Anjos (Saint Seiya)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Boieng da Trans Brasil indo pro brejo.jpg Olha o(a) Anjos (Saint Seiya) vindo!
Olha o(a) Anjos (Saint Seiya) indo!

Este artigo fala sobre coisas que avuam pro alto.
Clique aqui pra ver quem mais vai pelos ares. Literalmente.
Humm... Boiola!
Anjos (Saint Seiya) tem problemas emocionais!

Este é um típico artigo Yaoi, que menciona coisas gays que só gays yaoístas curtem. Se você é cabra omi e odeia Yaoi, NÃO LEIA este artigo, pois ele pode levá-lo para o lado rosa da força, mas se carapuça serve, sente, digo, sinta-se à vontade.

Anjinho.gif Este artigo é sobre um anjo!

E pode ter asinhas de galinha, tocar harpa e fazer uma pose gay imitando um bebê, ou ter 6 asas gigantes e usar armadura. Conheça outros clicando aqui.

Cquote1.png Você quis dizer: Inúteis? Cquote2.png
Google sobre Anjos (Saint Seiya)

Cquote1.png Experimente também: Demônios Cquote2.png
Sugestão do Google para Anjos (Saint Seiya)
Cquote1.png O que é isso? Cquote2.png
Anjo Gabriel sobre Anjos
Cquote1.png Meus eles não são! Cquote2.png
Deus sobre Anjos
Cquote1.png Muito menos meus! Cquote2.png
Diabo sobre Anjos
Cquote1.png Que bando de inúteis!! Cquote2.png
Igreja sobre Anjos
Cquote1.png Quando eu os contratei pensei que eram fortes, juro! Cquote2.png
Ártemis sobre Anjos
Cquote1.png Sou um mensageiro dos deuses, apesar de não fazer só isso! Cquote2.png
Teseu sobre Anjos

A deusa que comprou os serviços dos Anjos

Quem seriam eles?[editar]

Tomapendentif.jpg

Anjos, mais biblicamente falando, são conhecidos como os mensageiros (pra não dizer carteiros) divinos de Deus, responsáveis por fazerem a "ligação" entre o Todo-Poderoso e os seus escravos queridos servos humanos, levando a Ele os nosso tão sonhados pedidos (ou não). Na saga do anime yaoi Cavaleiros do Horóscopo Zodíaco, são chamados de Anjos os mensageiros divinos dos deuses, responsáveis em PUNIR e JULGAR os homens que resolvem se opor às vontades divinas dos moradores do Olimpo (coisa bem diferente dos simpáticos e agradáveis seres alados de que temos conhecimento).

Cquote1.png Athena, minha pequena irmã... Cquote2.png
Artemis para Athena

Eles são os subalternos e paga-paus preferidos da Deusa Ártemis, a deusa virgem da Lua, da caça e irmã gêmea do foderoso Deus Apolo (apesar de que não parecer nenhum pouco com ele sequer). Semi-deuses e "imortais" (tão imortais quanto os trocentos deuses que já morreram pelas mãos dos Cavaleiros de Athena, vide Poseidon, Hades, Jesus Negão e Éris), são conhecidos também como Cavaleiros Celestiais. Seus poderes não tem aquele nome específico, do tipo "Cometa de Cágados Pégasus" ou "Corrente de Andrômeda", eles preferem mais agir (aplicando o golpe) do que ficar falando palavras inúteis que, muitas vezes, não surtem efeito nenhum (se bem que o deles também não são lá essas coisas).

São três os Cavaleiros Celestiais da Deusa Ártemis, sendo que somente dois deles são Anjos de verdade (ou seja, semi-deuses e imortais), Teseu e Odisseu; e o outro um simples e mero mortal, Tohma, que está alí somente de gaiato (mas que no final é o mais forte deles, apesar de ser um humano), além do fato de ser um affair da deusa da lua (que de virgem só tem a denominação, mas não tem nada de boba ou de pureza).

Prólogo do Céu[editar]

Os paga-paus de Ártemis

O primeiro aparecimento deles no desenho anime é quando vão invadir o escondido cafofo de Athena, para (tentar, pelo menos!) matar o encosto Seiya de Pégasus, que estava em pleno estado vegetativo, devido a uma "pequena" maldição lançada por Hades no último episódio da Fase Elíseos, antes do Deus do Mundo dos Mortos morrer e ir para o Inferno (WTF?).

Quando chegam lá, arremessam várias lanças douradas no cu corpo de Seiya, mas Athena faz com que nenhuma atinja o seu Cavaleiro preferido. Ao indagar quem eles eram, eles informam que são capangas de Ártemis e deviam matar Seiya e os Cavaleiros que se opõem aos deuses. Depois aparece Ártemis, toma o poder da Terra da deusa, e os cavaleiros tem que salvar Athena que, pra variar, está se matando para salvar a todo o mundo.

Conheceremos agora cada um desses três "poderosos" Cavaleiros Celestiais, que só tiveram uma pequena aparição (em um filme, ainda por cima), para somente entrerterem otakus viciados nesse anime, que estava sumido por muito tempo das telinhas (tanto da televisão quanto dos cinemas), mas por um bom motivo, já estava demodê, mas que marcaram o seu espaço com grandes e alucinantes demonstrações de luta de tirar o fôlego (Ou não).

Teseu[editar]

Teseu

Teseusanjo.jpg

Classificação Cavaleiro Celestial
Cavaleiro
Deus a que serve Ártemis
Armadura Teseus
Golpes Sem nome
Perfil
Nacionalidade Céu
Local de Treinamento Olimpo
Nascimento Sabe-se lá
Frase Favorita "Sou um Anjo"


O Celestial Teseu[editar]

Teseu é o primeiro dos três anjos a morrer aparecer na saga no filme Prólogo do Céu (se bem que tudo se passa na Terra, mais exatamente no Santuário), em uma luta alucinante e cheio de esfeitos especiais (nem tanto assim). Apelidado também de cabelo de Cheetos sabor requeijão, Teseu é escolhido pela própria Ártemis para ajudar a dar cabo (ui!) dos Cavaleiros de Athena que se atreviam a sair por aí matando deuses "imortais", tudo em nome de sua deusa.

A Armadura Celestial de Teseu

Seu primeiro combate foi lutar contra o Cavaleiro alegre Shun de Andrômeda (aquele que luta se utilizando de correntes sadomasoquistas em cada braço). Ao ver pela primeira vez o cavaleiro, Shun se impressiona pois ele é muito gostoso, por não entender o motivo dele estar lutando contra ele. Então Teseu conta que curte também o objetivo dele era destruir os queridos cavaleiros da deusa, não deixando nenhum sequer para contar a história, a não ser que eles se tornassem servos de Ártemis, assim como Shina de Cobra, Jabu de Unicórnio e Ichi de Hidra haviam se tornado (se bem que ninguém sentiu falta deles mesmo).

Enfrentando a amazona... ops o cavaleiro de Andrômeda, Teseu não tem pena do coitado e nenhum momento e desce o cacete (em todos os sentidos) nele. Quando está para derrotá-lo por completo, Shun utilizado do seu mais poderoso golpe, chamar pelo seu querido irmão Ikki de Fênix que, como sempre, acaba chegando no momento exato em que Shun está para finalmente fazer uma visitinha só de ida para o Inferno (acabando com tudo o que poderia deixar o desenho ainda mais emocionante, Ikki é um estraga prazeres).

Morte de Teseu[editar]

Cquote1.png Putz! Fudeu! Cquote2.png
Teseu sobre o ataque fodástico de Fênix

Sim, o tópico está correto: morte de Teseu, queria que ele vivesse para sempre mesmo? Lembre-se que imortais sempre morrem nesse anime. Bom, com o surgimento de Ikki, aí sim temos uma luta de verdade e que merece o Ibope necessário. Ikki utiliza-se de toda a sua força com a Ave Fênix, mas acaba que o seu poder não é nada se comparado com o indenominável golpe de Teseu (todos os poderes dos Anjos - que são somente um, ne realidade - não tem nenhum nome específico), ainda mais com o seu irmuxo do lado, só atrapalhando, aí que a coisa se complica mais.

Quando já está mais do que na cara que quem irá vencer é Teseu, Shun e Ikki percebem (é engraçado que isso só acontece quando eles já estão mais mortos do que vivos) que estão em um grande "Memorial aos Cavaleiros de Ouro", junto a uma estátua com o dorço dos cavaleiros e sentem (da forma mais Espírita possível) os Cavaleiros de Ouro orando e torcendo por eles (medo!). Isso lhe dão forças para continuar a lutar e, finalmente, arranjam uma forma de derrotar o Cavaleiro Celestial de Ártemis.

A última imagem que Teseu lembra ter visto

Enquando Teseu se prepara para lançar o seu golpe final, mas que demora uns trocentos minutos até ficar pronto, dando tempo dos cavaleiros que ele está enfrentando bolarem uma estratégia para matá-lo de vez (e é o que acontece), Shun e Ikki se levantam e se preparam para o último ataque, um verdadeiro combo de Andrômeda e Fênix. Quando Teseu os ataca, Shun desvia para um lado e escapa do golpe, depois disso, ataca-o com o seu mais foderoso golpe ventinho rosa Tempestade Nebulosa (que não passa de um kamehameha de vento, com uma cor estranha), Teseu se desvia para baixo, mas dá (ui!) de encontro com o punho de Ikki que lança, bem na fuça dele, o seu Ave Maria Fênix. E assim Teseu morre (¬¬! Perda de tempo!).

Golpes[editar]

  • Teseu só conta com um único poder (bom, pelo é melhor do que nenhum), quem nem nome tem. Consiste em criar alguns cristais com as mãos (ao melhor do estilo Shouton de Alberich de Megrez, ou de Guren) que, quando alinhados, criam uma rajada de luz em direção da pessoa para quem os cristais são apontados. Não é nada de mais, já que todo mundo fica vivo depois de receber esse patético ataque.

Odisseu[editar]

Odisseu

Anjoodysseus.jpg

Classificação Cavaleiro Celestial
Cavaleiro
Deus a que serve Ártemis
Armadura Odisseus
Golpes Sem nome
Perfil
Nacionalidade Céu
Local de Treinamento Olimpo
Nascimento Sabe-se lá
Frase Favorita "Argth..."


O Celestial Odisseu[editar]

Odisseu é o segundo querido (mas nem tanto assim) anjo de Ártemis, a morrer desgraçadamente dar as caras pelo pelo pacato desenho. É o possuidor de um cabelo que mais parece uma crista de galo, o que pode significar que ele seja punk, a não ser que ele tenha traído o movimento punk véio. Assim como o seu brother Teseu, ele também demonstra muita emoção em seu rosto, e sua cena pode ser considerada a mais emocionante do filme Vamo-logo-pro-Céu (ou não, já que a emice do próximo cavaleiro celestial ainda é muito pior que a de Odisseu).

A Armadura Celestial de Odisseu

Acabou tendo de lutar contra a dupla dinâmica do desenho Batman e Robin Shiryu de Dragão e Hyoga de Cisne, dando-lhes (ui!) um verdadeiro Especial de porrada, digno de um deus. A sova foi tanta, que as armaduras dos dois já tinham se esfarelado há muito tempo (como sempre acontece, mas que agora, diferentemente dos outros episódios, não tinha nenhum Mu de Áries para restaurá-las). Já jogados ao chão, aparece (das trevas) o encosto Seiya de Pégasus (todo cambaleante e mais idiota como de costume, como se tivesse passado a noite toda cheirando uma ninhada de gatinhos).

Mesmo com o as súplicas de seus companheiros de Shen Long Dragão e Pato Branco Cisne para não enfrentar Odisseu, que era muito foderoso, Seiya se atreve a tal façanha, e acaba por disparar os seus (já manjados) Meteoros de Cágados Pégasus. Odisseu utiliza-se de sua técnica e acumula os meteoros em um único ponto, depois dispara-os todos de uma única vez contra o Cavaleiro de Pégasus (espatifando logo de primeira, a sua armadura que até então estava intácta). Como é mulher de malandro, Seiya não se cansa de apanhar e diz a sua repetida frase de sempre (digna de grande e cobiçado prêmio yaoi), que é:

Cquote1.png Não importa quantos vezes eu caia, continuarei me levantando quantas vezes precisar para salvar a Saori Athena! Cquote2.png
Seiya de Pégasus sobre o seu caminho ninja destino

Morte de Odisseu[editar]

Primeiro o cabelo congelou, depois ele explodiu!

Depois de ouvir essas merdas belas palavras, que tocou fundo em cada um deles, Hyoga se sente mais forte e a tatoo de Shiryu reaparece nas costas dele. Eles se levantam do chão, limpam a poeira e mandam Seiya ir ao encontro de Athena já que eles sabem que ela tem uma quedinha por ele pois só ele tem o poder de salvá-la, pedem desculpas pela sua burrice de não perceber que também deveriam lutar até a morte por sua deusa gostosa e dizem que acabarão agora mesmo com Odisseu. Seiya então se dispara em um correr pra caralho em direção ao lugar em que a sua deusa deveria estar se matando, enquanto os seus amigos tentam de tudo para acabar com Odisseu.

Odisseu virando purpurina morrendo.

Odisseu então se prepara psicologicamente para o seu golpe final (pois depende do ataque deles para que o seu ocorra). Por isso os Cavaleiros de Dragão e Cisne também decidem praticar de um combo (igual aos seus amigos que venceram Teseu, mas não se sabe como tiveram igualmente a mesma ideia). Essa junção acaba nem sendo mostrada no filme, só aparecem eles depois do golpe, jogados no chão, com cara de exaustos e quase mortos. Enquanto isso, Odisseu está de pé, todo fodão e sorridente, até que ele solta a célebre frase que acaba significando que na verdade havia apanhado e feio, era a sua morte:

Cquote1.png Eu, Odisseu, um Cavaleiro Celestial, vencido por Cavaleiros de Bronze! arght... Cquote2.png
Odisseu e suas últimas palavras, antes de explodir e virar purpurina

Golpes[editar]

  • Odisseu nem um golpe próprio tem, pois se utiliza do poder dos seus inimigos para derrotá-los com o mesmo ataque (ou seja, se o cara for bom no combate corpo-a-corpo, Odisseu pode acabar perdendo). O inimigo dispara um poder (ou vários, como os cometas de pégasus) e Odisseu agrupa tais disparos em uma única bola de energia. Com esse agrupamento feito, Odisseu dispara contra quem o arremessou, derrotando-o facilmente (ou não, o que é o mais provável). Acredita-se que seja forte pra caramba, por que pode voltar qualquer ataque do adversário contra o mesmo, mas isso é conversa fiada por que acabou morrendo do mesmo jeito.

Tohma de Ícaro[editar]

Tohma

Thoma.jpg

Classificação Cavaleiro Celestial
Cavaleiro
Deus a que serve Ártemis
Armadura Ícaro
Golpes Máxima Altitute (Hightest Altitude)
Perfil
Nacionalidade Japão
Local de Treinamento Olimpo
Nascimento 1º dezembro (Sagitário)
Frase Favorita "Porque, deusa Ártemis?"


O Celestial Ícaro[editar]

Tohma no cu de Ícaro é o mais fodão dos servos de Ártemis, além de ser o seu amante nas horas vagas (o de Ártemis, não o SEU). É o único mortal presente na patota dos "imortais" anjos, mas, mesmo fazendo parte desse grupo descartado da humanidade, consegue ser mais foderoso do que qualquer um deles. É o irmão sumido de Marin de Águia (que muitos pensavam que era o Seiya), ele começou a inventar a ideia de que também queria ser um deus, e, na mente doentia dele, achava que só conseguiria isso fazendo uma cirurgia de troca de sexo matando C&A de Pégasus, que era o único mortal que já havia matado mais deuses do que os que habitam o Monte Olimpo (até que tinha lógica a ideia dele, pois, já que um mortal consegue matar um deus, se ele matasse esse mortal então ele seria maior que um deus - Boa ideia!).

A Armadura Celestial de Ícaro

Cheio de dúvidas quanto ao seus sentimentos humanos, sempre indagava a sua deusa de como deveria se portar com relação a eles. Ártemis (que era mais doida-de-pedra do que ele) o obrigava a esquecer todas essas coisas (ensinando-lhe algo bem mais útil), pois tais sentimentos só enfraquecem os humanos, tornando-os totalmente descartáveis/desnecessários. Por esse fato, Tohma até deixou de lado o fofo guizo verde que havia ganho da irmã Marin em 1900 e guaraná com rolha quando ainda eram pequenos, e que era a única lembrança que tinha da irmã que nunca mais havia visto (não se sabe como eles se perderam, mas que isso ocorreu não se tem nenhuma dúvida). Seguindo as vontades de sua deusa, Tohma de Ícaro foi escolhido para ser o cara que irá matar Seiya de Pégasus, e assim ele vai em busca do seu (tão sonhado e tosco) objetivo.

Ao encontrar Seiya, no templo de Ártemis (mas que era o mesmo Santuário de Athena, modificado em várias edificações high tech, no lugar da Doze Casas, e muitas piscinas de 1000 litros por todo o canto), Ícaro o indaga de como um homem, bonito daquele com um cosmo tão insignificante como o dele, poderia ter vencido o mais variados deuses. Seiya, bem educadamente, diz que aquilo não lhe interessa e que o leve até Athena, pois deveria salvá-la. Tohma não deixa por menos e começa a dar (ui!) um especial de porrada (sem denominação, claro, afinal ele é um anjo, mortal ou imortal) em Pégasus. Quando já se está no melhor das porradas que Seiya está levando, aparece Marin de Águia, para acabar com a alegria de quem espera anciosamente pela morte de Seiya. Marin então luta com o seu irmão, mas ele a vence, e diz que o Tohma que existia já morreu há muito tempo. Marin então vai embora, mas diz que Seiya ainda acabará com ele quando encontrasse Athena.

Morte de Ícaro (pelo menos eu acho)[editar]

O reencontro com a sua irmã Marin

Doido para ver a verdadeira força de Pégasus, Ícaro o arremessa para o salão em que Saori cortava os seus pulsos. Depois de Athena retirar a maldição de Hades de Seiya (enfiando o Báculo Sagrado de Athena no cu corpo dele), ele se recupera totalmente e tem-se início a batalha dele contra Ícaro, mas agora Ártemis também aparece para dar um cabo da sua própria jovem irmã Athena. Ártemis materializa um arco e flecha dourados e mira a flecha em diração ao seio de Athena (sem saber que isso já havia acontecido uma vez e acabou não dando certo no final, já que Seiya - como sempre - a salvou).

Ícaro tentando bancar o héroi, só sobrou pra ele no final!

Depois de socar o infeliz do C&A até não poder mais (mas também levando os seus socões na cara), Tohma descobre tarde demais que o cara tinha o poder do PPP (Poder do Personagem Protagonista) e não podia ser morto nem por ninguém, Marin ainda aparece de novo, mas ele tá pouco se fudendo pra ela. Até que ele percebe que a força de Seiya não vem do nada, mas sim do Kurumada no jutsu amor que ele tem por sua deusa guardiã (que gay lindo). Nesse momento, Ártemis dispara a sua flecha do mal em direção à Athena, aí Tohma resolve dar uma de bonzinho e salvar a Saori levando ferro a flechada no lugar dela. Ártemis, Athena (até eu e você) ficam pasmados com aquele ato sadomasoquista de Ícaro.

Quando sua deusa o pergunta qual o motivo dessa doideira disso, ele fala que finalmente entendeu qual é a exata função desses sentimentos que ele evitava ter, eles existiam para fortalecer a pessoa (através de relações sexuais interpessoais) e não enfraquecer. Então ele pede para que Ártemis não mate Athena, para que lhe poupe a vida, e acaba morrendo. Ou não, já que Apolo aparece, explode todo mundo com um poder foderoso e ninguém sabe mais o que acontece depois.

Golpes[editar]

  • Nem faço ideia de qual seja o poder de Ícaro, mas posso pelo menos dizer que tem alguma coisa haver com eletricidade e se chama Máxima Altutude (já é alguma coisa, se comparado com os outros que só tem efeito e nenhum nome). Ícaro consegue criar lanças feitas de energia elética e disparar contra os seus inimigos (ao melhor plágio do Chidori). Depois disso ainda tem a sua força no mano-a-mano, além de poder (ou coragem) de se jogar na frente de uma flecha disparada com toda a força de uma deusa e ainda conseguir falar as suas últimas palavras (isso sim que é poder!).

Ver também[editar]


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Anjos (Saint Seiya) no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Cavaleirospredef2.jpg