Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Agência Nacional da Vigilância não Sanitária
ANVISA LOGO.GIF
Logo da entidade
Portal das ratazanas
Criado em 26 de janeiro de 1999
Tipo Agência reguladora
Subordinação Ministério do desvio de verbas para a Saúde
® Desciclopédia
Logo gov fed 2016 barrig.png

Agência Nacional de Vigilância Sanitária ou Anvisa, é mais um órgão administrativo público brasileiro. Anvisa é o órgão vinculado ao Ministério da Saúde e que tem como principal função monitorar os estabelecimentos que não ajudam na contribuição sindical ajudando na aquisição ou cassação de um alvará. Foi *mais um* órgão criado pelo ex-mandatário da ditadura democrática brasileira, Fernando em Ri que Cardoso, antes da debandada do poder em 2002.

Atribuições[editar]

Segundo as normas da anvisa, este Big Mac está pronto pra consumo.

O órgão é responsável por liberar ou dar o aval para a comercialização daqueles produtos de beleza charlatões que sua mãe/esposa/namorada usa, aqueles Shakes by Luciana Gimenez® que são anunciados em qualquer programa de auditório e também produtos americanos, que como todos nós sabemos, tem um teor altissimamente alto de gordura e sódio. A Anvisa também é a irresponsável que proíbe o uso de algumas substâncias benéficas ao consumo humano, como ervas medicinais, aspirinas do bem, cachorro quente do carrinho de fast-food que você frequenta durante o break laboral e o temido Chá de Boldo.

Por esses motivos acima citados, a entidade é conhecida por ser "a babá" dos brasileiros, pois é ela quem diz o que é bom ou o que é ruim, segundo o ponto de vista paterno. É graças a ela que sabemos que faz mal colocar giz de cera nas vias nasais, que suco de beterraba contém antioxidantes, como os carotenoides e outras substâncias o domingo nada espetacular mostrou semana passada.

Apesar de sempre dizer que preza pela saúde humana, a Anvisa deve ser uma das únicas agências sanitárias do mundo a permitir uma cota mínima de pelo e coliformes fecais de ratos, moscas varejeiras, cabelo de merendeira mal cuidada e unha cortada nos alimentos. O órgão diz que isso ajuda na condimentação dos alimentos e que para o bem do paladar exótico esses sabores devem ser permitidos.

O órgão também faz vistas grossas quando se trata de achocolatados ou leites feitos com soda caustica diluída em solução esbranquiçada e aquosa, como já foram relatadas diversas vezes a este cabide governamental.

Ver também[editar]