Barras paralelas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Barras paralelas é um aparelho de malhação que acabou sendo adotado pela ginástica artística para alguns seres de sexualidade duvidosa ficarem dando piruetas naquele instrumento em busca de medalhas de ouro que ninguém se importa.

História[editar]

Atleta ao invés de malhar fica dando rodopios nas barras paralelas.

Tudo começou com a Revolução Industrial, com os avanços tecnológicos da humanidade, todos seres humanos puderam parar de caçar, plantar, correr e usar seus braços que não fosse para outra coisa além de masturbação. Algumas pessoas porém, decidiram negar a natureza natural das coisas, e para não tornarem-se obesas sedentárias como todos outros e criarem pelanca embaixo do braço, decidiram começar a malhar o tríceps, e para isso foi instalado barras paralelas em todas cidades do mundo para que marombados fossem lá e fizessem seu exercício nas barras.

Até então as coisas estavam normais, mas então homossexuais decidiram também ficarem fortinhos e começaram a usar as barras paralelas também, mas ao invés de malharem decentemente como todas outras pessoas normais, eles ficavam dando piruetas retardadas que não serviam pra nada, mas alguém teve a brilhante ideia de colocar essa prática nefasta nos jogos olímpicos.

Inicialmente as barras paralelas eram usadas apenas como treino para os competidores do cavalo com alças, mas depois passou a ser uma modalidade própria da calistenia, que são exercícios que simulam a rotina do pole dance mas sem o strip-tease, sendo livres para toda família assistir, embora toda a família não veja interesse nenhum em assistir uma competição de barras paralelas, é sempre a mesma chatice.

Aparelho[editar]

O aparelho consiste em duas barras paralelas de 3,50 metros de comprimento, ou seja não dá para enfiar no cu, feitas de fibra de vidro a uma altura de 1,95 m do chão. Tal aparato é normalmente utilizado em casas de fisioterapia para paraplégicos em recuperação se apoiarem nelas para andar, mas uma vez por ano esse instrumento é transportado para ginásios onde ginastas sarados vão ficar rodopiando sem parar nessa porcaria, um torcendo para que o adversário caia e fique paraplégico.

Execução e regras[editar]

A exigência intelectual é absolutamente inexistente neste esporte, então você pode ser a pessoa mais ignorante e iletrada do mundo que mesmo assim você pode ser medalhista de ouro nessa porcaria, basta ter tríceps fortes e só. Sendo outro requisito básico para tornar-se competidor disso é não ter vergonha do ridículo.

O objetivo da competição é simples e consiste em manter-se equilibrado e fazer um monte de viadices nas barras paralelas ganhando pontos arbitrários e aleatórios para cada movimento bem executado, havendo penalizações caso caía de bunda no chão.

v d e h