Astorga

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Carroca1.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Gnome-searchtool blue.png Astorga é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Como conseguiu internet nesse buraco?

Sciences de la terre.svg.png
Município de [[Imagem:{{{Nome da bandeira}}}.Bandeira_astorga.jpg|20px]] Astorga

Bandeira de Astorga [[Imagem:{{{ImagemBrasão}}}|125 px]]

[[Imagem:{{{Situação}}}|150px]]

LemaVai que dá
Estabelecida {{{Estabelecida}}}
Tipo de Governo Democracia ditatorial
País Brasil
Estado Paraná
Prefeito {{{Prefeito}}}
Área 13 Km²
População 9 e meio
Gentílico Astorguense
Hino Créu


Cquote1.png Sua pesquisa - Astorga - não encontrou nenhum documento correspondente. Sugestões: •Certifique-se de que todas as palavras estejam escritas corretamente. •Tente palavras-chave diferentes. •Tente palavras-chave mais genéricas. Cquote2.png
Google sobre Astorga
Cquote1.png Nunca vi Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Astorga
Cquote1.png Nem eu Cquote2.png
Qualquer um sobre Astorga
Cquote1.png Astorrrrrrrrrga Cquote2.png
Habitante de Astorga sobre Astorga

Astorga é uma cidade do norte paranaense que seria completamente insignificante se nao fosse a cidade natal de chitaozinho e xororó.

Demografia

A populaçao da cidade se divide em:

50% de pessoas que fingem ser Cowboy(ou Cowgirl)
15% de pessoas que são cowboy(ou cowgirl) de verdade
15% de boyzinhos sustentados pelo pai
10% de wannabe manos ladroes de boné
5% de manos de verdade moradores do vitória régia
3% de emos metaleiros
2% de nerds revoltados leitores da desciclopédia

Cquote1.png somou 100%! Cquote2.png
Idiota sabichao sobre lista acima

História

Astorga é uma cidade nascida das mãos dos imigrantes ingleses da Companhia Pioramentos do Paraná, responsável pelo extermínio de populações indígenas, devastação de florestas e envio de riquezas para a Grã-Bretanha. Em 1945, os bravos exploradores, ao cruzarem a mata e chegarem a um território de 8 arqueires, hoje conhecido como Astorga, resolveram montar um barracão para descanso, já que estavam trabalhando sem descanso há dias, fundando cidades extremamente importantes para a economia, a cultura e o crescimento do Paraná, tais como Itambé, Colorado, Santa Fé e Iguaraçu. O terreno foi, aos poucos, sendo dividido em loteamentos que foram doados para ricas famílias fazendeiras, que, pelas leis da genética e da preservação da raça pura, acabaram por constituir a elite astorguense atual.

Com o ráááápido crescimento (até hoje), os ingleses resolveram dar um nome ao local. Em uma noite de bebedeira e farra ao redor de uma fogueira, eles giraram um globo terrestre e, onde o dedo de um deles parasse, seria o nome da cidade. Na primeira vez, o dedo pousou sobre o Oceano Atlântico. Na segunda vez, sobre Al-Mamlaka al-'Arabiya as-Sa'udiya. Como ninguém conseguia ler o nome, giraram o globo outra vez. Caiu no Oceano Atlântico novamente. Na quarta, caiu na cidade de Paris, mas como todo bom inglês odeia franceses, cuspiram no globo, chutaram e deram risadas. Eles já cogitavam nomear a localidade de Cu do Mundo (Ass of the World) ou Terra dos Ventos Desgraçados (Desgraceted Winds World), quando o jovem inglês jogador de futebol Willie Davis, que acompanhava o grupo de exploradores, deu a ideia de tentarem girar o globo mais uma vez, e onde parasse seria o nome da cidade, por mais idiota ou ridículo que o nome fosse. Foi nessa tentativa que o mais bêbado de todos, o russo Wladimir Babkov, girou o globo e repousou seu dedo sobre Astorga, cidade da Espanha. Como o acordo foi de aceitarem o nome por mais tosco ou feio fosse, ninguém reclamou. Ao fim da noite, todos beberam até cair e deixaram as garrafas espalhadas pelas vias, uma tradição até hoje preservada pela juventude astorguense nos fins de semana.

No começo, Astórrrrrrrrga era distrito de outra cidade fundamental para o Paraná: Arapongas (que recebera esse nome porque lá só tinha passarinho). Em 14 de novembro de 1951, nas vésperas do 15 de novembro (óbvio, animal), o então presidente do Brasil Getúlio Vargas quis incrementar seu governo populista com um grande acontecimento, e ordenou a criação do Município de Astorga. No desfile militar na capital federal, uma enorme bandeira de Astorga, desenhada especialmente por Cândido Portinari, foi exibida pelos cavaleiros da Independência. O que todos esconderam do presidente é que, pela burocracia, só conseguiram arrumar toda a papelada em dezembro de 1952, quando formalizaram a criação do referido município.

A pedido do presidente, o então jovem e desconhecido arquiteto Oscar Niemayer foi designado para elaborar o projeto arquitetônico da cidade. Assim nasceram os grandes monumentos de Astorga, como a Igreja da pracinha, a Prefeitura Municipal, e mais recentemente a Praça Chitãozinho e Xororó.


Após o estabelecimento do Município, a cidade passou por muitas transformações, como por exemplo a... bem... tem o... deixa pra lá.

O poder em Astorga é dividido entre as ricas famílias fazendeiras, desde a época da colonização inglesa. A cidade também é conhecida como Rainha da Amizade, pelo povo amistoso e porque todo mundo conhece todo mundo.


Geografia

Área 13,791 km² População 25.164 hab. est. IBGE/2009 Densidade 89056,4 hab./km² Altitude 1675 m Clima Subtropical Foda (segundo a classificação do Instituto Brasileiro de Meteorologia, clima caracterizado pelo Quente Pacarai e Ventoso Desúmido.

Astorga localiza-se no Nóóórrrrrte do Paraná. Sua localização é de difícil acesso. Por dar muito valor às suas raízes, prezervam-se, até hoje, as trilhas originais utilizadas pelos colonizadores ingleses em sua conquista de Astorga. Por isso, a rodovia que liga o munisítio à Maringá é uma verdaderia aventura, chamado de Caminho de Astorga, de pista única, cheia de curvas e sem acostamento. Algumas jardineiras da empresa de ônibus Garcia fazem o caminho de Astorga. Nelas, também chamadas "amarelinhas", se revive toda a emoção dos meios de transporte da década de vinte: após meia hora de fila para entrar na jardineira, os passaportes são charmosa e saudosamente picotados aos passageiros, os cobradores batem boca com quem embarca (relembrando um tempo de ausência de leis, ou quando tudo se resolvia no bate boca) e, o mais emocionante, a superlotação, na qual você pode viajar de pé apertado entre o povão ou espremido na porta. O caminho tem cerca de 40 km, mas, para que todos vislumbrem as lindas paisagens, os motoristas das Jardineiras Garcia dirigem a 20km/h, fazendo o percurso durar mais de uma hora.

Entre Astorga e Maringá, curiosamente se esconde um dos maiores mistérios da ciência. Nos arredores do povoado de Iguaraçú há uma área magneticamente energizada, na qual tempo e espaço desaparecem, e nenhum sinal de celular pega, não havendo comunicação possível com a civilização. Essa região é conhecida como o Triângulo das Bermudas Brasileiro.

Nas proximidades de Astorga também há povoados muito interessantes; há o Distrito de Tupinambá, tribo indígena canibal sem contato com a civilização, o Distrito de Santa Zélha, povoado que cultua a Santa Zelha Cardoso (ex ministra no Governo Collor) responsável por vários milagres na região, e o Distrito de Içara, outra tribo remanecsente da região.

Vida cultural

Astorga é conhecida por suas muitas opçoes de lazer e sua vida noturna agitada, entre as opçoes de lazer estão:


Festas: Acontecem todo eclipse lunar e passagem do cometa Halley, então fique atento.

Posto Central: Lugar para ficar sentado sem fazer nada enquanto bebe cerveja (mantendo a tradição d ejogar as garrafas na rua).

Shows de fim de ano: Costumam acontecer uma vez por ano.

Feira do produtor: Costumava atrair muitos maconheiros jovens, mas hoje está decadente

Yes Brazil: Único bar e casa noturna da região que treme enquanto os moço e as novilhas dançam. Também connhecido como "balança mas não cai". Única opção de lazer noturno.

Horto Florestal: ótimo lugar para mijar ou dar uma cagada na falta de banheiros e ouvir péssimas bandas de rock no namata bar, onde todo mundo curte por estar bebado

Casa do Papai Noel: uma vez por ano o Velho Noel visita Astorga. O que ninguém sabia é que ele cultiva a poligamia, colocando em cada cômodo da casa uma Mamãe Noel.

Rodeio:Há 20 anos que faliu e agora vem como sua meta alcançar Colorado.

Pontos turisticos

Vista aérea da Igreja Matriz de Astorga/PR


A igreja matriz é o cartao postal da cidade, muito famosa por ter o maior corredor da américa latina, ou nao. Tem também a praça Chitãozinho e Xororó ou Praça da Cirrose, em formato de violão, um ótimo lugar para passear com a família.