Aruanã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Aruanã é mais uma das cidades que poluem o Rio Araguaia, na fronteira Goiás-Mato Grosso, fica no lado da música de corno (Goiás).

História[editar]

Aruanã, única cidade do mundo onde se pratica zoofilia com peixes.

Local criado pelo governo no século XIX onde construíram um presídio naquele fim de mundo para onde mandavam os piores tipos de pedófilos, estupradores e psicopatas. Era impossível fugir, quem pulasse a cerca iria fazer o que? Estaria fadado a morrer de malária no cerrado ou devorado por índios canibais enquanto dormisse. O presídio se tornou uma referência do Inferno, e ao seu redor surgira os primeiros resquícios de uma vila bem cagada.

Em 1853 aquilo tudo foi destruído por índios carajás depois que o pajé da tribo teve acidentalmente seu espírito sugado por um espelho que um português ofereceu em troca de saber como chegava em São Thomé das Letras. Os índios armados de arcos e flechas, zarabatanas com dardos com veneno de sapo que fazem suas vítimas perder a sensibilidade dos músculos do pescoço e assim engasgar com a própria saliva ate a morte, sem falar das pedras, unhas e dentes, foram todos dizimados e os índios carajás dominaram.

Infelizmente os índios descobriram a televisão, uma das armas mais malignas dos forasteiros, ela causou uma grave lavagem cerebral na tribo, muitos se suicidaram, outros sumiram na mata para sempre, e Aruanã foi ocupada aos poucos por caipiras perdidos, e hoje não há mais que 50 índios.

A palavra "Aruanã" vem do dialeto indígena, e quer dizer "dança da chuva", e também porque uma figura folclórica da cidade era a anã Aru, conhecida como Aru Anã. Ela liderou os insurgentes durante a Guerra de Independência da cidade.

Atualmente é só mais uma dessas cidades das margens do Rio Araguaia que acham que são alguma coisa.

Geografia[editar]

Cidade localizada na confluência entre o Rio Vermelho e Rio Araguaia, mosquito e capivaras é o que não falta. A cadeia alimentar na cidade é baseada na capivara, que é a refeição dos humanos, que são a refeição dos mosquitos, que estão no topo da cadeia.

O clima tropical úmido é um nome bonito para clima quente pra cacete, vou pro Inferno que está mais fresquinho onde chove uma vez a cada dois anos. Para quem é turista pode até ser legal, mas os moradores tem a pele rachada de tanto viver nessas condições.

Economia[editar]

A economia da cidadezinha é completamente baseada na pesca de todo o lixo que desce de Barra do Garças, e alguns peixes se der sorte. O turismo também é uma boa fonte de renda do município. A prefeitura espalha vários caipiras por todo Brasil, divulgando falsas informações que lá seja um bom lugar para visitar.

População[editar]

De acordo com o mais recente censo realizado pelo IBGE, Aruanã conta com uma população de 7000 caipiras e 50 índios.

Turismo[editar]

Cquote1.png É uma cilada Bino Cquote2.png
Pedro sobre turismo em Aruanã

Para quem visita Aruanã só tem uma opção, visitar os bancos de areia do Rio Araguaia que o povo lá chama de "praia". Apesar de bonita e calma fora da temporada, quando a temporada de turismo começa, aquilo se transforma no próprio Inferno com milhares de goianos e candangos que invadem a região sem pedir licença e fazem do local o que não fariam de forma alguma em suas casas, bebem até cair, comem a mulher dos outros, entopem o rio com suas lanchas e jetskys, espalham lixo por toda cidade, colocam o pau pra fora e rodam pra todo mundo ver e até pegam na bunda da sua irmã, e então vão embora e nunca mais voltam.