Boquim

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Não basta ser sergipano, tem que ser boquinense e chupar sumo da laranja Cquote2.png
Ditado local
Cquote1.png Aqui tem laranja sim sinho!! Mas acabou Cquote2.png
Boquinense falando sobre o símbolo da cidade.

Boquim é só uma cidade de nome idiota, localizada no interior do Sergipe e portanto um vilarejo bem irrelevante, já que até a capital desses estado é bem imprestável. É auto-intitulada "capital da laranja", embora existam pelo menos no Brasil umas 100 cidades espalhadas por aí com muito mais laranjas e de melhor qualidade, mas Boquim, apesar do nome tosco cujo gentílico é "boqueteiro", tem uma bandeira curiosa, onde se vê um boi morto, laranjas podres que não vendem e umas ervas lá atrás.

História[editar]

Boquim originou-se do meio do mato (e de onde mais?). Antes de ser invadido por pés de laranja as pessoas iam para o mato fazer coisas que se fazem em mato quando se é do interior (cagar, mijar, foder, etc) e quando perguntavam onde estavam diziam "Fui ali na Boquinha da mata!", mas como sergipano fala comendo as palavras, ficava com esse som "Fui in Boquim damata!". Vale lembrar que o território já fez parte da Bahia e foi civilizado povoada por baianos preguiçosos, assim as pessoas só respondiam "fui ali em Boquim!"', e todos já sabiam do que se tratava. Com a chegada da laranja aí tudo mudou, pois acabaram com a farra na mata (e com a mata também) e agora o povo vive na cidade enquanto os fazendeiros plantam laranja.

Geografia[editar]

Boquim é uma cidade que fica escondida entre Estância (antiga porta de entrada da rodovia da linha verde) e Lagarto (se você achava o nome Boquim esquisito, olha esse!) que por sua vez fica ao lado de Salgado (cidade), comprovando que Sergipe compete com Alagoas para ter as cidades com os nomes mais bizarros do país (só isso é palhaçada suficiente).

Maiores informações são impossíveis, a menos que você seja sergipano ou more em Aracaju. Mas aí que não precisa mesmo. Até porque você só consegue chegar na cidade se quiser mesmo pois ela não liga nada a lugar nenhum.

O município tem algumas reservas ambientais, que foram criadas para não serem transformadas em plantações de laranja, sendo elas:

  • Fonte da Mata - Representa uma das poucas mais ridículas reservas de Mata Atlântica que se tem notícia. Em aproximadamente 0,4 hectares (o meu quintal de casa é maior) aparecem representantes de espécies nativas da região, tais como cara-de-pau-brasil, pau-pombo, ipê-roxo, ipê-branco e muito outros paus de todo tipo e tamanho! Nessa pequena área de mata ainda pode-se encontrar inúmeras espécies como o bicho-preguiça, piranha, maria-sem-vergonha (essas vistas principalmente a noite e dia de festa), baleias, vacas, pererecas (em abundância e facilmente visíveis), galinhas, moscas mortas (seu cunhado por exemplo), baratas (barato tb tem!) e Mutantes (esse espécime tem "dimais!!", e todo fim de semana eles aparecem nas feiras disfarçados de gente).
  • Fonte do Macaco - Local que tem uma área de 6.050 m², o equivalente a duas tarefas (uma de matemática e outra de lógica), cercado de mata e fica situado no povoado Cabeça Dantas (esse nome eu deixo aqui pra você sacanear como quiser).
  • Fonte da Baiana - Fica no Povoado Pastor (ver história do município onde mostra o que os baianos foram fazer em Boquim) e é cercada por mais Mata Atlântica em quantidade desprezível. A fonte existente no local também contempla os do povoado Pimenteira.

Economia[editar]

Como toda cidade de Sergipe, Boquim também tem sua mania de grandeza e tem que ser a capital de algo, e no caso, Boquim era é a capital da laranja. Além de ter apenas laranja como produto que rende alguma coisa, o serviço mais oferecido é o de transporte para sair da cidade.

Turismo[editar]

Olha o naipe do cartaz da festa !!

Boquim é aquele tipo de cidade que acha que é turística, mas que na verdade ninguém se importa, e que durante os eventos realizados na cidade é visitada apenas por uma mundiça advinda de lugares como Pedrinhas, Arauá e Riachão do Dantas. A cidade até que é bem servida de mulheres bonitas, então durante a Festa da Laranja (queria que outro nome?) é celebrada uma festa ridícula com micareta e nesses dias em Boquim ocorre a maior concentração de mulher bonita acompanhada de homem mal encarado do Estado de Sergipe. A festa se resume a um trio elétrico com a banda Seeway tocando os últimos sucessos da Bahia, passando pela avenida principal da cidade. Só com muita cachaça na cabeça pra achar uma merda dessas algo lindo ou legal.