Boa Esperança do Iguaçu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Olhando atentamente, pode-se ver uma ponta do rio.

Boa Esperança do Iguaçu é uma cidade do meu Paranã que surgiu de um braço do rio Iguaçu... ainda bem que o membro foi um braço, senão os moradores estariam fodidos. Mas antes de ter essa nome por causa do ocorrido que será citado a seguir, a cidade tinha o nome de Micos... ainda bem que o nome mudou, senão os moradores também estariam fodidos.

E o Quico? Iguaçu?

É claro: O rio Iguaçu tem muito a ver com o atual nome da cidade, ou município mas, sempre lembrando que é a mesma coisa, isso é só pra complicar um pouco. Mas, essa cidade quando os índios começaram a escassear por lá, alguns gaúchos e catarinas que não tinham mais nada para fazer no seu Estado, foram dar (no bom sentido) em Boa Esperança do Iguaçu para ver se conseguiam o que em suas cidades não haviam conseguido: Plantar mandioca. Tudo porque em algumas fases do cultivo faltavam mulheres para fazer algumas partes: Claro as mais leves, na hora de plantar a mandioca mesmo, era com os caras, mas, estava em falta de mulheres na região em que eles estavam antes.

Já em Boa Esperança do Iguaçu... a coisa não foi muito diferente e, eles desanimados já pensavam em ir para outro lugar plantar mandioca mas, foi daí que, em barcos milagreiros, começaram a aparecer safadas mulheres que estavam saindo também de suas cidades para trabalhar com a mandioca e, elas foram muito bem vindas, claro. Como elas vieram do rio Iguaçu, a cidade passou a se chamar Boa Esperança do Iguaçu. Ora, você achou que era apenas porque o rio é escencial para a agricultura? De qualquer forma o que mais se planta nesse município (que é o mesmo que cidade), não é mandioca mas sim, feijão.

O que se faz

Os primeiros feijões nem queriam se desenvolver da forma certa e, assim a população demorou a crescer.
O rio não mudou desde a época: Continua com água.

Sabe qual é a história do feijão em Boa Esperança do Iguaçu? Quando as pessoas enjoaram de plantar mandioca e, isso apenas não ia ser suficiente para uma subsistência legal na cidade, estudou-se o solo e, pensando no que era melhor plantar, além de mandioca, chegou-se a conclusão que não adiantava plantar mandioca sem os feijões, do contrário a população não cresceria. O feijão era importante. O solo, na verdade era bom pra tudo mas, para a população crescer mesmo tinha que ser a mandioca e o feijão. Assim, isso é o mais se cultiva na cidade.

Outra atividade muito mais frequente do que em qualquer lugar que você conheça são as mercearias. Não pense naquelas desgraças em que se cobra muito além preço dos mercados grandes, não é bem assim: Em Boa Esperança do Iguaçu não há uma mercearia molambenta e sem organização e tem tantas que, o que você não acha em uma, tem na quase ao lado. Isso mesmo: Quase ao lado, mesmo assim todos faturam porque se combinam de, o que um tiver outro não tem... agora imagine que à poucas décadas era ainda tudo na base do escambo por lá. Por isso é que eles também trocam suas mulheres são tão práticos.