A-Train

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ptbosta.gif Este artigo tá uma bostinha.
Ele está pequeno, chato e sem graça. Será que teria alguma alma caridosa capaz de fazer uma boa ação, tipo a de editar e colocar coisas engraçadas, de forma que ele fique mais engraçado e menos idiota? Só tome cuidado porque o Moderador Malvado está de olho em VOCÊ!
Huffraid.gif
Este artigo merece uma chance!
Este artigo tem sido ruim, mas promete que vai melhorar. Por favor não o delete! Ele pode mudar!


Babel fish.gifTraduzindo: Um trem?
Babel Fish sobre A-Train


A-Train é um wrestler que é 50% urso e/ou 35% também . Ganhou certa notoriedade quando lutou na WWE (antiga WWF). Ele também divide seu tempo atuando em um circo clandestino ao redor do mundo atuando como urso adestrado. A-Train também é conhecido como The Mongolóide Mongolian, Prince Albert (apelido ganho por atuar fazendo cover de Prince nas horas vagas).

Antes da Fama[editar]

A-Train chegando no ringue.

A-Train (que na verdade se chama Matthew Com Força), nasceu no Parque Nacional de Jellystone, em 14 de Novembro de 1974. Capturado por um circo tchecoslovaco quando ainda era filhote, não teve tempo de fazer amizade com o Zé Colméia e o Catatau, pois seu tempo de estadia no Parque foi apenas o suficiente para tomar um pau do guarda John Smith (sim, aquele mesmo que pegava no pé do Zé Colméia).

Após a captura, seus donos os levavam para dançar na praça para ganharem alguns trocados (e para ele ganhar uma surra caso errasse a coreografia). Quando atingiu a maioridade, matou seus donos (um deles foi sem querer, pois o mesmo morreu asfixiado em seu pêlo durante uma tosa) e os comeu num pão com vinagrete. Livre, foi para os Estados Unidos da América escondido em um navio-lixeira, para buscar seu "sonho americano", que era se entupir de mel e outras guloseimas e também de piercings na uretra.

Pontapé Inicial da Carreira Profissional[editar]

Para começar a realização de seu sonho, ele aceitou lutar em rinhas clandestinas de ursos. A-Train conseguiu o pote de mel (que era algo como o cinturão de campeão da luta livre) e defendeu o título cinco vezes, e em toda a sua trajetória pela WWB (World Wrestling Bears), perdeu apenas uma luta para o Bronquinha (que mais tarde fez sucesso com a série dos Ursinhos Gummi). O proprietário da WWB gostou tanto da atuação de A-Train, que o levou a um patamar maior, que era a Luta Livre (humana) Profissional, já que ele foi o único que notou que A-Train era 15% alguma coisa que não era urso. Sua estréia foi contra o microlutador Tim Tim McNanico, que foi derrotado (e morto) por causa de um peido solto por A-Train enquanto Tim Tim saltava atrás do oponente para lhe dar uma mordida nas nádegas.

Debutando na WWF (nas duas)[editar]

Como ainda existem pessoas boas neste mundo, A-Train foi catado na rua pela WWF (a World Wildlife Foundation), e foi enviado para um lugar que o fez ficar livre de qualquer tipo de exploração, mas como este local era fortemente influenciado pela Reversal Russa, ele que deixou o pessoal que o cuidava livre de explorações. Como forma de se explorar, A-Train foi (de trem), para diversas federações de luta livre para seguir com seu trabalho de lutador. Foi rejeitado pela maioria delas, pois elas não queriam uma criatura com sérios problemas de retardo mental, envergonhando-as. Mas a sorte estava ao seu lado, e logo ele conheceu alguém que o levou para o circuito de lutas: Milton Bolotti.

Bolotti (que era um mentiroso formado com louvor na escola de trambiqueiros), não perdeu tempo e arrastou A-Train para uma das maiores organizações de Wrestling: a WWF (World Wrestling Federation). Contando diversas mentiras para os figurões da WWF, Bolotti conseguiu botar A-Train para dentro daquela joça. Era o começo de uma carreira brilhante e de muita exploração (inclusive sexual).

Ver Também[editar]