Balada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cachaça.jpg


EaAaAaEeEeE Le$k!

EsTe ArTiGo É pLaY$$oN!!!! iH u LeSk kI i$cReVeU tA sEmPrE nA bEkA!!

PLAY$$ON LIFE STYLE

Lulo moloso.gif

DI-DI-DI-JAAAAYYYYY! Som na caixa!!!
Balada é um invento evento!!!!
Com certeza André Marques vai ser DJ

Cquote1.png Você quis dizer: Putaria Cquote2.png
Google sobre Balada

Cquote1.png Você quis dizer: Castigo Cquote2.png
Google sobre Balada
Cquote1.png Eu não gosto de balada, pode matar! Cquote2.png
Carla Perez sobre Balada
Cquote1.png Eu quero ir pra casa! Cquote2.png
Pessoa aleatória sobre Balada
Cquote1.png Tá sofrendo também? Cquote2.png
Outra pessoa aleatória sobre Comentário acima
Cquote1.png Mãe, falta muito para 1h da manhã? Cquote2.png
Adolescente que a mãe vai trazer de volta para casa e só deixou ficar na balada até 1h da manhã sobre Balada
Cquote1.png ... Cquote2.png
Doutor Roberto, curtindo uma balada
Cquote1.png YEAH Cquote2.png
Vovô Dançarino sobre Balada
Cquote1.png Na União Soviética, as baladas curtem VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Balada
Cquote1.png Na Holanda, a balada se curte sozinha, não precisa de VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversão Holandesa sobre Balada
Cquote1.png Foi u cão quem botô pa nóis bebê! Cquote2.png
Jeremias sobre Balada
Cquote1.png E aí gatinha, você vem sempre aqui? Cquote2.png
Você, passando vergonha mostrando sua capacidade de sedução, na Balada
Cquote1.png Evite a ressaca, mantenha-se bêbado!!! Cquote2.png
Você sobre sua trigésima garrafa de Smirnoff Ice

Balada caracteriza qualquer encontro social profano de uma ou mais pessoas cujo objetivo é terminar em sexo. Acontece geralmente em barracos, conventos, playgrounds, cemitérios, aterros sanitários, porões, abatedouros, etc. É um evento de duração indefinida, geralmente limitada ao estoque de cerveja.

História[editar]

Inscrições rupestres indicavam a putaria das baladas
É festa!

A primeira balada aconteceu há cerca de 1,5 milhão de anos, quando o homem descobriu o fogo. Tecnicamente, dados os efeitos pirotécnicos utilizados, até poderia ser classificado como uma rave. Enfim, os homens pré-históricos ficaram bastante alegres com a descoberta, e comemoraram por dias, com muito churrasco de mamute e mijo de dinossauro.

Paleoantropólogos que pesquisaram o acontecido, apontam que teria sido nesta situação que surgiu o homossexualismo, e, por extensão, aquela máxima infame relacionada a bêbados. Fósseis humanos encontrados em posição de cócoras, encaixados uns nos outros, permitem essa constatação.

A balada de maior repercussão em toda a história, segundo pesquisas recentes, foi a a Última Ceia, numa casa comandada pelo DJ Jesus, uma festa VIP, com apenas 13 convidados. Mais tarde, o termo "balada" seria introduzido por Galvão Bueno para designar uma festa na Casa da Mãe Joana.

A balada tem grande importância histórica. Foi numa balada que Napoleão perdeu a guerra. O papa João Paulo II, em sua visita ao Brasil, visitou algumas casas noturnas de São Paulo, tendo sua saúde debilitada após o episódio.

Tipica foto de balada

Tipos de balada:[editar]

De pobre[editar]

Festa de pobre, geralmente, segue um esquema típico: churrasco (leia-se carne de segunda, salsichão e pão), cerveja barata e impreterivelmente morna, refrigerante de procedência e qualidade duvidosas, crianças ranhentas, mulheres vadias solteiras, barangas e portadoras da maioria das DST's, homens feios e pobres galanteadores e música brega de gosto popular, como funk, sertanejo, forró, lambada, e demais sons que o povo gosta. O cenário: laje. Com esse mix de elementos, começa a festa. O saldo é de umas cinco crianças perdidas, quinze encaminhadas, doze intoxicações alimentares e vinte bêbados à perigo na rua.

De gaúcho[editar]

As festas, no Rio Grande do Sul, mobilizam toda a população de uma cidade. Todos vão aos CTG's (Casa de Todos os Gays), e celebram o seu homossexualismo estado, com muita dança, canto, comida e bebida. Geralmente, a quantidade de bancos para todos sentarem é pequena, fazendo necessárias algumas improvisações. Por puro companheirismo e sentimento tradicionalista, um peão oferece o seu colo para o outro. Após um tempo, para evitar o cansaço, as posições são trocadas. Em outros casos, o banco tem sua posição invertida, gerando lugar e diversão para quatro pessoas. Muita chula, bastante linguiça, muito chimarrão, e muito calor humano. As festas no Rio Grande do Sul são bastante acolhedoras, e sempre há lugar para mais um entrar. E sair. E entrar. E sair....

Espécime comum em baladas. E em clínicas de reabilitação de drogados também.

De argentino[editar]

O argentino, para ter uma festa, não precisa de muita coisa. Na verdade, um espelho basta. A própria presença já é motivo para alegria, e, por consequência, para uma balada. Afinal, o argentino não precisa de ninguém, porque ele é o melhor. Aliás, ele é o segundo, porque o primeiro é sempre Maradona.

De Rico[editar]

São sempre iguais: Meninos uniformizados com polos da Abercrombie (aquela do viadinho) ou da Sergio K, camisetas Zapalla, calças rasgadas e sapatênis da Osklen (aqueles que você se pergunta: que diabos acham esse sapato de pai bonito?) E meninas dançando com o ombro e nariz empinado com vestidos coloridos e quilos de maquiagem. DJs tocando músicas eletronicas que dificilmente tem vocal. São regadas a vodka cara (aparentemente cara, pois as casas devem vender vodka natasha com preço de absolut) e temaki. Sempre acabam nas páginas de revistas de fofoca, compradas por mulheres gordas e consultórios odontológicos.

De Nerd[editar]

Nerds, ao contrário do que se imagina, têm alguma vida social. Logicamente, apenas se divertem com outros de sua espécie. Comumente, estes seres frequentam a feiras sobre internet, jogos para computador, animes e demais atividades que pessoas trabalhadoras não conhecem. A atividade é intensa. Porém, ao invés de eles saírem de lá cheios de cerveja, são seus HD's que saem cheios de arquivos. Algumas meninas participam dessas "festinhas", mas, mesmo assim, o Ministério da Saúde desencoraja que pessoas normais tentem namorá-las.

Seja jovem, seja velho, a balada está sempre lá pra você.

Em Brasília[editar]

As festas na Capital Federal, sem dúvidas, são as mais animadas. Regadas a muito champagne comprado com verbas de gabinete, geralmente são temáticas, de acordo com o estado de procedência do organizador. Ultimamente, o Maranhão anda em alta, nesse sentido. A coisa é tão divertida (enche os salões de festa da cidade, como o Planaltus e o Congressus) que chama a atenção de toda a crítica social do país, que sempre discutem o garbo, a elegância e a fineza dos festeiros. A alegria é tanta que, muitas vezes, a Polícia precisa intervir, e levar alguns mais alegrinhos para esfriar um pouco a cabeça na delegacia, antes que eles provoquem mais brigas. Uma regra sempre é respeitada: toda festa no Planalto Central sempre acaba em pizza.

A Festa da Firma[editar]

Ir a uma balada requer equilíbrio emocional, e, sobretudo, etílico, senão...

Todo final de ano, pessoas que trabalham (o que exclui você) são gentilmente obrigadas convidadas a participar de uma festa de confraternização organizada pela empresa onde trabalham. De acordo com o tamanho da mesma, define-se o local de realização, que vai desde a casa do chefe, passando pela chácara dele, chegando até um clube ou salão de festas. Seja onde for, uma certeza é absoluta: vai dar merda. Normalmente, por ser realizada na época pré ou pós natalina, se realiza, também, um amigo oculto, ou amigo secreto, de acordo com a região. Ou seja, aumenta a magnitude da merda.

Começa a festa. Inicialmente, todos ainda estão um pouco retraídos, ainda discutindo assuntos inerentes ao trabalho. A bebida gratuita começa a circular. As risadas tem seu volume aumentado gradativamente. Mulher e futebol começam a imperar na discussão masculina. Homens e outras mulheres, na feminina. Até este momento, tudo dentro da mais absoluta normalidade. Porém, há sempre aquele infeliz que fica bêbado rapidamente, e que começa a criar situações incômodas, como falar mal do chefe, dos colegas, bulinar alguma das mulheres presentes, fazer discursos efusivos, entre outros. O aroma de merda se intensifica. Resultado: nesse tipo de festa, a presença de piscina é comum. E este bêbado alegre, muitas vezes, acaba por conhecê-la sem ter intenção. Depois disso, tem a infeliz ideia de apresentá-la, da mesma forma para algum dos outros que estão lá. A situação piora, e a chance de agressão, retumba. Geralmente, chega alguém é apazigua a situação. Momentaneamente.

E nas baladas da vida...

Algumas festas fazem a exigência de que o funcionário vá sem esposo(a). Perigoso, muito perigoso. Nessas baladas corporativas, os sentimentos entre os funcionários se exaecebam, em sentido negativo ou positivo, de acordo com o grau etílico. Geralmente, ou resulta em novos romances e consequentes separações, ou em rompimentos de amizade e até demissões. Quando vem a hora da refeição propriamente dita, a coisa se acalma. O problema é quando inicia-se o amigo-secreto. Uma série de descrições ridículas, presentes inúteis e felicidade falsa. Nessa hora, você está com algua acidez no estômago, devido a quantidade exagerada de beida e carne (ouando for churrasco) e salgadinhos (quando for algo mais formal). Ainda podem ressurgir algumas das animosidades anteriormente ocirridas, bem como o surgimento de uma situação pior: as loucuras do chefe. Você ganhará apelidos, terá questões passadas como motivo de deboche, ouvirá que sua esposa é gorda, que você está cada vez mais gordo, e por aí vai. Você se segura, afinal é seu chefe. Mas, ao chegar em casa, imprime uma fotografia dele e usa como alvo para jogar dardos.

Saldos da balada da firma: inimizades, inícios de demissões, muitas fofocas, vontade de morrer, entre outras. Mas, como no ano que vem tem de novo, tudo se ajeita. Ou não, depende de como você se comportar.

NoCapricho[editar]

Como já diz o título, é uma balada que está sempre no capricho, organizada anualmente pelos editores da Revista Capricho. Voltada inteiramente para gurias retardadas que lêem a revista, são fãs de malhação e adoram ouvir Ke$ha e Gaystart; se difere das outras baladas por:

Tipica foto de balada.
  • contar com a presença de bandas coloridas e/ou emos e atores que fazem as garotas surtarem e passar mal;
  • terem dias e horários definidos, o que limita a bebedeira dos frequentadores;
  • fazerem gincanas altamente infantis e retardadas com prêmios para o vencedor, como a competição de quem geme grita mais alto.


Pessoas que gostam de balada[editar]

Problemas comuns[editar]

Na balada acontecem muitos problemas, eis uma lista deles:

  • DJ sendo agredido por não fritar de acordo com o gosto dos psyzeiros;
  • Mulheres sendo bulinadas;
  • Homens sendo apalpados;
  • Jovens sendo coagidos;
  • Mulheres pegando o segurança da balada apenas para conseguir pulseira VIP;
  • Barmans bêbados que não conseguem atender seu pedido;
  • Caixa roubando seu troco.
  • cheiramento de gatinhos intenso.

Problemas pós balada[editar]

Sim! Problemas também acontecem depois da sua diversão:

  • Mulheres que somem de repente;
  • Homens suspeitos também aparecem de repente;
  • Dores de cabeça irreversíveis;
  • Surdez temporária;
  • Risco total de perder sua esposa/mulher/namorado.

Ver também[editar]