Óbidos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Óbitos Cquote2.png
Google sobre Óbidos
Cquote1.png Experimente também: Buraco do Amazonas Cquote2.png
Sugestão do Google para Óbidos
Cquote1.png Aiiiii, eu adogo a cidade, pricipalmente o CarnaPAUxis Cquote2.png
Dicésar sobre Carnaval de Óbidos
Cquote1.png Olha a passagem para o buraco do Rio Amazonas Cquote2.png
Vendedor de passagem de barco no porto de Manaus, oferecendo passagens para Óbidos
Cquote1.png Peço pra sair, peço pra sair, senhor! Cquote2.png
Capitão Nascimento quando descobriu que ele seria transferido para Óbidos
Cquote1.png E comecem os jogos mortais! Cquote2.png
Pensamentos dos mototaxistas que fazem ponto no porto quando eles veem um passageiro necessitando de transporte
Cquote1.png Porra, aqui é quente pra caralho Cquote2.png
Capitão Óbvio quando chegou em Óbidos

Óbidos é mais uma cidade do Amazonas que acabou sendo anexada pelo estado do Tapajós durante as Guerras Atlântidas, o que explica porque a cidade é inundada todo ano. Não se espante se você cruzar com um jacaré na coleira, pois ele é o animal de estimação mais comum do povo. E quando for andar pelas ruas, use sempre uma armadura a prova de raios UVA e UVB (pois o calor da cidade pode lhe derreter).

História[editar]

Panorama de uma rua de Óbidos, a Veneza brasileira.

Óbidos teve o seu início quando o desbravador português Francisco Orellana (uma espécie de Cabral do Rio Amazonas) chegou num ponto do rio tão estreito, que achou que tinha chegado na foz do rio, mas logo percebeu o erro e então decidiu prosseguir a sua viagem. Mas para não dar viagem perdida para a turma do Orellana, um representante da EcoVias (que estava no meio dessa galera), decidiu instalar um pedágio fluvial, para ganhar um dinheirinho dos outros, e com isso, nasceu o primeiro pedágio no Brasil (e também a cidade de Óbidos).

O primeiro nome dessa cidade foi "Belém do Oeste" (com o intuito de homenagear o povo da capital), mas o povo da capital achou essa homenagem um desrespeito a eles (pois não queriam ser confundidos com apelidos como "apertados do Rio Amazonas" ou "buraco do Pará"). Então, o povo da cidade pegou um mapa-mundi e fizeram que nem o Luciano Huck no lata-velha: Jogaram um dardo, e na cidade onde esse dardo fincasse, seria o escolhido para ter o seu nome homenageado nesse município paraense. A cidade de Óbidos, em Portugal, foi a escolhida. No início, eles não queriam receber essa homenagem, mas quando descobriram o solo era tão quente o suficiente para assar pães (que é a principal fonte de economia de Portugal), eles decidiram não só receber essa homenagem, como também decidiram construir a primeira padaria da cidade (claro, com interesse de fazerem pães sem grandes gastos). Reforçava essa ideia o fato do atendente do pedágio que era fanho e sempre ameaçava os viajantes com "é pelhor pagar a grana, senão focês vão entrar para a lista de óbidos".

Geografia[editar]

A cidade é conhecida como "Academia a céu aberto", porque ela tem muitas ladeiras, por isso, é fácil detectar quem tem algum tipo de transporte particular na cidade (se a pessoa for gorda, com certeza ela tem automóvel, pois se ela não tivesse, as ladeiras fariam ele queimar as calorias e assim ele não engordaria).

A cidade é banhada pelo Rio Amazonas, com suas águas barrentas e na época da cheia, ela é conhecida como "Veneza Paraense", pois a água do rio invadem a cidade. Em Óbidos (na época de cheia), você não precisa sair da tua casa para ir ao Rio Amazonas. O Rio Amazonas vai até a sua casa (a cidade é um pedacinho da reversal russa no Brasil).

A sua capital é Belém, mas ela é tão longe, que 99% da população que precisa fazer grandes compras, vão para Manaus (o que torna ela a capital da cidade na prática) Santarém, que é bem mais perto dessas duas capitais, tem um shopping, só que os obidenses preferem ir para Manaus porque gostam de gastar o seu salário (principalmente o 13°) comprando os produtos direto da fábrica.

Clima[editar]

O clima nesse fim de mundo varia entre 25º a 40°C (isso quando a fábrica de Juta não está funcionando, pois quando ela está a pleno vapor, as caldeiras de suas instalações fazem a temperatura da cidade aumentar em até 100°C).

Economia[editar]

A sua base econômica vem das plantações de legumes e verduras, na fabricação de sacos de café, do pedágio da EcoVias, da produção de Açaí (que não raramente alguns desses consumidores de açaí podem contrair alguma doença - como a de Chagas - entre outas). Mas o pilar da economia do município vem dos obidenses residentes em outros lugares (principalmente vindos de Manaus), que quando chegam para as férias, torram todo o seu salário comprando doces de copuaçu na feira perto do antigo quartel, ou ficam ostentando a sua grana pagando bebidas para os amigos nos bares que ficam na orla da cidade.

Segurança[editar]

Chegando na cidade (se você estiver de barco), sempre fique com a sua mala em mãos, pois como modo de dar boas-vindas, a Polícia Federal vai revistar toda a sua mala (e se tiver cara de traficante, eles revistam você).

Transportes[editar]

A cidade conta com:

  • Um porto municipal, onde a cambada que chega ou sai de Óbidos passa (e que por incrível que pareça, suporta o recebimento de grandes navios).
  • Um porto estadual, que nunca foi inaugurado (porque o Jarder Barbalho desviou toda a verba do porto para comprar mais uma rádio no interior).
  • Um aeroporto municipal (que na verdade não passa de uma pista com buracos e uma casinha do caseiro do aeroporto), que foi fechado para obras há mais de 10 anos, e até agora nada foi feito.
  • Uma rodoviária (que na verdade não passa de uma parada de ônibus comum), que tem rotas com os seus ônibus "semi-novos" (o veículo mais novo é de 1997, e todos os veículos são comprados de segunda mão da Eucatur, quando estes saem de circulação no transporte coletivo de Manaus), e que tem rotas para várias colônias da cidade (inclusive com rotas para o point da galera nos finais de semana: O Curuçambá). Se você conseguir pegar o único ônibus que faz linha dentro da cidade, pode se considerar um sortudo.
  • Conta com 5 (no máximo 10) ruas com asfaltamento de qualidade (por isso a cidade é um dos locais preferidos de treinamento dos participantes do Rally dos Sertões, pois eles encontrar buracos, barro, mato, poeira e poças de água (conhecidas como piscinas do mosquito da dengue) em um só lugar.

Esportes[editar]

A cidade conta com vários times de vários esportes, mas os principais times e esportes são: Mariano F.C. (futebol), Obidense F.C. (futebol. É um time que representa Óbidos, só que no Amazonas), Ob2 F.C. (futebol. Era tantos pernas de pau que queriam jogar no Obidense, que tiveram que formar um segundo time. Também atua em Manaus), Tainá E.C. (Arco e flecha. Depois de gravar 2 filmes e envelhecer, a índia Tainá decidiu usar todo o seu conhecimento e montou um time, que tem objetivo de chegar nas Olimpíadas de 2016), Xupa Osso E.C. (variados. Formado por um grupo de obidenses, eles são um time que trabalham com esporte envolvendo animais, como: Hipismo, Pesca Esportiva, adestramento de Jacarés e etc.)

Lazer[editar]

Se você mulher for convidada por um homem a visitar o mirante da cidade, cuidado, pois daqui a 9 meses vocês podem parar no teste de DNA do Ratinho!

Turismo[editar]

  • Clube da AABB - Se você for associado e rico.
  • Porto de Óbidos - Para admirar os barcos e comer um gostoso churrasquinho de gato. Claro, com gato de qualidade Friboi.
  • Curuçambá - Para você que não tem grana para ir ao AABB e que tem saco para ficar dentro de um ônibus por 1H para dar um mergulho de um rio cheio de xixi).
  • Praça de Sant'Ana - Para você encalhado arranjar alguma namorada.
  • Mirante - Para você que não tem grana para o motel, é um bom local aonde você pode dar uns "pegas" na moça(o) que você arranjou.
  • Praça do Ó - Única praça de alimentação da cidade. Lá só come quem tem grana (ou seja, nem adianta sonhar, pois você não irá comer lá!)
  • Serra da Escama - Se você for um usuário de drogas ou quer se esconder da polícia, esse é um bom local para isso.

Carnapauxis[editar]

Tem gente que gosta de ficar se esfregando em bêbados, cheirando sovaco alheio, tudo ao som da pior música possível, o que torna o Carnapauxis tão bem sucedido.

Em algumas épocas do ano (principalmente em Fevereiro), a economia de Óbidos costumava enfraquecer. Então, para dar um jeito nisso, prefeitura, empresários, ladrões e agiotas se reuniram para criar algum evento com o objetivo de faturar uma grana com propinas (no caso, a prefeitura), elevar o valor dos serviços e mercadorias (no caso, os empresários), bater carteira dos trouxas (no caso, os ladrões), e fazerem empréstimos com o seu fígado de garantia (no caso, os agiotas). Assim surgiu o Carnapauxis (que é considerado o maior evento de reprodução humana do oeste do Pará), que é uma festa carnavalesca com duração de 7 dias e lá às pessoas podem fazer um tour geral pela cidade ao som de músicas carnavalescas, andando sempre atrás do trio. Lá, existem 7 blocos carnavalescos, e cada dia um bloco sai (Não há disputa entre blocos, porque a prefeitura é muito pão dura para dar algum tipo de premiação a esses blocos)

Os blocos carnavalescos (e suas características) são:

  • Bloco Mirim/Unidos do Umarizal: O bloco tem como costume sair com a sua comissão com crianças (e com os pais babões, tirando foto de cada passo da criança, para depois postar tudo isso no Facebook e se gabar para os outros que não tiveram os seus filhos no desfile).
  • Bloco Serra da Escama: Esse bloco sai do pé da Serra. É o bloco mais desanimado, pois tem nenhum diferencial em relação aos outros blocos.
  • Bloco Águia Negra: Esse bloco sai lá da casa do caralho. O diferencial dele é que tem uma Águia gigante que fica no meio do povo, atrapalhando sempre a visão dos outros.
  • Bloco Xupa Osso: É o bloco financiado pela burguesia, pois você pode encontrar várias coisas diferentes em relação aos outros blocos, como por exemplo: Banho de espuma (que inclusive esse é o único dia que os mendigos da cidade tomam banho), banho de cheiro, um boi (eles acham que estão em Parintins), entre outras coisas. Por causa do espuma que eles espalham na cidade, esse é o dia mais movimentado no hospital da cidade, por causa de quedas dos foliões. É um bloco multifuncional, pois além de animar a galera, ele roda praticamente a cidade toda (fazendo assim o folião dar um tour)
  • Bloco Unidos do Morro (do Dendê): É o bloco preferido dos bandidos, pois nesse dia, se tem o costume dos foliões saírem mascarados. Nesse dia, os bandidos aproveitam para bater carteira, fazer arrastão ou pior, que é jogar a droga de uma maisena no olho dos outros.
  • Bloco das Virgens: É o bloco onde os homens se vestem de mulher e vice-versa. Nesse dia, se marca na cidade os maiores índices de saídas do armário de todo o estado! Também é nesse dia que ocorre o maior número de ocorrências na delegacia. Os motivos são vários, no qual posso citar as seguintes: Perda não autorizada de cabaços, roubo de bofes das outras "manas", brigas (a maioria motivada para saber quem é a melhor "menina" do bloco), entre outros....
  • Bloco Pai da Pinga: É o bloco dos cachaceiros, que invés de ficar em casa no dia de cinzas, preferem continuar virando a sua garrafa de 51 com músicas carnavalescas como fundo musical por causa do chifre que ele levou da mulher dele quando ele descobriu que a mulher dele gostava de outras mulheres no Bloco das Virgens