Bar Mitzvá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Rabbimetal.jpg Cadê o moedinha?

Este artigo é judeu! Ele odeia cananeus, foi escolhido por Javé e não come lagosta porque é caro e anti-kosher. O autor deste artigo provavelmente é contador e deve estar cuidando da lujinha.

Cquote1.png Lembro que no meu eu li a Torá com a língua para fora. Cquote2.png
Albert Einstein sobre Bar mitzvah.
Cquote1.png Por mim ninguém mais faria isso. Cquote2.png
Adolf Hitler sobre Bar mitzvah.
Cquote1.png Mãe... eu não quero fazer festinha! Eu quero um PlayStation 3. Cquote2.png
Garoto judeu sobre Bar mitzvah.
Cquote1.png Relaxa e leia a Torá! Cquote2.png
Marta Suplicy sobre Bar mitzvah.
Cquote1.png Um judeu de 13 anos pegou um trem direto para Auschwitz... Cquote2.png
Danilo Gentili sobre um garoto judeu que não terá um Bar mitzvah.
Cquote1.png Vamos pra Baleia! Cquote2.png
Nissim Ourfali sobre Bar Mitzvá
Cquote1.png Somente judeuzinhos de merda precisam disso. Cquote2.png
Eric Cartman sobre Bar Mitzvá

Festa religiosa ou festa de faculdade?

Bar mitzvah é uma festividade feita para pirralhos judeus de treze anos em comemoração à sua maioridade segundo os princípios judaicos; a mesma festividade dada para as pirralhas judias essa mesma festividade é chamada de Bat mitzvah, que seria uma referência implícita à Bart Simpson. Quando um cidadão ou cidadã judeu/judia não faz o Bar/Bat mitzvah ele(a) está fadado(a) a chorar no Muro das Lamentações até que Javé decrete o fim do mundo.

Por que fazer essa festividade?[editar]

O Bat mitzvah muda a vida de qualquer guria judia. Só é menos importante do que a primeira menstruação.

Segundo a tradição judaica uma pessoa se torna plenamente responsável por si mesmo quando completa treze anos se for do sexo masculino e de doze anos se for do sexo feminino (nossa... quanto sexismo!); sendo absolutamente necessário uma festinha para comemorar este fato. Apenas o mestre Jesus Cristo não teve um Bar mitzvah propriamente dito, ele preferiu criar sua própria religião dissidente do Judaísmo e um feriado para mostrar que não tinha nada a ver com os judeus.

Assim como tirar o coelho da cartola é essencial para ser considerado um bom mágico o Bar mitzvah para um judeu é essencial para que ele seja considerado... judeu! Senão ele é só mais um modinha que vive de aparências, não assumindo sua própria .

A cerimônia[editar]

O Torá é a base da Lei Judaica, mesmo sendo uma mera repetição do que já existe na Bíblia.

Uma festividade de Bar mitzvah necessita obrigatoriamente da presença de um rabino e dos pais do pirralho judeu, se não tiver um rabino serve um palestino mesmo. Como um ritual de caráter familiar a família do moleque tem que esperar os convidados chegarem, puxar o saco dos mesmos e aí sim preparar o filho para ouvir as palavras do pastor da igreja rabino. O rapaz há de ler trechos de um rolo gigante que os judeus chamam de Torá e depois abaixar a calça para provar que foi circuncidado. Depois de seguir mais de oito mil regras de etiqueta a festa começa realmente e ninguém mais pensa em questões religiosas, só em encher a cara.

Após a cerimônia[editar]

O Bar mitzvah acabou? Enrole o guri para que ele entre na linha!

Sempre no término de um Bar ou Bat mitzvah o garoto ou garota estará cansado(a), com a língua para fora e querendo se tornar um(a) cristã(o)-novo(a). Anos depois a pessoa que passou pela festividade perceberá que fez aquilo só para manter uma tradição que é mais velha do que a prostituição. Em um futuro próximo a Comunidade Judaica Internacional pensa em digitalizar o Bar/Bat mitzvah para a Internet e em formato DVD/Blu-Ray.

Meme[editar]

O termo mais ficou conhecido por um guri retardado de nome pseudo-artístico chamado Nissim Ourfali, onde fez um vídeo cantando uma música da banda emo Uma Direção, onde ficou famoso pelo fato do vídeo querer concorrer com sua cantoria para ver qual era a pior. Depois de uns três meses, e o mesmo já ter sido esquecido.

Por ser uma vítima de piadas, além de ter mais de 8000 ameaças de judeus querendo dar uma punição de retirar o dinheiro dele por fazer o termo virar uma piada, Nissim foi ao tribunal tentar processar o Google para tentar retirar seus vídeos, mas o mesmo perdeu no tribunal, acabando punido, com cinco anos sem retirar dinheiro.

Ver também[editar]