Armadura

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Metal story.jpg Este artigo é metálico!

Ele é revestido ou banhado a algum metal ou liga que se encontra na tabela periódica. Se você corroer este artigo, Mordekaiser vai exterminá-lo!

Armadura mesmo sem ninguém dentro tinha ar respeitoso, mas nem tudo que é vazio inspira respeito.

Cquote1.png Armadura é doce, mas não é mole. Cquote2.png
Pedro Bial sobre a "arma" em que ele sentou.
Cquote1.png Dããã... É rapadura. Cquote2.png
Você sobre frase acima.
Cquote1.png -___________- Cquote2.png
Eu sobre sua burrice falta de imaginação.

Armadura não é necessariamente uma arma, porém serve para se defender de muitas delas. Poderia se dizer que armadura é uma arma dura contra ataques, mas como não adianta apensa se defender quando se está em guerra, a armadura v em sempre com um lindo apetrecho para abrilhantá-la ainda mais, ele pode ser uma espada, uma marreta, um machado cortante ou algo assim. As armaduras estão em desuso, mas se observar melhor elas sim, ainda existem, apenas evoluiram um pouco, mais desinformações explicações a seguir.

Colete[editar]

Armadura natural dos besouros: A espada também é natural, embora não a use no acasalamento.
Colete vistosão à prova de balas inventado mesmo antes da arma de fogo.
Armadura estilo biba, feita para um antepassado de alguém.

Já entendeu agora, um colete a prova de balas é uma armadura, porém um pouco falha porque não protege a cabeça como as armaduras antigas, a não ser que ele for um pouco mais longo e proteger a cabeça do pau. Não proteje a cabeça de cima porque o objetivo dos coletes é não se fazer óbvio e não atrapalhar em nada no rosto de quem o utilizar, mas não adianta, o colete é uma armadura falha mesmo porque é só um colete, ou seja, protege apenas o tronco e olhe lá, se alvejarem o cabeção (de cima) lá se foi.

Assim mesmo os coletes á prova de balas podem sim ser considerados armaduras, já que protegem a pessoa contra um ataque, que na maioria das vezes significaria mesmo a morte, a não ser que der sorte e der a tal da raspada, mesmo assim há que ir tratar o efrimento loguinho senão se fode mesmo. A vantagem dos coletes é que muitas das armaduras eram perfuráveis por bala e as que não eram, faziam um baque que os coletes em geral amortecem.

Medieval[editar]

As armaduras são mais velhas que isso, porém as da Idade Média são as mais conhecidas porque se juntou uma tal frescura reprimida com os artefatos que elas acabaram não apenas se aperfeiçoando para serem mais eficientes como também se tornaram mais vistosas...

Ou algumas mais ridículas: Aqueles em que ia uma peninha de pavão ou sei lá de que no topo da proteção da cabeça. Elas eram de um modo que não impediam os movimentos, e lembrando que tinham que servir para proteger mas que o guerreiro era isso: Guerreiro e tinha que atacar também não apenas se proteger.

E lá iam também as espadas e quese esqueci: os escudos, porque também ajudavam na proteção, não mais do guerreiro que estava já de arma dura (não o pau, embora se ganhassem eles podiam receber uma donzela ou algo assim), era para proteger com o escudo alguém que estivesse passando no meio da guerra de mané, ou seja, que estivesse alí por acidente ou por idiotice mesmo e esse escudo servia para que o guerreiro assim que visse uma pessoa que não deveria estar alí, largasse a guerra imediatamente e fosse escoutar o estorvo até um local afastado em segurança...

...mas também se fosse muito idiota mesmo e voltasse pra guerra, o próprio cavaleiro salvador deveria matar o estorvo só de raiva. falando em cavaleiro, até os cavalos tinham armadura de proteção, a costumavam não ter espadas claro, mas atacavam com seus cascos quando o momento era oportuno.

Usar também[editar]