Akhenaton

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Amenófis IV)
Ir para: navegação, pesquisa
Horus.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!

Cquote1.png Viva la revolución!! Cquote2.png
Akhenaton sobre o fim do politeísmo

Akhenaton, ou Amenófis IV, foi o primeiro e único faraó comunista de toda a História. Ficou famoso por tentar acabar com o clero do Egito.

Primeiramente[editar]

Akhenaton.jpg

O antigo Egito era uma civilização malocada de vários deuses com cara de bicho, desde Vaca até o deus com cara de Mico Azul, que nunca nenhum egípcio viu. Para organizar o culto a esses deuses, existiam os sacerdotes, que utilizavam seu cargo religioso para obter poderes políticos e econômicos às custas do povo, semelhante ao que certas igrejas fazem hoje.

Amenófis III era muito carola e frequentava os cultos de todos os deuses, afinal ele próprio era a reencarnação dos deuses. Ninguém contestava a roubalheira teocracia egípcia, que estava presente em todos os aspectos da vida cotidiana.

A chegada de Akhenaton[editar]

Com a morte de Amenófis III, seu filho Amenófis IV ascende ao trono. Entretanto, o novo faraó tinha um espírito mais, digamos, revolucionário do que seus antecessores. Para começar, aboliu o ensino religioso nas escolas públicas e acabou com todos os feriados religiosos, causando enorme impopularidade em meio à classe operária. Para compensar, Amenófis IV criou uma série de feriados civis, como o Dia do Trabalho e o Aniversário da Revolução.

A grande mudança promovida por Amenófis IV ainda estava por vir. Certo dia, o faraó decidiu dar os rumos definitivos ao que ele chamava de revolução. Cansado de dividir o poder com aquela corja de pastores sacerdotes, Amenófis IV fecha todos os templos, acaba com todos os deuses e contrata um único deus para consolidar a revolução, o deus Aton (o faraó adorava atum, por isso escolheu um deus com esse nome). Em homenagem a Aton, Amenófis IV finalmente adota o seu famoso nome de guerra, Che Akhenaton.

Aton e Akhenaton[editar]

É Aton no céu e o Camarada Akhenaton na terra.

Na máquina de governo, a função de Aton era dar a impressão de que ainda havia alguma religião oficial no Egito, mas na verdade a sua função era meramente decorativa, pois quem de fato mandava era o Camarada Akhenaton. Essa é a prova de que o faraó dominava muito bem o uso dos instrumentos de ideologia e hegemonia.

Enquanto isso, o faraó camarada nacionalizou todas as fábricas de papiro e criações de camelo do país, estipulou salários iguais para todos os trabalhadores e promoveu paradas militares anualmente, no feriado do Aniversário da Revolução.

Depois de um tempo os moredores que ali viviam tiveram q sair, pois a fabrica de papiro fechou e nao tinha como limpar o bumbum.

O fim do socialismo egípcio[editar]

Akhenaton conseguiu manter o regime comunista até o fim de sua vida. Com a sua morte, assumiu o seu filho Tutankhaton, o qual não herdou o sangue esquerdista do pai. Ao chegar no poder, refez o politeísmo e mudou o nome para Tutankhamon em referência ao deus Amon-Rá. Tutankhamon também privatizou todas as empresas que o pai nacionalizara e criou novos feriados religiosos para o povo gastar dinheiro comprando imagens e fitinhas com orações dos deuses, dinheiro que ia para o governo e o clero. A classe operária voltou a ser explorada, mas nada percebeu porque o filho, sendo um direitista reacionário, também sabia usar os tais aparelhos de hegemonia a seu favor. E o povo egípcio tomou lá onde você sabe que fica.!!!!

Precedido por
Amenófis III
Dewefjkwe.jpg
Faraó

1352 a.C. a 1334 a.C.
Sucedido por
Semencaré