Ângela Rô Rô

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Angela Rô Rô)
Ir para: navegação, pesquisa
Botina.jpg Este artigo pode levar-te para o Lado Azul da Força!

Este artigo contém fatos sobre sapatas e coça saco imaginário.

LesboKiss.gif


Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Emblem-sound.svg.png Ângela Rô Rô
Ro-02.jpg
Capa do álbum "Ostra Selvagem"
Nome Ângela Rondônia Ródio
Origem Bandeira do estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Sexo Lésbica
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Cavaco clássico
Gênero Romântico-sexual
Influências Roberta Miranda
Nível de Habilidade Baixo
Aparência Já foi comestível
Plásticas Aumento de clitoris
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Peido e chulé
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
TV Manchete

Cquote1.png Você quis dizer: Maracujá? Cquote2.png
Google sobre Ângela Rô Rô
Cquote1.png Cada vez que eu fujo eu me aproximo mais. Cquote2.png
Ana Carolina sobre Ângela Rô Rô
Cquote1.png Eu sou criança... eu não conheço a verdade... Cquote2.png
Cássia Eller sobre Ângela Rô Rô
Cquote1.png Vou telefonar dizendo que estou quase morrendo de vontade de te ver... Cquote2.png
Roberta Miranda sobre Ângela Rô Rô.
Cquote1.png A-A-A-A ... CD-CD.... Cartões de Natal AACD Cquote2.png
Simone sobre criancinhas dementes
Cquote1.png Eu cresci, agora sou mulher... tenho que encarar com muita fé. Cquote2.png
Ângela Rô Rô sobre si mesma
Cquote1.png Ela não gostou de ficar na frente da Gabi. Cquote2.png Cquote1.png Clitóris...clitóris Cquote2.png
Titãs sobre Ângela Rô Rô

Ângela Maria Rondônia Ródio ou Ângela RO Ro, (24 de Desgosto de 1950, Rio de Janeiro) é uma cantora, pianista, tocadora de cavaco clássico,e aprendiz de |sexo tantrico|Ângela Rô Rô}} Criou canções de enorme prestigio. Algumas de suas poesias também fazem muito sucesso. É uma notória consumidora de tudo quanto é droga já existente ou que ainda vai ser inventada.

Carreira[editar]

Ângela depois de sair do colégio de freiras

No início dos anos 70, Rô Rô estava no começo da carreira temendo que esta se acabasse muito rapidamente. Participou de vários concursos de canto, nunca sendo chamada para o meio do salão. Rô Rô não agradava porque sua voz era muito máscula e começava a apresentar pêlo no peito. Uma empresária vendo a situação de Rô Rô, chamou-a para uma jogada de marketing nunca antes vistas na história desse país: fez Rô Rô sair nua em diversas revistas, acompanhada de homens diferentes em cada festa da noite carioca e por fim, na revista mais queima-filme da época, a Revista Manchete, onde até Gilberto Gil apareceu de calcinha. Após muito se expor, a carreira de Rô Rô começou a se estender por um período maior. Antes, ela mal-aparecia em programas de TV, depois de se expor como devassa e liberal, começou a freqüentar programas apelativos e até a Marília Gabriela, onde revelou ser “diferente” em 1980.

Rô Rô estudou em colégio de freiras franciscanas até 18 anos. Este fato a marcou para a vida inteira, já que as freiras eram muito restritas não permitindo qualquer ato libidinoso como comer banana e linguiça. Foi então, no programa de Marília Gabriela, que ela fez uma homenagem um tanto polêmica ás freiras, Rô Rô disse:

Cquote1.png Apesar de só ter experimentado banana depois dos 20 anos de idade, agradeço muito as freiras. Graças a elas, aprendi a tocar o gênero de música que mais gosto: o cavaco. Hoje eu toco cavaco de quem for, em qualquer lugar. As freiras me ensinaram que não é preciso ser homem para ter esse prazer.
Rô Rô sobre sobre as freiras franciscanas que lhe ensinaram a arte do cavaco.


Poesias[editar]

Sapatinho que Ângela usava na escola das freiras

Ângela publicou várias poesias de cunho erótico que fizeram sucesso na revista Manchete onde também aparecia de fio-dental e bandana. O poema “Estranho” foi um deles. A cantora e ex-estivadora mineira , Ana Carolina, usou trechos desse poema para compor uma música:

Estranho (trecho)[editar]

Minha garganta arranha,
entre os azulejos
Só pego na sua aranha
Pra encher de beijos.
Aprendi a me tocar sozinha
Se eu não tenho uma varinha
Não posso te enfeitiçar
Eu tenho um cacetete
De borracha bem dura
Que até uma pedra fura
Sem nem sequer entortar(...)

Nosso amor (trecho)[editar]

Eu uso cabelo de homem
Camisa rasgada na manga
Se eu saio pelas ruas
povo me chama de baranga
(refrão)
Não sei ser de outro jeito
isso nunca vai mudar...
eu tenho peito peludo
por mais que tento eu não mudo
Ninguém pode me ajudar...
Não sei ser de outro jeito
isso nunca vai mudar...
Eles me chamam de machona
mas que jeito mais cafona
de tentar nos insultar...

Discografia[editar]

Ângela compôs várias músicas e para vários artistas incluindo a também virgem Sandy & Junior, Simone, Roberta Miranda e Cássia Eller. Seus álbuns de enorme sucesso entre mulheres ginecologistas, caminhoneiras e pedreiras foram:

  • Sapatilha 39
  • Ostra Selvagem
  • Boca Louca
  • Menina Macha
  • Pelo, amor e deus

Ver também[editar]

Grandes sapatas cantoras
v d e h
Botina.jpg
002.png

Mulheres másculas que mudaram a voz da música brasileira
Adriana CalcanhotoAna CarolinaÂngela Rô RôCássia EllerDaniela MercuryGal CostaIvete SangaloMarina LimaMaria BethâniaMaria GadúMarisa MonteMart'NáliaRoberta MirandaSimoneVanessa da MataZélia Duncan