Aracaju

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Araracaju
"Cidade do Caju"
Bandeira de Aracaju.png
Bandeira
Aniversário
Fundação 17 de março de 1855
Gentílico aracajuense
Lema Fax e trabalho
Prefeito(a) Não disponível
Localização
Localização de Araracaju
Estado link={{{3}}} Sergipe
Mesorregião Sergipe para Turistas
Microrregião Aracaju se Achando Cidade Grande
Região metropolitana Aracaju e suas Favelas
Municípios limítrofes São Cristóvão, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro, Itaporanga d'Ajuda, Santo Amaro das Brotas
Distância até a capital 326 Km até Salvador quilômetros
Características geográficas
Área 0.81 km²
População Difícil determinar hab. 2014
Idioma sergipanês
Densidade hab./km²
Altitude 0 metros
Clima Não disponível
Fuso horário UTC
Indicadores
IDH Melhor que Maceió (seu parâmetro) IBGE/2014
PIB R$ Melhor que Maceió (seu parâmetro) IBGE/2014
PIB per capita R$ Melhor que Maceió (seu parâmetro) IBGE/2014

Cquote1.png Aracaju? Este bairro fica perto de Pelourinho Cquote2.png
Turista visitando o Nordeste
Cquote1.png É chegar ao Brasil por um atalho... Cquote2.png
Caetano Veloso numa música dele sobre Aracaju
Cquote1.png Aracatu? Cquote2.png
Participante em quiz show da tv respondendo à pergunta: Qual a capital de Sergipe?
Cquote1.png Ah... é aquela cidade que pensa que é Campina Grande... Cquote2.png
Alguém comentando sobre as festas juninas na cidade
Cquote1.png Arrra... o quê??? Nunca ouvi falar! Cquote2.png
Certo presidente americano planejando invadir o Brasil.
Cquote1.png Aracaju, hum... Ah acho que já toquei lá! Cquote2.png
Guitarrista de banda baiana qualquer
Cquote1.png Qual a capital de Aracaju? Cquote2.png
Carla Perez sobre Aracaju
Cquote1.png No meu tempo era bem melhor... Não havia violência, trânsito, baianos... Cquote2.png
Idoso aracajuano sobre Aracaju
Cquote1.png Eu não sou de lá. Cquote2.png
Aracajuense Aracajuano sobre Aracaju
Cquote1.png Aqui tinha muita arara e muito caju Cquote2.png
Aracajuano tentando explicar a origem do nome bizarro de sua cidade para um turista
Cquote1.png Dizem que eu nasci lá, mas eu nunca fui lá não. Cquote2.png
Maguila sobre Aracaju.

Aracaju é o bairro mais distante de Salvador (Bahia) e a atual capital do estado baiano de Sergipe, embora exista um projeto de lei tramitando querendo mudar a capital para Feira de Santana.

Aracaju constitui-se num importante centro urbano do Nordeste brasileiro, tendo sido construído sobre (e ao redor) das antigas ruínas de um famoso quilombo desconhecido da região. Essa cidade possui uma expectativa de vida muito baixa, ali as pessoas nascem, crescem, trabalham na rua da frente, aprendem a dançar forró e morrem (geralmente este processo inteiro dura menos de 18 anos).

Embora o IBGE defina Aracaju como um "município", ele é catalogado pela ONU como "aldeia", o que prova que ela não é uma cidade, portanto não deve ter endereçamento postal válido. Mandar cartas para lá pode significar mandar cartas para a Pindaíba, para a Cochinchina ou para lugares mais exóticos que os já citados.

História[editar]

Quem construiu Aracaju estava com a criatividade a flor da pele, já que ele conseguiu a façanha de criar uma cidade em forma de "Xadrez", uma enorme dificuldade criar algo tão criativo e original assim (Oscar Niemayer não chegou nem perto em questão de dificuldade quando construiu Brasilia). A ideia veio em 1855, e era transferir a antiga capital da Capitania de Sergipe, São Cristóvão construída em cima de um antigo cemitério indígena, para um terreno abandonado no litoral onde poderia haver praias e atrair algum turista.

A nova cidade de Aracaju recebeu esse nome devido a uma fruta de nome aracaju (ORLY?), proveniente da planta arajucúazeiro ou arajucúeiro, que em tupi, o idioma oficial da região, significa literalmente: "Fruta que dá castanha". A Bahia O Sergipe é o único segundo estado brasileiro onde as frutas dão castanhas, o que rendeu este singelo nome à sua nova capital. O primeiro estado (até então pensava-se ser o único) era o Estado Calypsal do Pará próximo à cidade de Belém onde nasceu Simão e Judas bateu as botas.

A construção da cidade não foi nada fácil, o gênio que teve a ideia de criar essa nova capital escolheu o pior terreno possível para tal, um brejo lamacento repleto de mangues e alagações que não contribuem em nada para a segurança estrutural de edifícios com mais de dois andares. Prédios grandes assim só foram possíveis serem construídos graças à propinas oferecidas que fazem as autoridades desconsiderarem quaisquer riscos de desabamentos.

Apesar de ter sido fundada por cangaceiros, Buracoju Aracaju ganhou o título de cidade de melhor qualidade de vida do estado – principalmente se comparada a Salvador – mas não entende-se o porquê do título, só se veem pessoas mantendo a forma no calçadão da 13 de Julho pois lá existem mais ricos do que pobres e os pobres ficam isolados na saída da cidade... Isso até que é uma vantagem, quem não iria querer que os pobres ficassem fora da cidade?

Clima[editar]

Pessoas que morrem e vão pro inferno, antes de irem pra casa do cramunhão, fazem estágio em Aracaju, só pra se acostumar com o clima que encontrarão no quinto dos infernos.

Economia[editar]

Dizem que Aracaju não tem favela.

Aracaju é a cidade mais rica do Sergipe, mas isso não significa porra nenhuma. Mas mesmo assim se orgulha de não ter favelas, afinal, como poderia, se a cidade não tem morros? No lugar de favelas, Aracaju tem aglomerações de gente pobre que vivem em barracos de papelão com gambiarras e pontes de madeira entre si, locais denominados de "invasões", como a Terra Dura e o Lamarão.

Os moradores da cidade baiana sergipana de Aracaju costumam frequentar o shopping diariamente apenas para olhar vitrines e dar trabalho ao pessoal da limpeza com a embalagem de chicletes e balas, e falando "só vou dar uma olhadinha". Os juvenis costumam ir aos lixosos shoppings para falar alto, correr e brigar na saída com seus amiguinhos, ser estuprado ou assassinado pela própria segurança do shopping! Dizem que os dois shoppings são "concorrentes", mesmo sendo do mesmo dono, porém na prática concorrência não há, os shoppings metem a faca nos aracajuanos como se fossem gados, aproveitam-se do monopólio também para cobrar estacionamento, sendo que a lei municipal proíbe tal prática!

  • "Shopping" Riomar - Localizado em uma área próxima ao encontro do rio Sergipe com o mar. Em dias movimentados, é possível encontrar umas 10 pessoas nele. O Cinemark é antigo e infestado de baratas. As telas são pequenas e as cadeiras, desconfortáveis.
  • "Shopping" Jardins - Apenas uma grande galeria confusa, também chamada de Labirinto Corredores do Lixo Luxo, mas que os aracajuanos dizem ser mesmo um shopping. Tem 35 lojas de celular, 30 lojas de roupas para EMOS, 10 lojas de meias e um punhado de lojinhas que ninguém entra de diversidades. Possui também o mais careiro supermercado do Brasil (O JéBarbóza Jardins, com seu aroma singular de leite azedo).
  • Chópin Prêmio - O mais novo "Shopping" da grande Aracaju. Construído na ainda desconhecida cidade de Nossa Senhora do Socorro, o chópin prêmio foi criado para os pobres que não sabiam o significado da palavra "shopping" e nunca tinham ido ao cinema, e os ricos boicotadores. Só vão ao Prêmio aqueles pobres que sabem que são pobres e os ricos em protesto. Os os resto dos pobres (que se acham ricos) vão ainda para as galerias os shoppings de lixo luxo.

Os ricos (se houver) compram no exterior, para eles o custo de uma viagem internacional é troco de pinga! Há indícios que tais abastardos estão fazendo boicote aos shoppings (eles não veem valor algum em ir aos fétidos "shoppings" que cobram ingresso estacionamento) pois as vendas caíram em até 90% e foram comprovadas que a criminalidade aumentou em tais locais(sonegação fiscal, assaltos, etc.).

Os pseudoricos continuam indo aos shoppings dos JCPM, agora para dizer que podem perder pagar 4 reais em estacionamento, e nunca compram só ficam tumutuando o local, postando no facebook "o shopping está cheio" mesmo que seja mentira, ou seja, tentando desestabilizar o boicote dos ricos para ver se melhora a comissão para poder perder de novo o dinheiro pros JCPM.

Os pobres continuam indo enlatados em baús (aqueles os quais a SETRANSP insiste em chamar de ônibus), no atacado apenas para ver Papai Noel.

Política[editar]

Aracaju é uma capital tão minúscula que já levantou sérias discussões acerca de sua existência. A mais famosa delas foi um episódio ocorrido nos anos 2000, quando funcionários obscuros do Departamento de Contas do Estado em Brasília, em um raro dia de trabalho, questionaram a existência da cidade. Os deputados, então, reuniram-se durante meses tentando provar a existência da citada cidade, mas acabaram convencendo-se do contrário. Como resultado, todos os investimentos federais na cidade foram cancelados (afinal, Aracaju não existia) e canalizados para os salários dos próprios políticos, que se julgavam estressados demais pela tentativa de provar a existência da pseudo-cidade. O impasse só foi revertido quando o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, foi forçado a visitar o Congresso e a provar definitivamente que Aracaju existia, pois a ausência de investimentos federais estava levando o município à falência. Os deputados só se convenceram de que Aracaju existia quando o prefeito pagou a todos uma viagem à cidade. Infelizmente, eles acabaram preferindo que a cidade não existisse, pois sequer prostitutas bonitas ela tinha. Aracaju, no fim, voltou ao mapa político, mas acabou taxada como "a capital mais chata do Brasil" (um título que foi sutilmente disfarçado sob o nome de "capital da qualidade de vida").

Diferente do Acre, que comprovadamente não existe, Aracaju é simplesmente pequena demais para ser levada em conta (seja qual for o assunto). Apesar de sua existência ter sido provada, o tema ainda é pauta em grandes e importantes discussões. Por exemplo, há uma enorme quantidade de teses de mestrado no Sudeste tentando provar que a presença de Aracaju no mapa brasileiro não passa de uma grande conspiração entre os políticos e os geógrafos. Um físico brasileiro certa vez publicou em jornais ingleses de que Aracaju é, na verdade, uma civilização alienígena, e sua existência no Brasil não passa de uma distorção pandimensional.

Todo prefeito de Aracaju tem que escolher entre a pílula vermelha e azul.

População[editar]

Embora afirme-se que a cidade tem mais de 600.000 habitantes e que isso estranhamente é considerado como muito, 95% disso na verdade são turistas. Aracaju não existe, se você conhece alguém de lá esse alguém certamente sumiu no Triângulo das Bermudas em 1957.

Demograficamente é o primeiro lugar no ranking de cidade com mulheres mais feias do país, as quais são treinadas desde criança a se acharem lindas. É ainda a terceira cidade com maior proporção de baianos/m², perdendo apenas para Salvador e até para São Paulo, que já tem mais baianos que a Bahia.

Educação[editar]

o IBGE estima que os colégios Master, Ideal e Amadeus vão aprovar toda a população de Aracaju em medicina até o ano de 2030. A instituição usa como dados as campanhas publicitárias nos outdoors dos colégios.

Aracaju possui apenas uma universidade federal, que não fica em Aracaju, mas na "cidade" (ou "vila", ou "vilarejo", ou "buraco") de São Cristóvão, particularmente famosa pela incrível aglomeração de pobres e pelo (suposto) título de Patrimônio do Brasil. Em contrapartida, a "cidade" de Aracaju possui mais de 3.000 universidades particulares, dando a ela o título de "Cidade com Maior Número de Universidades Privadas por Metro Quadrado".

  • Universidade Federal de Sergipe (UFEZES) - É a universidade mais concorrida do Estado por dois motivos - é a menos pior do Estado e é a única pública, ou seja, "de grátis". Possui mais de cinco milhões de estudantes, metade dos quais é baiano, e é um dos principais vetores de imigração baiana no Estado. É famosa pelas salas sem teto e suas carteiras já receberam, por cinco vezes consecutivas, o prêmio de "Assento mais Perigoso do Brasil"; há relatos verídicos de alunos que contraíram AIDS, sífilis, câncer e lepra por apenas sentar nestas carteiras. Além de estudantes, suas salas de aula abrigam uma formosa biodiversidade terrestre, incluindo cães, ratos, gatos, baratas, lagartixas, cobras, micos-leões-dourados e etc, levando instituições ecológicas como o WWF e o Greenpeace a declará-las como "áreas de proteção ambiental". Correm boatos de que a UFEZES também funciona como campo de testes genéticos devido à alta presença de mutações em seu campus: têm-se relatos de gatos com três olhos, ratos voadores, mosquitos que disseminam AIDS e baratas supersônicas, além dos já comprovados e muito freqüentes animais sem patas, caudas, olhos ou outros membros. Na Universidade, os alunos perseguem os professores pelos corredores montados em motonetas Shineray, pensando que estão pilotando Harley Daivison. É a única Universidade que exige média 5 para passar por média. Missão impossível na UFEZES é encontrar papel higiênico no banheiro.
  • Universidade Tiradentes (IUNAITI): é a maior universidade particular do Estado e seu campus corresponde por 43% da área total de Aracaju. A universidade possui a segunda maior concentração de playboys (e baianos) por metro quadrado da cidade (perdendo apenas para o Colégio Monster) e é o destino favorito dos alunos que não conseguiram passar na UFEZES. Apesar de ser muito mais segura do que a UFEZES, lugar onde ocorrem 56% dos homicídios e 72% dos sequestros de Aracaju, a IUNAITI concentra os professores mais preguiçosos do Estado que costumam dar suas aulas apenas usando o PowerPoint e que nem sequer precisam ser formados no ensino médio para lecionar. A principal fonte de renda da universidade são seus alunos baianos playboys que conseguem pagar R$4.000 por mês no curso de medicina (que também é lecionado através de PowerPoint).

Transportes[editar]

Calçada em Aracaju. Respeito ao pedestre em primeiro lugar.

Assim como Brasília, Aracaju é uma cidade planejada, a diferença é que enquanto Brasília é a cidade sem esquinas Aracaju é a CIDADE DAS ESQUINAS, pois tem uma a cada 25 metros. As ruas são outra atração a parte do urbanismo genial desta cidade, tanto que Aracaju já foi confundida com a Lua pela NASA devido ao grande número de crateras. Sabe-se que o forte sentimento de inferioridade, talvez por ser o menor estado do Brasil, fez com que se construíssem a maior ponte do nordeste.

Como Aracaju está a parte do Código Brasileiro de Trânsito, para trafegar no local é necessário tirar uma carteira especial de motorista em Aracaju, e ser então avaliado a passar por uma série de testes para ver o seu grau de lerdeza, pois se você for pego andando a mais de 35 km/h, você toma multa (de quem mesmo? Agentes da SMTT vivem pendurados no Whatsapp). Nos testes são medidos velocidades dos reflexos, grau de loucura, capacidade para andar mais devagar que uma bicicleta, dar seta para um lado e virar para o outro, estacionar ocupando duas vagas, furar sinal vermelho e parar o carro em qualquer lugar desde que ligue o pisca alerta. E se quiser ser motoqueiro, terá uma aula a mais, na qual se aprende que quando tiver um carro em sua frente, deve-se passar por onde for possível e se você quebrar os retrovisores laterais do carro, você ganha pontos extra na prova. O uso do capacete é opcional e pode ser na cabeça ou no cotovelo. Por aqui é possível dar carona para até 3 pessoas na mesma moto e melhor ainda se for uma criança intercalando dois adultos e todos sem capacetes.

Na avenida Tancredo Neves o tráfego flui muito bem (de madrugada), as vezes com seus pseudo-guardas de trânsito com um apitinho fiiii fiiii abusando da desinteligência... Por vezes é possível observar usuários de seguro de carro testando os serviços oferecidos por meio de acidentes inexplicáveis como acidentes em uma avenida longa e reta (beira mar), capotando, acertando os postes, batendo no carro à frente ou simplesmente parando no meio do nada. É possível também viver a grande emoção de se tentar atravessar a avenida parceladamente, pois nas faixas enquanto um carro para pra travessia do pedestre, o carro ao lado acelera causando picos de adrenalina que nem as melhores montanhas russas do planeta podem causar. Proezas como lavar o carro no rio jogando-o diretamente na água para imersão também podem ser observados como na ponte próxima ao restaurante Deppan. Estacionar os carros pela região do bairro 13 de julho também é bem fácil, visto que os motoristas estacionam em qualquer lugar onde esteja escrito "não estacione, GARAGEM".

Aracaju já recebeu diversos prêmios devido ao seu trânsito exemplar e único, sendo considerada a cidade com a maior quantidade de carros por metro quadrado, 2% deles com alguma cor diferente de cinza/branco/preto, a cidade com as piores auto-escolas do país, a a cidade onde é obrigatório o uso do celular ao volante, e a cidade com mais lojas de buzinas e som de mala pra carro do Brasil.

Quanto ao transporte público coletivo, Aracaju é o depósito brasileiro de ônibus velhos. Qualquer ônibus que seja considerado sucata é jogado lá para a chamada "renovação da frota" e então usado pela população, com o fatídico aumento anual do preço da passagem.

A cidade é detentor do único aeroporto conhecido do estado de Sergipe, porque ao contrário de cidades como Natal, Cuiabá, João Pessoa e tantas outras que jogaram seus aeroportos para os municípios vizinhos, o Aeroporto de Aracaju fez questão de ser construído realmente em Aracaju, resultando no fato de que ele ocupa 30% do território do município (sendo mais 30% ocupado pela Universidade Federal de Sergipe)

Comunicações[editar]

Possui o pior e mais caro serviço de telefonia do Brasil, consumindo o salário dos pobres miseráveis habitantes dessa cidade com este parco serviço. A cidade tem o recorde de quase nunca ser citada em nem um jornal a não ser quando ocorrem desgraças (na verdade já foi citada duas vezes no Fantástico da Rede Globo, no quadro: "Os lugares mais remotos do Brasil, e na criação de pardais observadores de carros"). Perde apenas para o próprio Acre e sua capital Rio Branco.

99% só assistem a TV Alese. 1% não tem TV em casa.

Cultura[editar]

Cquote1.png Êô. Êa. Êô. Pralá e pra cá. Êô. Êa. Êô! Cquote2.png
Exemplo de música sergipana incompreensível.

Aracaju é a terra dos Ninjas do Arrocha, e por ser uma cidade baiana, tem forte tendência cultural dos habitantes gostarem de música extremamente ruim, barulhenta, horrível e de baixíssima qualidade.

Aracaju não possui cultura, sendo apenas uma cópia piorada e invejosa de Salvador. A única manifestação cultural conhecida é que Aracaju é um lugar onde as mulheres só vivem com os cabelos escovados e de grande parte ingênua para o lado da sabedoria, onde tem a maior quantidade de cabeleireiros por metro quadrado, ter um a ondinha nos cabelos é um pecado capital e motivo de risos pois seguem a cultura de maria vai com as outras.

Esportes[editar]

O esporte nacional do aracajuano é despejar entulho em qualquer lugar, podendo ser rua, terreno, frente do mercado ou até explicitamente na calçada em frente ao seu próprio estabelecimento. Em Aracaju, se pratica muitos esportes aquáticos como empurrar sofá no mangue, jogar monitor de televisão no rio e arremessar teclados de computador em caranguejos. Não se sabe ao certo do que chamam aquilo, só se sabe que é uma prática muito comum.

Um esporte menos valorizado é o que alguns chamam de "enrabamento de jumento", embora outros denominem apenas de "futebol", o que se sabe é que só há apenas dois times, e que estes disputam constantemente quem é o pior, o Club Sportivo Sergipe e o Associação Desportiva Confiança. Mas na verdade os jogos só acontecem para que sirvam de pretexto para as brigas das torcidas organizadas paulistas e cariocas, uma vez que o sergipano de maneira geral torce para times do eixo Rio/São Paulo (times que estão cagando e andando para o sergipano) mostrando assim uma grande falha na identidade cultural.

Turismo[editar]

Aracaju é teoricamente uma cidade turística, mas o Nordeste tem muitas opções melhores, e até o falido estado de Alagoas tem praias mais bonitas, enquanto o falido estado da Paraíba tem putas mais bonitas, deixando Sergipe como opção apenas para os ex-playboys falidos que não conseguem mais ir para Salvador nas férias. Aracaju é portanto o lugar para onde os baianos vão em janeiro para festejar o Pré-caju (a maior invasão dos baianos em Sergipe), os baianos saem da Bahia para ver as bandas da Bahia invadirem Sergipe. As bandas baianas com pasta de dente na cara arrastam os baianos que dançam gritando.

Não há pontos turísticos, apenas uma ponte bem comum e os Arcos da Orla de Atalaia que são apenas um logotipo do McDonald's achado no lixão que pintaram de azul, e ainda não se sabe quem achou essa porcaria de monumento velho podre algo de bonito.