Apelido

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Só não te dou outra porque o apelido da minha avozinha é ameixa seca Cquote2.png
Seu Madruga sobre apelido.

Apelido, Super Noia.

Apelido é quando queriam colocar um nome diferente em um(a) profissional do sexo e inventavam outros nomes, do tipo Michelly a travessa, Mauro Shampoo, Rosa gargantinha, Manu Boquete e por aí vai. Foi daí que partiu a ideia, mas como essas coisas criativas sempre tem início nesses lugares decentes, sempre acabam por ser copiados, ainda que falem mal desses lugares. Desta forma acabaram os apelidos, pseudônimos, codinomes, nicks ou seja lá o que for, sendo usados para outros fins.

Spy[editar]

Esse é Grampinho, apelido despretensioso dado pelos colegas.

O nominho da seção em si já é uma mísera combinação de três letrinhas, e chega aqui: Porque caralho a gente acá acha a língua inglesa tão charmosa e legal, se é das mais porcaria morfologicamente, foneticamente, etc? Com tanta coisa melhor, tipo gambá Francês, o próprio portuga? Sem falar nos mongóis. Isso é outra história, mas spy, que é espião ou espiã também usavam apelidos para não serem identificados, lembrando sempre que isso surgiu nos puteiros e não tem choro. Os espiões precisavam usar nomes falsos, coisa que os bandidos acabavam por fazer também, mas isso era estelionato nesse caso, e a coisa de espiões também foi copiada pelos bandidos, que alguns se saíram até melhor do que os spys da polícia.

No caso das guerras, não pense que nome de guerra surgiu daí também, nada disso, nome de guerra surgiu antes também, em Bataclans da vida, e diziam assim porque muitas vezes as putas tinham que usar apelidos e dar pra cada velho pelancudo e fedido que era uma batalha mesmo. Dessa forma, sim, nas guerras e guerrilhas usavam também nomes de guerra para despistar os adversários, mas surgiu entre as putas, claro. Nas guerras era quase impossível saber a identidade real de alguém, todos usavam apelidos, até entre os conhecidos, ou mesmo nomes falsos.

Seu Ramon, apelidado carinhosamente no Brasil de Madruguinha.

As pessoas que não são espiões, nem são da polícia, nem estão em guerra, nem são putas ou veados, ou travecos rodadores de bolsinha, também põe apelids uns nos outros por vários motivos, ou deles é para facilitar. Se alguém se chama Prochestervanildirando, simplifica-se com o singelo apelidinho Pro, ou Proche.

Apelido, velhinho que comeu e não pagou'. Ele jura que não foi ele quem fez jus ao apelido.

Outro motivo é para sacanear mesmo, tipo chamar o Fábio, ou o Cauê por alguma característica física que eles não gostam, tipo, orelha de aye-aye, nariz de Pinóquio ou de Lady Gaga, coisas assim são várias: Banha, Fede-fede, Bafo de esgoto, Dentão, etc... Alguns desses nem precisam ser em grupos restritos, podem começar em um bairro e se tornarem atemporais, como por exemplo, Maria sapatão, que é prima da Maria batalhão. Ou algo como veado incorporado (não literalmente) por todo mundo. Os animais vivem dando contribuição involuntária para os apelidos sacanas dos humanos.

Galinha por exemplo é apelido de quem gosta de abocanhar muitos pintos, mas também pode ser apelido de um pinto muito fugidio. Ainda nos galináceos, galo é apelido de time, em geral tem a ver com o mascote, mas nem sempre o mascote dá apelido ao time, como por exemplo gambá, que sequer é o mascote do time.

Ser que originou da música Codinome Beija Frô.

Piranha é apelido daquelas que trabalham na já explicada origem dos apelidos, mas também, em alguns Estados são os carinhas que ficam com várias de uma vez só e dão conta, em outros lugares, piranha não precisa chegar a trabalhar como profissional do sexo, mas pode ser apenas uma piriguete... Periguete que não é animal nenhum, mas entrou aqui por acidente... Deixa eu ir dar conta dela já que entrou aqui, e já volto.

Outro motivo das pessoas normais usarem apelidos pode ser de modo carinhoso, por exemplo você chamar seu pai de Papi, seu cúmplice irmão de mano. Apelidos amorosos também são vários, como chamas a ficante ou namorada de minha putinha gatinha. Ou a guria chamar de linducho (ô, coisa emo melosa), gatinho e por aí vai.

Ver também[editar]