Antônio Carlos (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Carlos (Minas Gerais) Inexistente
Antônio Carlos Zago.jpg
Bandeira
Cquote1.png Uga, uga Cquote2.png
Hino Aquela musiquinha irritante dos Backyardigans
Local No meio de algum pântano
Idioma Ugauganês
Geografia
Clima Ah, sei lá! Nunca fui nessa cidade, assim como 99% da população mundial
Locais de Referencia Ninguém é louco o suficiente para visitar essa cidade
Economia MWAHAHAHAHAHA!
Produtos Exportados MWAHAHAHAHAHA!
Política
Governo
Nuvola apps core.png
Tem?
Atual Prefeito
Nuvola apps core.png
Qualquer um. A prefeitura está vazia desde 1980
Vice-Prefeito
Nuvola apps core.png
Igualmente acima
Mídia
Cidadãos Ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Sapo, que apareceu por dois segundos no filme "Cidade de Deus"
Esporte Símbolo Nenhum
Santo Local Nenhum

Antônio Carlos é aquele dirigente que passou pelo Corinthians uma cidadezinha minúscula localizada na região pantaneira isolada de Minas Gerais. O nome da cidade é originado do indígena, e significa Lugarzinho no meio do nada.

História[editar]

A moderna entrada de Antônio Carlos.

Durante a antiguidade nem tão antiga assim, a região onde hoje está localizada a pseudo-cidade de Antônio Carlos era totalmente povoada por indígenas, liderados pelo valente e destemido Chefinho Xixi nas Calças, que ficou famoso por ter realizado uma perseguição alucinante ao lendário Pica-Pau de cabeça vermelha. Por conta dessa liderança firme, os povos indígenas que habitavam a região eram muito prósperos, e sempre que podiam, começavam uma nova plantação de maconha (produto este que até os dias atuais é produzido em Antônio Carlos).

Porém, como tudo que é bom dura pouco, no início do século XVIII, os caraíbas apareceram na região, querendo toddo o ouro, diamantes e qualquer outro minério que estava naquelas terras. Obviamente, os indígenas não tinham nenhuma intenção de entregar os seus minérios para os caraíbas, porém, como eles estavam completamente dorgados e sem nenhuma coordenação motora, eles não conseguiram acertar nenhuma flechada nos seus inimigos, e acabaram morrendo após receberem diversos tiros de sal no peito.

Com o extermínio dos indígenas, os caraíbas (leia-se: Desbravadores europeus), começaram a explorar dia-e-noite todos os minérios da região, que era muito rica. Durante as folgas, eles também aproveitavam as plantações de maconha que eram abundantes na região para dar um tapa na pantera, o que é bem compreensível, afinal, eles também são humanos, e precisam relaxar de vez em quando.

Passados alguns anos, os europeus finalmente terminaram de explorar todos os minérios da região, não deixando absolutamente nada para trás. Como não tinha mais nada na região, eles simplesmente foram embora dali, deixando para trás apenas um grande terreno inútil, que nem mesmo os membros do MST iriam querer ocupar, visto que nem mesmo as plantações de maconha tinham sobrevivido.

Porém, como sempre exite um louco para povoar terras abandonadas, ainda no século XVIII, alguns bandeirantes chegaram nessas terras, e resolveram povoá-la e desenvolvê-la. Obviamente, foi uma tarefa demorada, visto que a cidade mais próxima para se conseguir suprimentos ficava localizada à mais de 42 quilômetros. Mesmo assim, com um pouco de esforço, em alguns anos, Antônio Carlos já tinha conseguido se tornar realmente uma cidade, com diversos barracos de palha na periferia, situação essa em que Antônio Carlos se encontra até os dias de hoje.

Economia[editar]

A economia de Antônio Carlos (Minas Gerais) é bem estável. Todos os dias, os moradores de Antônio Carlos despacham uma carroça carregada de muambas para todas as outras cidades interioranas.

Educação[editar]

Também é muito boa. 90% da população de Antônio Carlos já conseguiu a incrível façanha de conseguir escrever o próprio nome sozinho, sem a ajuda de professores particulares.

Turismo[editar]

Inexistente Dizem as boas e más línguas que, em meados de 1900 e guaraná com rolha, o mico azul passou pela cidade, mas ninguém nunca conseguiu provar nada.