A Thousand Suns

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lego-beatles-abbey-road.jpg Este artigo se trata de um álbum

E a Carla Perez já completou o dela com figurinhas da copa.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Babel fish.gifTraduzindo: Os Doze Sóis
Babel Fish sobre A Thousand Suns
Cquote1.png Que merda é essa? Cquote2.png
Você sobre a capa de A Thousand Suns.
Cquote1.png O cu da Rita Cadillac Cquote2.png
Álguem sobre a capa de A Thousand Suns.


Emblem-sound.svg.png A Thousand Suns
Limpe o Parque
A-Thousand-Suns.jpg
Capa
Lançamento 14 de Setembro de 2010
Produtora Warner Brothers
Tipo WTF??
Featuring Eles Mesmos
Duração 47:56
Album Anterior: Metendo Até A Meia-Noite
Album Seguinte: Coisas vivas


A Thousand Suns é o quarto álbum da banda e segundo grandes críticos é um ótimo albúm devido à sua temática(comparado ao chitãozinho e chororó).Todas as "músicas" foram escritas e compostas pelos LINKinfelizesquesótãoafindefazermúsicaemoPARK. O CD foi lançado em 14 de setembro de 2010 pela gravadora Warner Bosta. Records. O álbum foi co-produzido por Henrick Rubinho e por Mike Shifoda, membro do Limpe o Park.O primeiro single do álbum foi a canção "O Cata Lixo" e foi lançada oficialmente em 2 de agosto de 2010, de acordo com o site oficial da banda. e essa merda tem um site oficial?

A Thousand Suns é um álbum conceptual que usa como tema porra nenhuma a guerra, em especial em escala nuclear. O titulo do álbum vem do texto Bhagvad Gita do Hindu Sanskrit, "se a radiação de mil sóis estourasse pelos céus, seria como o esplendor do todo-poderoso.", uma bostinha famosa citação de J. Robert Oppenheimer quem? se referindo a Bomba Atômica.

Claro que você fã dessa porcaria de banda, já notou que eles agora te levarão pro lado rosa da força, certo? Pois é, opuco de peso que essa porra tinha foi tirado, nós não ouvimos mais os gritos histéricos do Chester Perdigão (Ah, que peninha, ele fudeu a garganta!), agora nós ouvimos gemidos afeminados desse bando de viadinho. Parabéns Lixo Park, por mudar seu público, torna-lo mais eclético, calmo e mais feliz. Resumindo... POR SAÍREM DE VEZ DO ÁRMARIO, AAAAAAÊÊÊÊÊÊÊ!!!!!!!!!!

Recepção[editar]

Muits acharam uma bosta outros o melhor, esse album deixas os fãs nervosos putos por ser alguns momentos estilo pop, rap, heavy metal(Aonde???),new metal(Aonde???), discursos, macumbas, um sambinha com gritos, musiquinhas indianas, etc... Se voce quer ouvir algo que muda todo momento esse é o pior melhor album

Comercial[editar]

Por incrível que pareça, eles conseguiram Disco de Lata, feito inédito para a banda. Dizem as línguas que eles comemoraram com uma grande festa no camarim do 30 Seconds to Mars durante uma premiação da MTV.

Crítica[editar]

Muito foi dito sobre o álbum. Alguns críticos disseram que foi uma merda, por ser político e conceitual. Outros fãs surdos disseram que foi o melhor da década, por ser político e conceitual. Pessoas comuns ainda não tem opinião formada sobre o assunto.

Porém, a banda ainda espera ganhar seu lugar na revista Capricho ou na Guitar Hero, a revista em que o Brad faz suas colunas mal feitas. Johnny Firecloud da AntiQuiet não gostou do álbum, chamando-o de uma "farsa melodramática da porra" e ainda falou que "é uma sentimentalista mecanizada do caralho […] Jim Farber quem? do New York Daily News deu ao álbum um de dez estrelas, dizendo que "não é mais bosta nenhuma que 15 partes que formam um CD de 47 minutos de forma fragmentada.

Curiosidades sobre o CD[editar]

  • O Single "O Cata-Lixo" foi escolhido por representar a infância de Chester, em seus tempos de Traficante Mexicano.
  • Segundo a banda, a capa do CD foi inspirada em um sonho de Phoenix onde ele via uma luz não branca, mas preta no fim do túnel. Que drogado
  • Lembram-se dos álbuns mais antigos, quando as músicas pareciam ser todas uma só, mas beeem comprida? Então, eles resolveram o assunto de uma vez fazendo uma música de 47 minutos e deixando a venda no iTunes. Exatamente, o cd inteiro é apenas UMA FAIXA!
  • É um dos álbuns mais políticos da história do humanidade, consequentemente, uma das maiores piadas da humanidade.
  • A capa é um mistério, alguns dizem que é um cu passaro com a capa virada um menino, um et com a capa virada tambem, a antartica, a vó de alguém, uma foto tirada em 1021 a.c, um papel rabiscado, ou uma (porra) coisa qualquer

Faixas[editar]

1. A Irriquieta - A primeira introdução do álbum. Mostra Mikezinho em uma de suas recaídas mais fortes, quando ele começa a fazer vozes finas e a discursar como uma guria retardada.

2. A Radiação - A segunda (Quê? Duas Introduções??? WTF) introdução do álbum. É o tal discurso do tal J. Robert Oppenheimer sobre a tal da sua filha rebelde, a Bomba Atômica.

3. Queimada No Céu - A primeira música cantada do álbum. Conta a história de quando o Demo ainda estava no céu e, num jogo de queimada, tomou uma bolada tão forte que foi parar no Inferno.

4. Espaço Vazio - Uma das melhores músicas, se não a melhor do álbum. Baseada no jogo Worms, tem 18 empolgantes segundos de gritos, grilos e explosões.

5. Quando Ele Comeu Por Mim - A música de macumba do álbum, com todos os tipo de batida de mandinga que existem em uma só compilação.

6. Robocop Gay - Remix da saudosa música dos Mamonas Assassinas

7. Jornada Dos Mortos - Mais um remix, dessa vez da música Thriller, de Michael Jackson, só que em espanhol, pelos velhos tempos de Chester

8. Esperando Por 2012 - A sequência da antiga In The End. Conta os momentos que antecederam o fatídico dia em que o mundo acabou, ou irá acabar.

9. Apagão - É a experiência vivida por Chester Bennington durante o Apagão de 2009 em São Paulo. Ele entrou em pânico e começou a berrar histericamente. Seus colegas, por alguma razão, acharam o máximo e começaram a gravar. Depois, foi só fazer uma música dos antigos tempos de Nintendo e botar como fundo musical.

10. Rindo Dos Reis - Conta as peripécias dos antepassados de Mike como bobos da corte nos tempos do Rei Artur. Tem também o segundo discurso do álbum, de um tal de Mário Savio(Who?).

11. Ditadura, Injustiças E Piti's - O terceiro discurso do álbum, dessa vez é do Martin Luther King.

12. Arco Íris - Música feita em homenagem a bandeira do movimento gay, símbolo da inspiração do grupo.

13. Caindo Pra Fora - Mais uma música sem sentido, é apenas a repetição do refrão da música "Queimada No Céu".

14. O Cata Lixo - A principal música do álbum. É a história dos últimos cata-lixos da humanidade, no exato momento da explosão da tal Bomba Atômica.

15. O Carteiro - A música final, repleta de B.H.C.'s (Berros Histéricos de Chester, para os menos íntimos), e apenas com um cavaquinho como fundo musical.