Alfred Hitchcock

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Night creature.JPG Alfred Hitchcock surgiu das trevas!!

Always lurking... Always in the darkness...

Puro osso.gif
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Alfred Hitchcock.

Cquote1.png A duração de um filme deve ser diretamente proporcional à necessidade humana de ir ao banheiro Cquote2.png
Alfred Hitchcock sobre sua técnica de decidir a duração de seus filmes
Cquote1.png Estilo é plagiar a si mesmo Cquote2.png
Alfred Hitchcock sobre seu estilo
Cquote1.png Esse jovem é o rei das confusões, seus filmes da pesada vão arrepiar altos corações! Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Alfred Hitchcock
Cquote1.png "Hitchcock é bom" tem 13 letras! Cquote2.png
Zagallo sobre Hitchcock
Cquote1.png Tem é que espalhar o sangue logo! Cquote2.png
Quentin Tarantino sobre o estilo de direção de Alfred Hitchcock
Cquote1.png Se beber, não dirija Cquote2.png
DETRAN sobre Alfred Hitchcock

Alfred Hitchcock ao lado de seus considerados dois melhores atores de Hollywood.

Alfred Hitchcock é um famoso mafioso e aclamado diretor do cinema na época que Hollywood era legal. Considerado por muitos o Pelé e Salvador Dalí das telas, esse grande diretor deve seu grande sucesso ao fato de ser um parente próximo de Murphy e por isso as suas obras sempre envolvem confusão, gente doida, pessoas com tripla personalidade, mães possessivas, nonsense, muita imaginação e catástrofes naturais.

Hitchcock desde criança sempre foi ligado à imaginação, jogador assíduo de RPG, otaku, orkutmaníaco e praticante de outras alienações, era um homem que vivia da mentira, nunca ligou para a realidade, seu passatempo era ficar criando profiles de personagens de RPG. Sua mente e ideias bizarras foram bem aceitas e adaptadas para o cinema, porque o mundo na época, precisava dessas coisas sem sentido e cheias de suspense sem noção para distrair o povo, como pássaros carniceiros assassinos e homens travestis doidos que cuidam de cadáveres da mãe. Essas temáticas inéditas são as responsáveis pelo sucesso do diretor.

Vida[editar]

Importante! - Se você é uma mulher morena, recomendamos que coloque uma peruca loira se quiser prosseguir a leitura do artigo e se salvar ao final.

Infância[editar]

Sempre preferiu as loiras.

Hitchcock nasceu e viveu sua infância nos sujos, escuros e perigosos subúrbios de Londres, aonde os becos escuros, o clima de terror, o medo e o suspense de quando você vai morrer dominavam o espírito das pessoas. Toda essa paranoia seria o que viria a influenciar o estilo de dirigir de Hitchcock.

Aos 10 anos inventou o amigo imaginário, Norman Bates, um tipo raro de psicopata com graves problemas de relação familiar. Desde então Hitchcock vem escrevendo as aventuras desse seu amigo e adaptando-as para filmes.

Grande mentiroso e charlatão, os produtores ficaram impressionados com a capacidade de dissimulação de Hitchcock, e ele saiu das pobres e imundas ruas do subúrbio de Londres para ir trabalhar de brincar de mentirinhas nos teatros e cinema dos burgueses. Suas histórias psicodélicas renderam muito sucesso

Carreira[editar]

Os Pássaros arruaceiros! Os preferidos de Hitchcock.

Hitchcock começou sua carreira em 1920 nos teatros da Inglaterra, até que chamou a atenção da Cosa Nostra que adotou Hitchcock como seu novo líder, que junto de grandes nomes do mundo da obesidade máfia Don Corleone e Al Capone dominaram o mundo. Enquanto Al Capone assassinava os indesejáveis, Don Corleone organizava o capital e Hitchcock se certificava de alienar as massas.

Os filmes de suspense de Hitchcock são famosos pela música fúnebre e efeitos de luz e sombra macabros. Fofoqueiro assumido, Hitchcock revela ao espectador o máximo de informações possíveis, sempre fazendo que seus personagens sejam uns idiotas e últimos a saberem das coisas (quando já estão mortos).

Em 1925 foi para Berlim apoiar os nazistas na guerra, e continuou na cidade dirigindo seus filmes doidos.

No final da guerra Hitchcock chamou a atenção de Hollywood, que nessa época remota era uma cidade até legal e com gente boa, nem sempre o lugar foi a coisa estranha que é hoje. Como se sabe, a União Soviética e Estados Unidos sequestraram qualquer mente brilhante em Berlim após a guerra. Hitchcock deu a sorte ou o azar de ir parar nos "yankees" em 1939. Liberal, continuou normalmente a fazer seus filmes estranhos.

A Segunda Guerra Mundial, e posteriormente a Guerra Fria formavam um cenário paranóico e cheio de suspense ideal para o sucesso de Hitchcock, bastava ele fazer suspense, não contar o segredo até o final, manter um clima de terror, ter protagonistas mentalmente insanos, loiras e seus filmes teriam sucesso garantido.

No final da carreira começou a ficar de cabeça cheia de tanta psicose, e passou a se dedicar às obras de comédia. É claro que eram comédias macabras, cheias de suspense, com mães possessivas e gente maluca.

A Universal Studio deve seu sucesso a Alfred Hitchcock que dirigiu os primeiros filmes desse, hoje famoso estúdio, e conseguiu dar sucesso e cartaz para filmes sem noção que poucos acreditavam fazer sucesso.

Morte[editar]

Trágica morte.

Depois de muito trabalhar, fumar, atuar como figurante, e dizer frases de efeito, recebeu a Ordem do Império Britânico da Rainha Elizabeth II em pessoa. Hitchcock se sentiu tão mal (ele esperava a chave de Londres) que teve pedra nos rins e morreu.

Características e Curiosidades[editar]

  • 13 era o número favorito de Alfred Hitchcock.
  • Salvador Dalí admirava Hitchcock.
  • Hitchcock era metido e exibicionista, tanto que fez aparições em todos seus filmes, nem que fosse como figurante.
  • Os filmes de Hitchcock eram tão doidos e só psicanalistas ousavam dizer que entendiam a trama.
  • Hitchcock odiava morenas.
  • Hitchcock amava loiras.
  • Hitchcock tinha uma mãe paranóica, o que explica a personalidade das mães em seus filmes.
  • Hitchcock era paranóico e ansioso.
  • Hitchcock imortalizou a imagem da loira burra, que só serve para enfeitar a película e gritar na hora que o cara mau quer matar alguém.
  • A tia de Hitchcock foi esfaqueada enquanto tomava banho.
  • O irmão de Hitchcock foi morto após um ataque de gralhas assassinas.
  • Assistir um mesmo filme de Hitchcock mais de uma vez é realmente maçante.

Trabalhos[editar]

Spoiler5.JPG
Atenção! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais spoilers.
Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Yugi consegue as três cartas de deuses egípcios, ou que Darth Vader é pai de Luke Skywalker.
Spoiler3.jpg

Tirando os trabalhos de macumba para garantir o sucesso fazendo filmes tão loucos, Hitchcock trabalhou como diretor em centenas de filmes, todos sempre protagonizados loiras, mães desnaturadas, antagonistas desequilibrados mentalmente e galãs do cinema.

Hitchcock de fato fazia bons filmes, famosos, que prendem o espectador até o fim, nem que urinem nas calças para isso, de tanto suspense.

Número 13[editar]

Protagonistas discutindo o futuro de suas vidas.

Conta a história de um velho lobo do mar Zagallo que passa a sua vida procurando a relação entre 13 e 42 no Guia do Mochileiro das Galáxias. O suspense ocorre quando alguns alienígenas invadem a preparação da seleção para conspirar a favor do Zidane (o vilão da história), e o que passa a ocorrer é uma novela envolvendo peso do Ronaldo, convulsões, amareladas, futebol, tudo com muito mistério e suspense. O final, todos já sabem, Roberto Carlos foi arrumar as meias...

O filme foi lançado numa sexta-feira, e foi tão ruim, que Hitchcock surtou e queimou todas as cópias, queimando o cinema junto, e os espectadores juntos também. Até hoje arqueólogos tentam encontrar algum vestígio desse filme, que o Led Zeppelin e Ramones afirmam ter sido obra do tinhoso.

Jack, o Estripador numa sexta-feira 13 ao lado de Jason e Freddy Kruger num dia de azar[editar]

Um dos líderes mafiosos do tráfico de baseados.

Aclamado filme do gênero "trash horror" conta a história de Jack, um famoso açougueiro das ruas de Londres que saía nas noites a procura de material para confeccionar roupas de pele, chapéus e sapatos. Com o tempo, foi se notando que os boêmios foram sumindo (únicos que ficavam até altas horas na rua da Londres do século XVIII) e a lenda do Jack ficou mais terrível que o homem do saco, e as técnicas de cenas de ataques do Jack são iguais às usadas em séries de baixo orçamento como Supernatural. Numa sexta-feira treze, um ritual macabro revive Jason e um culto de Wicca invoca Freddy Kruger que passam a usar serras elétricas e garras para aterrorizar a cidade.

Hitchcock expõe no filme um curioso simbolismo, já que são apenas loiras as vítimas dos monstros, chega até a parecer que Londres fica na Suécia, pois só tem loira.

Pink Floyd: The Wall[editar]

O maior álbum de sucesso do Pink Freud.

Um dos primeiros filmes perturbados de Hitchcock. Recebeu o "ISO 6665 Salvador Dalí". Conta a história de um fascista que apanhava na escola, o pai morreu na guerra, a mãe era uma gorda maluca, quase morreu de Peste Negra após dormir com ratos e justificava ser nazista por causa da infância perturbada.

O Homem que Sabia Demais[editar]

O Homem que NÃO sabia demais.

História de um playboy que deu o tremendo azar de ter seu amigo morto depois que ele cometeu a grave erro de querer dançar com uma mulher casada, e a máfia não gosta dessas coisas. O problema é que o morto sabia demais, e passou seus conhecimentos ao amigo como últimas palavras. Depois disso a mãe dos mafiosos fica maluca, e em seguida eles vão loucos atrás do homem que sabia demais e terminam sequestrando a sua esposa loira. Sucesso na Sessão da Tarde de 1934. Sem contar que a sua filha foi sequestrada pelos homens de Don Corleone...

Chantagem e Confissão[editar]

Sherlock Holmes investigando os loucos casos em "Chantagem e Confissão".

Sherlock Holmes trabalhando pela Scotland Yard recebe um intrigante trabalho de investigar as ações de uma loira louca. Nada acontece no filme, o detetive, sua namorada e um louco caminham para lá e para cá, o espectador fica em suspense até o fim esperando alguma coisa acontecer, e se decepcionar porque não ocorre nada além de uns beijinhos, malas pretas e algumas teorias da conspiração do Código da Vinci. No final o detetive descobre que o assassinato foi feito pelo Coronel Mostarda com o castiçal no salão de jogos.

Rambo 13[editar]

Cartaz de Rambo 13.

História da morte de Rambo, onde Hitchcock consegue trazer todo o drama e suspense da queda do herói que precisa lutar contra o Hamas nessa alucinante sequência. Rambo como sempre escapa da morte durante todo o filme a exemplo do 007, enquanto os bandidos fazem uma trama para usar a mãe do Rambo, que era doida, como isca para matá-lo. Depois de muito suspense, conseguem!

Quando fala o coração[editar]

Um dos internados do hospício.

História de um psiquiatra chamado Norman Bates que vai trabalhar em um hospício atendendo mães loucas. Com o tempo, o médico passa a descobrir ser uma pessoa perturbada também que precisa se consultar com um psiquiatra. O psiquiatra não resiste e procura alguma loira em algum chuveiro para matar. Todo mundo gostou desse filme sem noção que faturou centenas de indicações para o Oscar, entre as categorias: "Filme mais maluco"; "Filme mais sem noção"; "Melhor figurante". Hitchcock usou imagens de Salvador Dalí para representar a maluquice mental de todas as personagens.

Festim Diabólico A Corda[editar]

A Corda!

Censurado, conta a história de dois homossexuais, que pretendem provar seu amor um pelo outro planejando o crime perfeito. Esses dois sádicos fazem questão de colocar corpos mortos em um baú sob a mesa de jantar para constranger seus convidados a acharem que o fedor é a flatulência de alguém à mesa. Sucesso no sub-mundo, Festim Diabólico foi o primeiro filme que abordou essa temática doentia na história (hoje copiado por sucessos como Jogos Mortais e O Albergue). Possui mais de 10 sequências, entre as mais famosas, os filmes O Crime Perfeito, 11 Homens e Um Segredo, 11 Homens e Mais um Segredo e 13 Homens e um Segredo Diabólico, 11 Homens (conteúdo gay).

Pacto Sinistro[editar]

O tenista se aventurando no trem em "Pacto Sinistro".

Animado com esses filmes "trash", Hitchcock dirigiu esse filme cuja história aborda a vida de um famoso tenista (que não tem cara de tenista) que está querendo divorciar-se da esposa e como o cartório fica a quilômetros de distância de sua cidade, ele pega um trem sem saber que era amaldiçoado, e fica rodeado de mães lunáticas e um perigoso psicopata, que o ameaça de morte caso não faça um pacto sinistro. O psicopata mata a esposa do tenista e agora quer que o tenista entre no mundo do crime e mate um velho. Nisso o tenista fica maluco e mata todos os passageiros do trem, tudo após muito suspense.

Hitchcock nesse filme demonstrou sua tendência ao nepotismo, colocando a sua filha Patricia Hitchcock para fazer figuração no filme.

Disque M Para Matar[editar]

Disc M 666 para matar.

Sequencia não-oficial de "Pacto Sinistro". É outro filme esquizofrênico. Outro filme falando de um tenista (que não se parece um tenista). Outro filme falando de um tenista que quer matar a esposa. Só que dessa vez, ao invés dele usar um psicopata num trem, o tenista contrata um psicopata pelo telefone discando M. O assassino mata a esposa loira enquanto ela estava tomando banho...

O filme lançou a atriz Grace Kelly, a quem Hitchcock ainda mataria muitas vezes.

Janela Indiscreta[editar]

Janela Indiscreta.

Conta a história de um homem tarado que finge ter quebrado a perna para faltar o trabalho e ficar em seu apartamento com seus binóculos espiando os vizinhos. Nisso se interessa em vigiar a vida íntima de um casal e passa a saber de toda rotina deles. Cada vez mais alienado começa a achar que o casal vigiado estava se matando, e coisas do tipo na 125 7th Street.

Hitchcock introduziu ao cinema o voyeurismo.

O Homem Errado[editar]

O Homem Errado.

Conta a história de um homem que foi acusado equivocadamente de ter matado a mãe, que era possessiva. Na prisão vê sua vida virar um inferno quando se encontra com todos os 50 psicopatas presos dos filmes anteriores de Hitchcock, como o psicopata do trem, Norman Bates e o maníaco do parque.

Um Corpo Que Cai[editar]

Um Corpo que vai cair.

Outro filme que fala sobre as birutices das pessoas. Na época de seu lançamento foi um fiasco comercial, mas hoje todos dizem que o filme é uma obra-prima, pois retrata como ninguém a loucura do ser humano. Conta a história de um detetive perturbado que é contratado por um homem perturbado, que suspeita de sua esposa perturbada. O detetive passa a seguir a mulher e descobre que ela encarnou o espírito da mãe maligna possessiva, e no final, após muito suspense, o vilão Norman Bates surge e diz ser a mulher com múltiplas personalidades...

Psicose[editar]

Conta a história do perturbado Norman Bates, um homem que gosta de se fantasiar de vovó, se torturar e matar loiras no chuveiro. Ele teve uma mãe possessiva e por isso desconta nos hóspedes de seu hotel a sua fúria contida. A cena da loira morta a facadas no banheiro é a mais conhecida da história do cinema e foi minuciosamente estudada: Hitchcock preferiu fazer o filme em preto em branco pois achou que o vermelho do sangue poderia chocar demais as crianças. O som das facadas foi feito com facadas em corpos humanos reais. O sangue é real. A cena do chuveiro demorou 14 dias para ser filmada por complicações com o cachê da atriz que relutava em aparecer nua.

Psicose faturou diversos prêmios como "Filme mais Doido do Ano".

Os Pássaros[editar]

Pássaro aterrorizando a cidade!

Primeiro filme tratando de animais assassinos. Possui as sequências: Aracnofobia, As Moscas Atacam e Anaconda. Em Os Pássaros Hitchcock abusa no seu característico estilo "nonsense" de dirigir. O filme inovou o conceito de "terror" e ganhou diversos prêmios pela grande originalidade: "Gralhas Carnívoras Assassinas". roteiro não é bem desenvolvido, o enredo se baseia apenas em ataques furiosos de pássaros que aterrorizam a população.

Topázio[editar]

Topazio

Depois de discutir com alguns atores de Hollywood, Hitchcock quis provar que podia fazer um bom filme com atores desconhecidos. Não conseguiu, e o filme foi um fracasso. Topázio conta a história de um detetive que investiga a ação de lunáticos que possuem um histórico de terem mães possessivas. O filme é um compilado de conspirações, traições, assassinatos e suicídios.

Mr. & Mrs. Smith[editar]

Mr. & Mrs. Smith.

Hitchcock encara o maior desafio de sua carreira, ao dirigir um filme protagonizado pelos piores atores de Hollywood (Angelina Jolie e Brad Pitt). Consegue na base do "marketing" um razoável sucesso ao filme, porque se for depender do filme em si, até Topázio é um filme melhor.

Outros Filmes[editar]

Premiações e Homenagens[editar]

Hitchcock dirigiu filmes que você nem imagina que existem.
  • Um monte de Oscars de melhor diretor.
  • 3 Oscars de melhor figurante.
  • Troféu Bob Marley.
  • Prêmio Pulitzer.
  • Taça Máfia de Ouro.
  • 3° colocado na Formula 3 Italiana.
  • Título de Sir em Londres.


v d e h
TAN TAN... TAN TAN, TAN !
T978595abf6.jpg


v d e h
Logo Terror.png
Boris-Karloff.png
Statuette.jpg
Lista de cineastas famosos (Alguns nem tanto):


Akira Kurosawa | Alfred Hitchcock | Andrei Tarkovsky | Billy Wilder | Brian de Palma | Bruno Mattei | Cecil B. De Mille | Charles Chaplin | Christopher Nolan | Clint Eastwood | Darren Aronofsky | David Cronenberg | David Lynch | Ed Wood | Ethan e Joel Coen | Federico Fellini | Fernando Meirelles | Francis Ford Coppola | Fritz Lang | F. W. Murnau | George Lucas | George A. Romero | Glauber Rocha | Howard Hawks | Ingmar Bergman | James Cameron | Jean-Luc Godard | Jean Renoir | João Amorim | Joel Schumacher | John Carpenter | John Woo | Jorge Furtado | José Mojica Marins | José Padilha | Klaus Kinski | Larry Lana e Andy Lilly Wachowski | Lars von Trier | Luc Besson | M. Night Shyamalan | Martin Scorsese | Mel Gibson | Michael Bay | Michelangelo Antonioni | Orson Welles | Paul Verhoeven | Paul W. S. Anderson | Pedro Almodóvar | Peter Jackson | Quentin Tarantino | Ridley Scott | Robert Rodriguez | Robert Wiene | Roger Corman | Satyajit Ray | Seltzer & Friedberg | Sergio Leone | Spike Lee | Stanley Kubrick | Steven Spielberg | Takashi Miike | Takeshi Kitano | Terry Gilliam | Tim Burton | Tobe Hooper | Tommy Wiseau | Uwe Boll | Walt Disney | Werner Herzog | Wes Craven | Woody Allen | Yasujiro Ozu