Banestado

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Banestado faliu!
Graficozero.JPG
Cows1.jpg

Pediu água!

Clique aqui pra ver quem mais ficou no vermelho

Mascote Banestado
Inspiração Coxa Branca
Simbolo do Banestado
O tempo passa,
O tempo voa
E a poupança...
Ah, essa é de outro banco...

Cquote1.pngVocê quis dizer: ItaúCquote2.png
Google sobre Banestado
Cquote1.png Você traiu o movimento bancário, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Banestado.
Cquote1.png NI! Cquote2.png
Cavaleiros que dizem Ni sobre Banestado.

[editar] História

O Banco do Estado do Paraná (Banestado, com essa abreviação poderia ser o Banco de qualquer estado!), foi o banco público do estado do Paraná.

Fundado por Poodles, usava o mesmo mascote da torcida do clube paranaense.

O Banestado foi um dos bancos mais insólitos do sistema financeiro público até meados dos anos 90. Com o invento do Plano Real, todos os bancos tomaram na rabeta, pois já não havia a inflação para esconder seus ganhos absurdos.

O Banco Central do Brasil vendeu-se, então, ao Fundo Monetário Internacional - FMI, onde comprometeu-se a liquidar ou privatizar os bancos estaduais, barraquinhas de cachorro-quente e açougues do país, entre eles o Banestado.

Modelo do que seria o Mascote do Paraná Banco e Clube Banestado de Futebol S.A.

A princípio, a ideia era fazer a fusão do banco com o Paraná Clube, que passaria a se chamar Paraná Banco e Clube Banestado de Futebol S.A., mas os torcedores coxas que ainda dominavam a diretoria foram contra. Apenas J. Malucelli foi a favor, criando por conta própria o Paraná Banco Malutron Futebol S.A.

Escandalo Banestado/Itaú
Pelo menos 3,03 bilhões dessas moedas estavam debaixo do acento do Banco do Estado do Paraná.
Como forma de foder o Banestado e facilitar a falcatrua privatização, mesmo causando um prejuízo de 4 bilhões de reais ao Governo do Paraná (equivalente ao salario de 3 semanas do governador Jaime Lerner), o Banco Central do Brasil determinou que o Banestado considerasse como prejuízo todas suas operações de fomento, mesmo as que estavam sendo pagas em dia. Esse enorme "prejuízo" fajuto possibilitou a sua doação venda ao Banco Itaú pelo irrisório valor de R$ 1,6 bilhões (quando o banco possuia aproximadamente R$ 3 bilhões em moedas de R$ 0,99, utilizados pelo Banco Itaú).

Em virtude desse processo de apropriação privatização, 62 ex-administradores do Banestado responderam processos criminais na Justiça Paralela do Paraná, sendo que até março de 2007, 16 já haviam sido absolvidos das acusações, nenhum condenado, e um suicidou-se logo após receber a notícia de sua absolvição (otário, se tivesse se suicidado antes poupava trabalho).

Apenas um ex-administrador foi condenado até março de 2007, Paulo Nunes Pires Neto, que havia desviado US$ 500 mil de uma conta em Grand Caymann, e foi delatado por seus colegas FDPs de trabalho (que se safaram). Cumpriu menos de 90 dias de prisão, um recorde para uma condenação (???) por crime do colarinho branco no Brasil, beneficiado por uma delação premiada (ele já havia sido dedurado, só devolveu na mesma moeda) firmada com o Ministério Público Federal (delação que não serviu pra condenar ninguém, notem) e atualmente é diretor financeiro do Poodle Clube do Paraná, torcida organizada do Clube Atlético Paranaense, popularmente conhecida por Fanáticos.

Apesar desse escândalo ser maior que o Mensalão do Marcos Valério, tenta-se na mídia esconder os fatos. Uma das hipóteses da mídia (a Rede Globo, principalmente) esconder se deve a quantidade de gente graúda envolvida. Por algum descuido uns nomes já apareceram, se fala em Jorge Borhausen, deputado federal do DEMO, o dono das Casas Bahia e até do apresentador de TV Ratinho, além de Osama Bin Laden, Nelson Ned e cinco paquitas...

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas