América (novela)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Rede-GROBO.png PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.
Imagem de divulgação.

América foi uma novela da Globo que passou entre 14 de março e 5 de novembro de 2005. Escrita por Glória Perez, com colaborações de Tio Sam, Bill Gates, Carmem Miranda, MC Serginho e Shakira. Foi dirigida por Jayme Monjardim e Marcos Schechtman.

História[editar]

Sol, uma guria retardada do subúrbio carioca, sonha em ser uma atriz de Hollywood. Para conseguir realizar esse sonho, ela planeja entrar ilegalmente nos States e casar com um gringo, para conseguir a cidadania americana, mesmo que para isso ela tenha que largar sua família e seu ficante, Tião. Ela resolve pedir ajuda ao Coyote, mas é encontrada por dois tiras: Fucker and Sucker. Sol vai presa, mas foge e se esconde numa caixa de cereal. Sol é encontrada por Nerd, um gringo retardado, e os dois se apaixonam. Ele namora a May, uma gringa safada que não vai medir esforços para separar os pombinhos. No Brasil, tem também a história de Glauco, e sua família pirada. Hay-Dê, a esposa, tem o costume de roubar objetos insignificantes, como a carteira do marido e o namorado da filha. Rá-Issa, a filha, é uma patricinha que sempre se fode (na vida real, isso não acontece): toma um tiro logo no começo da novela, perde o namorado pra amiga, perde outro namorado, só que dessa vez pra mãe, arranja outro namorado, o Malvadex (que patricinha assanhada, não é?), só que ele tá de olho na bufunfa dela e, para conseguir isso, sequestra a própria namorada, sem que ela saiba que foi ele. Malvadex é preso no dia do casamento dele com Rá-Issa, e ela pira de vez: resolve botar piercings na cara e ir à bailes funk com sua amiga pobre. Glauco pula a cerca com sua advogada, depois tem um caso com Lurdinha e larga a doida da Hay-Dê pra casar com ela, sem a aprovação de sua filhota. Ainda tem o povo de Serrinha, que é fanático por vaquejadas, e de lá que é o Tião e sua família. Tião luta contra um fazendeiro que vive querendo suas terras, tem um irmão ladrão, e seu pai morreu de overdose de Zorra Total. Tião tenta vencer o Boi Bandido nas vaquejadas, mas vai parar em coma e é largado por Sol, pois ela descobre que ele é um galinha e ela acha que vai encontrar coisa melhor nos States. Na cidade onde todo mundo pula num lombo, moram os dois personagens que salvaram a novela inteira, porque deram pro público exatamente o que todo mundo quer: sacanagem. Dinho é um peão, amigo do Tião (bundão), que quer pegar a Viúva Neuta (Eliane Giardini, a coroa mais gostosa da televisão brasileira), que só sabe falar mal de peão. Mas depois de uma chuva (chuvinha linda), ele consegue dar uns amassos na viúva e passa o resto da novela pulando a janela pra fazer sacanagem com ela (vestida numa camisola vermelha superestratégica, que ele deu de presente pra ela.).

Final da Novela (pra quem não viu): Sol é deportada e engravida de Nerd. Tem o filho no Brasil, mas ele nasce com crise de identidade e precisa de tratamentos psiquiátricos. Sol entrega o bebê pro Nerd e tenta ir pros EUA de novo, só que de canoa. A canoa fura, e Sol vai parar em Cuba. Ela é presa após ser flagrada comendo hot-dog, bebendo Coca-cola, usando calça jeans e acessando o Google, coisas proibidas por lá, pois isso é um grave insulto aos cubanos. Neuta resolve deixar de sacanagem e assume o Dinho no meio de uma festa onde, é claro, o cantor da música tema (Daniel) estava fazendo um show, e os dois ficam famosos escrevendo um livros sobre fantasias eróticas. Tião termina a novela ficando com Simone, mas ele descobre que a cantora é sapatão, e volta a galinhar. Seu irmão ladrão vai parar em Brasília, e consegue uma lei que impede o fazendeiro de roubar as terras da família. Tião e seu irmão ficam amiguinhos de novo, e Tião consegue uma vaga de suplente com um senador amigo de seu irmão, mesmo que Tião só tenha estudado até ao Jardim 3. Após 6 meses de mandato, o senador morre, e Tião vira senador. Glauco e Lurdinha conseguem a aprovação da família, e Rá-Issa vira cantora funk. Ela compra uma casa na Rocinha e finalmente encontra a sorte no amor, casando com Fernandinho Beira-Mar.

Elenco[editar]

Trilhas sonoras[editar]

E são muitas! A trilha sonora nacional foi relançada sendo lançada de novo com algumas músicas substituídas. Um erro crasso, sabendo-se que elas poderiam ser mantidas. A internacional também. O motivo para tal era que o CD duplo era muito caro, e de que a primeira fase não agradou o povão.
É a 3ª novela a ter uma trilha sonora dupla, até 12 anos depois, Os Dias Eram Assim adotar a ideia, em uma época em o que o CD já começava a jazer. Foram lançadas as duas trilhas nacionais e internacionais de ambas as duas fases, além de dois complementos: América Rodeio, e América Berço do Samba.
Capas: Deborah Secco meditando enquanto segurava um globo (1ª fase; CD duplo com nacional e internacional), Bruno Gagliasso com a bandeira do Brasil ao fundo (2ª fase, nacional) e Juliana Knust (quem???) com uma bandeira dos Istêites ao fundo, porque a novela era América, nos EUA, right???(2ª fase, internacional).

Nacional(is)[editar]

Eram mais músicas sertanejas, de rodeio, mas também tinha outros ritmos, especialmente MPB (Música Pedante Burguesa).

  1. Mágoa de Boiadeiro - Lourenço & Lourival
  2. Até Pensei - Nana Caymmi
  3. Eu Sei que vou Te Amar - Caetano Veloso
  4. Feitiço da Vila - Martinho da Vila
  5. Você - Marina Elali
  6. Girassóis Azuis II - George Israel (um ex-Kid Abelha)
  7. Pra Rua me Levar - Ana Carolina
  8. Nervos de Aço - Leonardo
  9. Órfãos do Paraíso - Milton Nascimento & Sagrado Coração da Terra (o deprimente tema de abertura da 1ª fase)
  10. Os Amantes - Daniel
  11. She's a Carioca (Ela é Carioca) - Celso Fonseca - part. Cibelle
  12. Sinfonia dos Sonhos - Marcus Viana
  13. Soy Loco Por Ti América - Ivete Sangalo (novo tema de abertura, pois o outro era muito deprê)
  14. Um Matuto em Nova York - Roberto Trevisan (1ª fase)
  15. A Vida do Viajante - Lenine
  16. A Volta - Roberto Carlos (compilada anos depois no EP Esse Cara Sou Eu; mas e eu com isso?)

Internacional(is)[editar]

Tocava mais quando passavam as cenas dos personagens nos Estados Unidos, geralmente música country, pra qual brasileiro geralmente caga.

  1. Abrázame Así - Tamara
  2. A Horse With no Name - America (um grupo chamado America com música na novela América. Que coincidência do caralho!!!)
  3. Amore e Musica - Russell Watson
  4. Bésame Mucho - Maysa Monjardim, a mãe do diretor (1ª fase)
  5. Breathe - (2ª fase - você também a acha no 1º Summer Eletrohits, que vendeu pra cacete na época)
  6. Canción Mixteca - Mariachi Vargas de Tecalitlán (1ª fase)
  7. Can't Get Over - Kasino (2ª fase - você também pode encontrá-la nos CDs Vibe 97 volume 5, As 7 Melhores 2006 e Summer Eletrohits 2)
  8. Don't - Shania Twain
  9. Long Long Ago - Jesse Johnson (1ª fase)
  10. Home - Michael Bublé
  11. Pieces of Me - Ashlee Simpson
  12. Por un Beso - Gloria Estefan
  13. Redneck Woman - Gretchen Wilson (é outra mesmo, não aquela do "conga na conga")
  14. Regressa a Mí (Un-Break my Heart) - Il Divo (2ª fase)
  15. Summertime - Michael Bolton
  16. Take me Home, Country Roads - Happening
  17. The Look of Love (From Casino Royale) - Diana Krall
  18. Wind Shaking the Trees - Darwing James Band (1ª fase)

América Rodeio[editar]

Só serviu para tocar nas cenas de rodeio da novela. Fora isso, nada mais.
Capa: Samara Felippo loira, mas como a tiragem AA veio com defeito, tiveram de retirá-la e ficou só o logo mesmo. Que pena...

  1. Peão de Vitrine - Gian & Giovanni
  2. Nóis Tropica mas Não Cai - Rick e Renner
  3. Chattahoochee - Alan Jackson
  4. Na Sola da Bota - Rionegro & Solimões
  5. 8 Segundos - Hugo & Tiago
  6. Save a Horse (Ride a Cowboy) - Big & Rich
  7. Coração Aventureiro - Marlon & Maicon
  8. Se tiver Mulher Nóis Vai - Cézar & Paulinho
  9. Somebody Like You - Keith Urban
  10. Garanhão da Madrugada - Teodoro & Sampaio
  11. Louca Paixão - Tânia Mara, a mulher do diretor (aliás, a estreia dela em trilhas de novelas)
  12. Achy Breaky Heart - Billy Ray Cyrus, pai da Rã na Montana
  13. Apaziguar - Bruno & Marrone
  14. Eu Sou Peão - Luiz Cláudio & Giuliano
  15. Fera Mansa - Zezé Di Camargo & Luciano
  16. I Wanna Do It All - Terri Clark
  17. Ave-Maria Natureza - Paula Fernandes (também estreante em trilhas)
  18. Eu Sei Que Vou te Amar - Caetano Veloso (faixa bônus)

América Berço do Samba[editar]

Sexta e última trilha da novela e também a segunda do gênero (a primeira foi a de Celebridade, Celebridade - Samba).
Capa: Não tinha ninguém na capa, era só uma caixa de fósforos com um raios marrom claro e branco ao fundo. Tão diferente do de Celebridade...

  1. Meu Ébano - A Marrom
  2. Quem é Ela - Zeca Pagodinho
  3. Vai e Vem - Emílio Santiago
  4. Tendência - Jorge Aragão
  5. Quando essa Onda Passar - Martinho da Vila
  6. Amor Proibido - Juliana Diniz
  7. Inconformado - Exaltasamba
  8. Nosso Jeito de Amar - Nalanda
  9. Tempero de Dona Dadá - Os Mulekes
  10. Pé do meu Samba - Caetano Veloso & Mart'nália
  11. Pega Geral - Dudu Nobre
  12. Me Faz Feliz - Jeito Moleque
  13. Compasso do Amor - Grupo Revelação
  14. Facho de Esperança - Grupo Fundo de Quintal
  15. Coração em Desalinho - Marquinhos China & Monarco
  16. Terra de Noel - Flávia Bittencourt

América Funk[editar]

Esse CD não foi a Globo que fez, afinal, funk ainda era coisa de favelado e ralé (e continua sendo, só que agora as piores porcarias estão na moda) e ninguém ligava além de favelados, playboyzinhos drogados, Glória Perez, e, é claro, cariocas e apreciadores de chorume musical. Mas, os maiores produtores de CDs piratas do país (eles mesmos, os traficantes cariocas) aproveitaram a oportunidade de negócios, juntaram todas as tralhas funkeiras que tocavam a cada segundo que a patricinha/funkeira/emo Raíssa aparecia na tela e até outras que nem apareciam pra montar o CD. Para desespero da Globo, esse CD, assim como os outros CDs piratas da novela, estourou em 20 entre 10 favelas cariocas e tocou até onde Judas perdeu as botas. Infelizmente, não foram encontradas imagens ou mesmo uma lista confiável das músicas que constavam no CD, mas testemunhas orais, anais e auditivas afirmam que ele era presença constante em eventos como festinhas infantis, missas, batizados e enterros.
Capa: Mariana Ximenes como Rá-Issa, a representante do funk na novela (uma patricinha branca, o único tipo de funkeira que a Globo aceitava em 2005)

  1. Boladona - Tati Quebra-Barraco (tema principal de Raíssa, tocava geralmente quando ela ficava bravinha com os pais)
  2. Satisfação - Tati Quebra-Barraco (outra da Tati, na época ela bombou)
  3. Som de Preto - Amilcka e Chocolate (tema que a Raíssa escolheu pra tocar em seu casamento com Malvadex - só por aí você já tira como era a figura)
  4. Pedala Robinho - MC Koringa e San Danado
  5. Rap da Felicidade - Cidinho & Doca
  6. Um Morto Muito Louco - Jack e Chocolate
  7. Diretoria - MC Primo
  8. Vai Danada - Gaiola das Popozudas
  9. Raíssa - MC Claudinho Nervoso (sim, fizeram um funk pra Raíssa, tocou no Faustão e tudo)

Músicas de abertura[editar]

Primeira fase[editar]

A música da primeira fase era uma verdadeira ode ao Brasil, ao povo brasileiro, à sua resiliência e força de vontade em vencer na vida na malandragem, que usava de todos os truques para superar as dificuldades de se viver em um país subdesenvolvido cheio de problemas e ainda conseguia ter a esperança de vislumbrar um futuro melhor... Ufa, até me emocionei escrevendo isso!

Composição: Marcus Viana
Órfãos do sonho Brasil
Busquem os restos nas sobras da vida
Nas cinzas da esperança
As brasas da chama que nunca apagou
Venho inventar um novo país
Colar pedaços de sonhos de amor
Basta de escuro
Espadas de fogo
Que os anjos nos abram os portões do paraíso

Segunda fase[editar]

Após se livrar do mala do diretor, Glorinha aproveitou pra trocar a música, pois considerava a primeira deprê demais. Então, ela escolheu essa, que em vez de homenagear os brasileiros e suas maracutaias pra se dar bem estratégias de sobrevivência, era mais voltada para a América Latina, uma coisa meio psicodélica, meio em espanhol, meio em português, meio portunhol, é carnaval, tropicália, axé, resumindo, uma canção totalmente odara.

Composição: Gilberto Gil/Capinan
Soy loco por ti, América
Yo voy traer una mujer playera
Que su nombre sea Marti
Que su nombre sea Marti
Soy loco por ti amores tenga como colores
La espuma blanca de Latinoamérica
Y el cielo como bandera
Y el cielo como bandera

Soy loco por ti, América
Soy loco por ti amores

Sorriso de quase nuvem
Os rios, canções, o medo
O corpo cheio de estrelas
O corpo cheio de estrelas
Como se chama a amante desse país sem nome
Esse tango, esse rancho
Esse povo, dizei-me
Arde o fogo de conhecê-la
O fogo de conhecê-la

Soy loco por ti, América
Soy loco por ti amores
Loco por ti america
Loco por ti amores

El nombre del hombre muerto
Ya no se puede decirlo, ¿quién sabe?
Antes que o dia arrebente
Antes que o dia arrebente
El nombre del hombre muerto antes
Que a definitiva noite se espalhe em Latinoamérica
El nombre del hombre es Pueblo
El nombre del hombre es Pueblo

Soy loco por ti, América
Loco por ti amores
Soy loco por ti, América
Loco por ti amores

Espero a manhã que cante
El nombre del hombre muerto
Não sejam palavras tristes
Soy loco por ti amores
Um poema ainda existe com palmeiras
Com trincheiras, canções de guerra
Quem sabe canções do mar, ai
Hasta te comover, ai, hasta te comover

Soy loco por ti, América
Loco por ti amores
Soy loco por ti, América
Loco por ti amores

Estou aqui de passagem
Sei que adiante um dia vou morrer
De susto, de bala ou vício
De susto, de bala ou vício
Num precipício de luzes entre saudades
Soluços, eu vou morrer de bruços
Nos braços, nos olhos
Nos braços de uma mulher
Nos braços de uma mulher
Mais apaixonado ainda
Dentro dos braços da camponesa, guerrilheira
Manequim, ai de mim, nos braços de quem me queira
Nos braços de quem me queira

Soy loco por ti, América
soy loco por ti amores

Claro que não era isso tudo que tocava na novela, nunca que a Globo ia meter uns cinco minutos de abertura só pra caber essa canção inteira, mesmo que fosse a Ivete Sangalo no auge da beleza (e da fama) cantando. Mas pelo menos era alegre, pra cima, o suficiente pra fazer o telespectador arrastar o sofá e começar a dançar na sala, se sentindo numa micareta. Ou, pelo menos, pra diminuir o sono e evitar que o telespectador fosse desligar a TV e ir dormir.

Informações[editar]

  • A novela teve 7976.10¹¹² pontos de audiência, e fez bastante sucesso, muito por causa das cenas de sacanagem e da promessa de beijo gay no último capítulo envolvendo Junior (não o irmão da Sandy, seu burro, esse só dá beijo gay com câmera desligada) que no fim das contas, era pegadinha.
  • Glória Perez e Jayme Monjardim protagonizaram um barraco, que terminou com a saída de Jayme do elenco. Motivo: Jayme queria que a música Entre Razões e Emoções, de NX Zero, fosse a música de abertura, mas Glória queria a última de Ivete Sangalo. Jayme queria que Sol fosse uma emo-gótica, mas Glória queria que Sol fosse uma gótica-emo. Jayme queria que a abertura tivesse cores frias e tristes, Glória queria a abertura com cores vivas e alegres. Jayme queria que Tião fosse loiro e de olhos azuis, Glória preferia Murilo Benício. Jayme propôs que Glória fosse tomar no cu, pois ele era parente dos Matarazzo e mandava na Globo, Glória disse que não tinha nada a ver e que ela mandava na novela. Então, Jayme saiu e Marcos Schecthman foi chamado pra entrar no lugar. Claro que ela também brigou com ele, mas isso foi em outra novela.