Allmänna Idrottsklubben Fotboll

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Allmänna Idrottsklubben Fotboll
Escudo do AIK.png
Brasão
Hino Å vi e AIK (O Último Adeus)
Nome Oficial Alabama Idrottsklubben Fotboll (A Lama Escrota Clube de Futebol)
Origem Bandeira da Suécia Suécia - Solna
Apelidos Gnaget (Roedores)
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote Elsa do Frozen
Torcedor Ilustre Princesa da Suécia
Estádio Friends Arena
Capacidade 50.000
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo Nike
Liga Campeonato Sueco
Divisão Allsvenskan
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Allmänna Idrottsklubben Fotboll (do sueco: A Lama Escrota Clube de Futebol), acho melhor chamar só de AIK mesmo, é um tradicional time de futebol da Suécia, que só tem isso mesmo, tradição, porque faltam títulos, falta habilidade dos jogadores, faltam glórias, faltam vitórias.

História[editar]

Fundação[editar]

O AIK foi fundado em 1891, porque a Suécia sempre foi um puta tédio, então qualquer novidade que surgisse a população tinha que abraçar a ideia, senão a única outra opção sempre era chupar gelo na neve. Surgia o AIK, ainda naquela época primordial, quando não se sabia o que era futebol, nos primeiros anos acreditavam que era uma escola de barbearia, por isso todos os jogadores tinham bigodes meticulosamente bem aparados e vistosos, mas só depois foi se conhecendo que na verdade era um esporte praticado com os pés chutando uma bola (mas o bigode continuou por um bom tempo). Outra coisa bem típica da Suécia é que tudo é organizado, então até o campeonato sueco amador de 1900 foi mais organizado que o Brasileirão desse ano, por isso sabemos que naquele ano o AIK foi campeão, vencendo o Örgryte IS na grande final. Depois seria campeão também nos anos de 1901, 1911, 1914, 1916, 1923, 1932, 1937, sempre vencendo só times ruins, afinal estava na Suécia.

Nesses primórdios especializou-se apenas em ser vice do Disjuntores IF, que viria a se tornar seu principal rival, e também evitar a fadiga por constantemente perder títulos óbvios.

Era um time originalmente Estocolmo, porque por muito tempo foi a única cidade existente da Suécia, mas depois foi transferido para o subúrbio quando descobriu-se que o futebol era esporte de marginal, assim o time passou a jogar em Solna a partir de 1937, e aí nunca mais foi campeão.

Após as guerras. Muitos rebaixamentos[editar]

O Terceiro Reich sabiamente dizimou todos estádios suecos em 1940, mas a UEFA não gostou de nada disso, e com a ajuda dos Estados Unidos criou a FIFA e terminou com a Segunda Guerra Mundial em 1945, e assim o futebol voltou para a Suécia, e o AIK agradeceu em 1951 conquistando seu primeiro rebaixamento vexatório, isso porque para escapar, precisava vencer a última rodada o favorito e tradicional Malmö FF, que estava invicto tinha 49 jogos, e o pior é que o AIK ganhou por 1x0, só que precisava ganhar por 2, então caiu mesmo assim. Subiu de divisão ajuda de um tal de Kurt Hamrin, um jogador que ninguém nem sabe quem foi, mas que aparentemente era espetacular para os baixos padrões suecos, tanto que logo foi para a ACF Fiorentina.

Em 1962, outro rebaixamento, o AIK ia pegando o gosto em ser um time medíocre.

Sua estreia numa competição europeia que não fosse aquelas bostas de Taça da Feira ou Copa de Totó, foi a participação memorável na Copa da UEFA de 1973–74, quando foi eliminado logo de cara pelo B 1903, um time com nome de asteroide de Tuvalu, então integrante da UEFA na época.

Em 1979, rebaixado de novo, tipo o Vasco, apenas mantendo o hábito.

Fim do jejum[editar]

Foram 55 anos sem títulos, mas o campeonato sueco tem baixa competitividade o suficente para que o AIK conquistasse o Suecão de 1992, e assim a sua estreia na Champions League, quando viu sua eliminação relâmpago diante do Sparta Prague. O AIK então pegou o gosto, avançou algumas vezes para a fase de grupos da Champions, o que sempre comemora como título mundial, porque depois disso já se sabe que é humanamente impossível ir mais longe.

Mas não importa se os anos 1990 foram bons, se em 2004 você coloca Patrick Englund de técnico, um cara com zero experiência precisando lidar com um elenco cheio de contusões e deserções. Só poderia vir a conquista do tetra-rebaixamento.

Estabelecendo-se como time merda da Suécia[editar]

Como a Liga Europa da UEFA é um torneio que parece ter umas 457 vagas, o AIK sempre está jogando aquela porcaria nas fases iniciais que as pessoas nem sabem que existem. Todo ano joga uma Liga Europa, gosta só de cumprir tabela mesmo.

Títulos[editar]