Associação Desportiva Itaboraí

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Associação Desportiva Itaboraí
Escudo do Itaboraí.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Desassociação Inesportiva Bora Aí
Origem Bandeira do estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro - Itaboraí
Apelidos Azulinho
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote Zazu
Torcedor Ilustre
Estádio Azarão
Capacidade 900 (número justo para o tamanho do clube)
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador LixoNet
Time
Material Esportivo WTF Sport
Liga Campeonato Carioca
Divisão Nunca na Série A
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Associação Desportiva Itaboraí é um desses times extremamente ruins que ninguém conhece do interior do estado do Rio de Janeiro, que passará todos os anos de sua existência desprezível disputando apenas aqueles campeonatinhos varzeanos em estádios precários, na prática, como qualquer time amador, mas se enganando que é alguma coisa porque disputa um torneio organizado pela FERJ (a Copa Rio e outras merdas sem importância que aparecem só nos rodapés dos jornais, ou sequer isso).

História[editar]

Fundação[editar]

Equipe fundada em 1976, na cidade de Itaboraí. A ideia era tentar fazer algo pelo município que sempre foi tão esquecido, especialmente após a construção da Ponte Rio-Niterói. Mas o projeto não deu certo, a nova equipe não ganhava nem o Campeonato Fluminense (para se ter uma ideia do baixíssimo nível, era tipo um campeonato capixaba, só que piorado) e por estar ali desonrando o nome de sua cidade, passou a ser chamado apenas pela sigla ADI, que disfarçava melhor sua origem e não causava constrangimentos

A primeira segunda divisão do campeonato carioca[editar]

Com a fusão do estado da Guanabara com o Rio de Janeiro, em 1978, aí que o Itaboraí jamais poderia voltar a sonhar com algum título expressivo. Agora com os times da capital carioca inseridos no torneio, o ADI ficava na lanterna até da segunda divisão do novo estadual. Desde o começo as coisas no clube são atrasadas, deveriam ter ideia de criar esse clube antes de terem inventado Brasília, assim tentaria mais vezes ganhar o Campeonato Fluminense.

Extinção - primeiro retorno[editar]

Por ser um time demasiadamente ruim e percebendo que jamais ganharia alguma coisa após a fusão da Guanabara com o Rio de Janeiro, decidiu cessar as atividades e todos assim ficariam felizes. Mas como sempre tem pessoas teimosas, em 1995 o Itaboraí tem seu primeiro retorno. Na ocasião, disputou a Série K do Cariocão, perdeu até para o Tio Sam EC, aí ficou bem nítido que era melhor não dar sequência a um time tão ruim, e ele foi fechado pela segunda vez.

Segundo retorno que não foi o retorno[editar]

Em 2007 jogou a Série T3 do Cariocão o tal Itaboraí Futebol Clube. Mas este era só um outro time qualquer da cidade, igualmente sem criatividade aliás, pra usar esse nome, mas tão ruim quanto, pois só teve resultados pífios antes de falir miseravelmente, idêntico ao ADI nesse quesito.

Terceiro retorno - Extinção[editar]

Em 2010 lá estava esse porra de Itaboraí de novo tentando alguma coisa no profissional, mesmo já ficando claro que é melhor desistir. Dessa vez disputava a Série Q5 do Cariocão (equivalente à trigésima sexta divisão) e nem a presença de Valdir Bigode ajudou alguma coisa o time que não saiu desse fundo do poço e falou de novo.

Quarto retorno[editar]

Esse time pode ser ruim, mas uma coisa é verdade, ele é insistente, e em 2014 estava de volta às atividades, só que dessa vez com mais seriedade (os retornos anteriores foram sem seriedade). Dessa vez houveram modificações! Na estrutura do futebol? Na contratação dos jogadores? No estádio capenga caindo aos pedaços? Não, a mudança foi na forma de chamar o time mesmo. Por muitos anos chamado apenas de ADI, mudou para Itaboraí ao perder a vergonha do nome da cidade onde joga. E sobre jogadores, passou a trazer sobras do Madureira e do Boavista, além de uns ex-vascaínos idosos para a administração. Foi assim que venceu o Artsul FC e conquistou o troféu da Série B2 carioca.

Campeonato Carioca Série B[editar]

Uma vez na Série B do estadual, acomodou-se à segunda divisão, pois aí não arriscava ser humilhado por Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco e ao mesmo tempo disputava a Copa Rio, competição que também se especializou em decepcionar, sendo eliminado pela Portuguesa da Ilha em 2016 e perdendo a final de 2018 para o Americano FC, relembrando assim seus velhos tempos de Campeonato Fluminense, quando jogava só com o bolor do Toddy (oposto de nata) do estado da Guanabara.

Títulos[editar]