Antropozoomorfismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
AmorFurries.jpg Este artigo foi escrito por furries!!

Por isso, é possível que ele contenha referências a raposinhas, Pokémons ou até mesmo Ursinhos Carinhosos sendo sodomizados por cavalos. Caso você tenha medo de furries, arme-se com um lança-chamas e NÃO leia a pagina abaixo.

Chewbacca.PNG ANIMAAAAAAAL!!!

Este artigo trata de algum animal, ou alguém que pareça um animal, ou alguém com nome de animal, ou alguma bosta que te faz se sentir um animal, ou ainda um ANIMAL. Não leia se tiver alergia a mafagafos.


Típico ser com antropozoomorfismo, estrutura corporal humana e detalhes animalescos.

Cquote1.png Você quis dizer: Thundercats Cquote2.png
Google sobre Antropozoomorfismo
Cquote1.png Não é meu filho. Cquote2.png
Zoófilo sobre um ser antropozoomórfico.
Cquote1.png Tem gente que idolatrava isso... Cquote2.png
Qualquer um sobre egípcios e afins.
Cquote1.png ADORO!! Cquote2.png
Clodovil sobre antropozoomorfismo.

Antropozoomorfismo, além de ser uma salada de prefixos dos mais variados cantos do planeta, é a característica de algo que consegue ser uma mistura de gente, animal e outras coisa detestáveis como otakus, pattys e cariocas. Quem possui essa característica de antrozoomorfismo é chamado de antrozoomórfico.

Antropozoomorfismo[editar]

O sentido literal seria o de forma animal-humano, o que pode ser traduzido para furry tomando medidas práticas os termos são sinônimos, mas essa palavra gigantesca é comumente utilizada em textos mais cultos e para designar criaturas mitológicas, ou seja, lixo cultural que mistura homens e animais da atualidade é cultura furry, já lixo cultural que mescla animais e humanos da antiguidade e chamado de cultura antropozoomórfica.
Um ser antropozoomórfico, também conhecido como furry, tome cuidado!

Existem diversos exemplos de criaturas antropozoomórficas ao longo da mitologia dos mais variados povos, um deles é a própria esfinge de Gizé, aquele leão/homem sem nariz que fica no Egito, é um ser antropozoomórfico, pois apresenta cabeça de homem e corpo de leão, leopardo, seja lá o que for aquilo.

Todo o panteão de deuses egípcios segue esse um padrão de corpo humano e cabeça de animal, são verdadeiros lobisomens que variam o animal misturado. O Anúbis é um cão, Rá um falcão e no meio da brincadeira ainda devem ter roedores, outros canídeos e seres estranhos. A mitologia grega também está recheada desses monstros, o minotauro e a górgona (a.k.a. Medusa) são os mais famosos, a diferença entre as culturas é que no Egito eles idolatravam essas coisas e na Grécia eles riam da derrota dos monstrinhos.
Aparição de um possuidor de antropozoomorfismo no meio selvagem.

Surgimento e fim[editar]

⋅ Ninguém sabe de onde essa ideia apareceu, provavelmente um idiota estava imaginando como seria legal ele ser um cervo saltitante e desenhou-se na caverna, naquele esquema de arte rupestre, com formas de águia, então outro cara achou isso legal e desenhou-se fundido a um mamute e assim por diante. A partir da fértil imaginação humana essas criaturas tomaram vida.

O problema é que isso incentivou muitos zoófilos a tentarem filhos com características legais, mas não dava certo, depois um tal monge veio com uma história de compatibilidade genética que ninguém engoliu e explicou porque se você comer uma loba não nasce um lobisomem, os gametas não interagem, ao menos não deu certo comigo.

Esse é o tipo de coisa que não acabará, visto que o homem-aranha faz sucesso. A sobrevida desse estilo de concepção é infinita, sempre haverão idiotas que criaram histórias com personagens meio-humanos e fará sucesso, pois todo mundo queria ter a força de um tigre. Isso sem falar que tem gente que se excita com toda essa merda, que gasta dinheiro com quadrinhos de um homem-polvo com 40 tentáculos estuprando uma menina de 15 anos.

Ver também[editar]