Bacteria

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Hdl-ldl.jpg Este artigo é relacionado à biologia.

Não estranhe se o artigo mencionar coisas como mitocôndria, partenogênese ou triglicérides.

Bactérias
Vendo assim parece até um monte de minhocas.
Vendo assim parece até um monte de minhocas.
Classificação científica
Domínio: Porcariota
Reino: Bactéria

Bacteria (que em latim se escreve sem acento, mas são as bactérias) é um reino de seres vivos minúsculos e insignificantes, a tal ponto que nem deveria ser considerada um ser vivo, e sim apenas um micróbio idiota. Sua inutilidade não pode ser medida, pois não existe uma régua adaptada para medir o milímetro do milímetro do milímetro. Mesmo se existisse ninguém veria a régua. Incrivelmente, bactérias podem sobreviver nos piores lugares do mundo, como a sua boca, seu intestino ou seu suvaco.

Só isso dá para formular uma ideia sobre a incrível resistência disso. Além dessas regiões de seu corpo, ela pode morar no lixão, no Pólo Sul, em vulcões; sem reclamar ou pedir para sair. Se bactéria fosse gente, passaria em todas as provas de resistência. Graças a um sistema reprodutr invejável pelos homens, existem (76×105487584) delas no universo.

Importância[editar]

Quer dizer, foi até aonde contaram, incluindo erros de matemática. Se as bactérias fossem um pouco mais pesadas, a massa de todas somada faria um portal para outra dimensão ou um buraco negro. As bactérias são muito importantes para o planeta, pois as doenças causadas por ela amenizam os efeitos causados pela superpopulação, além de exterminar noobs e emos.

Os corpos dos animais mortos se decompoem e viram adubo, contribuindo para o crescimento das plantas e vegetais e usado na fabricação de explosivos, ajudando nas guerras. Algumas bactérias são contratadas pelo seu corpo para digerir as porcarias engolidas por você, como chips, brócolis e a comida estragada esquecida dentro da geladeira, já que o organismo se recusa a fazer um trabalho nojento e pesado.

Origem e evolução[editar]

Antes de tudo, a única coisa que pode ser chamada se ser, mesmo não parecendo, era um pontinho que ganhou vida através de alguma fórmula mágica. Isso (não é ele) foi crescendo e crescendo até ganhar um milímetro do milímetro do... de comprimento. Como na época não tinha alguma forma insignificante de vida melhor, as bactérias realizaram o sonho de milhares de vilões: Dominar o mundo!

Isso está provado em relatos escritos descoberto por cientistas munidos de microscópios. Mas não eram bactérias comuns, porque elas eram mutantes (como acha que elas puderam dominar o mundo sendo como são hoje?). Esses micróbios antigos dominaram a terra por 500 milhões de anuos, até surgir algo melhor. Quem contou isso foram as próprias bactérias. Sim, elas vivem por muito tempo, a mais velha é testemunha do Big-Bang.

Um animal livre de bactérias.

A queda do reino bacteriano teve início quando alguns micro-organismos se deram conta de como sua formação é simples e ridícula. Esses fizeram uma técnica aonde seus corpos se reuniriam e se transformaram em um ser mais desenvolvido. Então começaram uma suruba entre si para formar mais seres, que se reproduziam, formando mais seres, até acabar com o reinado das bactérias.

Estas continuaram vivendo sem fazer porcaria nenhuma, apenas comendo e se multiplcando, assim não foi uma grande perda para elas. Mais algum [tempo] e nasceram bichos melhores, mas ainda as bactérias exisem. Um feito incrível. Elas ainda existem apenas porque elas vivem em lugares aonde ninguém consegue viver. Assim não tem bicho para incomodá-la, e sim ela que incomoda os outros.

Descoberta[editar]

Remédio usado para matar bactérias.

Existem bactérias que são boas para o nosso organismo, como os lactobacilos (aqueles que estao no yakult) e algumas tremendamente irritantes e inúteis (aquelas que estão no orkut).

A primeira pessoa que perdeu seu tempo descobrindo a existência das bactérias em vez de fazer algo melhor foi um cara que era obececado por limpeza. Certa vez examinava o tapete da sala de sua casa usando um microscópio para ver se havia alguma sujeira quando viu um negocinho minúsculo andando pelo tapete. Ficou traumatizado em ver a "sujeira", mas teve a ideia de vender sua descoberta para uns cientistas, que pagavam bem por essas descobertas inúteis.

Mas o negócio precisava de um nome maneiro (leia-se complicado) para ter sucesso entre os demais cientistas. Estudando línguas antigas, misturaram palavras gregas com romanas mais chinês mais uma dúzia de idiomas extintos até não dar para compreender. Surgiu a palavra bactéria, que tem o significado desconhecido nas línguas usadas para formular isso.

Com esse nome, a bactéria foi mas estudada por curiosos que não tinham nada de interessante para fazer, apenas observar um micróbio. Nessa rotina enjoativa, inventavam experiências esquisitas na esperança de dar algum resultado legal. Um mais corajoso engoliu o líquido aonde estavam guardadas as bactérias por engano. O seu colega havia prego nele uma peça, botando as bactérias no lugar do seu suco.

Dias depois ele morre, e a botaram a culpa na pobre bactéria. Quando o otário morreu, esqueceram que naquele liquido tinha formol, ácido sulfúrico, desinfetante mais outras coisas venenosas. Mas como a verdade não interessava, os caras não estavam se importando com isso. Mas logo depois descobriram que ele realmente morreu por doenças causadas por bactérias, para a sorte dos cientistas.

Doenças[editar]

Esquema mostrando o nascimento e o crescimento de cabelo numa bactéria.

Essa brilhante descoberta não mudou porcaria nenhuma no tratamento dos doentes. Não havia remédio nem dinheiro, porque o pouco restante era desviado para outros fins. Tudo acontece quando a bactéria vai morar no corpo da pessoa por não haver casa melhor. Dentro do azarado, ela resiste às condições desumanas da vida, pois esse é um péssimo lugar para morar. No intestino, por exemplo. É inacreditável o feito da bactéria sobreviver lá por motivos óbvios.

Uma perigosa bactéria.

Nesse ambiente ela convive com coisas muito nojentas, não citadas aqui para que frescos pessoas mais frágeis não vomitem no teclado. Como pouquíssimas pessoas possuem grana para comprar uma microcâmera que filma dentro do corpo, não se sabe que merda a bactéria faz para ferrar com o burro.

Em meio a protestos do Greenpeace, da WTF WWF e mais uma multidão furiosa de ONGs a favor da vida, do meio ambiente e outras baboseiras, que alegavam o extermínio de um ser como um atentado à natureza (?), desenvolveram um remédio capaz de matar bacterioides pintoides porra.

Alguns dias e a pessoa é curada, se não morrer antes. Esse remédio, além de acabar com as bactérias, também mata as células do corpo por ser idiota e não saber diferenciar célula de bactéria. Mas é melhor do que ficar deitado e esperar a morte vir enquanto assiste TV. Os remédios mais indicados para curar doenças são muitos. Alguns exemplos:

Todos foram aprovados pela Agência Nacional de Remédios.

Coisas úteis que fazem[editar]

A maioria das coisas que a bactéria faz são inúteis. Exceto a doença que transmitem, responsável por de jpkndhio atenuar os efeitos da superopulação no planeta. Tirando doenças, esse micróbio pode fazer outras coisas mais úteis. A maioria das bactérias produz um xixi muito ácido e corrosivo quando comem comida pesada. Esse xixi pode virar álcool e fazer bebidas. O procedimento é fácil. Coloca-se a bactéria para comer comida pesada.

Logo ela se sente apertada e vai mijar. Nesse momento, bota ela na futura bebida e pronto. Mas isso serve também para produzir queijos fedorentos. Esses não são muito usados para comer, e sim em conflitos como arma química capaz de neutralizar o oponente, uso aprovado pelo exército. Outro uso mais inútil é ficar parada em microscópios de laboratórios de escola para ser vista examinada por alunos desinteressados.

Veja também[editar]