Manuel Maria Barbosa du Bocage

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Bocage)
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: Ä qualquêr mumento, Napolião podə quirer-tə invədir

ImagesCAOJGT4W.jpg Este artigo é relacionado à literatura.

Ele diz respeito a algum escritor, poeta, obra literária ou coisas similares.

Bambu.png Manuel Maria Barbosa du Bocage é boca suja!

Sem vergonhamm! SEM VERGONHAMM!!

Bambusilvio.JPG
Cquote1.png Você quis dizer: Bukakke Cquote2.png
Google sobre Manuel Maria Barbosa du Bocage

Cquote1.png Bocage se funde com Gregório de Matos para formar o Bocage do Inferno!!! Cquote2.png
Polimerização sobre Bocage

Cquote1.png Censurem esta merda! Cquote2.png
D. Maria, a louca sobre Bocage

Cquote1.png Censurem esta merda! Cquote2.png
Dr. Roberto sobre Bocage

Cquote1.png Censurem esta merda! Cquote2.png
Moderador Malvado sobre Bocage

Cquote1.png Hokage? Cquote2.png
Naruto sobre Bocage

Bocage em um dia comum no seu quarto.
Manuel Maria Barbosa du Bocage foi o poeta mais sacana de toda a História da putaria mundial. Junto de Gregório de Matos está no Inferno sentado a direita de Satã. Bocage fundou a Desciclopédia em Portugal.

Bocage escreveu poemas tão tão tão sujos que é o único autor que pode entrar na Desciclopédia com os textos inteiros, sem adaptação. Aliás, o grande objetivo da obra literária de Bocage É a Desciclopédia. A poesia de Bocage é o grande caudal inspirativo de todos os descíclopes, e sua alma infernal nos inspira a cada linha.

Antologia descíclope de Bocage[editar]

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...quem conseguir contar corretamente quantas vezes há referências ao pênis nestes poemas ganhará um doce de chupar dos Anais Descíclopes.
Retiradas da edição da Descilopédia de 1799, sob a GNU. Acreditem se puder, estes poemas são reais.

Com um só beijo do membro palpipante
Ficou subitamente a moça tonta,
E julgou (tanto em fogo ardia o nabo!)
Que encerrava entre as pernas o diabo.

Mete mais, mete mais... Ah Dom Fulano!
Se o tivesses assim, de graça o tinhas!
Não viverás um perpétuo engano,
Pois vir-me-ia também quando te vinhas.

Mete mais, meu negrinho; anda, magano.
Chupa-me a língua, mexe nas maminhas...
Morro de amor, desfaço-me em langonha...
Anda, não tenhas susto, nem vergonha...

Beleza mais completa haver não pode,
Pois até a xana dela se palpita
Parece estar dizendo "Fode, Fode".

Há quem fuja da carne, há quem não morra
por tão belo e dulcíssimo trabalho?
Há quem tenha outra ideia, há quem discorra
Em cousa que não seja de mangalho?

Tudo entre as mãos se me converta em porra,

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Acredite se puder, são DEZ!!!
Quanto vejo transforme-se em caralho;

Porra e mais porra, no Verão e no Inverno,
Porra até nas profundas do Inferno!...

SONETO DO MEMBRO MONSTRUOSO[editar]

Esse disforme, e rígido porraz
Do semblante me faz perder a cor:
E assombrado d'espanto, e de terror
Dar mais de cinco passos para trás:

A espada do membrudo Ferrabrás
De certo não metia mais horror:
Esse membro é capaz até de pôr
A amotinada Europa toda em paz.

Creio que nas fodais recreações
Não te hão de a rija máquina sofrer
Os mais corridos, sórdidos cações:

De Vênus não desfrutas o prazer:
Que esse monstro, que alojas nos calções,
É porra de mostrar, não de foder.

SONETO DO COITO INTERROMPIDO[editar]

"Mas se o pai acordar!..." (Márcia dizia
A mim, que à meia-noite a trombicava)
"Hoje não..." (continua, mas deixava
Levantar o saiote, e não queria!)

Sempre em pé a dizer: "Então, avia..."
Sesso à parede, a porra me aguentava:
Uma coisa notei, que me arreitava,
Era o calçado pé, que então rangia:

Vim-me, e assentado num degrau da escada,
Dando alimpa ao caralho, e mais à greta
Nos preparamos para mais porrada:

Por variar, nas mãos meti-lhe a teta;
Tosse o pai, foge a filha... Oh vida errada!
Lá me ficou em meio uma punheta!

Ligações externas[editar]

Estes dois últimos e outros poemas de Bocage podem ser lidos aqui.

Por fim, dirás ó pobre alma vil[editar]

BOCAGE É DEUS!!!

Cquote1.png Infiel! Serás morto! Cquote2.png
Chuck Norris sobre mim