurundiCabo VerdeCamarõesChadeComoresCongoCosta do MarfimDjiboutiEgitoEritreiaEssuatíniEtiópiaGabãoGâmbiaGanaGuinéGuiné-BissauGuiné EquatorialLesotoLibériaLíbiaMadagascarMalawiMaliMarrocosMaurícioMauritâniaMoçambiqueNamíbiaNígerNigériaQuêniaRepública Centro-AfricanaRepública Democrática do CongoRuandaSão Tomé e PríncipeSenegalSerra LeoaSeychellesSomáliaSudãoSudão do SulTanzâniaTogoTunísiaUgandaZâmbiaZimbabwe

Territórios: CanáriasCeutaGalmudugMayotteMelillaReuniãoSaara OcidentalSanta Helena, Ascensão e Tristão da CunhaSomalilândia