Ayumi Hamasaki

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Melhor.gif PERIGO: ESTE ARTIGO É SOBRE UMA FALSA GOSTOSA!

Ayumi Hamasaki usa e abusa de Photoshop, maquiagem e propaganda, faz lipo
com frequência, pode ter silicone nas tetas e botox na cara.

Mesmo assim, você ainda acha que ela é gostosa!


Papel-ricos2.jpg Gostou? Usei em Estocolmo no último inverno...

Este artigo é rico e seu autor só compra coisa chic. Seus advogados estão de olho em você, então não vandalize! Pobre? Tenho nojo de pobre, tudo o que tem é feito de prástico...

Vamos, meu bem, Bill Gates está à minha espera!


Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Ayumi Hamasaki.


Cquote1.png Tenho mais peito do que ela. Cquote2.png
Utada Hikaru sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Vendi mais do que ela. Cquote2.png
Ayumi Hamasaki sobre Hikaru Utada

Cquote1.png Lançando dois álbuns por ano é fácil, mas meu último álbum vendeu mais que os seus cinco últimos álbuns JUNTOS, queridinha... Cquote2.png
Utada Hikaru sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Eu dou melhor do que ela. Cquote2.png
Koda Kumi sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Sou MUITO mais popular que ela. Cquote2.png
Namie Amuro sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Eu vendo MUITO mais que ela. Cquote2.png
Ayumi Hamasaki sobre Namie Amuro

Cquote1.png E quem não? Sou a nova IT Girl, Ayumi já era. Cquote2.png
Kyary Pamyu Pamyu sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png DELZ'AYU VEIO PRA SALVAR O MUNDO! Cquote2.png
Qualquer Ayufan sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Vendi mais do que ela ano passado. Cquote2.png
Koda Kumi sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Vendi mais do que você todos os anos passados. Cquote2.png
Ayumi Hamasaki sobre Koda Kumi

Cquote1.png Ela ainda tem fãs? Cquote2.png
Qualquer um sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Ainda somos casados! Cquote2.png
Mannie sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Mas quem passa a vara sou eu! Cquote2.png
Maro sobre Mannie

Cquote1.png Daqui a pouco vai ter tantos ex-maridos quanto eu! Cquote2.png
Gretchen sobre Ayumi Hamasaki

Cquote1.png Copiou mais a Madonna que eu! Cquote2.png
Lady Gaga sobre Ayumi Hamasaki

Emblem-sound.svg.png Ayumi Hamasaki
Ayumi Hilton.jpg
Ayu, uma cantora versátil, versão Paris Hilton.
Nome Ayumi Hamasaki
Origem Fukuoka, Japão Bandeira do Japão Japão
Sexo Primeiro foi com um japa do pinto pequeno cujo nome ninguém mais lembra, depois com um gringo com pinto maior, no fim um outro japa com jeito de boiola
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Além da voz o seu corpinho...
Gênero J-POP
Influências Madonna
Nível de Habilidade Alto é a imperatriz do J-Pop! Tá caída, mas até baterem o recorde de vendas dela a coroa é dela!
Aparência Bonita, mas artificial
Plásticas São tantas que não vale a pena aborrecê-lo falando delas aqui.
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Fazer comprinhas no shopping, ir pro spa com as amiguinhas, sair com os seus cachorrinhos de raça nunca deixando de tirar fotos dessa atividades pra postar no Instagram no final. Você sabe... Coisas de madame...
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Max Matsuura (um produtor japa do pinto pequeno)
Ayumi Hamasaki: "E aí, o que achou da minha nova música?"; Hikaru Utada: "Você ainda canta, querida?"


Ayumi Hamasaki (浜崎あゆみ Hamasaki Ayumi) é uma cantora-atriz-compositora japonesa nascida em Maceió e que se mudou para o subúrbio de Tóquio aos quatorze anos para iniciar sua carreira no mundo do entretenimento pedófilo japonês.

Ayumi ou Ayu,como é conhecido pelos seus fãs miguxos japoneses, e será o apelido que usaremos aqui pra ser mais rápido de digitar porque somos Team Ayu (fan club oficial da Ayu) também, assim como Carla Perez,Maguila e Gyselle Soares abandonou a escola para se dedicar à profissão, tendo assim grande habilidade para escrever letras bem elaboradas, como as músicas do Latino e da Paris Hilton.

Tinha como "rival" Hikaru Utada, imitando Britney Spears x Christina Aguilera, porém, muito mais irrelevante, porque ninguém mais liga.


Ayu, uma cantora versátil II: versão rapper.

Carreira[editar]

Ayu é cantora e compositora, mas, como todo bom artista que quer ficar mais famoso e rico, investe em outras áreas. Trabalhou como atriz, vive posando de modelo por aí até produziu um single para um outro cantor da Avex. No quesito fama, deu certo até ela fazer 30 anos, hoje em dia Ayu é só a cantora dos gays e dos cornos arrependidos (já que no Japão não existe sertanejo universitário). Agora no quesito grana deu super certo! Hoje ela é uma das cantoras femininas (quando ressalta o sexo feminino no ranking é porque existem homens que ganham bem mais) mais ricas do mundo! E é a única japonesa do ranking, ou seja, é a cantora mais rica do Japão

Na música[editar]

Como todo artista japonês sem talento, seus primeiros passos na música começaram com uma música de hip hop, como qualquer periguete faz cantando o refrão pra um rapper, e o seu primeiro disco,com o sugestivo nome de NOTHING FROM NOTHING pelo selo Columbia do Japão, foi um enorme fracasso, que resultou na sua demissão.

Eis que Ayu conheceu um picareta chamado Max Matsuura e descolou um contrato na TrAveco Treco, sua atual gravadora e praticamente uma "É o Tchan" japonesa. Após várias tentativas, como os compactos com títulos geniais como "Pokemon Face", "TO BE (Famosa)" e "Boys & Girls", Ayumi lançou o seu primeiro álbum, "A Song for XX", que era uma merda, mas atingiu 1 milhão de cópias vendidas.

Ayu, uma cantora versátil III: versão chaveirinho da Gisele Bündchen.

Antes de lançar o seu primeiro disco, Ayu teve que ir estudar música em Nova Iorque para aprender a cantar. Não aprendeu muita coisa, mas segundo ela, a viagem serviu para fazê-la amadurecer, ficando tão vaca quanto a típica mulher norte-americana. Assim como as artistas brasileiras, Ayumi Hamasaki lançou um pacote de cds e dvds,se tornando uma artista de primeiro escalão na raça.
Depois, ficou sabendo que no Pará encontrava-se a toda-poderosa Musa do Metal e, sem pensar duas vezes, foi pra lá ver se ela aceitava ensiná-la a fazer suas técnicas vocais incríveis. Ayumi aprendeu tão bem a dar seus incríveis trinados agudíssimos capazes de ensurdecer um cão, que ensurdeceu-se a si mesma. Afinal, cantar como a Musa do Metal não é pra qualquer amadora.

Desde então, se tornou a cantora número 1 do Japão, sobretudo depois de ter assinado um contrato para estrelar os comerciais das câmeras digitais Lumix da Panasonic, que a projetou massivamente em todo país. Claro, isso sempre com uma criatividade incrível, onde ela assistia TV e fazia o clip exatamente igual ao que via, sendo sempre uma emoção nova para o fã tentar descobrir, quem era o artista copiado da vez.

Televisão[editar]

Assim como os artistas brasileiros, Ayumi tem tinha o seu programa televisivo no estilo talk-show onde tenta promover as suas colegas do selo picareta TrAvex, como a coreana Quão BoA e Tomiko Bus.
E assim como o programa televisivo de Carla Perez, com quem Ayumi tem muitas afinidades intelectuais, o talk-show de Ayu teve vida curta, não durando mais de dois anos.

Ayu, uma cantora versátil V: versão Alice (Resident Evil).

Internacional[editar]

As músicas de Ayu estão cada vez fazendo mais sucesso pela Ásia, onde ela consegue vender incrívelmente até 100 cópias de seu último álbum, que tem letras bastante melancólicas.

Ayu, uma cantora versátil IV: versão Avril Lavigne.

Alguns retardados fãs de Ayu no Brasil, geralmente otakus, miguxos, neojapas e emos pleiteiam a vinda dela ao Brasil, fato que poderá se viabilizar em vinte anos, caso a sua carreira continue decadente.

Estilo[editar]

Como todo artista da TrAveco Treco, Ayu se aventurou pelo RAP, pela dance music, pelo J-Pop tradicional de karaokê, pagode, axé, reggae, funk carioca e inúmeros jingles de comerciais, sempre de acordo com a sua voz de patinho de desenho animado.
Mas a principal característica de sua carreira musical é a sua imagem, que já pareceu com uma Gisele Bundchen em miniatura até Paris Hilton, Avril Lavigne, Britney Spears, Panic At The Disco, NX Zero, Madonna e Vera Verão.

Tradução de uma musica dela[editar]

Você está no telefone com a sua namorada Ela está chateada, está perdendo o tesão porque você chamou pelo nome de outra garota Ela não entende seu ritmo sexual como eu entendo

Eu estou no banheiro É uma típica noite de terça-feira Estou usando o tipo de brinquedinho Que ela não gosta Ela nunca vai entender seu ritmo sexual Como eu entendo

Mas ela usa fio dental e eu calcinha de vovó Ela é profissional e eu amadora Estou sonhando com o dia em que você vai acordar e se tocar Que eu sempre estive nua ao seu lado

Você não consegue ver Que eu sou aquela Que sabe tudo sobre sexo Ainda que pratique sozinha Então por que você não vê? Que você pertence à mim Você pertence à mim

Andando nas ruas Vejo você abaixando seu jeans descolado Não consigo entender como se urina em pé Andando no parque penso comigo mesma "Não deve ser fácil ..."

E você tem um "brinquedinho" Que deixa todas as meninas da cidade "acesas" Mas eu não vejo ele Desde que sua namorada assumiu o controle Você disse que ela te excita mais do que eu, Mas o que você está fazendo com uma puta como ela?

Ela usa sutiã e deixo ao natural Ela é profissional e eu amadora Estou sonhando com o dia em que você vai acordar e se tocar Que eu sempre estive nua ao seu lado

Se você pudesse ver Que eu sou aquela Que sabe tudo sobre sexo Ainda que pratique sozinha Então por que você não vê Que você pertence à mim

Transando com ela no quintal Todo esse tempo Como pode você não saber,baby Que você pertence à mim Você pertence à mim

Ah,eu me lembro quando você vinha dirigindo até minha casa No meio da noite Você fazia amor comigo para me animar Eu sei as suas posições favoritas me conte mais sobre suas fantasias me conte de que jeito você gosta para que eu poderei te satisfazê-lo

Se você pudesse ver Que eu sou aquela Que entende tudo sobre sexo Ainda que pratique sozinha Então por que você não vê Que você pertence à mim Você pertence à mim

Transando com ela no quintal Todo esse tempo Como pode voccê não saber,baby Que você pertence à mim Você pertence pertence à mim

Você pertence à mim Você já pensou nisso Talvez sim Você pertence à mim Você pertence à mim




Discografia[editar]

Ayumi Hamasaki tem uma porrada de álbuns, singles, compilações, álbuns de remixes e blá blá blá... durante muitos anos Ayu sempre estava no top das paradas de sucesso, só que hoje só os gays compram os seus álbuns, pois a popularidade de Ayu não é mais aquela de 2002 nos tempos de Duty.

Álbuns[editar]

  • A song for ×× (Uma noite com XXX)
KAWAII! Dá um medinho da Ayu de mulher de branco, mas ainda sim é Kawaii!

Foi o primeiro album da Ayu pela gravadora Avex Trax. A música título desse álbum é uma indiretona para o pai que conheceu a mãe de Ayu num Matsuri da vida. Os dois encheram a cara de saquê e conceberam a futura rainha do J-Pop. Mas o cara ao saber que a sua ficante estava grávida sumiu na vida. Hoje em dia ele chora muito no banho, pois, apesar da decadência, Ayu é uma das cantoras mais ricas do mundo! Mas na época, Ayu era só uma idol qualquer querendo entrar na carreira da música. Como Ayu nunca conheceu o seu pai e a mãe dela nem lembrava mais do nome do cara, Ayu se referiu a ele como "XX". A voz da Ayu, que ainda era uma mocinha, estava super fina!!! Coisa que os otakus pedófilos retardados do Japão sempre amaram, isso tudo somada a grande divulgação da Avex fez com que o álbum vendesse milhões!

Singles do álbum: Poker Face, YOU, Trust, For My Dear... e Depend on You

maldito cabelo comprido!

LOVEppears é o álbum que tem a música hino da Ayu, que diga-se de passagem, é chata pra caralho, Boys & Girls. Todo show da Ayu tem essa maldita música! A Ayu nem deve aguentar mais cantar Boys & Girls. Ela lança disco novo todo ano, mas sempre exigem que ela cante uma música de 1999! A propósito, as músicas mais manjadas da Ayu estão nesse álbum... Um detalhe interessantíssimo é que a Ayu estava sem camisa na capa (por isso vendeu mais do que o primeiro), mas aquele cabelão tingido de farmácia tapa o ouro!

Singles do álbum: Whatever, Love:Destiny, To Be, A (nome criativo!), Boys & Girls (a manjada das manjadas), appears (cuja capa também tem a Ayu sem camisa), Kanariya e Fly High

  • Duty (Dura)
Essa onça o Serjão Berranteiro não mata.
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...se acelerar a música Far Away na velocidade 1.7 fica um trance muito da hora melhor do que qualquer um dos remixes da música?

O álbum mais vendido da Ayu e também o mais emo de todos até chegar Love Songs. Possui a famosa (pelo menos entre o Team Ayu) Trilogia da Depressão: Vogue (não é aquela revista de perua), Far Away e SEASONS. Também tinha umas outras músicas que se você ouvir vai começar a chorar pra caralho! Mais sofrência que Duty só Homem Não Chora do Pablo do Arrocha e o LP da Sara Sonaya. Nem mesmo a discografia completa do Reginaldo Rossi era triste como Duty.

Singles do álbum: Vogue, Far Away, SEASONS, SURREAL e Audience (porque todo programa em que a Ayu aparecia naquela época disparava a audiência).

  • I am... (Sasha Fierce)
Ayu, uma cantora versátil: versão Mulher Samambaia

Um outro álbum cheio de músicas manjadas da Ayu. Um detalhe interessante é que a Ayu está vestida com uma roupa que o Pânico (na época ainda era da RedeTV) copiou pra fazer a Mulher Samambaia. A intenção era ser a mãe natureza e promover paz e amor para os americanos abalados com o atentado de 11 de Setembro, mas acabou promovendo apenas a punheta. Há quem diga que ela estava na verdade era promovendo a legalização da maconha.

Singles do álbum: basicamente todas as faixas do álbum! E na Zoropa tiveram 2 a mais porque o povo lá é chique e rico.

  • RAINBOW (PARADA GAY)
Poderia ser uma personagem de anime, mas é a Ayu brotando da água

O álbum que aproximou a Ayu do público gay, primeiro porque tinha a intro (só a intro, pois se você quisesse ouvir a música completa teria que comprar o álbum de compilação A BALLADS) de uma música cujo clipe tinha um beijo lésbico entre a Ayu é sua irmã gêmea. Segundo porque tinha um arco-íris de energia na capa. Diferente dos atuais, RAINBOW era um álbum de baladinhas que prestava. A faixa mais famosa de RAINBOW é Free & Easy, uma música muito boa, mas que tem uma capacidade incrível de deixar você surdo se estiver usando fones de ouvido, pois Ayu canta no começo a música sussurrando e depois grita com aquele instrumental intenso de igreja evangélica no calor do culto de domingo.

Singles do álbum:Free & Easy (a música que te mata de susto), H (de homossexual) e Voyage

  • MY STORY (O doce veneno do escorpião)
Ayu olhando pra você com desprezo. Porque você é pobre e pobreza pega!

Percebendo que Ayu estava fazendo muito sucesso, que todo álbum que ela lançava era top no ranking da Oricon (os ditadores de modinha no Japão), a Avex decidiu fazer com que a Ayu lançasse 4 versões para o mesmo álbum com capas diferentes, um CD + DVD, que tinha a capa mais bonitinha, um só DVD, outro só CD e ainda uma edição limitada. E apelaram mais ainda com a versão clássica de MY STORY, pra quem fosse cult demais para as músicas da Ayu. É um álbum com capa de patricinha, mas com tentativas de rock n' roll no conteúdo. Também tem o hino das cornas My Name's WOMEN, que fala sobre uma nerd rejeitada por um gostosão que fica gostosa e esnobe dele no final.

Singles do álbum: Moments, INSPIRE, RESPIRE, NÃO PIRE, CAROLINAS CAROLS

Ayu rindo da sua pobreza porque ficou milionária
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...a capa de (miss)understood teria a Ayu usando um batom vermelho. Só que quando ela foi posar sorrindo com orgulho perceberam que ela ficou muito mulher malvada em um nível Paola Bracho e botaram um gloss pra ela parecer mais boazinha.

É o álbum da Ayu morena. Um dos mais pesadões também, diferente do que sugere a capa fofinha. Na hora em que o seu micro system de 3 CDs da Panasonic começasse a ler o disco, você seria recebido com um "YA YA YA YA GA GA JA JA DA DA DA DA WOW WOW WOW WOW" (se você tiver ouvido o álbum vai ler isso cantando) que se repete várias vezes. Se trata da música Bold & Delicious que é a primeira música com batida do gueto. Porém, o maior sucesso foi STEP you, que era uma música que falava em pisar nas inimigas (Hikaru Utada, Namie Amuro, Kumi Koda e as idols retardadas que estavam em ascensão na época) e ser novamente a top no ranking da Oricon (o que realmente ocorreu).

Singles do álbum: STEP you/is this LOVE, Fairyland (continho de fadas...), HEAVEN, Bold & Delicious/Pride

  • Secret (Secreção)
Muinta luix e muinto brilho monamoreeesss!

O álbum mais alto astral do mundo, basicamente em todas as músicas Ayu canta com uma alegria que não existia nos dois álbuns anteriores. Provavelmente porque a Ayu tava mostrando o quanto ela era rica e ainda tava poderosa. Foi o primeiro album da Ayu que não vendeu nem um milhão, o início da decadência da cantora. Ayu ficou tão arrasada que ficou chorando durante uma madrugada inteira. Mas se animou quando vieram os discos de platina. Por outro lado o pessoal da Avex não se conformou até hoje, pois o clipe da música JEWEL foi o mais caro de todos, custou milhões de dólares pra ser feito pois queriam fazer jus ao nome "jóia", o retorno infelizmente não foi como o esperado. Mas uma coisa é certa, o clipe de JEWEL é um tapa na cara da Kondzilla que acha que faz clipe ostentação pros seu funkeiros de meia tigela com aqueles carros alugados.

Singles do álbum: Startin/Born To Be, BLUE BIRD (não é o tema do Naruto não)

  • GUILTY (GURIA)
Mostrando o sovaco pra alguém que esteja naquele deserto

Aqui a Ayu tentou ser roqueira, mas não conseguiu. Todo mundo sabe que o negócio dela é baladinha romântica. Um detalhe é que a voz da Ayu mudou drasticamente em algumas faixas aqui. Está bem mais grossa! Há quem diga que foi a irmã gêmea da Ayu (sabe, aquela que ela beijou em RAINBOW) que cantou nessas faixas. Há também quem diga que a Ayu apenas estava resfriada e sem tempo e gravou rouca mesmo. A primeira faixa: Mirror foi o cúmulo da pressa nesse álbum, parecia uma música amadora, Ayu mais gritava do que cantava e o áudio estava lagando mais do que os vídeos do Luan Gameplays. A coisa ficou tão ruim que Ayu regravou uma versão estendida de Mirror: Mirrorcle World, com áudio e melodia muito melhores, teve direito a fazer clipe em Paris porque ela é RYCA! Com isso acabou salvando a reputação de Mirror.

Singles do álbum: Glitter/fated, Talkin'2 Myself e Together When...

  • NEXT LEVEL (PRÓXIMO, POR FAVOR)
Ayu antes de passar chapinha.

Ayu foi ao Tomorrowland e se acabou. Curtiu tanto aquela vibe que queria que todos se acabassem também e com isso fez o NEXT LEVEL. Esse álbum, como sugere o nome, marcou uma nova fase que estava por vir na carreira da Ayu, o fracasso absoluto! Pra você ver como a coisa tava feia, o álbum vendeu só um pouco mais que meio milhão. É muita coisa, mas nada comparado a Duty que vendeu mais de 3 milhões de cópias! A Avex tentou promover a imagem da Ayu entre os otakus com a música Rule colocando ela como tema do filme DragonBall Evolution. Deu certo com dearest que foi tema de Inuyasha. Só que desta vez o tiro saiu pela culatra! Todos sabem o quanto aquele filme é ruim!

Singles do álbum: DAYS/GREEN e Rule/Sparkle

  • Rock'n'Roll Circus (Circo do Pancadão)
Ayu, uma cantora as vezes não tão versátil, mirou no Slash e acertou Chiaki

Outra tentativa da Ayu em ser roqueira, mas dessa vez adotou, além do J-Rock, um estilo britânico de fazer rock, por isso a capa do álbum tem um tema de bandeira do Reino Unido. Dessa vez ela conseguiu fazer rock de qualidade! Microphone foi o crème de la crème! Um rock que fazia qualquer um entrar em um estado que é complicado de explicar até para um estudante de humanas chapado. A parte ruim de Rock'n'Roll Circus é que tem muita baladinha, bem mais do que Rock que era a promessa do álbum, e uma música chamada Sexy Little Things (pequenas safadezas) cujo clipe é uma cópia descarada de Bad Romance da Lady Gaga, outra diva decadente, mas que na época era modinha. O clipe de Sexy Little Things uma tentativa desesperada de salvar sua carreira. Há quem diga que Ayu se vingou da Gaga que copiou e piorou a música Poker Face. Rock'n'Roll Circus também foi um álbum que agradou os gays por causa de Sexy Little Things e Lady Dynamite (que parece Um nome de Drag Queen!), cujo clipe se passa numa boate gay. Ayu só percebeu que deveria focar nos gays que nem a Madonna mais pra frente. Houve também uma dupla de músicas chamadas Sunrise ~LOVE is ALL~ e Sunset ~LOVE is ALL~... ah, sim as duas tem esse "~LOVE is ALL~". As músicas tinham a mesma levada, só mudou a letra o ritmo e o tom, mas eram basicamente gêmeas, a Avex chegou a dizer que era uma idéia nova e conceitual, mas na verdade era falta de criatividade e não dava pra entupir o álbum de interludes, se não era mais barato lançar EP mesmo.

Singles do álbum: Sunrise / Sunset ~LOVE is ALL~ e You Were... / BALLAD

  • Love songs (Canções de Ninar)
Japa e ruiva... a perfeição e a exoticidade seriam alcançados se não fosse apenas um filtro de Instagram

Depois de experimentar o Pop, o Rock e as músicas eletrônicas, Ayu percebeu que o negócio dela era baladas mesmo e voltou para os tempos de RAINBOW pra fazer o Love Songs. Só que 50% das músicas eram sobre o Mannie, um cara com quem ela, contrariando os conselhos da rainha Elsa, se casou depois de acabar de se conhecer e se divorciar meses depois. 30% das músicas eram interludes enormes pra encher linguiça, 19% eram muito chatas, e a única música boa mesmo era blossom. Em resumo: Love Songs foi um RAINBOW que deu errado.

Singles do álbum: MOON/blossom, crossroad e L (calma que não é o do Death Note, mas sim 50 em algarismos romanos, pois era o quinquagésimo single da Ayu! Essa mulher precisa dumas férias)

  • Party Queen (Rainha da Buatchy)
Ayu sensualizando pro Mannie ver o que ele perdeu.

Foi o álbum pós divórcio da Ayu que seduziu intensamente a comunidade LGBT, tanto que a faixa How Beautiful You Are virou hino da Parada Gay japonesa! Foi aí que a Ayu começou a ser a diva dos gays e se engajar com a causa LGBT (tô começando a achar que ela curte mesmo é ralar Bombril). Mas o mais importante é que a Ayu nunca fez uma capa de álbum tão ousada e sensual como esta em que ela aparece só de sutiã e calcinha. Poderia fazer isso mais vezes e salvaria sua carreira.

Singles do álbum: How Beautiful You Are

  • LOVE again (Canções de Ninar de novo)
Ayu, uma cantora versátil, versão ela mesma em Love songs

É só a fusão dos EPs LOVE e again. E a capa parece demais com a de Love Songs, só que menos laranja.

Singles do álbum: não teve singles.

  • Colours (outro álbum coloridinho)
Ayu, uma cantora versátil, versão garota propaganda do desodorante Dove

O álbum mais Gay da Ayu, pois todas as músicas são dignas de uma apresentação de uma Drag Queen numa Victoria Haus da vida em um sábado a noite. Diferente de Love Songs e boa parte de seus antecessores, é um album sem interludes. Apesar das vendas não serem lá aquelas coisas, você percebe que a Avex e a Ayu se empenharam novamente com o número maior de singles. Porque depois da vergonha que foi LOVE again a Avex decidiu acabar com a festa do Max Matsuura, que pelo jeito tava abandonando a Ayu percebendo sua decadência e fazendo corpo mole nos trabalhos dela, e colocar outros produtores pro álbum, todos eles gringos. A intenção era agradar o público gay e como gay gosta mais de coisa da gringa, chamaram os produtores estrangeiros.

Singles do álbum: Feel the Love, Merry-Go-Round, Terminal e XOXO (pra ver como a coisa tava feia, o próprio single era chamado de XOXO)

O álbum é tão chato que nem a Ayu tá aguentando ficar na capa dele

Outro álbum de baladinhas que por incrível que pareça conseguiu superar o LOVE again de tão chato! Percebendo que Ayu não rendia mais grana, Matsuura, como todo bom produtor, pulou fora e deixou a cantora com uma outra galera que não deu conta do recado. O curioso é que a Ayu cantou uma música da Hikaru Utada, a Movin' On Without You. Teria sido aquilo um acordo de paz? Ou Ayu só queria mostrar que sabia fazer melhor que a Hikki (apelidinho tosco da Hikaru Utada)? Um outro fato é que uma das músicas se chama No Future. Até a Ayu já havia perdido a esperança de que voltaria ao topo. O jeito era só focar na grana mesmo, que ela ainda tinha e ostentava. De modo que ela desencantou de lançar disco todo ano.

Singles do álbum: Movin' On Without You e Zutto.../Last Minute/Walk


  • Made in Japan (feito no JAPÃO, portanto parem de me chamar de chinesa)

Depois de tantos álbuns chatos de músicas de amor ou traição, e percebendo a sua decadência, Ayu fez Made in Japan. Que era uma crítica à cultura japonesa que impunha às mulheres serem santas e puras, e isso era tão grave que refletia nas cantoras. O conceito era lindo, mas as músicas eram chatas, com exceção de FLOWER que, junto com o single WE ARE THE QUEENS (que viria posteriormente), abriu ao Team Ayu uma pontinha de esperança para que Ayu voltasse aos tempos áureos de sua carreira. Ou seja, do I Am... até o GUILTY. A música era realmente boa. Há quem diga que a crítica era só pra criar uma imagem negativa das idols que acabaram com a carreira da Ayu.

Singles do álbum: outro álbum sem singles.

EPs[editar]

  • Nothing from Nothing (porra nenhuma)
  • Memorial Address (Não lembro do endereço)
  • FIVE (cinco, se você não sabe é porque andou faltando as aulas de inglês)
  • LOVE (Canções de Ninar, mas em menor quantidade)
  • again' (De novo, de novo, de novo)
  • Sixxxxxx (seissssss, com 6 x pra dar ênfase)