Boeing

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Boieng da Trans Brasil indo pro brejo.jpg Olha o(a) Boeing vindo!
Olha o(a) Boeing indo!

Este artigo fala sobre coisas que avuam pro alto.
Clique aqui pra ver quem mais vai pelos ares. Literalmente.
Um Boeing 747 segundos antes de quicar em uma ex-família feliz

Cquote1.png DON'T SINK. - DON'T SINK. - DON'T SINK. - TERRAIN. - TERRAIN. - TERRAIN. - PULL UP! - PULL UP! - PULL UP! Cquote2.png
Computador de bordo da Boeing batendo um papo com os pilotos durante a sua viagem

A Boeing é uma empresa de aviões que é rival da Airbus. O objetivo dela é copiar a Airbus e fazer aeronaves que quiquem em serras, montanhas, florestas, cidades e até oceanos.

Atualmente, a empresa está pouco se lixando com a segurança dos seus restos de excremento aviões produzidos. Ao andar pelas ruas de grandes cidades você poderá observar vários tipos de aviões da Boeing em queda livre, pois não há nenhuma medida de segurança para aviões caindo.

História[editar]

Passageiros de um avião da Boeing.

A Boeing foi fundada pelo Príncipe Transformado em Sapo que Ninguém Sabe o Nome em 1916 e a sua sede ficava no fundo do quintal da casa dele, na beira de um rio poluído e bastante mal-cheiroso, em uma cidade chamada Seattle, nos EUA. O Príncipe chamou o ex-cafetão Dick Vigarista para ajudá-lo a construir algumas aeronaves. Dick Vigarista aceitou, porém ele ficou pouco tempo e foi trabalhar na Fokker. Passaram-se algumas semanas depois que Dick Vigarista foi embora, e aconteceu um terremoto que sacudiu a pequena fábrica, fazendo-a quicar sobre o solo. Foi aí, então, que surgiu o nome da empresa: Boeing! A Boeing conseguiu ownar a Fokker, apesar de seus aviões não estarem a altura dela. Agora, com o aparecimento da Airbus, a Boeing descobriu uma fonte para fazer cópias serve para tentar conter a matança contínua dela, conseguindo, até o surgimento da infernal TAM. Atualmente, é a empresa ativa que mais produz aeronaves comerciais que quicam. Infelizmente, esta ainda é superada pela Fokker, que mesmo falida, registra muitas quicadas com o seu modelo FuckerFokker 100. E a Airbus, apesar de ser copiada pela Boeing, ainda não conseguiu ultrapassar a Boeing e a Fokker neste quesito, embora seu número de quicadas também seja considerável.

Comparações[editar]

Mais uma gambiarra bem sucedida num 737 para que ninguém perceba que é um avião velho.

Mesmo assim, a Boeing é melhor que a Airbus e a Fokker em quesito de controle, já que um Boeing tem 2 manches e dois pilotos, um Airbus tem 2 joysticks Clone descalibrados e dois caras gordões que não fazem nada, só apertam os botões do supercomputador IBM 1832 semi-novo, também conhecido por pilotos de verdade como FADEC (Fudeu Aê, Desce Em Congonhas), enquanto um Fokker tem 2 rodas de bicicleta com um pedaço cortado ligadas a um eixo analógico lubrificado com Diabo Verde e dois suicidas no comando. O problema dos Airbus é o fato que o piloto não pode visitar sites pornográficos (por conter muito vírus), fazer downloads de arquivos desconhecidos, ou até mesmo pisar/esbarrar no fio sem querer. Outro problema é que a Airbus é quase francesa e odeia tomar banho. E no caso do Fokker, tudo é problema para esta joça! Mas, como a Fokker sabe disso, há um alarme de emergência que faz um barulho que mais parece uma barata andando em cima de uma folha de papel. Dos mesmos inventores da Airbus, surgiu o jato comercial supersônico chamado Concorde. Mas este só quicou uma vez, no dia 25 de julho de 2000, um ano antes dos ataques com os Boeings 757 e 767 no World Trash Trade Center. E o país de origem da Boeing, os EUA, ficou com medo de represária e cassou o mandato de voo de todos os Concordes. Isso é injusto! Não foi culpa dos Concordes!

Aviões[editar]

Cockpit de um Douglas DC-3 de 1935 que tem manches que não prendem os pés do piloto, coisa que engenheiros "experts" da Boeing até agora não conseguiram fazer...
Reunidos pela primeira vez para quicarem juntos pela Al Qaeda em prédios alheios nos EUA. (O 757 e o 767 escolheram quicar no WTC)

Vamos falar de suas aeronaves comerciais, que com certeza tem a melhor tecnologia do mundo para quicar nos mais diversos lugares.

  • Boeing 707

É um quadrijato relativamente esquisito, se observar a aeronave voando por cima de você, vai notar que se trata de um avião magricela e com as asas maiores que o resto. Dizem que esta característica dele é útil para a hora de quicar. Com uma das longas asas, fica fácil cortar edifícios, arranha-céus e torres sem foder com o resto da fuselagem. É uma aeronave muito barulhenta, feita para servir de despertador para pessoas que precisam de trabalhar de madrugada e acresentar efeitos sonoros em estúdios de gravação. Uma certa vez, aqui no Brasil, um Boeing 707 estava servindo de transporte de drogas, e assim que a polícia descobriu, a aeronave foi chumbada sem dó até quicar e explodir violentamente contra uma favela! Voou papelotes de maconha para tudo quanto é lado, e boa parte até hoje não foi encontrada. Com certeza fez várias crianças catarrentas sem futuro felizes. No Brasil, é derrubado operado por companhias cargueiras que fraudam esquema de licitação com os Correios. Também transporta os políticos ladrões e militares de comportamento suspeito em sua versão militar.

  • MD-80 Boeing 717

O filho adotivo da família. Após a Boeing matar a quicadas a sua arqui-mega-super inimiga Douglas, restou este pobre coitado. A Boeing teve compaixão, mas arrancou de uma forma brutal o logo da Douglas que nele tinha, e pregou da mesma forma cruel o logo da Boeing. Apesar do nome, ele é o mais novo de todos e não teve muito sucesso, pois nunca registrou quicadas por aí. A Boeing diz ser devido ao sangue ruim da sua ex-arqui-mega-super inimiga Douglas.

  • Boeing 727

Um trijato emo chorão. Seu trio de turbinas, ao invés de emitirem um ruído incômodo e sem graça que lembra uma chaleira com apito. É uma aeronave relativamente barulhenta, porém um pouco mais silenciosa que o Boeing 707. Em Brasília essa aeronave faz um ótimo trabalho não apenas como cargueiro, mas também serve de despertador, pois o horário que ele decola é entre ás 5h40 e 8h30 da manhã. Esta aeronave apenas chora pelo triste fato de saber que seus operadores não lhe dão a mínima atenção. Seu local favorito para quicar é em serras. Ele também chora por ter medo de decolar em certas pistas, e resistindo a teimosia de seus tripulantes, preferem se estrepar nos muros e cercas do aeroporto. E os 727s que possuem a Síndrome do Pânico, não voam e você pode vê-los festas emocore à céu aberto em desertos.

  • Boeing 737
737 com uma luxuosa primeira classe com teto solar.

O avião a jato mais popular do mundo, adorado por quase todos, e odiado por muitas fabricantes de aeronaves do gênero, principalmente a Airbus. Mas antes dessa aeronave ser o que ela é hoje, ela foi vítima de bullying no Brasil sendo chamada de Breguinha (737-200) e Cascão (737-300), pois quando chovia, os motores do 737-300 apagavam, logo notava-se uma característica de Airbus (por ser quase fracesa): ele tinha medo de água. E o 737-200, ah, este é brega para caralho mesmo. Por existir muitos deles, eles quicam onde quiser. No Brasil, as aeronaves tem um importante trabalho quicando em jatinhos com imigrantes ilegais, muitas vezes perdendo suas vidas.

  • Boeing 747

O grandalhão da família. Pudera, ele tem uma glande (repare o segundo andar), e por isso a Boeing precisou fazer uma aeronave grande para fazer um cabaré voador. Ele costuma quicar sua gigantesca glande de ladinho em outros 747's, e em montanhas japonesas (quando ele está com o rabo pegando fogo). Seu concorrente direto, o Airbus A380, apesar de ser maior, mais forte e mais musculoso, aiaiaiuiui!, morre de inveja dele, por apenas ter roçado suas asas em quartinhos de puteiros hangares apertados (proeza que o 747 conseguiu inúmeras vezes também).

"Mamãe, compra um pra mim?!"
  • Boeing 757

A Boeing, vendo o sucesso da Airbus com os seus A300 e A310 com o seu sistema Mosca-por-Fio, vulgo Fly-by-Wire, que é um Sistema de Queda Controlada por Computador, decidiu tentar melhorar a eficiência das quicadas dos seus novos Boeing pagando pau copiando este sistema da Airbus, criando o FMS - Fode MaiS. Este não tão novo sistema foi lançado nos 757 e 767 (que falaremos dele no próximo tópico). A eficiência foi logo comprovada: ao fim da Guerra Fria contra a URSS, os EUA, ainda insatisfeitos ao ver a desgraça da sua arqui-mega-hiper-master-super inimiga URSS se desintegrar como os seus IL-76 e Tu-154, também viu o 757 mostrar-se eficaz e cruel ao quicar em cima de um TapaLeve Tupolev 154, não lhe dando a menor chance de defesa com o seu Tapa Leve. Mas o fetiço virou contra o feiticeiro: o FDP do 757 também foi responsável por quicar, junto com o 767, no World Trash Trade Center.

  • Boeing 767

Como citado no tópico anterior, o 767 foi criado junto com o 757. O diferencial do 767 é ser maior, mais forte e mais musculoso, aiaiaiuiui! que o 757, podendo assim causar estragos maiores com suas quicadas. É a aeronave que mais quica no Oceano Atlântico. No dia 11 de setembro de 2001, o Boeing 767, junto com o 757, mostrou sua quicada mais famosa, que se deu no World Trash Trade Center. Em Brasília, podemos ver 3 767s da extinta TransBrasil curtindo preguiça fora de operação.

  • Boeing 777

O maior bijato do mundo. Como a Boeing gosta de copiar inovar, este mostrou-se como uma verdadeira pagação de pau para a Airbus, já que ele vem com o computador dela. É uma evolução do sistema Mosca-por-fio Fly-by-wire e do seu exclusivo sistema Fode MaiS FMS. Como a aeronave é toda digital, para fazê-la quicar é muito simples: basta pisar ou esbarrar no fio. É tão simples operar a aeronave que até uma inocente criança de 10 anos conseguiu fazê-la quicar num aeroporto. Também já registrou uma quicada frustrada na Inglaterra, quando o mesmo tentou matar a velha rabugenta que só sabe gastar simpática rainha Isabel II. Ainda assim, seu concorrente, o Airbus A340, morre de inveja dele, ja que o A340 só conseguiu quicar, mas de cansado, uma vez, quando este conseguiu chegar exausto ao Canadá, isolado país do Acre da América.

  • Boeing 787

A mais recente aeronave da Boeing. Mais uma vez, após enrolar trouxas clientes por anos, a Boeing copia inova, fazendo um avião de plástico reciclado para melhor preservação do meio ambiente. Isso se justifica pelo fato de que o alvo de suas quicadas não é físico: o caixa das companhias aéreas, que gastaram uma grana em tanto para ter seus 787 e até agora, nada! Como um avião de plástico levou tanto tempo para ficar pronto? Isso pode ser explicado pela recente crise econômica, em que os catadores de plástico se recusaram a vender seu plástico por um preço bem abaixo do estipulado. A Airbus já está fazendo sua resposta ao 787, que se trata do A350. Engraçado como a Boeing copia a Airbus, mas a eficiência de suas quicadas é bem melhor...

Ver também[editar]

Este esboço tomou um PK de um white. Ajude-o
chamando os blacks para matá-lo!