Beck: Mongolian Chop Squad

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gatotocandoguitarra.gif

David Bowie deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.


60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Beck (manga).

Cquote1.png Sempre fumo um... Cquote2.png
Maconheiro sobre BECK
Cquote1.png Soooooy... Un perdedor... Cquote2.png
Beck, sobre o fato de ser menos conhecido entre os otakus do que a banda que carrega seu nome
Cquote1.png Ei! Eles plagiam a gente e fica por isso mesmo? Cquote2.png
Red Hot Chili Peppers sobre Beck: Mongolian Chop Squad
Cquote1.png Acharam que não íamos notar essa imitação toda? Até em um dos logotipos da banda Beck eles copiaram da gente! Cquote2.png
Oasis sobre Beck: Mongolian Chop Squad
Cquote1.png Também tão imitando a gente! Copiões! Cquote2.png
Bush sobre Beck: Mongolian Chop Squad
Cquote1.png E nós também, mas não é por isso que vamos sair processando! ABAIXO O CAPITALISMO!!! Cquote2.png
Rage Against the Machine sobre Beck: Mongolian Chop Squad
Cquote1.png Rrrr... AU Cquote2.png
Beck, cachorro do Ray sobre você lendo esse artigo
Cquote1.png Como você ensinou seu pássaro à cantar o hino da escola, garoto? Cquote2.png
Satou gritando para Hibari Kyoya sobre Hibird cantando e Page não
Cquote1.png Sai fora Cquote2.png
Koyuki sobre Freddy Mercury piscar pra ele em sonho
Cquote1.png Grupo Miname Ryuusuke... Ryuusuke e sua banda... R.E.M.(Ryuusuke excelente Minami)... oque acham desses nomes? Cquote2.png
Ryuusuke sendo modesto em escolher nome da banda para Integrantes
Cquote1.png Beck Cquote2.png
Chiba sobre sugestões acima
Cquote1.png Au Cquote2.png
Beck sobre usar seu nome na banda
Cquote1.png Você está formando grupos? Cquote2.png
Hibari Kyoya para Ryuusuke Minami

Beck: Mongolian Chop Squad
Beckcoral.jpg
A banda observando uma vaca voadora.
Origem
País Japão
Período 1999 (ou 2000? sei lá, tanto faz)–atual
Gênero(s) J-Alterna
Gravadora(s) Geffen Japan
Integrante(s) Tsunemi Chiba (vocal, pente quebrado e segundo da esquerda)
Ryusuke Minami (guitarra-solo, chapinha e segundo da direita)
Koyuki Tanaka (guitarra-base, vocal e o do meio)
Yoshiyuki Taira (baixo, água oxigenada e primeiro da esquerda)
Yuji Sakurai (bateria e primeiro da direita)
Maho Minami (groupie que não aparece na foto)
Ex-integrante(s)
Site oficial {{{site}}}

BECK (favor não confundir com aquele cantor doido de mesmo nome) é uma banda japonesa de rock alternativo, formada em 2000, bastante conhecida no cenário underground da costa do Pacífico, o que inclui os mercados australiano e californiano, grandes consumidores desse estilo de som.

História[editar]

Antes do BECK[editar]

O BECK, na verdade, começou em 1996 como um projeto paralelo do guitarrista Ryusuke Minami, então na banda americana Dying Breed (uma das mais influentes da década de 90). No mesmo veio de bandas como Nine Inch Nails e Ministry, Ryusuke, um compositor virtuoso, gravava demos onde ele mesmo cantava e tocava todos os instrumentos. Hoje, essas demos são tão raras quanto o famoso EP do Fecal Matter (primeira banda de Kurt Cobain). Mas isso não vem ao caso no momento.

A aproximação musical de Ryusuke era basicamente pós-grunge, com alguns elementos de funk metal (gêneros em voga na época). Tendo influências nítidas de Stone Temple Pilots e Red Hot Chili Peppers, a sonoridade do BECK era crua e, no entanto, bastante elaborada. Com a participação de seu colega de banda, Matt Reed, nos vocais, a primeira demo, contendo quatro músicas, levou duas semanas e meia para ficar pronta. Isso se deve à determinação incessante de Ryusuke em testar arranjos e mixagens diferentes. De acordo com o próprio: "Eu tinha um equipamento amador em casa, então não dava pra dizer que fosse aquela maravilha toda. Na verdade, a coisa toda soava como se o Minutemen tivesse gravado o Punch Line com caixas de papelão em cima dos instrumentos. Mas, para os padrões de produção, o resultado final até que não ficou ruim." (Rolling Stone, 2006) Outros dois EP foram gravados depois disso.

Em um curto espaço de tempo, o Dying Breed acabou após o assassinato do guitarrista Eddie Lee, vítima de um desentendimento no trânsito. Deprimido, Ryusuke resolveu retornar ao Japão para dar um tempo para si mesmo. Para isso, passou a alugar um quitinete com uma senhora dona de um pesque-e-pague. Em 1998, decidiu atender a um anúncio de jornal onde procuravam um guitarrista para integrar uma banda. Sabendo que era o que Ryusuke mais sabia fazer, ele acabou embarcando nessa jornada. A banda, chamada Serial Mama, chegou a fazer sucesso na cena local, mas desentendimentos entre Ryusuke e o guitarrista, Eiji Kimura, trouxeram o fim da banda em um curto espaço de tempo.

Novamente sem banda e sem um objetivo definido, Ryusuke voltou a gravar demos, desta vez no estúdio de um produtor chamado Harold Sakuishi, fã do Dying Breed de longa data. "Eu estava meio enfraquecido naquela época, mas não quis deixar ninguém saber. Não gosto de fazer os outros sentirem pena de mim. Nem mesmo a minha família. Por isso não fui pra casa da minha irmã, pra começar", declarou ele à GuitarPlayer em 2005.

Formação da banda[editar]

Taira, em performance recente
Dessa vez, Ryusuke decidiu formar a própria banda e saiu à cata de integrantes. Assistindo a shows locais, ele ficou amigo de Tsunemi Chiba, que viria a se tornar o futuro vocalista e, através de sua indicação, chegaram até o baixista, Yoshiyuki Taira. Os três começaram fazendo jams na quitinete de Ryusuke, depois voltaram com ele ao estúdio de Sakuishi.

Cquote1.png Eu estava tentando acostumá-los ao meu mundo e como é trabalhar comigo. Não tenho culpa de ser tão profissional. Só decidimos mudar de local porque a velha veio reclamar pra gente que o barulho - que, na época, ainda era barulho mesmo - incomodava os fregueses do pesque-e-pague e espantava os peixes. Como se aparecesse alguém lá. Cquote2.png
Ryusuke Minami, sobre este momento da carreira, em entrevista à Burrn!

No estúdio foi que eles viram a falta que um baterista fazia. Por sorte, Maho, a irmã mais nova de Ryusuke, tinha um (pseudo-)namorado que tinha um colega na escola que tocava bateria. O rapaz, Yuji Sakurai ("Saku" para os íntimos), fez a audiência e foi aprovado. Conforme ele contou em entrevista à ModernDrummer, "me pediram pra tocar alguma coisa de improviso. Aí, na hora, fui lá, emendei I'll Stick Around (Foo Fighters) com Siva (Smashing Pumpkins) e uns trechinhos de Bastille Day (Rush)... E a próxima coisa que eu me lembro é que já estavam falando comigo como se a banda existisse há uns 15 anos e eu estivesse com eles por esse tempo todo."

Saku, no entanto, fez uma concessão a Ryusuke: que seu amigo, Yukio Tanaka (a quem Maho sempre se referia como Koyuki, um termo posteriormente adotado por todos os outros membros da banda), passasse a ser roadie. "Eu era amigo dele desde o prézinho, e sempre vi como ele era retraído. Sabia que ele precisava de um pouco de emoção, e imaginei que conviver com uma banda de rock seria perfeito pra ele", disse Saku.

Koyuki compondo novas músicas para a banda
O caso era que Koyuki nunca tocou porra nenhuma. Nem punheta. Então, Ryusuke teve que ir lhe ensinando a manha do negócio, pra ele poder depois passar o som apropriadamente. Não ensinou muita coisa, só afinação, acordes, arpejos básicos, uso do tremolo e do pedal, oitavas, pentatônica, meios-tons, wah-wah, transposição de tons, palm-muting, bends, uso do killswitch, tapping, sweep, slide e outras coisas. Afinal, um roadie não precisaria saber muita coisa. Foi aí que algo aconteceu que mudou os rumos da banda.

Durante uma passagem de som para um show no bairro de Roppongi, Tóquio, Ryusuke surpreendeu Koyuki, empolgado, tocando Island in the Sun, do Weezer, de improviso. Ele se impressionou com o fato de Koyuki também se garantir no vocal, além de ter aprendido todo o necessário para assumir a guitarra-base. "Cara, foi do nada. Fiquei vermelho quando olhei pro lado e vi o Ryusuke parado lá, aplaudindo e dizendo: 'fica com a guitarra aí que você vai tocar com a gente hoje'", recorda Koyuki em entrevista à Rock Brigade!

O sucesso[editar]

Chiba, o maconheiro que batizou a banda.
Depois daquele show, o sucesso foi inevitável. A palavra se espalhou como uma peste: tinha uma nova banda chegando pra ficar. E ela se chamava BECK. O nome foi dado antes de Saku e Koyuki entrarem para a banda, por Chiba, depois de fumar uma guimba e ficar olhando para ela por uns cinco minutos. "Se alguém reclamasse de apologia às drogas, a gente dizia que, na verdade, era o nome do cachorro do Ryusuke. É tudo a mesma merda mesmo, então foda-se", explicou Chiba à Kerrang!.

O ápice do sucesso local, mesmo, veio no festival Greatful Sound, realizado em 2004. Mesmo sendo uma banda underground ainda, Sakuishi conseguiu cavar pra eles um lugar no festival jogando aquele lero-lero de empresário pra cima do organizador do evento. Ironicamente, uma das outras bandas que participavam, foi formada por Eiji Kimura após o fim do Serial Mama: o grupo visual-kei Belle Ame que, apesar de não demonstrar muito desleixo musical, primava mais pelo visual de seus integrantes. Ryusuke optou por não dizer uma palavra sobre o assunto, mesmo porque, se dissesse, provavelmente a emenda seria pior do que o soneto. Além disso, o Belle Ame tinha o suporte de uma grande gravadora enquanto o BECK era independente, ou seja, qualquer insulto resultaria em má-fama para a banda. Mas não dá pra negar que, no fundo, Ryusuke sempre achou que Eiji fosse viado, e o Belle Ame era prova disso.

Mesmo assim, o BECK conquistou a multidão, com seu amplo e versátil repertório alternativo, onde os covers (de Joy Division a Faith No More) vinham bem costurados às músicas da banda, agora reestruturadas e integrando o álbum de estreia, Original Soundtrack 1:BECK, lançado alguns meses antes. A partir do Greatful Sound, inúmeras fronteiras foram abertas, e a banda, agora com dois álbuns de estúdio na bagagem (o segundo, Original Soundtrack 2:KEITH, foi lançado em 2006 - além de um disco ao vivo, gravado no festival) e um contrato com a Geffen (também arrumado por Sakuishi, ou você acha que uma banda underground chamaria toda essa atenção sozinha?).Depois, eles fizeram uma turnê pela Inglaterra, onde tocaram para mais de 100 mil pessoas copiando uma música desconhecida do antigo Dying Breed, "Devil's Way", música que na versão de BECK, acabou levando o Grammy de Best Rock Animation Versation Performace, em 2006. O BECK encontra-se atualmente excursionando pelos Estados Unidos da América.

Discografia[editar]

O tal cachorro que o Chiba falou ilustra a capa do primeiro disco.
  • Tabasco[EP] (2002)
  • Human Fly[EP] (2002)
  • Original Soundtrack 1:BECK (2004)
  • Greatful Sound (ao vivo, 2005)
  • Original Soundtrack 2:KEITH (2006)

Singles[editar]

Human Fly(2002)

Slip Out(2004)

Eletric Sheep(2004)

Sister(2004)

Brainstorm(2005)

Baby Star(2006)

Devil's Way(2006)

Evolution(2010)


Ver também[editar]

v d e h
Este artigo fala sobre um anime.