A Mulher Que Eu Amo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
L70692-51-logo-51763.png

Este artigo discute coisas intrínsecas dos Anos 50's!
Se você teve infância naquela época, provavelmente já tomou seu Toddy hoje.

Elvis declarando seu amor a uma arlinda mulher.

A Mulher Que Eu Amo é um filme de 1957. Foi o segundo filme de "The Pelvis" nos cinemas, chamado nos EUA de Loving You ou The Elvis Presley Story, e no Brasil sabe-se lá porque também é chamado de Estranhos na Cidade. O filme é uma história meio quase totalmente completamente clonada da história de Elvis desde a infância até aquele momento em questão. A trilha sonora, bem como o título do filme é plagiado inspirado na canção "A mulher que eu amo" de Roberto Carlos.

Sinopse[editar]

Um mané do interior de Tupelo chamado Jimmy Tompkins, depois de ser chamado de caipira por muitos de seus amigos e colegas, muda de nome pra Deke Rivers e consegue finalmente o sucesso, após o pai gastar as fichas do orelhão todas pedindo a música dele pra tocar na rádio (essa parte da sinopse foi cancelada após perceberem que era igual demais ao filme Dois Filhos de Francisco).

O filme mostra vários shows, alguns inclusive eram os shows reais de Elvis, inclusive os com maior público, com 7 pessoas na platéia. Na última cena do filme os pais de Elvis, Gladys e Vernon, fazem uma pontinha, só pra dar mais dinheiro pra família...

Ver também[editar]