Astato

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png A astuta raposa marrom ataca o cão preguiçoso Cquote2.png
Windows sobre Astuto Astato

Astato é um halogênio muito pouco popular. É o elemento mais raro da Terra, e só. De todos os elementos, ele é um dos menos conhecidos, e é um grande pesadelo para todo estudante de química que não consegue decorar nem o nome dessa inutilidade.

História[editar]

Resumo do astato: nada!

O visionário químico africano do pau grande Kid Bengala já previa a existência do astato. Ele chamou aquele espacinho entre o polônio e o radônio de eka-iodo.

O astato foi sintetizado pela primeira vez em 1940, por um grupo de cientistas da Universidade de Berkeley na Califórnia, fazendo a mistura de bismuto com partículas de adamantium.

Durante a década de 1930, quando ainda não havia televisão, vários cientistas do mundo passaram as suas existências tentando descobrir qual o elemento que faltava na listinha dos halogênios. Houveram propostas nos Estados Unidos, Índia, Suíça, mas nenhum deles conseguiu encontrar aquele maldito quadradinho de número 85.

Só foi descoberto depois de três anos de trabalho de um casal de cientistas homoafetivas, que ficaram noites pesquisando astato no banheiro do laboratório através dos processos de recaída natural.

Características[editar]

O astato é um dos elementos mais inúteis da tabela periódica, não sendo conhecida nenhuma aplicação prática dele, ele apenas foi um conjunto de esforços para preencher aquela vaguinha na família 17 e deixar a tabelinha do mal mais bonitinha e colorida.

É apenas um elemento altamente radioativo que se comporta como os seus amiguinhos halogênios e é um fã número 1 do iodo. É o mais pesado dentre seus amigos, embora isso não seja vantagem, e sua importância existe apenas no campo teórico, o que também não significa nada. Por ser o elemento mais raro do mundo, são encontrados apenas 25 gramas de astato em todo o planeta, mas essa quantidade é tão pequena que não faz mal sequer a uma mosca.