Arashi no Yoru Ni

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Isso parece Shoujo! '-'
Hentai?
Arashi no Yoru Ni é algo relacionado a Kodomo

Esse artigo contém altas doses de mascotes que podem ou não falar pra caralho.
PS:Não vandalize. Senão, você será abduzido pra outra dimensão
com pessoas que você não suporta e será obrigado a salvar o mundo.


Arashi no Yoru Ni (2005) é um desenho animado japonês sobre o amor a relação interracial entre um lobo e uma cabra. O filme é baseado em uma série de livros yiff pornográficos de Hiroshi Abe, publicados em 1994. Ainda houve a coragem e ausência total de vergonha alheia de um videogame para o Nintendo DS ter sido lançado no Japão em comemoração do aniversário de Hard Gay.

Enredo[editar]

Esse desenho foi criado para ensinar às crianças sobre os prazeres da homossexualidade
.

A história começa retratando como a natureza deve ser, quando uma cabra é estuprada e exterminada por uma alcateia de lobos punks, mas seu filhote consegue escapar ileso e foge para a floresta de Walt Disney. O nome do cabrito é Mei, e depois do sacrifício de sua mãe ele é criado por sua avó a base de leite com pera, o que obviamente resulta em uma desastrosa viadagem por parte do pequeno animal que nem viado é.

Em uma noite chuvosa, o jovem cabrito gay procura abrigo entrando em uma sauna turca cheia de halterofilistas, sem saber que está dividindo o espaço com um lobo chamado Gabu, também refugiando-se da tempestade, não que gostasse de saunas turcas. Mei inicia uma conversa com Gabu pois sabe que está num roteiro de sexo furry então qualquer papo furado vai colar, mas ambos sem saberem de suas identidades devido à nuvem espessa de fumaça do estabelecimento acabam se dando muito bem, e olha que nenhum viadinho estava presente, até que depois de algumas bebidas, os dois começam a trocar carícias e passam a noite juntos.

A bebedeira foi tão forte que só na manhã seguinte eles descobrem a verdade sobre suas identidades e amor proibido, mas o excitamento provocado pela sacanagem faz com que eles passem a se encontrar atrás de arbustos para fornicar contra as leis de Deus e da natureza. Suas famílias logo descobrem essa completa falta de vergonha e bons costumes e fazem o bom senso de imediatamente proibirem esse relacionamento doentio sem-vergonha.

Insistentes, o casalzinho gay resolve partir para o Monte Fuji, o vulcão maldito onde Sauron forjou o Um Anel, onde antes de se sacrificarem acabam morrendo de AIDS, doença contraída durante alguma orgia que eles fizeram sem proteção não por serem gays, mas por serem animais felizes da floresta. Um desfecho bem trágico.

Personagens[editar]

Mei
Gabu e Mei antes e depois do coito.
Cabrito homossexual órfão, de olhos azuis úmidos e pelugem branca como neve. Quando pequeno perdeu sua corajosa mãe para uma alcateia quando ela foi estraçalhada e passou a comer grama pela raiz. Mei vive em um fato [1] comendo com seus companheiros gays, lésbicas e simpatizantes. Acabou se apaixonando por alguém da mesma raça que anos atrás estraçalhou sua mãe numa orgia.
Gabu
Um lobo faminto por sexo que deseja comer o objeto de seu fetiche: animais fofinhos e peludos da floresta. Esse bicho tarado é primo de Willy E. Coyote, outro furry obcecado em perseguir pequenos animais indefesos.
Giro
Lobo sanguinário, líder da alcateia e que tem uma cicatriz no olho do cu. Possui uma fêmea albina que fica ao seu lado durante os discursos no deserto do Papa-Léguas. Seus olhos irradiam maldade amarela quando brilham no escuro.
Ancião
Bode idoso que contraiu a tuberculose do General Grievous quando jovem, e agora fica tossindo e infectando a floresta inteira com seu pigarro. Seus conselhos furados de vida profundos são recitados de biscoitos da sorte chineses.

Ver Também[editar]

Notas[editar]

  1. Segundo fomos informados pelo professor Pasquale, esse é o substantivo coletivo correto para cabras.
v d e h
Este artigo fala sobre um anime.