As Crônicas de Gelo e Fogo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Fatos.png
Conheça os fatos sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que a resposta é 42, ou que Scar matou Mufasa.

Spoiler3.jpg

Game of Thrones As Crônicas da Puta que Pariu
Coleção de livros; As Crônicas de Gelo e Fogo.jpg
Livros disponíveis enquanto George R. R. Martin não levanta sua bunda gorda e encerra logo essa série antes de morrer
O Jogo do Banquinho
A Classe dos Reis
Chuva de Piroca
Festa das Coroas
A Dança dos Dragões
A Série até já Acabou
O Livro que Jamais Será Lançado

Autor George R. R. Martin
País Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Gênero putaria
Editora Editora Ye-Yé
Publicado entre 1996- morte de George Martin


Cquote1.png Cada vez que vocês pedem o próximo livro, eu mato um Stark Cquote2.png
George R.R. Martin sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Cquote1.png JÁ COMI!!! Cquote2.png
Robert Baratheon sobre Sua Mãe
Cquote1.png JÁ COMI!!! Cquote2.png
Renly Baratheon sobre Seu Pai
Cquote1.png Detesto concorrência! Cquote2.png
Bruna Surfistinha sobre Cersei Lannister
Cquote1.png Ô MININU LINDU! Cquote2.png
Tiririca sobre Tyrion Lannister
Cquote1.png Icso non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo e 99,9% dos personagens sobre Caminhantes Brancos
Cquote1.png Na União Soviética a Muralha vai pra VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Cquote1.png Cadê os Elfos?? Cquote2.png
Noob sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Cquote1.png 5327 personagens e no final restarão meia dúzia. Cquote2.png
Você sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Cquote1.png Meus livros são muito melhores. Cquote2.png
J.R.R.Tolkien sobre As Crônicas de Gelo e Fogo
Cquote1.png Eu vou matar todos os Starks. Cquote2.png
Joffrey Baratheon sobre Família Stark
Cquote1.png Pode vir, garoto. Eu não tenho medo de você. Cquote2.png
Tony Stark sobre Comentário acima
Cquote1.png Cortem-lhe a cabeeeçaaaaaaaaaaa!!!!! Cquote2.png
Rainha de Copas Cersei sobre Ned Stark
Cquote1.png Nããããããããããooooooooooooo!!!!!!!!! Cquote2.png
Você sobre Citação acima
Cquote1.png Os livros são bem mais legais do que o seriado Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre As Crônicas de Gelo e Fogo

As Crônicas de Gelo e Fogo (ou como dizem os Noobs que só conhecem o seriado, A Game of Thrones) é uma trilogia de livros de mil livros que jamais é concluída, sendo uma espécie de Senhor dos Anéis com Crônicas de Nárnia com pitadas de Harry Potter e um pouco de História da Europa medieval com violência gratuita e sexo explícito desnecessário.

São livros que contém milhares de páginas que fazem com que qualquer pessoa que tenha coisas úteis a fazer não leiam. Só para se ter uma ideia cada livro contém em média 2330 páginas, sendo 420 páginas só com as descrições das Famílias, das Casas, dos Clãs, dos personagens que morrem, da Tabela Periódica, do Tratado de Tordesilhas e do Alcorão.

Ao todo serão 7 livros, mas a ideia inicial do autor George R.R. Martin era escrever no mínimo 67 livros, isso sem falar nos apêndices e continuações intermináveis, no melhor estilo filme do Jason.

Quem é fã (quem não é também) reclama das zilhões de mortes por livro, principalmente se o personagem for legal e carismático, e não se importa em se humilhar para implorar pedir que os tops de linha tipo Daenerys, Jon e Tyrion não morram. Mas todo mundo esquece que o único que não pode morrer é o próprio G.R.R.Martin, já que sem ele não tem mais livros e a história fica sem final. Então, recomendo aos fãs acender uma vela e rezar todo dia pela saúde do bom(?) velhinho.

A Guerra dos Tronos[editar]

Ambientado num espaço-tempo onde não existe internet, TV, telefone e nem mesmo rádio, o livro começa com as peripécias de três mendigos Irmãos da Patrulha da Noite. Depois dos três se ferrarem (e você perceber o que te aguarda pelo resto da saga), aparece Ned-honrado-e-morto-Stark, o senhor do Alasca Norte. Ele recebe a visita do seu amigão de fé, irmão camarada, Robert-bêbado-e-morto-Baratheon, que por acaso é o rei da coisa toda. Casado com a acompanhante de luxo mais cara de toda a Westeros, Robert convida seu "brother" Ned para assumir o cargo de Mão do Rei, antes pertencente a Jon-véio-morto-Arryn. Quando Ned se muda para Porto Real com metade da família (inclusive a idiota da Sonsa Sansa) é dada a largada pras putarias tramóias e conspirações. Ned, sempre colocando a merda da honra em primeiro lugar, começa, sem saber, a cavar a própria cova, ao querer descobrir os podres de todo mundo, inclusive da meretriz-mor Rainha Cersei. Não podia acabar diferente: Ned perde a cabeça. Enquanto isso, do outro lado do Mar Estreito, Viserys-canalha-fdp-Targaryen troca a irmã, Daenerys, por um exército para conquistar Westeros. Ele a oferece para o líder de um clã esquisitão, onde os homens têm cabelo estilo Rapunzel e usam sininhos(?) na trança. Mas a coisa começa a ficar feia depois da morte nada suspeita do rei Robert Baratheon, primeiro de seu nome, rei dos Ândalos, dos Primeiros Homens etc, etc, etc...(qual a necessidade de nomes tão compridos?)

Mapa imaginário de Westeros & Essos.


A Fúria dos Reis[editar]

É nesse livro que surgem 2395489675896456304 candidatos ao Trono de Ferro. Todas as casas que se acham importantes lançam um rei, doido pra sentar o bundão naquela cadeira visivelmente desconfortável feita de espadas tortas. É pior do que ano de eleição pra presidente. Renly-de-gosto-duvidoso-Baratheon (irmão do falecido), Stannis-fantoche-da-Melisandre-Baratheon (outro irmão do falecido), Robb-honra-acima-de-tudo-Stark (filho do Ned) e Daenerys-kaleesi-mãe-de-dragões-puta-feminazi são os principais candidatos. Enquanto a carnificina rola solta entre os pretendentes, Joffrey-mimado-cruel-Baratheon, suposto filho do rei, ocupa o trono e realiza todas as maldades com as quais sua mente psicopata sempre sonhou, com o consentimento da mãe, a Rainha Regente, claro. Mas como todo cachorro louco precisa de uma coleira, Tyrion-bêbado-sagaz-Lannister, nova Mão, tenta controlar o sobrinho. Coitado do anão. Aí vem luta, luta, luta, putaria, morte, luta, putaria, traição, morte, espionagem, morte, luta, guerra, putaria, vitórias, sangue e tripas, derrotas, morte, putaria, luta, espionagem, dragões, um rio pega fogo, Tyrion fica mais feio, Joffrey fica mais cruel, a quantidade de pretendentes ao trono diminui, mais luta, mais putaria, mais morte e fim.

A Tormenta de Espadas[editar]

Esse livro tem quase tantos casamentos quanto mortes. Isso é um número realmente considerável. Depois 23343 reis de Westeros aparecerem e desaparecerem num flash, os Stark tentam forjar uma aliança através de um casamento com uma das 4985748957967596745072983784587 filhas/netas/sobrinhas/irmãs, sei lá, do Lorde Walder Frey, das Torres Gêmeas (não, não é o World Trade Center). Mas o tal Lorde Frey dá um piti (ele devia estar de TPM) e manda matar todo mundo no meio da festa. O episódio ficou conhecido como Casamento Vermelho e reduziu em 23864% o número de personagens da série. Outro casamento que terminou em uma tragédia não tão lamentável, foi entre Joffrey e Margaery-quero-ser-rainha-Tyrell. Duarante a festa das festas, o reizinho é envenenado e morre. Todo mundo ficou tão aliviado que ninguém quis realmente achar o verdadeiro culpado (afinal isso aqui não é história do Sherlock Holmes ou da Agatha Christie). Outro matrimônio aconteceu entre a Sonsa Sansa-acredito-em-contos-de-fadas-Stark e o anão mais querido de Westeros. Mas não é tão interessante, já que ninguém morre. Deixando os casórios de lado, as batalhas ficam cada vez mais sangrentas, cruéis e violentas, ou seja, tudo de bom. No mundo pra-lá-da-Muralha, Jon-bastardo-real-Snow e o hobbit Sam-gordo-covarde-Tarly lutam contra os selvagens, os gigantes e outras criaturas que ninguém acredita que existem. Do outro lado do Mar Estreito, dá a louca na Daenerys e ela começa a invadir as Cidades-não-tão-Livres de Essos e libertar os escravos, ensaiando pra fazer tudo igual quando for conquistar Westeros.

O Festim dos Corvos[editar]

Nada de muito interessante, apenas a morte de mais alguns personagens (óbvio). Um deles é Tywin-sou-mais-foda-que-você-Lannister, que morreu na privada. Para desgosto dos conspiradores (ou não) descobrimos que ele não cagava ouro, como diziam as lendas. Basicamente narra como todo mundo está à beira da loucura com essa bagunça toda que virou Westeros. Jaime-maneta-regicida-Lannister, surpreendentemente, tenta arrumar a merda provocada pela irmã; coitado. Os Greyjoy das Ilhas de Ferro ganham destaque, entrando de vez na briga pelo trono, assim como as Serpentes de Areia de Dorne. Entram em cena também os malucos fanáticos religiosos, conhecidos como Fé Militante, que vão piorar ainda mais as coisas. Uma coisa boa (ou não) é que Mindinho pega Sansa (não desse jeito que você está pensando) e a transforma em sua bastarda bem feito!. Ela vai deixando de ser sonsa, estúpida, ingênua, idiota, etc. e começa a aprender a jogar. Aqui também descobrimos que toda a trama, desde a morte de Jon Arryn é culpa do Lorde Petyr-mindinho-Baelish.

A Dança dos Dragões[editar]

Aparece mais um dragão, rá! Ou não, se você acreditar nas teorias da conspiração Esse é o livro mais foda depois de A Tormenta de Espadas. É claro que tem mais mortes (aqui é G.R.R. Martin, porra!), mas também tem mais reviravoltas e intrigas. Fugindo para junto de Daenerys, Tyrion quase morre ao ser atacado por zumbis(!), trabalha como animador de festas cavalgando em uma porca(!!) e ainda vira escravo(!!!). Talvez morrer fosse mais fácil, mas é claro que se ele morresse, Martin ganharia uma legião de fãs enfurecidos querendo trucidá-lo. Daenerys, em um ato desesperado pela paz, trancafia seus amados dragões, mas o mais feroz e rebelde consegue fugir (oba!!). Mas a paz da rainha não é lá essas coisas, e ela acaba indo parar numa arena de luta e depois desaparece. Jon muda do patamar de Bastardo de Winterfell para Lorde Comandante da Patrulha da Noite. Stannis está por lá também, junto com a bruxa sacerdotisa vermelha, Melisandre. Eles lutam contra os selvagens que tentam invadir a Muralha para fugir do inverno. Depois do clássico derramamento de sangue, Jon faz um acordo com os selvagens e eles são aceitos no mundo pra-cá-da-Muralha. Mas algum personagem secundário, desimportante e fdp esfaqueia o Lorde Snow pelas costas. Os fanáticos religiosos fazem Cersei de trouxa e a humilham perante toda a cidade de Porto Real, hahahahahaha. Ela se ferra bonito. Pra resumir, George RR Martin resolve ferrar com todas as suas expectativas sobre a história, no que você acaba percebendo que ele quer mesmo é matar todo mundo no fim dos livros, inclusive os fãs.

As Casas[editar]

Casa Targaryen[editar]

Fogo e sangue

É graças a essa Casa que os Sete Reinos foram unificados. A história dos Targaryen é mais comprida do que a Bíblia, o Torá e o Alcorão juntos: envolve a construção de um império, a destruição desse mesmo império e a fuga de gente para o outro lado do Mar Estreito; um resumo: os homens dessa Casa têm o hábito de de casar com as irmãs pode vomitar agora, cavalgar dragões e queimar os inimigos. Eles vieram de Valíria (o tal império), fugindo da destruição causada pela erupção de 14 vulcões (de quem foi a ideia imbecil de construir um império no meio de 14 vulcões?). A dinastia Targaryen em Westeros durou 95986798567958673903467589 anos, até que um rei idiota demais para se manter no poder (Aerys, o Louco) subiu ao trono. Teve uma rebelião, sangue e morte pra todo lado e foi o fim da Era Targaryen. Seu brasão é um dragão vermelho de três cabeças sob um fundo negro.

Casa Stark[editar]

O inverno está chegando

Preparem-se. Os memes do Ned Stark estão chegando

Os Stark de Winterfell são os donos do Norte, um lugar onde nunca faz calor, tipo o Alasca, a Groenlândia, o Pólo Norte, a Antártida, enfim... É neve e frio pra todo lado. Seu símbolo é um lobo gigante, e seu estandarte tem as cores cinza e branco. Os Stark são descendentes de um cara chamado Bob Bran, o Construtor, que dizem que construiu a Muralha no ano 343293847575-e-sua-avó-era-gostosa a.C. A Casa preza a honra acima de tudo, e por isso está quase extinta. Parece que os Stark não entendem que honra não vale merda nenhuma numa guerra por um trono. Amadores...

Casa Lannister[editar]

Ouça-me rugir

Principais rivais dos picolés Stark, os Lannister de Rochedo Casterly são ricos pra caralho, tipo muito mesmo. Seu símbolo é um leão rugindo, sob as cores vermelho e dourado. É a Casa de um dos personagens mais amados, Tyrion, e de uma das mais odiadas, Cersei. Além deles, tem Jaime, o Regicida, que, de acordo com os últimos livros, parece estar caminhando para a redenção. Usando desde armas de aço valiriano, palavras, políticagem, ameaças e sedução, os Lannister sempre parecem estar no poder, quem quer que seja o rei no trono. Pessoal esperto.

Casa Baratheon[editar]

Nossa é a fúria

Os Baratheon têm uma história longa e chata, assim como todas as outras Casas importantes de Westeros. Robert Baratheon liderou uma rebelião que destronou o rei Aerys, o louco (loooooonga história) e se tornou rei depois que as batalhas acabaram. Seu símbolo é o veado coroado, sob as cores dourada e preta.

Casa Tully[editar]

Família, dever, honra

Os Tully são os senhores das Terras Fluviais, o lugar mais fértil e regado por rios de Westeros. Não tem nada de muito importante, só que se tornaram aliados dos Starks e dos Arryn durante a rebelião de Robert. O castelo Correrrio é ótimo para ser defendido, contando com um fosso que pode ser inundado a qualquer hora, isolando o castelo dos inimigos. Seu símbolo é uma truta saltante prateada sob as cores azul e vermelha.

Casa Arryn[editar]

Tão alto como a honra

Qual é a obssessão desse povo com honra? Ninguém aprendeu nada com os Stark? A casa Arryn governa o Vale de Arryn (Ah, vá, é mesmo?)e tem o castelo mais inexpugnável do reino, até porque ninguém consegue atacar um castelo empoleirado no alto de uma montanha grande pra caramba. A melhor coisa do Ninho da Águia são as Portas da Lua: um estreito par de portas no Alto Salão, que se abrem para dentro revelando uma queda de 200 metros até o Vale abaixo. É realmente um ótimo jeito de matar alguém. O brasão da Casa é uma águia e uma lua crescente sobre um campo azul-celeste.

Apêndices[editar]

O Mundo de Gelo e Fogo[editar]

É uma enciclopédia grande pra caramba, escrita com letras pequenas pra caramba e com desenhos fodas pra caramba. Foi escrita pelo maluco, demoníaco, gênio George R.R.Martin e dois nerds desocupados super-fãs Elio M. García Jr. e Linda Antonsson. Conta a história dos 45874598656057830394867024606498 reis Targaryen e de todas as 4758839 Casas importantes, além de falar sobre o Povo da Floresta, os Ândalos, os Primeiros Homens e tudo o que veio a.C (é Antes da Conquista, e não Antes de Cristo). No meio do livro aparecem uns personagens aleatórios secundários que você julga totalmente sem importância, mas que no final vão ser de alguma importância (ou não). É o tipo de livro que os fãs (ou nerds desocupados, qual a diferença?) vão querer muito ter, mas ou não vão ter dinheiro pra comprar, ou vão parar de ler no meio, porque vão perceber que a vida pode ser mais do que ficar 25 horas por dia mergulhados num universo de fantasia (ou não).

O Cavaleiro dos Sete Reinos[editar]

É um livro relativamente pequeno para os padrões de George R.R. Martin. Conta a história de um cavaleiro e seu escudeiro, 90 anos antes do livro A Guerra dos Tronos. Por que isso seria importante? Não sei, mas os teóricos da conspiração dizem que depois desse livro muitas luzes foram lançadas sobre alguns mistérios da série. Aham, sei. Não é o estilo do tio Martin lançar luz sobre os próprios mistérios.

Teorias da Conspiração[editar]

Existem várias. Esqueça a Área 51, a Teoria Pixar, os círculos nas plantações, as mortes de JFK, Kurt Cobain, Marilyn Monroe e Elvis Presley, a fórmula secreta do hambúrguer de siri da Coca-Cola etc. As teorias da conspiração d´As Crônicas são o que há de melhor e bombam na internet. Existem 56789000000 fóruns diferentes, onde se discutem desde as teorias mais loucas e sem pé nem cabeça até aquelas que fazem todo o sentido.

v d e h
In the Game of Thrones, you win or you die