Bahia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Este artigo fala sobre o estado da Bahia, para mais resultados experimente Bahia (desambiguação)
Nova Bandeira da Bahia-Desciclopédia.PNG Colé moral, essi negoçaqui é da terra do dendê. O tio qui feiz issáqui é cuncerteza baiano, intõ, sinhá disgraça de lá do sul da minha caceta, num méxi nas porra daqui nã, vu? Ô vô rumaladsgraça e inda chamo a barrêra pá ti pancá, seu comédia.


BahêêêÊÊAAaaa... Soninho bom...
Bandeira Ba BahêêêÊÊAAaaa... Soninho bom...
Bandeira
Brasão Ba BahêêêÊÊAAaaa... Soninho bom...
Brasão
Lema
Hino ACM meu amor
Gentílico Sossegado, Preguiçoso e eventualmente Baiano
Localização
[[Imagem:|280px|center|Localização Ba BahêêêÊÊAAaaa... Soninho bom...]]
Região Nordeste
Capital Salvador
Cidade mais importante
Estados limítrofes Quintal da Bahia, Bahia Independente, Baianos Despátriados, Aqueles de lá, Sei lá, Provincia Sertaneja, Pomba-Gira e Républica do Pão de Queijo
Governo
Governador
Partido
Características geográficas
Área
População preguiça de contar cada hab. '
Densidade d = \frac{ m }{ v }
Clima quente pra cacete
Indicadores
Analfabetismo O IBGE baiano estava de férias até a data de 22/02/2017
Mortalidade infantil O IBGE baiano estava de férias até a data de 22/02/2017
Expectativa de vida 500 anos (Preguiça de morrer) 22/02/2017
IDH Baixo, muito baixo! 22/02/2017
PIB R$ R$ 5,00 22/02/2017
0,0001%% do nacional
PIB per capita R$ Não houve declaração para Receita Federal desde 1/01/1823 à 22/02/2017

Cquote1.png Você quis dizer: ACMlândia Cquote2.png
Google sobre Bahia
Cquote1.png Você quis dizer: Anarquia Estudantil de Esquerda da Bahia Cquote2.png
Google sobre Bahia
Cquote1.png Cadê o Baiano? Cadê o baiano? Fala seu filho de uma puta, Fala! Fala! Cquote2.png
Cap. Nascimento sobre o Baiano
Cquote1.png Ó paí Ó Cquote2.png
baiano sobre Desciclopédia
Cquote1.png VO FALA SÓ MAIS UMA VEZ, CADE O BAIANO! Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Bahia
Cquote1.png A Bahia é o país mais bonito do Brasil Cquote2.png
Carla Perez sobre Bahia
Cquote1.png O baiano toca berimbau porque tem uma corda só, se tivesse mais não tocaria... Cquote2.png
Ex-Coordenador do curso de Medicina da UFBA explicando sua incompetência atestada no ENADE
Cquote1.png Tá na segunda divisão Cquote2.png
Torcedor do Vitória sobre Bahia
Cquote1.png É aquele time que subiu junto com o Fluminense no tapetão em 2000, não é? Cquote2.png
Qualquer torcedor brasileiro sobre Bahia
Cquote1.png Vocês sabiam que preguiça é Pecado, véi? Cquote2.png
brasiliense sobre baianos
Cquote1.png Tu num sabia que preguiça é Pecado não, macho? Cquote2.png
cearense sobre baianos
Cquote1.png Tu não sabes que preguiça é Pecado, tchê? Cquote2.png
gaúcho sobre baianos
Cquote1.png Uai, cês sabiam que preguiça é Pecado, sô? Cquote2.png
mineiro sobre baianos
Cquote1.png Vocês sabiam que preguiça é Pecado, mano? Cquote2.png
paulista sobre baianos
Cquote1.png Tu já não sabe que preguiça é Pecado, hômi? Cquote2.png
pernambucano sobre baianos
Cquote1.png Coé? Vocêishhhhhh sabiam que preguiça é pecado, merrmão? Cquote2.png
carioca sobre baianos
Cquote1.png Tú nón sapes que prequiça é pecato? Cquote2.png
Alemão do interior catarinense sobre baianos
Cquote1.png Vocês sabiam que preguiça é pecado? Cquote2.png
Qualquer um que não nasceu na Bahia sobre baianos
Cquote1.png Ô meu Rei... E você sabe que inveja também é pecado?? Cquote2.png
Um baiano sobre a frase acima
Cquote1.png Subilinhando: o baiano é lento, não preguiçoso - preguiçoso é VOCÊ! O que você está fazendo aqui à essa hora, não devia tá trabalhando ou estudando? Cquote2.png
baiano sobre qualquer um que diz que baiano é preguiçoso
Cquote1.png Baiano preguiçoso é o caralho!! Cquote2.png
Baiana Revoltada sobre a preguiça dos Baianos

A Bahia é uma província da Ditadura Democrática do Brasil, e como todos os estados desta pseudo-nação deveras tropical, foi palco de muitas irrelevantes voltas, revoltas e reviravoltas estoteantes que por sinal, explica categoricamente o porque é habitada por seres atônitos chamados involuntariamente de baianos que sempre estão aos meios bastante devagar, tontos e falando meio cantando, e com certa dificuldade de iniciativa, contrariando a sabedoria comum de que estão drogados, cansados ou que são um bando de preguiçosos. A Bahia, assim como Rio de Janeiro, acredita piamente que os costumes do seu povo é a raiz de toda cultura brasileira, e por isso, também são carinhosamente reconhecidos por muitos nordestinos como os "cariocas do nordeste".

Hino da Bahia

(Esta seção fica melhor com trilha sonora? Ouça a antiga versão do Hino da Bahia, [1])

Maria Quitéria, flagrada em cima do trio elétrico de Dôdo e Osmar dançando axé no Carnaval de 1882, comemorando a Independência da Bahia... Em pleno mês de julho.

Dois de Julho - Versão Nova
                                                           
Nasce o sol a 2 de julho
Tô aqui desde janeiro
É sinal de que na rede
Vô ficar, Vô ficar até dezembro!
                                                     
Nunca mais, Nunca mais os portugueses
Regerá, Regerá nossas ações
Com piadas não combinam
Brasileiros, Brasileiros corações.

Nunca mais, Nunca mais a pressa alheia
Apressará, Apressará nossas ações
A tal pressa não combina
Com baianos, com baianos corações.
A tal pressa não combina
Com baianos, com baianos corações.

Cresce, oh! Filho de minha alma
Pro baiano defender
O Brasil já tem jurado
Independência, Independência ou vô morrer.

Nunca mais, Nunca mais a pressa alheia
Apressará, Apressará nossas ações
A tal pressa não combina
Com baianos, com baianos corações.

Já podemos, Já podemos ir pra a rede
E beber, e beber água de côco
A Bahia não combina
Com trabalho, com trabalho jamais não.
A Bahia só combina
Com descanso e folião!!!

Salve, oh! Rei dos Coqueiros
Lindo Sol e Lindo Mar!
Nossa pátria é hoje livre
Não precisa, Não precisa trabalhar.

Nunca mais, Nunca mais trabalho ardúo
Só precisa, precisamos só pensar
Atividades braçais não combinam
Com baianos, com baianos corações.

Nunca mais, Nunca mais trabalho ardúo
Só precisa, precisamos só pensar
Que vivamos do turismo!
Na Bahia, alegrias e emoções!
Que vivamos do turismo!
Na Bahia, alegrias e emoções!

UHU!

História

Cquote1.png Ô meu Rei, tem até uma história, mas se eu fô te contá vai demorá muito... Mas vou lhe contá um resumo... Cquote2.png
Baiano na rede

Pré-História - Ou antes da desvelação portuguesa

A Pré-História Baiana foi um dos períodos mais louvavéis de sua cultura, os Tupinambás expulsam as tribos rivais da região e iniciou-se a paz, marcada pela invenção mais importante da cultura baiana: a sacra rede.

Em seus Feudos, os Caciques Tupinambás exploravam os camponeses num regime conhecido como vassalagem, os escravos brancos naufragos são forçados a trabalhar, casar com princesas e virar caciques. Surge Caramuru, que nesta época iaugurou a Fonte Nova como o Coliseu baiano, onde grandes miserês, piriguetes e lagartixas do Pagode Baiano, eram sacrificados em lutas meidúnicas contra gladiadores capoeristas.

Essa época também foi marcada pela inquisição, que levou à fogueira milhares de emos e góticos acusados de bruxaria e xamanismo.

Estórinha intermediária - ainda antes da desvelação portuguesa

Os franceses, espanhóis e principalmente bucaneiros e piratas indo pro Caribe chegavam trazendo para os índios espelhos, armas de fogo, cavalos, laptops, celulares e ipods, em troca de pau-brasil. Os piratas viviam tranquilos na penísula e nas ilhas banhadas pela Baía de Todos os Santos, hoje região de Salvador.

Lá sobre a proteção de Caramuru, poderam se manter longe das esquadras do Reino de Sua Majestade, que promoviam um "pega pra capar" na América Central. Como podemos observar, França, Espanha e Reino Unido já conhecia o lugar, mas não via nada que pudesse render lucro na exploração da região

Descobrimento da Preguiça, Ops... Bahia

Conta-se a história que a frota portuguesa liderada pelo navegante português, Pedro Alvares Cabral Umcascudo Nãofazmal, ficou a deriva em uma forte neblina durante vários dias. Cabral decedido a não ficar parado, pegou uma pequena embarcação a vela, mas batendo nas rochas, veio parar acidentalmente nas praias de Porto Seguro. Chegando lá percebeu que as naus não estavam tão longe da terra, apenas não podiam a ver. Foi então que teve a ideia de ir avisar seus companheiros, mas não sabia nadar. Nesse desespero encontrou um índio...
- Amigo, habitante deste paraíso, sei que não me conheces, vim de terras distantes... Nesta hora o índio interrompeu:
- Você é Português... É?
- Sim. Como sabes? Desculpe-me isso não me interessa agora... Bem, é que preciso de um favor seu.
- Um favor meu é?
- Sim. Sabe... Estavamos navegando há vários meses, e percebemos que estavamos perto de terras, mas nos acometeu uma terrivel neblina que nos impede de ver a praia. Bem, sem rodeios, eu cheguei aqui e não sei como avisar meus colegas...
- Oras, nadas até lá e fala com eles...
- Bem, aí é que tá, eu não sei nadar, e também, mesmo se soubesse, com todas essas roupas de peso poderia me afogar.
- Ah sei.
- Vejo que não tem esse problema, e por seres selvagem, digo, habitar um lugar tão... Natural deves ter tal habilidade.
- Onde quer chegar com isso?
- Poderias me ajudar a avisar meus amigos?
- E o que eu ganho em troca?
- Bem, eu represento o Império de Portugal, tenho poder para nomear territórios, e se me ajudar, caro amigo... Qual é seu nome?
- Báhngô, mas pode me chamar de Bah...
- Bah!? Interessante nome... Bem, antes que me escape em rodeios, prossigo meu raciocinio: eu nomearei está terra de Bah-Foi, em sua homenagem, porque quando precisei de ti, tu o fez...
- Ah é é...
- Sim.
- Tão longe, né? Olha sinhô, pode nomeiar de Bahia porque não vou nadar até lá não.

Colonização Portuguesa

O Brasil foi se colonizando aos poucos, nesse ritmo a Bahia se matém até hoje, por exemplo: apesar do Brasil ser descoberto em 1500, só foi em 1534 que se fundou a primeira cidade, São Salvador da Bahia de Todos os Santos, pelo primeiro ladrão governador do Brasil, Tomé de Souza.

Existiam vilas, mas os nobre lusitanos queriam um porto, mas devido aos "burocrateóricos" lusitanos dicutirem que uma vila não pode ter porto, tem quer ter título de "cidade" eles resolveram fazer uma nova cidade... Enquanto isso nobres navegantes portugueses eram servidos no jantar dos Tupinambás...

Invasão Holandesa

Cquote1.png Na Bahia, Salvador era invadida sozinha, não precisava de HOLANDÊS. Ou não... Cquote2.png
Baianos sobre a Invasão Holandesa, note a influência da Holanda na Retórica Baiana

A cidade do Salvador chegou a ser dominada pela Holanda entre os anus de 1624 à 1625, o que tornou a cidade uma Amsterdã das Américas. Houve grande investimento economico no turismo europeu, principalmente no turismo sexual. Com a fama dos bórdeis baianos correndo a europa, o Império de Portugal se sentiu chifrado, e revoltado, juntou-se com a Espanha para expulsar os Cafetões Holandeses.

Desdobramento

Os holandeses, cientes da fama dos portugueses pela europa de serem fujões pacíficos, e observando no litoral nordeste brasileiro a deslumbrante região da Bahia, resolveram criar uma Nova Holanda, e preparam então a Companhia Holandesa Independente das Índias Ocidentais (WIC) decidindo pelo ataque à então capital da colônia do Brasil, a cidade do Salvador, na Capitania da Bahia.

Desse modo, uma armada transportando um efetivo de cerca de 1.700 homens independentes sob o comando do almirante independente Jacob Willekens, em 10 de Maio de 1624, atacaram e conquistaram a Capital, aprisionando o governador-geral Diogo Furtado. O governo da cidade passou a ser exercido pelo independente fidalgo holandês Johan Van Dorth.

Durante o período em que Van Dorth esteve no poder, houve mudanças radicais na vida dos brasileiros e portugueses radicados na Bahia, entre elas, houve a legalização do consumo de maconha na região do Pelourinho, e criação de zonas de prostibúlo na cidade de Salvador

Em 1625 a Espanha enviou, como reforço, uma poderosa armada de cinquenta e dois navios, sob o comando de do marquês de Villanueva de Valduesa um cara irrelevante, sendo a maior esquadra enviada aos mares do Hemisfério Sul de todos os tempos - afinal de contas, o que fazer no Hemisfério Sul do planeta se só tem pobre? A famosa Jornada dos Vassalos, com quase quatorze mil homens que não tinham nada pra fazer e resolveram fazer nada num lugar distante. Essa expedição derrotou e expulsou os invasores holandeses a 1 de maio desse mesmo ano. Desesperados, os holandeses seguiram o Plano B, invadir lugar qualquer no Caribe, não dando metade subiu em direção a Nova Iorque e outra metade seguiu a Plano Z, invadir Pernambuco, porque ninguém ligava com aquela parte do Brasil...

Cquote1.png Vixe que vai ter pernambucano rétado cum issu... Cquote2.png
Baiano pondo fogo no regionalismo

Conjuração Baiana

Foi uma das poucas movimentações genúinamente populares da história do Brasil, onde baianos comuns reclamavam por uma Democracia, adotaram legítimos ideais iluministas, liam nas ruas livros de Voltaire, Rousseau e Montesquieu, pediam a proclamação de uma República e preparavam-se para trazer a Independência, com ânimos a le français de uma Revolução... Brincaderinha!

Ver artigo principal: Conjuração Baiana

Cquote1.png Sim, leitor, deu preguiça de escrever sobre isso... E além do mais é hora de tira a sexta ciesta do dia Cquote2.png
Editor, baiano

Independência da Bahia

A Independência do Brasil foi em 7 de setembro de 1822, mas os baianos, como sempre atrasados, demoraram para perceber. Foi quando, um mês depois, os baianos levantaram de suas redes, revoltados, e descansados, e quando um baiano se arréta, ele roda a baiana e sapéca iá iá... Os Baianistas se armaram e lutaram durante 10 meses, sem carnaval, e venceram os portugueses em 2 de julho de 1823, data que se comemora a Indepedência da Bahia, há uma micareta nesta data até hoje.

Batalha do Pirajá

Episódio interessante na história deste estado, por mais irrelevante que seja, porém muito engraçado... Nesta briga, baianos cansados, sofiram um enorme ataque das avassaladoras tropas da Infantaria de Cassadores do Império Português. Foi quando o comandante baiano deu a ordem ao lendário Corneteiro Lopes de tocar a "marcha de recuar" (debandar, fugir, vazar), cansado e com o racíocinio atrapalhado com os tiros de canhões e as cantorias de desespero, Lopes toca "cavalaria degolar"...

Ignorando completamente a total inexistência de uma cavalaria no exército baiano, e de que os baianos nunca usariam a mesma marcha da cavalaria portuguesa, os lusitanos correram, deixando suas posições para se defender dos Cavaleiros Fantasmas do Exército de Piriquitos (formada na certeza de cavaleiros-sem-cabeças montados em mulas-sem-cabeças), vendo está incrível demonstração de bravura dos portugueses, os pseudo-militares baianos sacaram suas baionetas e fizeram a Primeira Lavagem de Pirajá. Em homenagem a este campo de batalha, criaram uma Estação de Ônibus... Nada mais original impossível para comemorar esta vitória épica!

Outras revoltas

Depois da guerra com os ânimos exaltados como nunca dantes na história deste pais, os baianos exegiram mais autonomia e destaque, como a resposta foi negativa eles organizaram levantes armados que foram ligeiramente sufocados pelo governo central. O governo federal se encarregou de fazer propaganda para desistimular o povo, entre as táticas e técnicas especiais de desistimulo: degolas no centro da cidade e uso extensivo das forças armadas...

Em 1834, com a vinda de Talibãs afegãos houve a Revolta dos Malês em que escravos africanos mulçumanos tentaram tomar o poder do Brasil e fundar uma República Islâmica Teocrática, tipo um Irã no Brasil. Foi sufocada pela Polícia Militar de Caatinga, a CPAC, que estava sob o comando do bando de cangaceiros e jagunços de ACM às ordens do governo brasileiro criada especialmente para estabilizar a Bahia, eles detonaram os escravos em combates sanguinários de pexeira.

Com a República ocorreram outros incidentes políticos importantes, como a Guerra de Canudos, que começou quando houve um embargo econômico à Bahia para importação de canudos. Os baianos revoltados por não poder beber àgua de côco direto do côco - tendo que se dar ao trabalho de abrir o côco e derramar num copo - se armaram contra o governo exigindo a nacionalização do produto.

E também o bombardeio de Salvador, em 1912 que aconteceu ninguém sabe o por quê, talvez incompetência da Marinha que não sabia limpar os canhões de forma menos dramática... A Bahia contribuiu ativamente para a história brasileira , e muitos expoentes baianos constituem nomes de rede na área da política, cultura e ciência do país (com grande ênfase no rede).

Geografia

Cquote1.png Ô Professor, essa é a Bahia ou o Brasil? Cquote2.png
Aluno na aula de geografia sobre a estranha semelhança no mapa

A Bahia é o 5o estado do país em extensão territorial e equivale a 100% da área total do Nordeste Brasileiro, pelo menos em São Paulo, onde via de regra todo nordestino é baiano. Da área de 70% encontram-se no Deserto do Saara e 10% faz parte do Polígono da Maconha, enquanto o litoral sendo o maior maior do Brasil, mede 1.183 quilômetros, que você vê nas propagandas turísticas é menos 0,099% do estado... Básicamente, a Bahia divide-se em:

  • O que você vê na propaganda,
  • O que você NÃO vê na propaganda.

Geral: Relevo, Litoral...

As baianas tem belas curvas mesmo... Ô! Não é esse o assunto? Desculpe, desculpe, o relevo é caracterizado pela presença de planícies, planaltos, planbaixos, depressões e festas. O ponto mais alto é representado pelo Pico do Barbado, situado na Serra do Guarda Mor, próximo a Catolés, com cerca de 2.080 metros - enquanto o mais baixo é situado no Buraco do Pelado, situado no Vale do Menor Ladino, próximo a Léscato, com cerca de 2.080 metros a baixo do nível do mar.

Os chapadões e as chapadas presentes no relevo mostram que a Erosão, famosa artesã baiana, trabalhou em busca de formas tabulares, com espatula e martelinho, financiada diretamente pelos progamas de incentivo fiscal e estudantes de Geologia e a Escola de Artes Primitivas da UFBA.

Os planaltos ocupam quase todo o estado, por onde cruzam rios (ou cruzavam?) vindos da Chapada Diamantina que é um relevo relevante (trocadalho do carilho!) para o turismo do estado. A própria Chapada Diamantina tem formato tabular, tipo cabeça de nordestino, marcando seus limites a norte e a leste. Também no planalto baiano, inclui-se o semi-árido, que não aparece nas propagandas do estado, famosa pela abençoada densidade pluviométrica, e os índices maravilhosos de mortes por desidratação. Foi classificado pelo Guia de Sobrevivência Básica das forças especiais britânincas (referência mundial em sobrevivência) como um dos 100 Lugares do Mundo em Que Você Provavélmente Não Deve Estar.

As planícies estão situadas na região litorânea, onde você vê na propaganda as praias lindas e um monte de celebridade futil sendo fotografada por papparazzis mais infelizes ainda. A altitude ali não ultrapassa o nível do mar, sendo que numa tsunami, possivelmente está parte do estado some... Ali, surgem praias, dunas, pântanos, é pântanos, mangues, cheios de carangueijos famintos por carne humana...

Quanto mais se anda rumo ao interior, mais surgem terrenos com solos relativamente férteis, onde aparecem colinas que se estendem até o oceano - óbviamente, são só relativamente férteis, só relativamente, isso é relativo a: imaginação fértil (de onde Jorge Amado colheu suas ideias para escrever livros pornochaxentos). Nesta região nota-se também, o Recôncavo baiano, cuja superfície apresenta solo variado, sendo muito pouco fértil em algumas áreas, enquanto em outras a fertilidade é favorecida pela presença do solo massapê afro-decendente.

O litoral possui famosas e belas praias, como a praia de Itapuã, que ninguém na terra sabe se é Itapuam, Itapuã, Itapoã ou Itapoam, que diversas vezes homenageada em músicas e poesias. Outras praias destacadas se encontram na região de Ilhéus, onde a umidade é maior do que qualquer outro lugar do planeta... Ah! E também as praias particulares da Costa do Sauipe, que nenhum baiano comum ousou adentrar a não ser depois de fazer muito sucesso sobre o trio elétrico no Caranval...

Clima

A Bahia no senso comum no Sul e Sudeste

O clima da Bahia é sempre alegre, descontraído, festeiro e quente, muito quente, e de extremo tesão extrema tensão... O clima da Bahia pode ser completamente compreendido como um clima de São João. Enquanto nas cidades litorâneas prevalece o "Ó o Sol! Ó a Chuva!", no interior prevalece o clima Asa Branca "Quando olhei a terra ardendo...".

Vegetação

Vária muito entre coqueiros e grama no litoral e cactos e terra rachada no interior. Possui três tipos variados de vegetação, sendo a caatinga, quente como o inferno, predominante sobre a mata atlântica, muito calor, e o cerrado, o frio noturno soturno! Os índices pluviométricos na Bahia são bastantes generosos, podendo não chegar aos 500 milímetros anuais na região de caatinga e 0,2100 mm no litoral.

Hidrografia

O principal rio é ou era o Rio São Francisco, que hoje se tornou uma importante via de bsicletas, que corta o estado na direção sul-norte. Com importância sinônima para literatura mitológica, os floclóricos rios Paraguaçu e o de Contas que somam-se os rios Jequitinhonha, Itapicuru, Capivari, entre outros que sobrevivem aos contos e prendas transmitidas na tradição via oral, sendo que nunca foram encontrados nem por meio de Google Earth.

Demografia

A população baiana se divide em 5% sóteropolitanos (ou salvadorenhos), 20% tabaréus (interioranos) e 75% caatingueiros, mas no carnaval á um acrécissimo de 40% de turistas do sul e sudeste do país e 20% de estrangeiros. As especificações do ser baiano podem ser vistas no artigo Baianismo.

Principais Atividades e Economia

Carnaval a principal atividade econômica do estado.

A Bahia é o mais rico estado do nordeste, o que não é lá muita coisa, e é o estado que mais explora o turismo da região, seguido pela Républica dos Comediantes e pelos Baianos Despátriados, este último com quem mantém uma calorosa rivalidade por parte deles, pois os baianos são muito preguiçosos para se digladiar em debates regionalistas. A produção na Bahia se destaca principalmente no Turismo, na Música, na Propaganda, no Funcionalismo Público e um monte de outro...

Música

O principal destaque da economia baiana após o turismo em si, é a exportação de bandas de axé, seguida por dinossauros da MPB, pagode partido-baixo, entre outros. Só durante o carnaval nacional, no mês de fevereiro, se obtêm 50% da receita anual do estado, sem contar com os lucros vindos dos direitos autorais de compositores do estado que sozinhos detém 60% da produção musical (musical?) do país. Obviamente, há uma grande discussão intelectual da legitimidade do uso da palavra música em referência a zueira que os baianos fazem, só que na falta de um adjetivo melhor...

Cquote1.png Baiano fala cantando, meu fio tu já esqueceu, ééé? Cquote2.png
Baiano sobre sobre a dúvida

Turismo

Baianos trabalhando... Uma cena comum na oficinas de teatro a céu aberto. Uma verdade da Desciclopédia.

O calendário baiano é atípico, enquanto no Brasil todos estão comemorando o Carnaval, os baianos trabalham - a la cigarra - e depois, quando todo Brasil volta a trabalhar, a maioria dos baianos tiram folga. Vale ressaltar que a principal atividade mesmo na Bahia é o carnaval e as denominadas "micaretas" que até que são parecidas com o carnaval.

Atenção: Você está preste a conhecer um dos maiores segredos do Estado da Bahia, e certamente você não vai acreditar, pelo fato mais óbvio de que isso estar escrito aqui na Descilopédia e você ser um filho de piriguete fã da Wikipédia

Os baianos são grandes especialistas em explorar o turismo do seu estado, por exemplo, o mito da preguiça do baiano. A Mitológica Malemolência Baiana é uma grande estratégia de marketing do Governo da Bahia para atrair pessoas verdadeiramente preguiçosas de outros estados. Nessa estratégia de marketing, o Governo da Bahia criou oficinas de teatro dentro dos pontos turísticos da cidade onde atores simulam ser baianos preguiçosos 24 horas por dia (criando assim o ambiente dos sonhos de todo paulista neurótico, carioca festeiro e principalmente mineiro, que são carinhosamente chamados de "baianos cansados" nesse estado gentil). Essas oficinas estão localizadas em quase todos os cartões-postais da Bahia, e de lá saíram grandes atores como: Lázaro Ramos, Vladmir Bicha e Wagner Moura.

Sub-Setores do Turismo na Bahia

Ainda ligado ao turismo e a música (qualquer coisa na Bahia tem algo conectado a música, afinal de contas baianos falam cantando, meu fio) se destaca o ramo da:

  • "pose para fotos com roupas típicas da cultura baiana para turistas gringos cheios da grana" que contribui com grande parte da economia do estado, seguido de perto pelo:
  • "empréstimo involuntário de turistas ótarios que dão mole no Pelourinho, Farol da Barra e/ou nas praias, e perdem carteiras, relógios, câmeras fotográficas, a virgindade e etc..."

Exportação

Quase que no mesmo plano da economia se destaca (Que?) pelas contribuições das exportações do estado, entre os principais produtos está o próprio baiano que por um fenômeno, objeto de estudo de muitos pesquisadores, todos os baianos migram em alguma parte de sua vida para qualquer lugar. Também se inclui a exportação de redes no Sudeste brasileiro, shows de Ivete Sangalo, Babado Novo, Chiclete com Banana, ASA, Netinho... E de outros pesudo-intelectuais da música, ou não, como: Caetano Veloso (?), Gilberto Gil (WTF), Tom Zé, João Gilberto...


Cquote1.png Poha, rápaiz... Tu falou desses corôa aí. Eu cunheçu a Ivete, a Claudinha, o Chiclete, o Durval, o Netinho, mas esses corôas awê, Caetano, Gil e Tom Zé, sei quem é não, meu rey... Cquote2.png
Estudante da capital baiana sobre a admiração dos jovens soteropolitanos pelos grandes nomes da MPB da Bahia

Funcionalismo Público

Na Bahia tudo é automatizado e evoluído. Ninguém precisa trabalhar. Toda a renda é gerada a partir do consumo de seus dois milhões de funcionários públicos, (quantidade bem maior que de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro juntas), da qual estes funcionários tem poucos direitos. Os funcionários públicos na Bahia não tem direito a nada, exceto à casa, plano de saúde, passagem de graça, não trabalhar na sexta-feira, fazer outras maracutaias durante o horário de expediente, ir para o motel com a amante, além de ganhar suborno para informar licitações.

Grande mola propulsora da economia regional – Setor da Saúde

Bebê baiano. Quando nasce um baiano algumas medidas tradicionais são tomadas nos hospitais...

Não sei que porra que baiano faz, mas vai toda semana ao médico. A classe dos Milionários da Bahia (Médicos - nenhum anda a pé) é a classe que atura uma cambada de baiano inventando doença. Todo baiano que se preze tem que ir toda semana a alguma clínica ou hospital para ser atendido. Toda semana um baiano marca uma consulta com um médico. Como são 10.000 médicos na Bahia dividido pela população de 12 milhões de habitantes isto dá uma média de 12.000 consultas por ano por habitante. Como cada médico cobra em média cem reais para atender um baiano por 5 minutos você imagina quanto ganha um médico lá. Quando o caso é mais grave como atropelo, balaço na cara, facada no bucho, os baianos costumam ir até o HGE. Lá eles são confortados espiritualmente pelos que já estão partindo com gritos e choros de desespero. O HGE é o maior açougue a céu aberto do mundo reconhecido pelo Guiness Book.

Setores do Sub-Mundo Baiano

A temida COE, é quase um BOPE só que treinam mais... capitou? Treinam mais... Deixa pra lá...

Outro ramo da economia que se destaca no estado é os provenientes de assaltos á bancos, principalmente de bandos profissionais, inspirados no Virgulino, Rei do Cangaço, que é divido no primeiro semestre no interior do estado e no segundo na capital, Salvador, desdobrando assim os trabalhos do Centro de Operações Especiais da Policia Civil, e as várias unidades táticas especiais da PM espalhadas pelo estado, principalmente a Companhia de Operações Especiais, estás duas unidades que resolveram por um motivo original ostentar a mesma sigla COE – ou seria preguiça?

A corrupção também é um importante econômico do estado, podemos listar as contribuições do dinheiro proveniente de mensalões e sanguessugas (ver: PT) ; de laranjas vítimas da corrupção (ver: DEMO); fazendas fantasmas de políticos mal afamados; venda de gado fantasma há 100 anos sem aftosa; roubo de cargas de caminhão (Essa você não viu); assassinatos profissionais (Essa também é novidade).

A Invasão dos Baianos

O herói nacional. Senhor do Bomfim da Cabeça Branca, homenageado com uma famosa igreja barroca em Salvador que destribui fitinhas

Depois da Independência da Bahia - que ocorreu um ano depois da Independência do Brasil - Os baianos começaram a ser alvo de piadas sobre Preguiça, Lerdeza e de pertencerem ao Lado afro-descendente da Força. Com o reforço da propaganda do governo, muitos baianos trabalhadores (15% da população), decidiram sair para outros estados para poder provar que na Bahia não há preguiçosos - somente desempregados demais... Resultado... Bem, não adiantou porra nenhuma, o Governo da Bahia já havia começado a fazer propaganda por todo o Brasil, fato que podemos observar o quão dificl é levar Industrias para esse Estado. Atualmente a Bahia continua sendo o Estado do Desemprego (se ainda não acredita clica no link), o que contribui para que se preserve a ideia de que todo Baiano é Preguiço e Lerdo. O que não é verdade, já que sabemos que o Baiano só é Lerdo quando trabalha e que Tony Kanan (ver: Aquele site pouco confiavél chamado Wikipédia) ganhou a Formúla Indy (corrida de tartarugas, muito popular nos Estados em Eleição da América).

...Voltando a porra do assunto: os baianos costumam, na maior parte de seu tempo trabalhar que nem um cúti, embora eu não saiba o que é um cuti. Além disso estes nobres seres costumam louvar à Senhor do Bomfim da Cabeça Branca.

Bandeira

A bandeira da Bahia originalmente tinha 4 listras vermelhas representando as mortes do povo baiano na guerra da Independência, 4 brancas representando a nossa vida mansa e pacífica, um quadrado azul no canto esquerdo que representa o nosso céu, e uma estrela branca no meio que nos representa como uma unidade da federação do Brasil.

Era um mistura da bandeira do Texas e dos EUA, porque nós tinhamos preguiça muito trabalho para ter que pensar numa outra bandeira, afinal estavamos na Guerra da Independência da Bahia, então decidimos plagiar se inspirar nestas duas bandeiras.

Quando o projeto foi entregue as costureiras baianas por Mária Quitéria no dia 3 de julho 1823, já atrasada para entrega, as costureiras então com preguiça simplificaram o design. Em resumo: um quadrado azul no alto no lado esquerdo, um triângulo branco, duas listras vermelhas e duas brancas.

Com o ínico do período ACM, a bandeira trocou o tirangulo que remetia ao passado revolucionário do estado pela foto oficial do de cujo. E mais recentemente, a bandeira foi novamente restilizada por estudantes da UFBA, para combinar com a situação Revolucionária! Viva a Che Guevara! Viva a Cachaça!

Evolução da Bandeira durante a história

Culinária

Os principais pratos integrantes da culinária baiana são sempre regados com muito azeite de dendê e pimenta africana, dentre os quais podemos citar:


O famoso Acarajé, um manjar baiano que é comido em ocasiões festivas - todo dia
  • Acarajé - dizem os nativos que a acarajé é um manjar, enérgico e estimulante, motivo o qual os baianos são tão agitados, porém os médicos dizem que é um bomba cardiaca e comê-lo é desejar a morte ou no mínimo um infarto fulminate imediato.
  • Abará - outra oxítona com propriedades diarréicas.
  • Vatapá - É feito com fezes de recém-nascido, pelo menos é o que me parece.
  • Caruru - É feito com catarro de criança e baba de véia.
  • Palma - Um tipo de cactus proveniente do agreste acriano trazido por Baianos moradores da região
  • calango - Iguaria proveniente da carne de répteis típicos da região.
  • Rapadura - Motivo pelo qual muitos dos baianos não tem algum dente.

Existem outros 1.901 pratos típicos da Bahia que não dariam para descrever aqui, se o que você procura não é um desse aí de cima, vá tomá NUKU.

Violência

Policia

Como todo o Brasil a Bahia, como se vê, é violenta, mas com a recente revolta anarquista, porém durante muito tempo, o estado viveu como no ideal das aulas de Direito e de Ciência Política com a violência na prática sendo monopólio do estado.

CPAC, os PM da Caatinga matendo a tradição de Lampião só que da polícia

As unidades policiais mais temidas do estado são: A Choque e suas sub-unidades (ROTAMO, Anti-Tulmuto, Eventos Especias... Sim, Eventos Especiais, não se engane com o nome) que tem como missão institucional bater em meliantes e por cosequente estudantes pela semelhança semântica entre as duas palavras; A COE, A Companhia de Operações Especiais, que por algum motivo obscuro divide a mesma sigla com a "COE da Civil", que por um motivo mais soturno ainda todo baiano teme, chamado de "Caveiras", alcunha mais que desgastada no ramo militar, que não faz muito serviço e por isso está sempre treinando, com a lógica inversa válida também, está em treino e por isso está sempre sem serviço... E a "As de Caatinga" com ênfase especial à CPAC (Companhia de Polícia de Ações em Caatinga) - Muito conhecida pela população da capital, quando estão "trabalhando" (Diga-se, espancando e matando) no carnaval. Com mais ou menos 3 batalhões de elite -, os policiais que usam uniformes com camuflagem a "la Marine's" e usam uma peixeira de meio metro ao lado da cintura, que se encontram invariavelmente irritados, ou retádos como gostam de falar, e assustam até a própria sombra. São encontrados geralmente batendo em elementos "suspeitos" como: eu, você, a irmã da igreja, seu cachorro, e sua vó mafiosa.

Relação das unidade especiais da polícia baiana

  • Companhia de Polícia de Ações em Caatinga da Polícia Militar
  • Companhia de Ações Especiais no Sudoeste e Gerais da Polícia Militar
  • Centro de Operações Especiais da Polícia Civil
  • Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar
  • RONDESP da Polícia Militar
  • ROTAMO também da Polícia Militar

Vídeos


Bandidagem

Polícia Militar Baiana... Dormiu no ponto.

Com a revolta anarquista, a polícia perdeu muita autonomia, e muito respeito. Não, não é culpa do governo, do PT, nem mesmo dos estudantes. Acredita-se que com a morte de ACM os bandidos tiveram liberdade para poder desafiar o Estado.

A cidade de Salvador atualmente tem um crime muito organizado com a ajuda da Polícia Militar. Atualmente por exemplo, todo a avenida atlântica tem zonas de assalto pré-determinadas, cada bando de ladrões tomam conta do espaço de um ponto de ônibus ao outro. Para não haver problemas graves, os ladrões estão uniformizados com bermudas, camisetas regatas ou manga curta e bonés de aba reta, armas são opicionais, alguns grupos agem em números de 4/1, outros em duplas armadas com facas ou em ação individual de revolver. Todos os assaltantes estão cadastrados nas delegaciais respectivas...

No interior, cidades como Vitória da Conquista oferecem ótimos pacotes turísticos para fugitivos do Rio de Janeiro e São Paulo, onde podem descansar e viver tranquilamente uma vida normal, liderando o crime de seus estados temporariamente, única advertência fica para que eles se mantenham discretos, afinal de contas, na região de cerrado, sertão e caatinga, a CPAC da PM e sua unidade regional a CAESG (Companhia de Ações Especiais do Sudoeste e Gerais), campeã baiana de participação no Panameriacano do Rio de Janeiro com aproveitamento de 25 dos 100 policiais da unidade se classificando para seleção oficial da Força Nacional de Segurança Pública, mantém um famoso esquadrão produção em escala "de cujos" atuando.

Calendário

Dia Oficial do Carnaval na Bahia 1 de Janeiro e finaliza em 31 de Dezembro do ano!!

  • Janeiro - Carnaval.
  • Fevereiro - Festa de Iemanjá e Carnaval.
  • Março - Cura da ressaca do carnaval
  • Abril - Festival de verão da bahia.
  • Maio - Show da Ivete Sem galo.
  • Junho - Carnaval.
  • Julho - Mês do Raul Seixas.
  • Agosto - Carnaval fora de época
  • Setembro - Show do Luciano Hulck Huck.
  • Outubro - Descansar na rede
  • Novembro - Comer acarajé na rede
  • Dezembro - Preparação para o Carnaval do ano seguinte e Férias e Natal.


Cultura

Cquote1.png Êita que preguiça de escrever isso... Ô minino ajuda! Cquote2.png
Autor sobre essa parte

A Baianidade está escrita em tantos versos de música... Que tal vistar o artigo principal?

Política

O trânsito na Bahia costuma ser baianado, ainda mais quando a baiana pega no volante

Sua história recente no cenário político foi marcada definitivamente após um pequeno baianinho estudante de medicina, num ritual ecumênico com Chico Xavier num terreiro de macumba ter encarnado o espiríto de Maquiavel, que após 48 horas relutantes conseguiu sair, sem antes danificar permanentemente a personalidade do garoto, o tornando o Imperador da Bahia de Todos os Santos, Orixás e Demônios, este, o dito cujo, Toninho Malvadeza, vulgo Antônio Carlos Magalhães. Porém, ao contrário de todas as expectativas que imaginava a sabedoria popular de séculos da população, não o revestiu da imortalidade, e terminou que este descendeu ao Quinto dos Infernos para reclamar o trono do Belzebu junto com Lampião e Hittler. Com a morte de ACM, as forças obscuras e revolucionárias da esquerda anarquista estudantil, tomaram o poder com o apoio dos petistas fundamentalistas inimigos do "Grande Demo", e o estado encontra-se sobre o julgo do amigo do Lula, não menos bêbado, Jaques Wagner. Agora a Bahia se encontra num saudavél estado político que mistura anarquia, incompetência adiministrativa e coma alcóolico, dando margens largas para ficar a deriva, e ir a pique - para felicidade de todo povo da Bahia! Já que lá se chover, é festa! Se faz sol, é festa! Se "É O APOCALIPSE!", viva ao Carnaval!

Esta fase experimental de Anarquia não foi instiuida oficialmente, óbvio, mas se dá na prática porque o governador está de férias desde que assumiu, dando liberdade para o governo paralelo dos homens sem rosto de sua quadrilha seu partido (PT) enquanto bebe alcoól incansavélmente no seu palácio em Ondina em Salvador, ou nos Iates de seus amigos nada suspeitos... Isso confirma o mito que circula no estado de que os baianos mais preguiçosos são justamente os que não nasceram aqui, somando a desgastada lista de exemplos encabeçada pelo grande poeta e eterno homem de calção em Itapoã, Vinícius de Moraes, o nome do governador.

Para a felicidade dos baianos e dos estudantes semi-concludentes do Ensino Médio de todo Brasil, está situação conturbada não mudou em porra nenhuma o calendário festeiro e atípico do estado, que se mantém fervorosamente tradicional e ortodoxalmente eufórico. Portanto, sua viagem a Porto Seguro ou Trancoso não sofrerá nenhum transtorno, poderá desfrutar das mais belas e originais tendências hippies reformadas para a juventude transviada rebelde pouco original dos dias de hoje, com os pseudos Woodstock's chamados de raves, ou seguindo mais rigorosamente a cultura do país, os carnavais fora de época, micaretas, e outras cositas más...

Cquote1.png Peraí que vou jogar esse trecho pra traduzir no Google Cquote2.png
Você sobre o texto

Ainda falando sobre política, é muito dificíl dicernir uma passeata, uma manifestação ou uma greve com os carnavais, uma dica para o turista é reparar no uniforme da Polícia Militar, que varia quando estão tratando de turismo (Carnaval) e quando tratam revolucionários da ala radical. Normalmente no primeiro caso, vão usar o natural uniforme marrom e bege, no segundo um camuflado do tipo Tropa de Choque, mas isso será tratado no tópico sobre Violência.

O Povo Baiano, um tópico geral

O baiano é facílmente identificado numa situação de perigo. Ex: Tiroteio numa favela no Rio

Os baianos tem características peculiares como: são cantores, bohêmios, com inteligência de racíocinio inconcluído (o famoso ou não, como diria... deixa prá lá), já mencionei que tem a maior conglomeração de cantores do País? Possuem uma reduta imaginação que foi útil a Castro Alves, Jorge Amado... Tem mulheres invariavélmente gostosas (ou não) e como característica principal: estar sempre cansado e exausto com o trabalho e com o estudo (ou não), e são especialistas em atrair turismo sem fazer nada, mesmo assim para tirar uma foto com uma baiana vistida de lona de circo branca é 5,00 reais!!!

O povo baiano se identifica bastante com os cariocas a parabola "A Cigarra e a Formiga". Motivo: Quando um baiano nasce, sua família não fica esperando a primeira palavra, esperam as primeiras notas. Baiano aprende a cantar e depois a falar, e passa a vida inteira cantando deitado em uma rede. Quando um baiano se junta com um microfone e um violão, pronto, você tem um vagabundo músico profissional. Além dos tradicionais intérpretes do axémiusiqui, a Bahia também tem como ídolos nacionais os cantores Silvano Salles, Os Ninjas do Arrocha, Márcio Moreno, Nara Costa e Trio da Huanna, criadores do Arrocha, uma espécie de barulho música mundialmente difundida e reconhecida.

Os baianos também tem a nítida noção de que a sua realidade sócio-cultural podem ser extrapoladas para o resto do país, e por isso sabem que toda a culpa da disrtorção social da Bahia, ou melhor, do Brasil, é de uma conspiração má chamada de elite sulista branca, que junto com a Loira do Banheiro e o bicho papão só não os oprimem no Sul Maravilha, local destino de toda migração dessa espécie brasileira, lá onde aprendem o que seguinifica a palavra e conceito do que é trabalho. Na Bahia não existe elite branca, uma vez demonstrado pela mídia que todos da sua elite política, financeira e cultural são negras, como a Ivete Sangalo, Jaques (Bêbado) Wagner, Daniela Mercury, família Magalhães(1)(2)(3), Babado Novo, Banda Eva, Chiclete com Banana, Edson Arantes do Nascimento, João do Pulo, Zezé Motta, Jorge Lafon, Dona Canô, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Tia Anastácia, Gilberto Gil, João Gilberto, Grande Othello, Lady Zu, Tony Tornado, nego-ciação, só nêgo são, Oswaldo Montenegro, Fernanda Montenegro, Walter Negrão, Marcelo Negrão, Darth Vader, Sivuca, Hermeto Pascoal, Diamante Negro, Sharon Stone (gostosa), fuscão preto, caixa-preta, buraco negro, quadro-negro, Malcom X, Martin Luther King, Dom King, Larry King, King Kong, Donkey kong, kung fu, Pato Fu, entre outras personalidades, como confirma o próprio cântico à Jesus Negão.

Eles idolatram religiosamente os seus artistas e políticos, e compreendem que o finado ACM e seus antigos colegas do DEMO são muito mais retádos carismáticos que os políticos de outros estados, e por isso sempre os apóiam para estarem no poder.

Língua

O povo baiano é conhecido pela sua grande disposição para o trabalho.

Na Bahia se fala o Bahianês, porém na região do Recôncavo, é predominante o Baianês-Soteropolitano, mais difudindo nos meios de comunicação, por mais errôneo que imitem.

Hábitos

(está parte fica mais boa se tiver a trilha sonora de Caetano Veloso cantando "Oração ao Tempo")

O tempo na Bahia é bem devagar... Sabe... Pois é fío, mesmo em Salvador dá tempo de você no mesmo dia ir pra escola ou ir pro trabalho, ir pra praia, ir pro Shopping, ir pra balada e durmir entre cada atividade... É bem devagazinho... Nas férias a coisa fica melhor ainda, a gente vai dormir, acordar pro almoço, tirar a ciesta na rede, acordar se necessarios para necessidades fisiológicas, dormir, acordar pra ir pro bar beber, cair, durmir no chão, levantar, dançar (pagode, arrocha, axé ou em última estância MPB), beber, cair e levantar, cochilar na praça, voltar pra casa, pra dormir pro outro dia.

Provérbios da Bahia

Eclesiastes da Sabedoria Baiana

Cquote1.png Lembre-se: o trabalho é sagrado, não toque nele Cquote2.png
sobre o Trabalho
Cquote1.png Nunca faça hoje o que pode ser feito depois de amanhã Cquote2.png
sobre o Tempo e sua Organização
Cquote1.png Descanse: ninguém reclama no leito da morte por ter descansado demais Cquote2.png
sobre a Breviedade Vida
Cquote1.png A formiga só trabalha porque não sabe cantar Cquote2.png
sobre o Trabalho Ideal

Ver também