Blitzkrieg

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Como usar um avião na estratégia do Blitzkrieg

Cquote1.png Faz o seguinte: Corre e sai atirando. Cquote2.png
Oficial nazista sobre Blitzkrieg
Cquote1.png Fudeu. Cquote2.png
Soldado dos Aliados sobre Blitzkrieg

Blitzkrieg (fala-se blitizcreugui), para os analfabetos Guerra Relâmpago por causa do uso de magia negra no intuito de invocar trovões e destruir o exército inimigo, é uma estratégia usada nos jogos de War que envolve descarregar toda a munição, artilharia, bombas e magia no inimigo e sair correndo pra caralho em direção ao adversário. Isso deixa o inimigo cagando de medo, facilitando sua aniquilação.

Com o reconhecimento da estúpida brilhante ideia, todos os países e jogadores profissionais passaram a usar dessa estratégia nas suas briguinhas de rua. Principalmente os nazistas alemães, que incorporaram também as armas pesadas compradas dos traficantes das favelas. Eles planejavam comprar junto as armas de destruiçãso em massa no Iraque, mas não encontraram nenhuma.

O primeiro apostador desse esquema foi a Alemanha. Logo depois disso o blitzkrieg ganhou do INMETRO o selo que atesta a qualidade do produto. Isso porque os alemães botaram todo mundo pra correr, assim como eles próprios.

Tabela de conteúdo

[editar] Como se faz

Relâmpagos eram muito usados no Blitzkrieg

O principal princípio utilizado na filosofia de combate do blitzkrieg é usar toda a munição, todas as bombas, kamikazes, magia, jutsus e técnicas milenares e modernas de uma só vez em um local da defesa, matando todo mundo e correndo ainda mais. Repetir o mesmo com os próximos adversários, sempre usando muitas armas iradas que protegem seus carinhas e matam os carinhas do jogador rival.

Mas para usar com um mínimo de decência essa estratégia, você precisa ter muitos equipamentos. Portanto, só ricos conseguem participar dessa filosofia de guerra. Caso for pobre, desista. Não adianta tentar comprar os equipamentos necessários no camelô. Mesmo se for muito barato, o produto final é um lixo, e o espertinho carregará não uma máquina de destruição, mas sim um monte de sucata.

Para se ter uma ideia, precisa-se de 50 aviões decentes, 300 carros com placas de titânio com 2 polegadas de espessura, 100000 fuzis da última geração e muita grana para cobrir os gastos da compra dos materiais. Nenhuma pessoa de classe média poderia comprar tanto material, imagina uma pessoa pobre.

Mas a principal arma utilizada no Blitzkrieg para aniquilar a força rival são os relâmpagos. Potentes, ninguém pode escapar de um. Saem do nada do meio de uma nuvem e neutraliza qualquer pessoa mais próxima num raio de 5 km. Para fazer surgir os raios e controlá-los, o uso de magia se faz necessário.

O uso do Blitzkrieg era muito eficiente. Simplesmente o inimigo era pego distraído, e quando se dava conta do ataque não tinha tempo de correr e pegar a arma. Isso quando não se cagava de medo e não podia mover um dedo por causa da paralisia decorrente do susto. E a vitória era tão rápida que sobrava tempo dos soldados se divertirem, tocarem uma, fazer um jogo de futebol e assistirem a novela depois do combate.

[editar] Origem da palavra

Soldados que participavam do Blitzkrieg posando para foto de propaganda.

Blitzkrieg, no ariano-dinamarquês-armaico, significava "sair matando todo mundo que estiver na sua frente rapidamente enquanto corre para repetir o processo milhares de vezes até acabar com todos". Realmente é mais complicado falar em português do que nessa língua de palavras esquisitas. Mas por incrível que pareça essa palavra não está no dicionário porque foi inventada recentemente.

Seu surgimento aconteceu quando Hitler e seus amiguinhos procuravam uma palavra muito massa para descrever o novo método de combate utilizado por eles. Deveria ser uma palavra que combinasse numa propaganda. Então contrataram os maiores publicitários da época, como Marcos Valério e pediram para inventar uma palavra muito foda, com uma boa recompensa para quem o fizesse.

Começado o trabalho, os homens responsáveis pela criação da palavra e de um slogan saíram nas ruas para buscar inspiração. Então eles se depararam com um joguinho usado pelas crianças no Ensino Infantil. Esse jogo era composto por todas as letras do alfabeto separadas, e o jogador tinha que criar uma palavra com elas. Na sorte, misturaram um monte de letras e por acaso criaram a palavra Blitzkrieg

A nova palavra foi aprovada por Adolf Hitler, que tratou de espalhá-la por todos os livros que falavam sobre guerras. Só esqueceram de adicionar a nova invenção no dicionário, mas isso não importava no momento. Agora é tentar soletrar corretamente a nova palavra. Depois de muitas tentativas, fizeram uma pronúncia no máximo ruim.

[editar] Desvantagens

Resultado da utilização do Blitzkrieg

Sair destruindo tudo que estiver pela frente numa velocidade rápida não destrói só os adversários. O meio ambiente também é prejudicado. As explosões, por exemplo. Elas afetam as florestas e matam os animais que estão próximos. O fogo das instalações inimigas provoca queimadas que afetam a superfície do solo. O vazamento de combustíveis dos carros destruídos vai até a água dos rios e afeta a população aquática.

Não que isso seja um problema. É até legal ver as árvores queimando. Mas o verdadeiro problema da destruição ambiental são os ecologistas chatos. Eles vão fazendo uma passeata pelas cidades, engarrafando todo o trânsito. Os caras ficam gritando que nem uns macacos, o que impossibilita qualquer chance de dormir. E enchem o saco até sua cabeça explodir. Com certeza ninguém vai querer um monte desses na sua cola.

E se o inimigo for muito forte, não adianta nada sair correndo e atirando nele. O rival vai te destruir com muita facilidade. E o problema das despesas é muito pior. Provavelmente para conseguir dinheiro as pessoas pegam no banco. Mas para pagar os juros, só mesmo ganhando na loteria. Como isso é quase impossível, apostar vai causar mais perda de dinheiro. Para quem não tiver dinheiro, desista.

[editar] Utilização e declínio

A Polônia depois do Blitzkrieg

Para testar essa nova estratégia de guerra, a Alemanha escolheu a Polônia. Como a Polônia não era tão forte, se a operação desse merda não iria causar muitos problemas. Direcionando todos os relâmpagos, bombas, kamikazes e qualquer coisa que servisse como arma, saíram correndo país adentro, usando tudo de uma só vez. Três dias depois, a capital polonesa estava totalmente destruída. Tudo o que restou foram o Museu de Ruínas Pré-Históricas de Varsóvia. Isso porque ele já estava em ruínas antes do ataque

O Blitzkrieg deu muito certo. Foi decretado feriado nacional na Alemanha. Teve shows de todos os artistas que estavam entre os melhores da época. As crianças aproveitaram o feriado e ficaram de farra o dia inteiro. No dia seguinte, como o feriado acabou, continuaram o trabalho. Os jovens na escola, os adultos no trabalho e o exército destruindo. Mais 5 horas depois dominaram Acre, Dinamarca, Marte e sobrou tempo para ver uma partida da Copa do Mundo que acontecia naquele ano.

Depois do jogo, continuaram dominando países. Dominaram a França, passando por um pit-stop na Bélgica. Atacaram Rússia (com o apoio dos E.U.A), mas não a dominaram porque os caras esqueceram de abastecer os tanques e aviões com combustível. Como gastaram todo o dinheiro na compra de armamentos, não tinham grana para comprar combustível.

Para piorar, esqueceram também de comprar munição. Sem nada, eles estavam mais que ferrados. Porém, ninguém sabia disso. Aí tiveram a ideia de fazer um acordo com os outros países. Assim todos acabaram com as batalhas. Sem dinheiro e materiais, o Blitzkrieg ficou abandonado. Os militares mais fracos deram a chance dos hippies assumirem o governo. Instalaram o consumo livre de maconha por 30 anos, apesar disso não interessar.

[editar] Ver Também


Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas