Arthur Schopenhauer

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Saindo um Schopenhauer bem gelado.

Cquote1.png A verdade filosófica dele é simples: É tudo uma merda Cquote2.png
Schopenhaguista sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Papai! Cquote2.png
Nietzsche jovem sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Póstumo, ou seja, otário! Cquote2.png
Nietzsche velho sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Eternamente solteiro Cquote2.png
Estado Civil sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Saindo um Schopenhauer gelado no capricho Cquote2.png
Garçom sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Lá no fundo, Schopenhauer é tão insuportável quanto aparenta ser por fora Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Não gosta de mulher! Uma bichooooooona! Cquote2.png
Severino sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Chopp + Happy Hour! Cquote2.png
Barman sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Schopenhauer está morto! Cquote2.png
Nietzsche sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Um dos caras mais chatos que já apareceram no Inferno. Adoro ele! Cquote2.png
Satã sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Ele é tão mau que teria dois carros em um país comunista! Cquote2.png
Réu e Condenado sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Um dos poucos filósofos que eu não acho um merdinha. Cquote2.png
Diogo Mainardi sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Já comi... Cquote2.png
Porco-Espinho sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Eu me lembro..ui! Cquote2.png
Schopenhauer sobre citação acima

Cquote1.png Melhor só do que com qualquer pessoa do mundo Cquote2.png
Ditado popular sobre Arthur Schopenhauer

Cquote1.png Foi ele que me programou Cquote2.png
Marvin sobre Schopenhauer

Cquote1.png Viver é uma merda, não merece um pingo de nosso esforço, mas não acabem com ela! Cquote2.png
Schopenhauer, sendo contraditório como de costume

Schopenhauer é um dos sujeitos mais insuportáveis que já surgiram na Filosofia Alemã nos últimos 200 anos. Sua infância foi tumultuada, e ele desde pequeno já era amargo em tudo. Insultava as garotas, injuriava os professores, só comia refeições amargas e, após ler Werther, virou de vez um assexuado rabugento.

Não é verdade que ele foi sempre deprimido e pessimista. Às vezes, ele era extremamente alegre.
Nos estudos, foi sempre um frustrado. Sua interpretação das obras de Kant era muito diferente da maioria dos universitários, que eram emos idealistas e prolixos, e ele virou professor só para competir a puta mais famosa da história, Hegel, mãe de Marx. Pra piorar, adoravam fazer trocadilhos com o nome dele e a palavra chope.

Chopa foi um alemão maníaco-depressivo que contaminou o mundo com seu pessimismo e inventou um outro como representação.Dentre suas criações mais expressivas destaca-se a cerveja. Sua citação mais célebre é a seguinte: é preciso que o ser veja. Influenciou fortemente o budismo e teve um filho chamado Zaratustra que depois de crescido se transformou no super-homem e morreu tetrapégico depois de um tombo andando a cavalo.

Tabela de conteúdo

[editar] Vida

Schopenhauer em pleno vigor da sua juventude.

Tudo começou quando o Professor Xavier descobriu Schopenhauer, um jovem confuso, mal humorado e vingativo. Com o tempo, ingressou na escola para mutantes dos X-Men, lecionando filosofia no Instituto Xavier. Seus maiores poderes eram seu esqueleto de adamantium, suas garras, sua incrível força, capacidade de regeneração e a filosofia.

Nesse meio tempo, adquiriu muitos inimigos, como Dentes-de-Sabre, Magneto, e sobretudo, a Ambev e a Heineken que sempre atrapalharam seus planos de dominar comércio mundial de cerveja.

O rumo da sua vida mudou quando ele resolveu fumar um baseado, oferecido por maconheiros que ficavam no Instituto Xavier, de onde foi expulso. Schopenhauer ficou tão doidão que resolveu virar budista. Para a alegria do Satã e a tristeza da filosofia mundial, ele fez uma mistura mais letal do que cerveja com vodka: budismo com pessimismo.

Dizem que além das crises de piti que dava quando falavam que ele era um velho chato e viado, Schopenhauer, por dificuldades em se relacionar com muheres, preferiu ter um caso com um porco-espinho, e dessa união nasceu wolverine, herdando os cabelos e o senso de humor do pai.

Seu fracasso na vida amorosa se deu quando apaixonou-se por Goethe, mas esse munca deu moral para schopenhauer, que por isso, se viu obrigado a passar o resto da vida falando mal dos outros seres humanos. schopenhauer na verdade sofria de sindrome maníaca, e por nao assumir sua homossexualidade, achava que a loucura que todos viam, era genialidade, e adorava escrever cartas românticas para um amigo de infância que também nunca deu moral para ele. O pai dele se matou quando descobriu que o filho era filósofo e a mãe dele tocou-o de casa quando descobriu que o filho era pessimista chato.

[editar] Obradas

Sua cerveja nunca foi bem vendida, talvez porque o nome fosse demasiado grande...

Escreveu várias obras, mas nunca foi reconhecido. Apenas duas pessoas liam seus livros: Nietzsche e Morrissey.

O primeiro virou anticristo e libertino, mas depois renegou seu mestre, porque queria lançar carreira solo para vender mais livros (o que só conseguiu quando Hitler indicou suas obras para seus seguidores).

Já Morrissey foi inspirado pela amargura e a falta de sexo de Schopenhauer, e resolveu traumatizar uma geração inteira de nerds ao ser o líder de uma bandinha dos anos 80 chamada The Smiths. A influência é explícita em letras como "Pretty girls make graves", "Heaven knows I'm miserable now" e "The boy with the thorn in his side", verdadeiros hinos gays da década retrasada.

[editar] Pessoas que Schop odeia

A própria mãe, todas as mães, você, seu vizinho, seu cunhado, Hegel, socialistas, mulheres, homens, gatos, velhas pensionistas, pessoas alegres, Raul Seixas, hippies, yuppies, corinthianos, caras legais, funkeiros, pagodeiros, metaleiros, dentes-de-sabre, carecas, emos e todos os outros tipos de pessoas.

[editar] Coisas que Schop ama

Buda, dar a bunda, comer bunda, cães, TV educativa, Horário Eleitoral, Fio-terra, salsicha alemã de porco, todos os tipos de salsichas, jogar pessoas escada abaixo, The Cure, hiena Hardy e manuais de instruções.

[editar] Política

Hoje eu estou alegre. Rá!

O desejo de explorar as ervas tropicais num capítulo de O Mundo como Vontade e Representação Schopenhauer foi convidado pelo vice-rei Mem de Sá para vir ao Brasil. Uma faceta pouco desconhecida de Arthur Schopenhauer foi a fundação da Vila de Arthur Schopenhaeur no interior de São Paulo, quando dos seu relacionamento amoroso com Ceci, amante do índio Peri. Peri, furioso por ser corneado por Ceci, liderou uma invasão de índios Aimorés (que comiam seus inimigos em forma de bolachas) e destruiu a vila de Arthur Schopenhauer, cujas ruinas barrentas e enlameadas foram mais tarde chamadas de Artur Nogueira, em homenagem ao latifundiário usineiro local. Schopenhauer sobreviveu e fugiu para os sertões do Brasil, onde mudou seu nome para Fernão Dias e descobriu Goiás e um caminho de burros esburacado chamado que ligava São Paulo a Belo Horizonte (mais tarde chamada de rodovia durante a Proclamação da República).

Schopenhauer em rara foto com os poucos cabelos longos.
Em Goiás, Arthur Fernão Schopenhauer Dias não descobriu absolutamente nada, exceto lançar para o sucesso Zezé di Camargo e Luciano e Leandro e Leonardo. Fugindo da perseguição implacável dos bolachentos Aimorés, Schopenhauer rumou para o Mato Grosso, que na época era mais grosso ainda. Em Mato Grosso na divisa da Bolívia, descobriu o reino encantado do Eldorado, onde recebeu do rei de Eldorado duzentos carneiros cobertos de ouro. Retornando para a civilização, extremamente rico, aliou-se ao PCC, invadiu a Guiana Francesa junto com Galvez, o Imperador do Acre. Os motivos da invasão de Schopenhauer a Guiana Francesa são ignorados. Dizem que o fato de ser alemão o fez não resistir ao desejo de invadir um francês. De volta à Europa, rico pra cacete, a vida de Schopenhauer foi ilustrada por Voltaire no romance ´Candido´. Alguns dizem que Schopenhauer adotou o pseudônimo de Wolverine e passou a andar com umas bichinas mutantes.

[editar] Morte

Arthur Schopenhauer morreu em 1984, após ser eliminado em um paredão do Big Brother, em uma última tentativa de fazer seus livros serem valorizados. Discutiu com Pedro Bial, arranjou encrenca com todos os participantes (inclusive levou um deles a cortar os pulsos após ler em voz alta para ele o primeiro parágrafo de "O Mundo como vontade e representação") e foi fuzilado em uma terça-feira.

Desde então, o mundo anda mais feliz. Prova disso foi que, já no ano seguinte, Deus matou Tancredo Neves, reelegeu Ronald Reagan e causou a festa dos gays e comunistas quando os cientistas descobriram que a AIDS não era restrita a eles.

[editar] Descoberta mais importante

Através de um erro na Matemática, Schopinho descobriu, dentro do "mundo como vontade e representação" anos antes do Dharma a Equação de Lorezzeti, que levaria tudo ao LOST. Veja ela aqui:

Fórmula resolvida erroenamente: 7+9*8-2/3 = 25,333... Resolvida por Schopinho: 7+9*8-2/3 = 42

Isso deu impulso a obra de Schopenhauer como nunca. (Ou seja, nunca...)


RECENTE DESCOBERTA: Schopenhauer foi o criador da "happy hour"!

Ele cultivava suas mágoas, solitário num canto escuro do bar, tomando um schopin, infalivelmente às sextas feiras, bem quando os trabalhadores voltavam para casa.

Este hábito motivou milhões de adeptos, que hoje se reunem para para dar risada e relaxar após o trampo.

Quando foi criada, a "happy hour" era chamada de "sad hour", mas há um grupo de dissidentes isolados e que nunca bebem juntos, que gostam de chamá-la de "Schopin Hour" em homenagem ao criador.

[editar] Principais obras

  1. O mundo como uma merda e representação de uma merda maior ainda.
  2. Como matar a vaca da sua mãe.
  3. Sacaneando a velha que fala feito uma puta no cio sem ter que pagar pensão para a maldita.
  4. Princípios da vida como merda da vida.
  5. Como controlar a inveja do filho a respeito da sua mãe. "AUTOBIOGRAFIA".
  6. Como ser um bom professor do EEPG Carandiru.
  7. Como Sair da vai tomar no cu e no teu rabo

ade da natureza de te fuder

  1. Parereca e Paralipomena
  2. A Arte de Ser Infeliz
  3. Sobre a Vida de Cantor Sertanejo Universitário
150px-Nietzcheasayoungwoman.jpg
Filósofos, autistas e outros maconheiros pensadores
v d e h

Adam Smith | Albert Camus | Anaxágoras | Aristóteles | Arquimedes | Arthur Schopenhauer | Ayn Rand | Blaise Pascal | Confúcio | Demócrito | Descartes | Diógenes | Émile Durkheim | Empédocles | Engels | Epicuro | Francis Bacon | Nietzsche | Giordano Bruno | Gordo Nerd | Galeno | Goethe | Hegel | Heráclito | Horácio | John Locke | Jürgen Habermas | Kant | Karl Jaspers | Karl Popper | Lao Zi | Leonardo Boff | Louis Althusser | Ludwig Feuerbach | Maquiavel | Marco Aurélio | Marilena Chauí | Martin Heidegger | Marx | Michel Foucault | Montesquieu | Olavo de Carvalho | Pitágoras | Platão | Roger Bacon | Rosseau | Santo Agostinho | Sartre | São Tomás de Aquino | Sêneca | Seu Madruga | Sócrates | Sólon | Søren Kierkegaard | Sun Tzu | Tales de Mileto | Thomas Hobbes | Voltaire | Walter Benjamin | Wilhelm Dilthey | Zenão de Eleia | Anthony Giddens

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas