Barcarena

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: BALArena Cquote2.png
Google sobre Barcarena
Cquote1.png Onde fica?? Cquote2.png
Paraense sobre Barcarena
Cquote1.png É de comer? Cquote2.png
Carla Perez sobre Barcarena
Cquote1.png Essa galerinha vai aprontar todas numa praia super radical de tirar o fôlego Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Praia do Caripyra

Barcarena, é um dos bairros de Belém que de tão fodido foi considerado município, e hoje é uma cidade perfumada com esterco de cavalo (no centro da cidade), e composta por uma linda paisagem de praias contaminadas com chumbo, alumina, cloro, soda cáustica, leite de magnésia, licor de cacau Xavier (o exterminador dos vermes) e principalmente adubada por dejetos fecais.

História[editar]

Uma das belas praias de águas refrescantes de Barcarena. Note a beleza de sua coloração natural da mistura de todos os esgotos, desejos industriais e lixo hospital imagináveis.

Ninguém sabe a origem desse lugar afinal ninguém se importa com a origem de cidades-dormitório de capitais.

Economia[editar]

A cidade possui várias lojas que de longe até parecem interessantes, mas basta entrar em uma dessas e e se decepcionar com o maldito atendimento foda que faz os clientes fudidos perderem a vontade de comprar qualquer coisa naquela cidade

Bairros[editar]

Os bairros, em geral, surgiram com invasões do MST (exceto a Vila dos Caboclos Cabanos, que foi construída para abrigar trabalhadores nordestinos advindos do Ceará, Maranhão e Piauí para trabalhar na Albrás), sendo os bairros os seguintes:

  • Vila dos Cabocos
  • Vila de Itupiranha
  • Vila do Conde Dracula
  • Ladrãozal
  • São Francisco
  • Novo Horrorizante
  • JÁ TI ROUBARAM Jardim Cabano
  • Tangamandápio
  • Peão do Bueiro
  • Novo Inferno

Educação[editar]

As escolas desta cidade tem uma ótima qualidade, tanto que os alunos tem que ir embora para Belém e ver se passam em alguma faculdade decente por lá. A maior propaganda da secretaria de educação do município é o número de aprovação nos vestibulares do IESAM, FIBRA, FAPAN, FAP, e FAZ (onde até mortos passam). Se algum aluno passa numa universidade pública, é somente em Pedagogia em Moju ou em Letras em Abaetetuba. A única escola que presta de verdade é aquela que quando aprova um doido em uma universidade pública descente, coloca milhares de outdoors do cara em todas ruas!

Lazer[editar]

  • Praça da Matriz - O point da galera para aqueles que desejam conhecer mais gente, apesar do local ser do tamanho de um ovo. Até criaram uma nova praça, bem do lado da antiga, com o mesmo nome, só para dar falsa impressão de ser maior. No local se encontra a típica comida paraense feito do modo menos higiênico possível (o tacacá, vatapá, caruru, maniçoba e o guaraná). A probabilidade de conhecer alguém novo naquela praça, é a mesma que o Bom dia & cia exibir um episódio inédito de X-Men Evolution ou Liga da Justiça.
  • Praia do Caripyra - Uma praiazinha com seus encantos naturais, com cocô boiando na sua cabeça, soda cáustica na água (até saiu no Jornal Liberal). Ou então tem alguma baranga, mocréia e xupica querendo se fazer de gostosa. Lá nunca tem muitas mulheres aproveitáveis, pois as patricinhas de Belém só frequentam Salinópolis, sobrando para quem é pobre e feio nas férias de julho frequentar Mosqueiro, Cotijuba ou Barcarena, pois as passagens para Salinas estão muito caras (R$1,50). Lá também é o ponto de encontro dos farofeiros, porres, cachaceiros, bregueiros, etc.