Baião (Pará)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mico azul.JPG


O Mico Azul passou por aqui em 1960!!!

Município de Baião
"Lugar de comer bem... ou não..."
Aniversário 30 de outubro
Fundação 30 de outubro de 1694
Gentílico baiano
Lema Entre e coma o que quiser.
Localização
Localização de Baião
Estado link={{{3}}} Pará
Mesorregião Reino do Pará
Microrregião Favelas de Cametá
Municípios limítrofes Mocajuba, Cametá, Moju, Breu Branco, Oeiras do Pará, Tucuruí
Distância até a capital 204km km
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma caboquês
Clima Chivoso e muito quente
Fuso horário UTC -3
Indicadores
IDH -0,0009 PNUD/2050
PIB R$ 0,0000012 IBGE/2010
PIB per capita R$ 0,001 IBGE/2010

Cquote1.png Você quis dizer: Baião-de-Dois? Cquote2.png
Google sobre Baião (Pará)

Baião é uma cidade qualquer, localizado às margens de um rio qualquer, na beira de uma estrada qualquer, que fica no Pará (um estado qualquer também...tá bom...parei) fazendo mais número num estado onde se encontra mais de oito mil outras cidades, sendo mais uma miserável vilazinha.

História[editar]

Cidadão andando com sua charmosa sombrinha da moda

Tudo começou com um desocupado filhinho-de-papai, motherfucka, desbravador chamado Antônio Baião. Cansado de sua vida agitada e badalada, com altas festas e mulheres em Lisboa, decidiu virar uma pessoa séria e embarca para o Brasil. Chegando aqui é incumbido de fundar uma vila em algum lugar no meio do nada no Estado do Grão-Pará. Acha um lugarzinho no meio do nada, com um rio passando... e decide, com toda sua humildade batizar o local com seu sobrenome. Mas o que a historiografia oficial não conta (Porque o Jader Barbalho não deixa) era que Antônio Baião pretendia construir uma república ditatorial nos moldes do que hoje é a Coreia do norte em plena Amazônia. Obviamente seu planos foram em vão, e hoje a cidade vive numa rotina movimentadíssima (sai um ônibus com destino a Belém duas vezes por dia, por exemplo) e é um referencial de Prostituição (sendo considerada uma potencial Amsterdam Amazônica) no Estado.

Geografia[editar]

Com um pouco mais de 20.000 habitantes num território maior que muitos países pelo mundo, a cidade tem um relevo normalzinho, com um clima muito quente (que também é normalzinho no estado), e alguns igarapés onde são também usados como verdadeiros motéis ao ar livre, tanto na área de mata como na água. Daí vem o motivo da rede de motéis baionenses não terem vingado e ido à falência. Apresenta uns nomes muito originais de bairros: Limão, Cupuaçú, Açaí, etc.

Economia[editar]

Com mais de 20.000 habitantes cabocos, é muito conhecida no estado pelo seus grandes bacanais onde o grande desnível entre o pouco número de homens em relação às mulheres faz com que os hormônios aflorem nas garotas locais.

Devido a isso a cidade é conhecida como um importante pólo de Prostituição no estado, sendo considerada uma verdadeira Meca aos tarados e punheteiros de plantão. E um detalhe: Os preços cobrados pelas "donzelas" são praticaments desprezíveis de tão baratos, ou seja, caso você esteja a fim de contrair uma AIDS ou uma Sífilis molhar o biscoito esse é o lugar perfeito. Ou não...