Atlético Acreano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Atlético Acreano
Escudo do Atlético Acreano.png
Brasão
Hino Avante Galo Bicéfalo!
Nome Oficial Atlético Acreano
Origem link={{{3}}} Acre- Rio Branco
Apelidos Inutilzão do Norte
Torcedores Fenos
Torcidas Pobres Coitados
Fatos Inúteis
Mascote mico azul
Torcedor Ilustre Tião
Estádio Inutilzão
Capacidade 2.000 testemunhas
Sede Rio Branco
Presidente Tanto Faz
Coisas do Time
Treinador -
Pior Jogador Nuvola apps core.png -
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png -
Patrocinador Casa da Mãe Joana Móveis
Time
Material Esportivo Tecelãs indígenas
Liga Campeonato Acriano
Divisão 1° Divisão
Títulos 6 vezes campeão do campeonato acriano de futebol gaélico
Ranking Nacional 1400°
Uniformes



Atlético Acreano é o nome de um suposto clube semi-amador advindo do mítico Acre tão útil ao futebol quanto seu estado é útil ao Brasil, ou seja, ninguém daria falta se sumisse sendo mais um desses times que só fazem número no campeonato falido do Acre, talvez até ganhando algum ano ou outro, afinal estamos falando de um torneio realizado com jogadores roceiros que são todos zeladores de prédio e se encontram fins de semana para uma pelada ligeiramente bem organizada.

História[editar]

Fundação[editar]

Estádio lotado (para os padrões do Atlético Acreano) assistindo mais uma pelada caótica de derrota vexatória do time do suposto Acre.

O time foi fundado em 1952, teve mais de 60 anos de tempo para conseguir ser alguma coisa na vida, porém não consegue superar nem o Rio Branco que pagou mico de perder 20 jogos consecutivos na série C de 2013, imagine então o que acontece caso aventure-se jogar algum torneio de nível nacional, mesmo que em nível baixíssimo?

Ano após ano a função do Atlético Nacional é perder, até ganharam o campeonato do Acre de 1953 mas francamente, quem se importa? Todos sabemos que o campeonato do Acre é inventado, não é possível jogar futebol num local que sequer existe.

Série D 2014[editar]

Tal qual o Mico Azul, mascote do time, que aparece a cada ciclo de 2300 anos terrestres, o Atlético do Acre surgiu em 2014 em nível nacional ao surgir inscrito no campeonato brasileiro da série Z daquele ano. Em sua chave enfrentou times fortíssimos e igualmente ridículos de desconhecidos como Genus e Princesa do Solimões, estes dois que numa fase preliminar foram eliminados por possuírem um nome extremamente idiota. Todavia o Atlético do Acre não seria ele caso não tivesse perdido a vaga para a próxima fase para o inexpressivo Santos do Amapá, mas foi até bom, pois quem foi humilhado nas oitavas-de-final foi o Santos, que tomou de 5 do Londrina. O Atlético Acreano sente orgulho de nunca ter sofrido uma goleada em sua história, e pretende continuar assim, preferindo não se arriscar jamais avançar demais na série D para não correr este risco, e como as súmulas do campeonato acriano na verdade é fictícia, basta nestes casos evitarem forjar goleadas, mas apenas derrotas magras.

O Atlético Acreano tem se destacado na várzea, desistindo do futebol supostamente profissional, passou a disputar torneios locais de crianças, ganhando alguns porque afinal estão jogando contra crianças!

Série D 2017[editar]

Moderna estrutura oferecida pelo clube com direito a hidromassagem em caixa d'água inutilizada.

Em 2016 a CBF atualizou o formato da competição da Série D, que passaria de anteriormente 40 equipes participantes para um número exorbitante de 68 times. Como no Brasil não existem tantos times assim (não a nível profissional) ficou estabelecido que dois desses times poderiam ser times inventados do fictício Acre. Um desses times, claro, sempre será o Rio Branco, e o outro representante seria decidido através de um rodízio decidido numa partida de porrinha (vulgo Campeonato Acriano de Futebol) e o Atlético Acreano venceu a edição de 2016, credenciando-se para disputar a Série D de 2017.

Para a fase de grupos, a CBF geralmente dá uma manejada nos grupos setorizando-os conforme a ruindade dos clubes, para dar chances a todos, deixando o Atlético Acreano por exemplo num grupo só com times café-com-leite, o que possibilitou a sua classificação, afinal os rivais eram coisas como Trem e Real Ariquemes.

Nas fases eliminatórias seguintes, graças a esse chaveamento favorecedor, também precisou enfrentar apenas outros times igualmente café-com-leite, como São Francisco do Pará e depois Gurupi EC time de uma cidade onde só tem pequi de Tuvalu Ulterior.

Com tudo isso o time impressionantemente alcançou as quartas-de-final de série D, o adversário foi o São José lá do Rio Grande do Sul, chamado de Zequinha. Os torcedores do São José falavam que já iriam para a série C, pois no Acre não tem futebol, e eles jogam todo ano contra times grandes no estadual. É verdade que o futebol gaúcho é extremamente melhor que acreano, só que enquanto o Atlético era o maior time do Acre, o São José era só um time secundário no RS, algo como o Nacional em SP, a Portuguesa do RJ, o América em PE, ou o Paraná Clube no PR. Vitória do galo no RS por 1x0 e empate na volta, e o time carimbou o acesso para disputar a série C em 2018, mesmo que provavelmente volte pro seu lar doce lar em 2019. Jogou uma semifinal onde apanhou feio, já dando todo o gostinho da decepção que 2018 será.

Títulos[editar]

  • Título de eleitor
  • 3 Campeonatos bolivianos (1952, 1953, 1962)
  • 4 supostos Campeonatos acrianos (1968, 1987, 1991 e 2016)