Aloídas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Greece-flag copy.jpg "ΑΝΕΓΚΥΚΛΟΠΑΙΔΕΙΑ Η ΘΑΝΑΤΟΣ!!!"

Re, este artigo é grego! Ele toma frappé, joga tudo na janela do carro quando acaba e gosta de ganhar de Portugal na Eurocopa, além de estar endividado pra caralho.

Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Aloídas.

Os Aloídas é um episódio da mitologia grega que, como todas as outras histórias deste tipo, é cheia de putaria, violência e deuses fazendo merda e depois tendo que limpar a cagada - quase sempre fudendo os mortais no processo de limpeza.

Aloeu[editar]

Aloeu era um cara feliz e tranquilo, rei da Tessália, que fazia tudo certinho - foi erômeno quando jovem, agora era erasto de algum garotinho, era casado, tinha amantes e escravos, fazia suas guerrinhas para matar os homens, estuprar as mulheres e escravizar as crianças - nada de diferente dos outros reis.

Ifimedia[editar]

"Ifimedia tentando Netuno", afresco encontrado em Pompeia, atribuído a Apeles

Só que a sua esposa, Ifimedia, era a maior piranha. Hoje em dia, as putas e piranhas tem como objetivo engravidar de astros internacionais do rock, jogadores de futebol, senadores ou - para as mais desesperadas - pagodeiros. Naquela época, as piranhas queriam engravidar de deuses - ou, na falta deles, de semideuses e heróis.

Como Aloeu não dava conta do recado, todo dia Ifimedia ia até a beira do mar, tirava a roupa (não havia maiô nem biquíni na Grécia, as pessoas tomavam banho de mar nuas mesmo) e ficava se masturbando com o mar.

Ela ficava horas lavando os peitos, lavando a bunda e lavando a buceta na água do mar. E repetiu este ritual todo dia, por vários meses. O idiota do Aloeu nem percebeu o que ela queria, ou talvez ele estivesse mais interessado no seu erômeno do que na Ifimedia.

"Concepção de Oto e Efialtes", vaso grego encontrado nas ruínas de Micenas

Inevitavelmente, Netuno, o deus do mar, não resistiu à tentação (mas nem precisava tanto - os deuses gregos pegavam qualquer uma que desse sopa; e, quando elas não davam, eles estupravam e depois ainda matavam o pai da garota. Ou garoto - o que mais tem é caso de garotos sendo levados por deuses).

Netuno então sai da água, se apresenta de tridente duro para Ifimedia, e a come, lá mesmo no mar onde ela estava se masturbando.

Oto e Efialtes[editar]

Oto

Ifimedia, com a maior cara de cínica, volta chorando (lágrimas de crocodilo) para Aloeu, e diz que foi violentada pelo Netuno. O corno do Aloeu, babaca, acredita na história e, em vez de esquartejar a Ifimedia e dar para os cachorros comerem, resolve criar os filhos da puta. Ou talvez ele tenha ficado quieto porque Netuno também era seu pai.

Bom, vai ver ele fez isso por cagaço, os outros mortais que não levaram numa boa os chifres que tomaram dos deuses se fuderam feio.

Efialtes

Os filhos da Ifimedia com Netuno se chamaram Oto e Efialtes. Por pura sacanagem com o corno do Aloeu, eles são chamados de aloídas (entendeu? Aloeu, aloídas - a mesma raiz. Não sabe o que é raiz? Porra, para de ler putaria e vai estudar português!). Só que o que a piranha esqueceu é que Netuno tinha algum problema (vai ver a água dos oceanos estava poluída), e todos os seus filhos nasciam monstros.

Com Oto e Efialtes não foi diferente: os dois eram feios pra caralho. E ainda tinham outro problema: eles cresciam a um ritmo alucinado - algo como um metro (ou dez metros - alguém aqui sabe converter unidades gregas para unidades SI?) por ano.

Então, quando eles tinham nove anos já eram dois gigantes - não só em tamanho, mas também em força e potência sexual. E resolveram que a Terra era muito pequena para eles - seu objetivo era o Olimpo.

A Guerra[editar]

Eles atacaram a montanha dos deuses, que saíram correndo para não tomar porrada. Marte, que era deus da guerra mas era um tremendo bundão (o que tem de mortal que enfiou porrada nele!), foi colocado em um jarro e lá ficou por treze meses. Os aloídas eram tão fodões, que eles conseguiam pegar montanhas com as mãos e empilhá-las como se fosse um brinquedo lego (isso é que dá não brincar com as crianças, elas crescem e resolvem brincar como adultos.

Não vê o Bush? O pai dele não brincava de soldadinho com ele, ele cresceu e resolveu brincar de soldadinho atacando o Iraque e o Afeganistão).


"Diana, a caçadora". Ela não gosta que você olhe para ela; o último que fez isso acabou cego e capado

Mas aí eles resolveram cutucar a onça com vara curta: Oto resolveu que Juno seria sua esposa, e Efialtes resolveu pegar Diana. Ora, pegar Juno tinha problema - pelo fato de Júpiter ser o fodão, ninguem comeu Juno. Mas Diana era virgem convicta, e gostava disso.

Então Diana se transforma em corça, e, quando os idiotas resolvem caçá-la, jogando lanças contra ela, eles erram, e se matam com suas lanças (não entendeu? Oto mata Efialtes, e Efialtes mata Oto. Porra, tenho que explicar tudo? Não precisa responder, esta é uma pergunta retórica! Não sabe o que é pergunta retórica? Caralho, larga o computador e vai estudar!)

Turismo infernal[editar]

Oto e Efialtes sofrem castigo eterno no Inferno. Enéas e Dante foram dois que apreciaram esta atração turística, e tiraram fotos ao lado dos gigantes sendo torturados eternamente.