Ar tonelico II: Melody of Metafalica

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Ar tonelico II: Melody of Metafalica é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Remilia Scarlet cria outra névoa vermelha em Touhou 6


Ar Tonelico 2
アルトネリコ2
At2 logo.jpg
Informações
Desenvolvedor Gust Corporation
Publicador Banpresto
Ano 2007
Gênero Magical girl RPG, ecologia
Plataformas Só PS2
Avaliação 0%
Idade para jogar gurias de 15 anos

Cquote1.png MetaFALICA!? De que raios esse game fala? Cquote2.png
Pessoa inocente sobre Ar Tonelico

Ar Tonelico II é um game e um mangá que fala sobre torres, deusas e uma raça de escavas cantoras. Foi feito devido ao sucesso musical de Ar Tonelico I: Melody of Elemia. O game também possui dois subtítulos: Melodia de Metafalica e (rs) A Metafalica das Garotas Que Ecoam Para o Mundo. Por favor, evitem associações depreciativas.

Luca usando suas magias de água

Mudanças em relação a AT 1[editar]

Cloche usando suas magias de fogo

O cenário apocalíptico é o mesmo do game anterior, mas aqui a história se passa na segunda torre que tem problemas estruturais, sociais, políticos, econômicos e policiais totalmente diferentes. Os gráficos do jogo estão um pouquinho melhores do que sua versão anterior, com a presença de vídeos estilo anime da musiquinhas.

Outras mudanças são a presença de reyvateils IPDs, um tipo de escravas cantantes que usam um dialeto próprio e impronunciável de hymmnos, o Testamento de Pastalia, a terra dos pastéis. Por exemplo:

Em Ar Tonelico 2, as reyvateils estão mais atrevidinhas

Cquote1.png Was yant gagis chs hymmnos mea Cquote2.png
Frase em dialeto padrão

Cquote1.png xA harr hLYUmLYUmOrO eje Cquote2.png
Frase em Testamento do Pastel


Ar Tonelico II: a torre[editar]

A linda maiden Cloche, toda-poderosa da cidade de Pastalia
  • Nome da torre: Sol Marta (luz maternal)
  • Administradora: Frelia
  • Localização: flutuando na estratosfera da região de Metafalls
  • Bateria: não tem, pega emprestado da torre 1 (poder médio)
  • Capital: Cidade Pastalia (Cidade do Pastel, de onde veio o Testamento de Pastel)

A segunda torre foi construída no espaço sideral usando a contilena da reyvateil Frelia e 3 anéis gigantes. Só que antes dela concluir o trabalho, ocorreu a catástrofe estúpida que destruiu Sol Ciel, inutilizou os anéis e empurrou saturno para fora do sistema solar. Então a torre ficou cheia de partes faltando. Atualmente ela tem a forma de um patético sino colossal com asinhas saltando para fora. O projeto original era a criação de uma paraíso nos moldes das crendices locais, Metafalica (ô nomezinho estranho...), onde todos viveriam felizes, gordos e satisfeitos.

Logo abaixo da torre, existe a morada dos mortais, o Aro, um lugar pobre, apertado e difícil de viver. Na verdade a dificuldade é tanta que nem as reyvateils agüentam e não deixam que ninguém as usem, como acontece na torre 1. Isso é, exceto na cidade do Pastel, onde o Imperador e a reyvateil-Maiden (que não são casados) vivem entre luxos, orgias e insultos. E pra piorar o Aro está ruindo e daqui a pouco os habitantes vão ter que aderir ao estilo de vida de andorinhas que constroem suas casas com cuspe.


  • Servidor alternativo: Infel Phira (semente de amor)
  • Rainha absoluta: Maiden da Água (atualmente Cloche)
  • Localização: flutuando no Aro
  • Bateria: pilhas alcalinas (poder mínimo)
  • Capital: Não tem... ...

A tal Infel Phira é um treco redondo flutuante que recebeu esse nome por causa das lendas de uma tal sacerdotisa virgem Rhaplanca e sua árvore Implanta, que tiveram tudo sugado para criar mil feijões mágicos que realizavam desejos. Só que Rhaplanca descobriu que as pessoinhas usaram os feijões para desejar chapéus de marujo e cachorros no palito, então ela suicidou-se e não teve acesso ao reino de Deus (porque todo mundo sabe que os suicidas vão pro inferno). Infel Phira é o último desses feijões (mas você não pode contar pra ninguém, porque ela faz parte do projeto Metafalica).

Todas as reyvateil linkadas a Infel Phira são IPDs (Infel Phira Dependants), usam um dialeto próprio de hymmnos (o Testamento de Pastalia, a terra dos pastéis) e só podem instalar pães desse dialeto. Algumas dessas cantorias podem mudar a forma física de Infel Phira para o Modo Metafalica ou para o Canhão Replekia.


Enredo[editar]

Luca cantando Metafalica

Croix Bartel, um caçador de reyvateils IPDs loucas, recebe ordens de seu chefe marombado para escoltar a Maiden Cloche até um local seguro, pois estava sendo atacada por caras maus. Seria mais uma missão rotineira se sua protegida não tivesse um temperamento impossível. Os saltos altíssimos também atrapalhavam ela correr. Como não consegue levar ela para casa (porque ela não queria e pronto), ele espirituosamente pede ajuda pra sua ex-namorada que, por ser mulher, deve entender a víbora da Cloche. Dá tudo errado, como ocorre nessas situações. Mas de um modo um pouco estranho de explicar, a missão de escolta impossível vira uma guerra contra Frelia, que todos pensam ser uma administradora malvada, e depois vira uma missão de salvamento para criar o tal paraíso Metafalica, entre tapas de Cloche e Luca.


Personagens[editar]

Croix Bartel / Croah[editar]

Protagonista que tem nome de comida. Tipo, se o croissant tivesse outro nome, seria croix. Ele é uma evolução do Lyner do primeiro game e não é tão babaca, mas se veste muito mal, é nerd, namora 5 reyvateils ao mesmo tempo e não tem vergonha disso. Croix costuma passar muitos constrangimentos das cosmosferas de Cloche e Luca, e pra piorar aqui existe um troço chamado Infelsphere, que é pior que uma cosmosfera. Mas para o alívio de Croix, na infelsphere ele não é protagonista.

Croix é reconhecido por sua enorme paciência. Sorte para Cloche e Luca que existem pessoas assim, senão elas nunca teriam namorados. Croix também disputa com Lyner o título de 2º homem pirralho mais sexy da franquia Ar Tonelico. Porque o protagonista de AT 3 já ficou indiscutivelmente com o primeiro lugar , com quase 50% dos voto em um fã site, só porque é um tarado sortudo e que o game é cheio de garotas fazendo strip.

Chefe de Croix

Cloche Leytal Pastalia / Leika[editar]

Maiden da água, mas usa ataques de fogo (?). Ela governa o Aro e suas atribuições incluem contar mentiras e declarar guerras. Costuma tratar excessivamente mal o Croix em suas cosmoferas, como colocando uma coleira de cachorro nele. Detém o recorde de dive mais curto do mundo (7 segundos). É a filha de verdade de Reisha Trulywaath, ou seja, ela não é maiden coisa nenhuma (ninguém teria ligado pra isso se ela fosse gentil) e seu nome nem é Cloche, é Leika. Outro detalhe é que Cloche é vidrada em “Gergo” ou “Gergorilla”, animais de pelúcia feios e estranhos, muito populares na segunda torre. Sua guardiã é Infel (“amor” em hymmnos), o espírito uma mulher nerd louca e com sede de vingança, que deseja matar todo mundo. Seu intaller port fica... na axila. Não é o ideal, principalmente quando ela esquece o desodorante. Principalmente se tratando de uma falsa maiden.

Luca Trulywaath / Cloche[editar]

Ex de Croix que possui relacionamentos utilitários com todo mundo. Vive sorrindo, distribuindo gracejos, mas é totalmente falsa, tanto que até partes de sua cosmosfera são falsas. Odeia Cloche por causa da chatice dela, mas depois descobre que Cloche é Leika, a irmãzinha que ela perdeu (e que ela tinha culpado Cloche e seu programa de captura de IPDs loucas) e volta a gostar de Cloche de novo. As duas viram maidens e cantam EXEC_with.METHOD_METAFALICA para criar Metafalica sob protestos de Raki. Detalhe da música é que a voz de Luca é tão estridente que só reparamos que é um dueto se aumentar muito o som.

Seu installer port fica sobre as costelas, perto dos peitos. Ou seja, quase no local ideal para pornô-instalações. Sua guardiã é Nenesha / Goro, best friend forever de Infel, que ajuda ela em seu plano maquiavélico.

A esquerda, Rashek, cidade de Luca. A direita, Pastalia, a cidade de Cloche

Cocona Bartel[editar]

Uma reyvateil IPD que é muito novinha realizar dives, mas é muito cabra-muié pra lutar de igual pra igual com robôs enormes assassinos. Seu enfeite de cabelo vira um bastão de batalha.

Frelia[editar]

Administradora odiada da Segunda Torre. É super tímida e não sabe por que faz tanta cagada. Tinha mesmo que não saber, pois passou boa parte dos últimos 700 anos em hibernação. Ela tem asas de fada, roupa colante verde, e se fosse loira seria clone da Tinker Bell. O pessoal do Aro chama ela de Deusa, mas não a respeitam nenhum pouco. Seu installer port fica na bunda direita (mesmo local de Shurelia e Tyria).

Jacqli / Jakuri[editar]

Cquote1.png Ah, se eu conseguir colocar todas as 700 velas (no bolo) ela vai chorar! Cquote2.png
Jacqli sobre aniversário de Shurelia, administradora da torre 1

Ela é a Mir, a vilã de Ar Tonelico I. Mas aqui ela é mocinha, usa uma roupa colante parecida com a de Shurelia, só que preta e na última cosmosfera ela ganha um vestido de casamento... preto. Outra roupa que merece destaque é a intitulada “miros”, que é uma coisa dragonóide com os peitos de fora. Seu guardião é Ayatane (seu “filho” yaoi que também aparece no game anterior). Ayatane nunca faz nada, deixa o Croix completamente a vontade na cosmosfera dela (ele não é um bom guardião...).

Enja / Shun[editar]

Enja é um autêntico Lobo Voador Azul!!!

Cão de estimação de Frelia. Se auto intitula Mensageiro da Deusa.

Raki[editar]

Maid-droid de luta que arrebenta tudo, e se arrebentada não morre. É totalmente frígida e psicopata. Possui uma droid-irmã chamada Reki (quanta criatividade dos nomes) que é igualzinha a Raki, só que é o equivalente robô de um furrie. Sempre que não estão fazendo nada, estão dormindo.

Canhão Replekia, atingindo a torre de Sol Marta

Lista de Hymmnos[editar]

  • EXEC_METAFALICA: versão de Metafalica cantada por Luca. É chata e sem vida.
  • METHOD_METAFALICA: versão de Metafalica cantada por Cloche. É sem vida e chata.
  • EXEC_with.METHOD_METAFALICA: as duas Metafalicas anteriores cantadas juntas. Se mal cantadas, as cantoras são abduzidas. Se bem cantadas transforma Infel Phira em uma terra de furries. É a tal música referida no título do jogo.
  • EXEC_over.METHOD_SUBLIMATION: são três hymmnos de sublimação cantados por Infel e Nenesha para ferrar o mundo.
  • EXEC_DISPEDIA: cantado por Jacqli para controlar o exército de Frelia (Jacqli não perdeu tempo para dominar a torre 2, igual fez com a torre 1...).
  • METHOD_REPLEKIA: ativa o canhão replekia de Infel Phira. É a melhor música do jogo, embora seja impossível de se cantar. Nas lendas, Replekia era uma rainha má.
  • EXEC_HIBERNATION: cantada por Frelia para colocar todo mundo na cama. É um dos hymmnos que conta a história de Rhaplanca e seus feijões mágicos.
  • EXEC_SOL=FAGE: cantado por Luca para ativar o celofane de Frelia e roubar sua energia vital. Disputa com Replekia o título de melhor música.
  • EXEC_VEENA (ou EXEC_VIENA): cantado por Luca para abrir uma passagem secreta. Isso causou o desmoronamento de metade do Aro, para obter a energia necessária para este hymmno.
  • METHOD_IMPLANTA: cantado por Cloche para consertar Infel Phira. Outro hymmno que conta a história de Rhaplanca e os feijões.
  • EXEC_SPHILIA: cantado por Jacqli para se comunicar com a terra. Terra é muito importante nesse jogo.
  • EXEC_HARMONIUS_FUSION: igual a Harmonius e Rig=Veda do game anterior.
  • Harmonics Frelia: não faz nada.
v d e h
Ar Tonelico logo.png