2 Minutes To Midnight

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg
Eddie na época em que era traficante do Rio de Janeiro, nota-se que ele perdeu um olho

Cquote1.png Faltam só dois minutos!!!! Cquote2.png
Alguém sobre meia noite
Cquote1.png Faltam só dois minutos... Cquote2.png
A mesma pessoa, 6 minutos depois, sobre meia noite
Cquote1.png Caralho! Ainda faltam dois minutos para meia noite!!! Cquote2.png
A mesma pessoa, 30 minutos depois, sobre meia noite
Cquote1.png PUTA QUE PARIU FOI MEU RELÓGIO QUE PAROU! Cquote2.png
O mesmo idiota de cima tirando uma conclusão mais que óbvia
Cquote1.png Tem a ver com os mísseis de Cuba Cquote2.png
Seu professor de História sobre 2 Minutes To Midnight

2 Minutes To Midnight é uma música bastante famosa da banda Iron Maiden, apesar de pertencer a um CD não tão famoso nem tão bom assim. Nessa música a banda fala sobre várias coisas aleatórias e nonsense que serão explicadas a seguir.

Explicando a letra[editar]

Dois minutos para meia noite!

Durante toda a música, vemos a ansiedade e a espera de alguém para a chegada da meia noite. Faltam apenas dois minutos para dar meia noite, contagem regressiva! Porém, aparentemente o tempo não passa. A porra da música tem mais de 6 minutos, e do início ao fim faltam dois minutos para dar meia noite, mesmo no fim da música ainda faltam dois minutos para dar meia noite, sendo que já teriam se passado 2 minutos três vezes, incrível. Uma teoria para explicar esse fato é de que o relógio do cara parou e o otário não se ligou, só um cara muito retardado mesmo para não reparar.

Logo em seguida nos vem o questionamento: O que realmente acontece à meia noite? Apesar de que muitos acreditem que foi uma homenagem a uma treta entre os Estados Fudidos e Cubo envolvendo mísseis apontados para o cu do primeiro que aconteceu às 23:58 em um relógio de mentira, a teoria mais aceita é de que o cara que contava os minutos tinha ainda uma internet discada e esperava dar meia noite para poder entrar na net, pois após meia noite a net fica mais barata. Outra teoria seria que a mulher do cara só gosta de transar à meia noite.

Entretanto, a música não é só flores, durante toda a música fala-se também de coisas aleatórias e nonsense que não se encaixam. No primeiro trecho ele fala que não precisa ter razão para matar alguém, incentivando as pessoas a serem assassinos e matarem sem um porquê. Em outro trecho ele incentiva as pessoas a irem para a guerra, provavelmente para matarem sem o porquê e permanecerem com a consentência limpa (ou não). Em outro trecho ele fala que cegos gritam e os gritos saem das tochas humanas. (Anh???) Em outro trecho ele fala dos judeus vitimas de Hitler, mortos e dentro de sacolas em pedacinhos, e por fim, falam que os loucos são ótimos músicos e fazem todos dançarem com sua música gastando assim o dinheiro necessário para a produção de armas (não tente entender). Resumindo: é sobre matança, guerra e um relógio de mentira que travou faltando 2 minutos pra meia-noite.

Letra[editar]

"Blá blá blá vá pra guerra, blá blá blá guerra é legal"' Cuidado com os Siths!

2 Minutes to Midnight

Kill for gain or shoot to maim
But we don't need a reason
The Golden Goose is on the loose
And never out of season
Blackened pride still burns inside
This shell of bloody treason
Here's my gun for a barrel of fun
For the love of living death

The killer's breed, or the Demon's seed
The glamour, the fortune, the pain
Go to war again, blood is freedom's stain
Don't you pray for my soul anymore

Two
Minutes
To midnight
The hands that threaten doom
Two
Minutes
To midnight
To kill the unborn in the womb

The blind men's shout let the creatures out
We'll show the unbelievers
Napalm screams of human flames
For a primetime Belsen feast, yeah
As the reasons for the carnage cut their meat and lick the gravy
We oil the jaws of the war machine
And feed it with our babies

The killer's breed, or the Demon's seed
The glamour, the fortune, the pain
Go to war again, blood is freedom's stain
Don't you pray for my soul anymore

Two
Minutes
To midnight
The hands that threaten doom
Two
Minutes
To midnight
To kill the unborn in the womb

The body bags and little rags of children torn in two
And the jellied brains of those who remain to put the finger right on you
As the madmen play on words and make us all dance to their song
To the tune of starving millions
To make a better kind of gun

The killer's breed, or the Demon's seed
The glamour, the fortune, the pain
Go to war again, blood is freedom's stain
Don't you pray for my soul anymore

Two
Minutes
To midnight
The hands that threaten doom
Two
Minutes
To midnight
To kill the unborn in the womb

Midnight
Midnight
Midnight
Is all night
Midnight
Midnight
Midnight
Is all night

Midnight...
All night

Tradução[editar]

Cara esperando dar meia noite para entrar na internet

2 Minutos para Meia Noite

Matar pelo lucro ou atirar para mutilar
Mas nós não precisamos de uma razão
O Ganso Dourado está solto
E nunca fora de estação
Algum orgulho escurecido continua queimando
Desta casca de deslealdade sangrenta
Aqui está minha arma para um pouco de diversão
Pelo amor dos mortos vivos

A cria do assassino, ou a semente do demônio
O glamour, a fortuna, o sofrimento
Ir para a guerra de novo, o sangue é a mancha da liberdade
Mas nunca mais reze pela minha alma

Dois
Minutos
Para a meia-noite
As mãos que amedrontam o destino
Dois
Minutos
Para a meia-noite
Para matar no útero o não-nascido

Vocalista da banda de loucos

Os gritos dos cegos libertam as criaturas
Nós mostraremos aos descrentes
Os gritos de napalm de tochas humanas
Em um banquete noturno em Belsen[1]
Enquanto os responsáveis pela matança cortam sua carne e lambem o molho
Lubrificamos as mandíbulas da máquina de guerra
E a alimentamos com nossos bebês

A cria do assassino, ou a semente do demônio
O glamour, a fortuna, o sofrimento
Ir para a guerra de novo, o sangue é a mancha da liberdade
Mas nunca mais reze pela minha alma

Dois
Minutos
Para a meia-noite
As mãos que amedrontam o destino
Dois
Minutos
Para a meia-noite
Para matar no útero o não-nascido

Os sacos de corpos e pedaços de crianças partidas ao meio
E os cérebros gelatinosos dos que viveram para apontar o dedo para você
Enquanto os loucos brincam com palavras e nos fazem dançar a sua música
Ao som de milhões de famintos
Para fazer um tipo melhor de arma

A cria do assassino, ou a semente do demônio
O glamour, a fortuna, o sofrimento
Ir para a guerra de novo, o sangue é a mancha da liberdade
Mas nunca mais reze pela minha alma

Dois
Minutos
Para a meia-noite
As mãos que amedrontam o destino
Dois
Minutos
Para a meia-noite
Para matar no útero o não-nascido

Meia-noite
Meia-noite
Meia-noite
É a noite inteira
Meia-noite
Meia-noite
Meia-noite
É a noite inteira

Meia-noite...
A noite inteira

Referências

  1. Um campo de concentração nazista.