Aeroporto do Rio de Janeiro — Santos Dumont

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Aeroporto Santos Dumont)
Ir para: navegação, pesquisa
Aeroporto Santos Dumont
Porta-aviões.jpg
O primeiro Porta-Aviões ancorado transformado em aeroporto
Nome Oficial Porta Aviões Reze para Todos os Santos Do Monte
Tipo Aquático
Administração Nunca teve
Cidade Servida Dizem ser o Rio, mas na verdade é o mar (Baía de Guanabara)
Inauguração 0 de onzembro de 1900 e Guaraná com Rolha
Altitude -2m abaixo do nível do mar
Acidentes/Ano Terrestres: 0 Aquáticos: mais de 8 mil
Movimento PAX 5 milhões de mergulhadores e 2 milhões de nadadores
Movimento Carga 666 mil toneladas de peixes
Movimento Aéreo 69 navios e 24 submarinos/hora
Capacidade A mesma da Baía de Guanabara
Pistas Uma: a Baía de Guanabara
Cabeceira Praia de Botafogo e Porto do Rio
Comprimento 5km do litoral fluminense (com área de escape na Praia de Copacabana)
Superfície Água Salgada
NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Aeroporto do Rio de Janeiro — Santos Dumont.

Cquote1.png Mas nós vamos pousar na água! Não tem pista ali! Cquote2.png
Passageiro pousando pela primeira (e última) vez no Santos Dumont

Cquote1.png Não sei o que é pior, cair na água aqui ou nos prédios lá em Congonhas... Cquote2.png
Passageiro da Ponte Aérea

Cquote1.png Santos Dumont ou Galeão? Cquote2.png
Atendente de Companhia Aérea, perguntando a você sobre seu destino

Cquote1.png Galeão, eu não sei nadar! Cquote2.png
Você, respondendo à pergunta acima

Cquote1.png Arrecadamos bastante aqui! Nunca tem teto e todo mundo compra nas lojinhas e lanchonetes! Cquote2.png
Diretor da Infraero sobre Santos Dumont

Cquote1.png Eu não sabia de nada! Cquote2.png
ANAC sobre atrasos no Santos Dumont

Cquote1.png Tem bolovo e cafezinho a R$ 4,51 Cquote2.png
Você sobre cardápio da lanchonete do Santos Dumont

Cquote1.png Senhores passageiros, devido ao mal tempo na região do Aeroporto Santos Dumont, o seu voo sairá do Galeão e o transporte será feito por ônibus gratuito Cquote2.png
Atendente sobre fato constante no Santos Dumont

Cquote1.png Só faltava cobrarem pelo ônibus... Cquote2.png
Você sobre afirmação acima

Cquote1.png Ótima idéia! Cquote2.png
Dono de companhia aérea sobre afirmações acima

Cquote1.png Vocês mancham o meu nome colocando-o em um aeroporto desses... Cquote2.png
Alberto Santos-Dumont sobre Aeroporto Santos Dumont, se revirando no túmulo

O Aeroporto[editar]

Eu que não pouso meu 14Bis aqui! Vou lá pro galeão

Porta-Aviões Santos Dumont é um navio porta-aviões togolês que encalhou na orla da cidade do Rio de Janeiro em 1924 e, como a tecnologia da época não permitia o desencalhe de um navio desse porte, este permaneceu onde está até que a Prefeitura resolveu fazer um aterro ao seu redor e passou a chamá-lo de aeroporto.

A cidade atendida até então apenas pelo transporte via hidroaviões, passou a ter uma superfície diferente para pousos e decolagens das aeronaves que serviam o então Distrito Federal.

O Rio tinha assim um aeroporto condizente com suas necessidades: permitia o pouso de aeromodelos e aviõezinhos de papel.

A Origem do Nome[editar]

Alberto Santos-Dumont também enfrentava filas no aeroporto que leva o seu nome, sem privilégio

O nome Santos Dumont pode parecer homenagem ao patriarca (e, dizem as más línguas, matriarca também) da aviação nacional brasileira e, segundo fontes fidedignas, precursor da aviação mundial, mas não é bem isso que ocorre.

No final do século passado, o Rio de Janeiro era uma cidade agradável em constantes reformas, além de ser a Capital Brasileira, mas já sofria com a criminalidade, sendo que os morros tão próximos do centro e dos bairros nobres da Zona Sul foram sendo ocupados por aqueles que não podiam comprar um barraco do lado dos endinheirados.

A politicagem da época também incentivava a tomada dos morros, pois somente assim escondiam os macacos treinados para roubar as pessoas da visão dos turistas, coisa tão comum até hoje em qualquer lugar do Brasil.

Os nobres políticos daquela época também já pensavam em criar o Favela Tour, onde gringos endinheirados são enviados para conhecer o seu barraco e, por isso, não financiaram os imóveis e nem forneceram estrutura como água, esgoto, energia elétrica e nem gás, deixando o povo se virar, construindo casas na pedra e a qualquer chuvinha, rolando morro abaixo.

Assim, os pobres cariocas que se instalaram nos morros, foram desenvolvendo a criminalidade local, por assim dizer. Como o aeroporto fica no meio da Baía de Guanabara, os passageiros têm que rezar Cquote1.png para todos os santos para nos livarar do pessoal do monte! Cquote2.png. O "monte" é na verdade o que hoje chamamos de "morro", batizando assim o aeroporto de Porta Aviões Reze para Todos os Santos Do Monte.

Aeroporto Perigoso![editar]

Cotidiano no Santos Dumont: desembarque por botes de emergência

A área onde o aeroporto foi implantado é conhecida como Aterro do Calabouço e um nome tão sinistro não poderia resultar num aeroporto menos perigoso do que foi criado.

Vale ressaltar que o aeroporto só não é mais perigoso para a população que o Aeroporto de Congonhas, já que é cercado de água e não de prédios e avenidas, cheio de pessoas habitando e transitando.

Já para os passageiros, o perigo é, senão igual, maior, pois você pode saber não nadar.

A Construção[editar]

Santos Dumont em dias de chuva

A primeira parte dos trabalhos constituiu-se basicamente da ampliação do aterro em torno do porta-aviões encalhado em 1933.

Consta até que um burro foi emprestado pela Prefeitura para ajudar no serviço.

Carece de informações de que esse burro hoje é Prefeito, Deputado, Presidente da República ou técnico da Seleção Brasileira de Futebol.

Depois foi feita a parte de construção do terminal ao lado da pista de terra batida. O terminal nada mais era do que um telhado que impedia que os passageiros tomassem chuva.

Permaneceu assim até 2006, quando a Infraero resolveu reformar o aeroporto e colocar umas lojinhas e cafés bonitos. A pista, contudo, continuou com o mesmo tamanho de 100m.

Como os aviões insistiam em não parar no piso de terra, resolveram asfaltar o local. Como o asfalto utilizado foi o mesmo das ruas da cidade, de qualidade duvidosa, os aviões agora paravam, mais pelos buracos na pista do que pela capacidade de frenagem.

Já em 1936 pode ser inaugurado com o primeiro aeroporto civil do Brasil e, hoje em dia, assim como Plutão não é mais planeta, o Santos Dumont não pode mais ser chamado de aeroporto, tendo sua condição rebaixada para aterro, península e outras merdas desmerecedoras.

Os serviços dos hidroaviões não foram interrompidos que continuam a operar normalmente no local, pois a pista atende apenas aeromodelos, aviõezinhos de papel e a Ponte Aérea Rio-São Paulo.

Complexo aeroportuário[editar]

Piloto: Cquote1.png Informamos que fizemos mais um pouso bem sucedido no Aeroporto Santos Dumont na cidade do Rio de Janeiro, por favor, peguem suas bóias e saiam pela direita... Cquote2.png
  • Sítio aeroportuário

Área: 833.703 m³ de água

  • Pátio das aeronaves

Área: 95.800 m³ de água

  • Pista

Mais de 8 milhões de litros de água

  • Estacionamento

Capacidade: 1.042 lanchas e caiaques

  • Estacionamento de aeronaves

Nº de posições: 15 posições no porto

Companhias aéreas e destinos[editar]

Cotidiano de pousos e decolagens no Aeroporto Santos Dumont

As empresas aéreas que operam, no aeroporto são:

Companhias Destinos
Azul Campinas, Pelotas, San Francisco, Qualquer lugar da França, Santos Dumont MG
Avianca Brasil São Paulo (CGH), Santo Antônio do Cré-cré-cré do Xipsuí de Minas, Curralinho
GOL São Paulo (CGH), Ranholândia
NHT Atlântida
Passa Medo Ipanema, Copacabana e Barra da Tijuca
TAM São Paulo (CGH), Belo Horizonte (Rodoviária da Pampulha), Brasília, Piripiri, Veneza
TEAM Niterói, Zona Norte do Rio de Janeiro
TRIPA SECA Aeroporto de Jacarepaguá, Morro do Pão de Açúcar
WebJet Belo Horizonte (Rodoviária da Pampulha), Algum lugar do Acre (sem retorno)