Blaya

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
DancaBebado.gif ... and do the Harlem Shake!!

Este artigo é sobre alguém que dança sem parar e vive de rebolar e rodar,
assim como a Lady Gaga, a Beyoncé ou o Neymar.

Não vandalize o artigo ou vão te perseguir para dançar o hit da moda.

Black Badge.jpg Este artigo é negro AFRO-DESCENDENTE!!

Os negros dominam TODOS os esportes, então tenha respeito!

Cquote1.png A escravidão doeu mais nos brancos do que nos negros... Cquote2.png
Pelo menos foi o que o Bush disse.

Blaya
Hard blaya fb-620x776.jpg
Nos seus trajes habituais de Puta
Nascimento Algures em 1987
Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação Bailarina e pseudocantora

Cquote1.png Super fresh. Quando a bunda mexe. Eu não estou num varão mas eles mandam cash. Agora desce, agora desce, agora desce. Quando sonhavas com a Blaya num biquini da Armani. Eu estava toda nua numa praia em Miami. Á 6 da manhã gritava what about my honey. What about my money. Im about my honey. Rappers elogiam e falam do ass, mas acredita nenhum deles toca no meu bef. Grandes bifes filet mignon num bar de strip. Dou meia volta á pista é tudo a dar-me guito. Tá tudo controlado como é que queres que eu tripe. Minhas amigas são freaks como queres que eu fique. Cquote2.png
demonstração do talento musical ou falta dele de Blaya
Cquote1.png Poluição sonora. Cquote2.png
Eu sobre Blaya
Cquote1.png Só subiu na carreira porque é gostosa. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Blaya
Cquote1.png É só putedo, senhor Alfredo! Cquote2.png
António de Oliveira Salazar sobre Blaya


Blaya (nome artístico de "Karla Rodrigues") é uma pseudocantora e bailarina brasileira sediada em Portugal, que deleita os portugueses com o seu mexer de bunda.

Infância[editar]

O ângulo mais famoso de Blaya.

Karla Rodrigues nasceu algures no Brasil, nunca se soube ao certo onde, talvez nem ela mesma saiba. Mudou-se para Portugal bem cedo, talvez para Lisboa.

Durante a sua Adolescência, esta mulata gostosa começou a cantar "hip-hop" (aliás, basta escutar suas músicas para ver a sua qualidade de "rapper") e seu nome artístico era "MC Dama", que mais tarde mudou para "Blaya", quando descobriu que essa porra significava "dama".

Carreira[editar]

Em 2010, vai tentar sua sorte ao casting do programa da SIC, Achas que Sabes Dançar?, um programa que tinha como objetivo encontrar bailarinos e bailarinas talentosas em Portugal. Ainda usando o nome “Karla Rodrigues”, não consegue passar á sua segunda fase por causa do seu “estilo arrojado” de dança, diga-se, putaria a mais, e isto não é nenhum putedo, senhor Alfredo!

Em 2011 torna-se “vocalista” e bailarina dos Buraka Som Sistema, substituindo Petty, alcançando a fama nacional e internacional, apesar de ser mais a Puta paga do grupo de que vocalista, ou MC segundo a palavra da própria. A sua única função era dizer algumas frases no meio das músicas e rebolar junto ao órgão peniano dos elementos e abanar a bunda para o público.

Arejando o seu instrumento de trabalho.

Em 2013 torna-se professora de dança, especializada em Kuduro, Pole dance e Kizomba e dava aulas colectivas chamadas "Pack Five Bundas", compostas por 5 mulheres que pagavam 10 euros cada uma. E caso fosse num jardim público, os gajos que assistiam não pagavam nada e ficavam a babar-se por um bando de mulher a abanar a peida.

Em 2016, com o fim dos Buraka Som Sistema, decide dar um passo em frente na sua carreira e tornar-se sexóloga, criando um Instagram privado e para maiores de 18 anos (latexnightxblayax) inteiramente dedicado a oferecer dicas e conselhos sobre posições sexuais e danças eróticas só para mulheres, para experimentarem novas coisas com os seus homems ou com outras mulheres, porque um bocado de sexo lésbico nunca fez mal a ninguém. A acompanhar estes textos, surgem fotos de Blaya com o seu namorado a exemplificar. Aqui na Desciclopédia apoiamos o novo projecto da Blaya a 100%, mas os portugueses, os falsos púdicos de sempre, ainda que batam Punhetas a ver Blaya abanar a bunda, acharam o projecto escandaloso, ao que a brasileira respondeu: “mas vocês não querem ter uma vida sexual melhor?” Estamos de acordo.

Discografia[editar]

Era essa putaria que Blaya fazia nos Buraka Som Sistema, para depois chamarem ela de "vocalista".

2011: Komba dos Buraka Som Sistema[editar]

Álbum dos Buraka Som Sistema, onde participa enquanto "cantora" e bailarina, tá, no fundo, ela era mais a Puta paga do grupo.

2013: Blaya[editar]

O primeiro álbum a solo de Blaya e que Deus queira que seja o último.

  • 01. Superfresh: maior merda deste álbum (com participação especial do Agir no videoclip)
  • 02. Eu Quero Mais: os ouvintes deste álbum, não
  • 03. Girlz: música dedicada ao seu gang de putas
  • 04. Fatela: descrição perfeita de toda esta bosta de álbum
  • 05. G.O.D: pensamento de qualquer pessoa que ouve esta porra e pensa que é impossível ser real, não é possível haver algo tão mau
  • 06. Lip Trip: Música sobre putaria, de certeza
  • 07. Fatela (Pacheco Remix): Já sem ideias para mais música de merda, Blaya tem de pedir a algum DJ para lhe fazer remixes das anteriores
  • 08. Eu Quero Mais (DJ Riot remix): segue a ideia de cima

2015: Casca Grossa de Regula[editar]

Mostrando como subiu na carreira.

Álbum do Regula, um pseudorapper português que só faz música sobre as gostosas que supostamente come.

  • 06. Mêmo a veres (feat. Blaya): música reles e irritante em que Regula e Blaya se gabam das suas conquistas sexuais.

Vida Pessoal[editar]

Blaya considera-se super ousada e fodona, mas não passa de uma poser paga pau como todos os seus amigos, Regula e Agir incluídos, com as suas músicas de merda e vazias de conteúdo. Algures nos anos 2011, depois de alcançar a fama com os Buraka, assumiu-se como Bissexual, mas não lhe é conhecida nenhuma namorada, pelo que isso foi só para chamar a atenção sobre ela, mesmo, e para causar escândalo.

Blaya ainda se afirma como Feminista, ainda que o seu Feminismo seja sobre a defesa do direito das mulheres à Putaria, não fosse ela afiliada com o projeto "Maria Capaz", o maior exemplo de pseudoFeminismo português enche saco. Blaya acha que as mulheres portuguesas deviam ser mais putas.

Afiliados[editar]