Alanis Morissette

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

 

Cquote1.png Você quis dizer: Dave Grohl? Cquote2.png
Google sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Num é aquele baterista do Nirvana? Cquote2.png
Idiota qualquer sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Vão começar com isso denovo ¬¬ Cquote2.png
Dave Grohl sobre comentários acima
Cquote1.png Você quis dizer: Fernanda Torres Cquote2.png
Google sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Você quis dizer: Boca de veludo Cquote2.png
Google sobre Alanis Morissette

60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Alanis Morissette.

Cquote1.png Todos só morrem uma vez, a Alanis Morissette Cquote2.png
Mais uma super-piada da Série Trocadilhos Estupidescos
Cquote1.png Regravou meu disco e nem me deu os créditos!!! Cquote2.png
Liz Phair sobre Alanis Morissette
Cquote1.png MAMÃE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Cquote2.png
Avril Lavigne sobre Alanis Morissette
Cquote1.png A cara-de-pau usava carteirinha falsificada pra pagar meia no meu cinema! Cquote2.png
Dono de Cine Pornô, sobre os estratagemas de Alanis
Cquote1.png Alanis Boquinha de Veludo, nunca mais a esqueço Cquote2.png
Dave Coulier sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Alanis Boquinha de Veludo, nunca mais a esqueço [2] Cquote2.png
Dash Mihok sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Alanis Boquinha de Veludo, nunca mais a esqueço [3] Cquote2.png
Ryan Reynolds sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Alanis Boquinha de Veludo, nunca mais a esqueço [1.344.789...] Cquote2.png
Torcida do Flamengo sobre Alanis Morissette
Cquote1.png Toco cru pegando fogo! (20x) Cquote2.png
Alanis Morissette quando cantou no extinto programa Os Normais
Cquote1.png ALEEENI MORISEHTI GALERA Cquote2.png
Faustão sobre Alanis Morissette

Alanuis Nadineide Morri Sete, é uma depiladora suburbana caipira albina mineira, nascida no Cu do Mundo. Filha do espantalho do Mágico de Oz e da Tua Mãe, teve o nome escolhido pelo Mussum, na ocasião o então fazendeiro chefe de seu pai chamado Alan, que com imensa criatividade fez um combo de Alan + is, dando origem então ao nome Alanis.

Alanis mostrando sua inspiração pra compor.


Infancia[editar]

Alanis, que já nasceu cantando, conforme documentado e provado no clipe "Eight Easy Steps", teve uma infância difícil, devido as gozações e trocadilhos feitos com o seu nome " Se você morre só uma vez a Alanis Morre Sete". Mas apesar de morrer sete vezes, as pessoas a achavam estranha por não ser gata, dada o seu cabelo de palha ressecada de velha crente e as gordurinhas na xana.

Com a chegada da adolescência, as dificuldades aumentaram, e sem dinheiro para comprar uma escova, ou uma chapinha para arrumar os seus cabelos desgrenhados, Alanis decidiu começar a cantar e dar pra todo mundo.

Começo de Carreira[editar]

No começo de sua carreira, foi muito difícil (é para todas as cantoras feias, que tentam ganhar uma grana só com a voz), lançou dois álbuns pops-dançantes, "Alanis" de 1991, e "Now is the Time" de 1992, no qual no clipe de "Too Hot" aparece dançando uma coreografia dos Backstreet Boys, vestida horrorosamente e batendo um papo com Joey Tribbiani de Friends. Cansada de pular nos clipes como uma maldita pumper, ela decidiu partir para algo mais sério, profundo e autobiográfico, dando fim (ainda bem) à sua fase dançante.

Assim, pra juntar a grana do aluguel, Alanis aproveitou a experiência adquirida com seus ex-namorados cachorrões e passou a fazer boquetes em cinemas pornô em Toronto e depos em Los Angeles, cobrando 5 dólares por sessão. Com esse talento lucrativo, Alanis conseguiu juntar dinheiro não só pro aluguel, mas também pra subornar faxineiros de gravadoras pra facilitarem seu acesso a Glen Ballard e outros produtores em Los Angeles (claro que de vez em quando ela pagava os faxineiros com "serviços" também, né).

Saibam que ela é muito bela quando esta com chapinha.

O Sucesso[editar]

Versão paz e amor.

Alanis mudou-se para Los Angeles, onde conheceu Glen Ballard, que a ajudou a compor seu grande álbum de sucesso metafórico da década de todo o milênio: Jagged Litlle Pill, onde ela expõe sua vida particular nas suas letras, cortando os testículos de seus ex namorados , que a chifraram, trocaram ou brocharam. E com isso inspira milhares de garotas revoltadas que passam a não pentear mais seus cabelos, se vestir de preto, chutar as bolas de seus namorados e ter experiências homossexuais. Com o início do sucesso e da turnê, Alanis que adora competir com os homens, decide apostar com os quatro integrantes (todos homens) de sua banda para ver quem deles dormiria com mais pessoas durante a turnê. Alanis, uma pessoa "muito sexual", ficou em terceiro lugar, como uma boa discípula de Janis Joplin. Eis as faixas e uma triste história:

O primeiro (?) CD dela, tem o título de um triste ocorrido:

"Era o ano de 1990. Ela, então com 16 anos, foi de jegue da cidade de Ottawa, no Canadá, até Los Angeles, Estados Unidos. Chegando lá, estacionou o seu jegue na porta da gravadora, cantou, dançou (literalmente) e, quando saiu de lá, o jeguinho estava morto, estuprado por um cavalo maior. O nome do jegue era Pill, em homenagem à Phil Collins (não literalmente devido à questão dos direitos autorais). Daí a 5 anos, ela homenageou o jeguinho Pill no seu CD: Jagged Little Pill (snif)."

Neste CD, ela começou a tradição de gritar até o ouvinte ter dor de cabeça, (normamente em Hand In My Pussy). 10 anos depois, ela lança uma homenagem à homenagem ao Pill, o Jagged Little Pill Acoustic (ver seção "Jegue Pill Acoustic").

As faixas:

  1. All I Really Want: Quem não se esquece, dos primeiros gritos dela?
  2. You Oughta Know: Castração do primeiro ex dela, que o pegou com outra.
  3. Perfect: Nunca ninguém pensaria nesta música, que começa lerdinha e ela quase perde a voz no final;
  4. Hand in My Pocket: Botou a mão no bolso e ficou fazendo um monte de estripulias com a outra mão;
  5. Right Through You : Um coroa que se achava rico e ficava olhando to ass dela se impressiona quando viu que ela ficou rica às custas de Pill;
  6. Forgiven: No tempo que ela era freira, ela perdoava;
  7. You Learn: Ela gira até querer ficar com dor de cabeça, como você está;
  8. Head Over Feet: Música em que ela fica de cabeça para baixo e culpa o ex;
  9. Mary Jane: Uma demonstração de amor ao Homem-Aranha e querer fazer com ele o mesmo que ela fez com o ex dela na faixa 2;
  10. Ironic: Música que ela tem um ataque epiléptico num carro. Mostra situaçãoes irônicas, como ganhar na loteria e morrer no dia seguinte;
  11. Not the Doctor: Ela quer dar uma de charlatão e ainda assume que não tem doutorado;
  12. Wake Up: Acoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooorda;
  13. Your House: Tão estranha esta música, que ela a escondeu. Mas, ainda assim, não deixa de ser invasão domiciliar.

Uma parada para "refletir"[editar]

Cansada de festas, putaria, e de dormir com todo mundo, Alanis viaja para a Índia, para descansar e pensar sobre a vida, inspirada pelo óregano e outras coisas diferentes que fumou na Índia, ela volta a compor e lança Supposed Former Infatuation Junkie de nome grande pra caralho, tão grande que na capa do CD temos a boca dela, pois o nome Supposed ..... não coube na hora da edição. Nessa fase também faz uma super participação no filme Dogma, em que interpreta Deus, com um lindo vestido prateado que a protege contra radiações solares interplanetárias.

Fazendo um teste de urina... no meio da rua!

Alanis Varredora[editar]

Seu próximo álbum foi "Under Rug Swept", onde ela nos mostra seu lado gari, e varre tudo para baixo do tapete, também mostra ser uma grande fã de X-Men, fazendo um penteado estilo Vampira/Rogue (meio emo inclusive). Nesse álbum ela lança nova música "Hands Clean" falando de novo novamente again sobre o "You Oughta Know guy", aquele do "going down in a theater", que ela nunca esqueceu.

Festa sobre as Migalhas e O Tão Comentado Caos[editar]

Dando continuidade a sua carreira e eterna castração de machos, ela lança "Feast on Scraps" em 2003 e "So Called Chaos" em 2004, onde metralha quem pode, assim como repisoteia o já zumbi "You Oughta Know guy" falando nele de novo novamente again³ em "This Grudge".

Alanis mostrando seus "belos" peitos
Alanis mostrando que é gostosa,bata com moderação


Jegue Pill Acoustic[editar]

Em 2005, ela teve a cara de pau de regravar o mesmo álbum de 2700 a.C, o bastardinho Jegue, de forma aCUstica, como forma de arregaçar ainda mais as músicas feitas, já tocadas um bilhão de vezes.

Ela está vendo você se masturbar!

The Cullection[editar]

Não satisfeita em lançar apenas um álbum fracassado em 2005, ela resolve lançar o The Cullection, uma coletânea com as suas piores músicas, todas mal escolhidas a dedo pela própria Alanis, que fez questão de aniquilar de vez com o ouvido alheio. Dentre as várias músicas desconhecidas e trilhas de seus filmes pornôs presentes no álbum, ainda é possível perceber mensagens subliminares por meio de gritos guturais e sons de macumba, alguns dizem que é o prenúncio do Apocalipse.

Favores pro cafetão[editar]

O seu mais recente álbum, lançado em 2008, repete inova mais uma vez, agora falando de rompimentos e castrações mais sofisticados sobre o ex-noivo dela, tão famoso que todos o conhecem por ser o atual da ...No entanto, o álbum também relata a saga dela pelo submundo das prostitutas e cafetões depois de sua mais recente, porém não última, decepção amorosa (já virou cotidiano). Eis a tracklist:

  1. Citizen of the Puteiro: Falando sobre a sua mais nova vida de prostituta suburbana
  2. Undervagina: Sim, ela adora um cola velcro
  3. Straitjacket: Relatando mais uma de suas passadas no hospício
  4. Versions of sexual Violence: Ela é sadomaso
  5. Não come nós: Dando uma de Gollum
  6. In Praise of the Cafetão: Fala de sua submissão ao cafetão
  7. Moratorium: Mais um nome desconhecido por 99,9% da população que ela adora colocar em suas músicas
  8. Toque: Pura masturbação
  9. Gozando por qualquer razão: Provando que não é frígida, pelo contrário dá pra todo mundo
  10. Tapas: Mais uma vez confirmando que gosta mesmo é de apanhar
  11. Incomplete: O que a falta de um vibrador não faz

Aparições em seriados[editar]

Alanis, uma lésbica heterossexual mal resolvida, faz uma pequena participação no seriado Sex and the City, e dá um beijo em Carrie Bradshaw. Atualmente interpreta também a mesma lésbica de Sex and the City, mas agora no seriado, Nip/Tuck, no qual o Dr. Christian Troy, o todo poderoso e comedor, tenta inutilmente levá-la para sua cama, mas ela não aprecia bananas.

Maiores Fracassos[editar]

Dentre seus grandes fracassos, os mais boicotados nas rádios foram:

  • Head Over Feet - Primeiro clipe de Alanis, feito quando ninguém a conhecia - por isso mostra só a cara dela o tempo todo (ela tá tão perto que dá pra sentir o bafo de leitinho dela)
  • Ironic - Em que as 4 Alanis do clipe tem ataques epilépticos dentro de um carro.
  • You Oughta Know - Em que ela pisa em seu ex-namorado.
  • Thank U - Em que ela esquece de se vestir antes de gravar o clipe.
  • Hands Clean - Em que ela RE-pisa seu ex-namorado.
  • This Grudge - Em que ela RE-esmaga seu já zumbi ex-namorado.
  • Everything - A resposta dela de quando ligam pra ela perguntando o que ela sabe fazer na cama.
  • My Humps - Em que ela ensina a Fergie o que é rebolar e as consequências de tocar aquilo que só se pode olhar.

Vida Pessoal[editar]

Alanis, que recentemente perdeu o seu noivo aprendiz de ator Ryan Reynolds para Scarlett Johansson (mas né, nem adiantou muito trocar uma vaca por uma cadela), leva uma vida tranquila e caseira, onde passa o tempo compondo dentro de seu armário, ou fazendo Yoga. Ultimamente, virou motoqueira, e neste ano pretende publicar um livro de memórias, contando mais sobre sua vida amorosa, sexual, maconheira, boquetes no cinema (ou banheiros mesmo) e esfaqueando mais um pouco seus ex namorados.