Boto-cor-de-rosa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Boto)
Ir para: navegação, pesquisa
Boto-estuprador
Boto-cor-de-rosa procurando alguma vítima
Boto-cor-de-rosa procurando alguma vítima
Classificação científica
Reino: Animal
Filo: Acordados
Classe: Mamadores
Ordem: Cretáceos
Subordem: Baleias com dente
Família: Botídios
Gênero: Boto
Espécie: Boto-estuprador
boto jofrensen

Cquote1.png Experimente também: Risadinha safada. Cquote2.png
Sugestão do Google para Boto-cor-de-rosa
Cquote1.png Botô o olho tem que comer! Cquote2.png
Mulher feia, que o boto encontrou na beira d'água, sobre boto.
Cquote1.png Melhor do que nada... Cquote2.png
Boto sobre frase acima.
Cquote1.png Olha o boto Cquote2.png
Cadu mostrando a bunda na piscina do BBB, sobre boto.
Cquote1.png Não é não, eu não solto pum. Cquote2.png
Boto rindo (como sempre) sobre frase acima.

Boto-cor-de-rosa é um tipo de golfinho, que vive na água, mas sai de vez em quando para pegar fêmea humana, porque é furrie gosta de relações interespécies... bom pelo menos na lenda, mas como tudo tem um fundo de verdade, já viram esse bicho bisbilhotar em coisinhas inadequadas... pode ser que ele seja o mais inocente da história. Lembrando que também é mamífero e portanto, gosta de dar uma mamada.

Características[editar]

Isso não é boto, é uma gay caipira tentando ser Barbie Mermeid.
Nesse tempo ele não ria, pois ainda não sabia como pegar aquelas gostosas nuas à sua volta.

Ele é tipo um golfinho, mas é mais gordo e o mais conhecido é meio rosado, por isso é popularmente chamado de boto cor-de-rosa, e assim mesmo, não costuma haver boiolagem em sua espécie.

Eles vivem tanto em água doce quanto salgada, não tem muita frescura. É um pouco mais burrinho que os golfinhos, mas nem por isso deixa de saber passar xaveco pra levar guria pra perdição... pelo menos elas perdem alguma coisa, quando brincam com esse bicho, como reza a lenda.

Outra característica é que estão sempre rindo, tudo porque sentem cócegas em seus orgão genitais sempre que estão na água... bem, elem vivem na água...

Se ele sair das profundezas será sempre para ver se encontram humanos, e deles evoluíram os golfinhos, que são viciados em brincar com humanos. A vantagem que os botos têm sobre as sereias, é que ficam sobre elas, não, não, é que eles ou ficam totalmente botos, ou totalmente humanos, repetindo: assim reza a lenda, mas chega de reza, os botos assim como os golfinhos gostam de liberdade, quer dizer que em cativeiro vivem menos, sim, gostam de humanos em sua área, mas não gostam da área dos humanos... e outros animais, acham que eles se dão tão bem com os humanos porque não têm noção do perigo que esses macacos com poucos pêlos (salvo Tony Ramos), podem significar para os outros animais, mas os botos e golfinhos estão cagando e nadando pra esse perigo, e por isso a lenda continua.

Onde encontrar[editar]

Veja que criaturinha risonha...
Pensando que golfinho é cachorro.

Pode-se encontrar botos e sua evolução: os golfinhos, pelo globo todo, isso porque eles ficam de esfrega com os humanos, mas não correm risco porque se reproduzem que é uma beleza, é aquela putaria geral... não, na verdade eles são de uma parceria só... mas não desperdiçam nem um pouco essa única união, bem diferente de seus ídolos, os humanos.

No Brasil, o lugar que ainda abunda, apesar de tudo, inclusive o rosa estar em risco, mas os outros ainda gostam de bunda abundam na bacia amazônica.

Botos, se olham ao espelho semelhante aos golfinhos, que até se percebem e ficam se admirando e se ajeitando (isso é verdade), mas são também vaidosos, não deixam de dar uma olhadinha e botar as coisas nos lugares.

Eles não apresentam perigo, a não ser que forem machucados, daí se revoltam, diferente isso, tambem, dos gofinhos, que mesmo machucados não atacam, só fogem se conseguirem... e sim, há humanos malvados que maltratam essas criaturinhas dóceis (ui).

Se você chegar perto mesmo que for feio pra carai os botos não vão ligar, mas eles gostam mais ainda de mulé se for o caso eles, até por brincadeira, sem querer, podem afogar a guria por não querer deixar ela ir, isso também ajuda a fazer as lendas, então só brinque com eles se for boa nadadora (você também biba). Isso é mentira claro, mas se você quiser nadar sem saber, não é culpa dos golfinhos nem dos botos, é do(a) tonto(a) que foi se meter a fazer uma coisa, antes de aprender.


Tipos de boto[editar]

Apesar de abrir a boca assim, o canto é baixo, diferente de algumas matracas.
Boto transformado, mostrando que é mamífero.

Na verdade o golfinho é um tipo de boto e não o contrário. Não é verdade tambem, que são a mesma coisa, isso os próprios amazonenses, índios e não índios podem garantir.

Os golfinhos são botos mais evoluídos, se for no que toca à inteligência (mas, nem tanto), se for no caso da força, em compensação o golfinhos perderam um pouco e, são menores. Bem, existem os botos da cor rosa que, nem por isso, quando são machos, deixam de o ser. Os da cor cinza, mas nem o tom de cinza é parecido com o tom dos golfinhos cinzas, e os botos-de-burmeister, que sei lá o que significa, mas ele é cinza escuro, apenas porque as águas em que ele se desenvolveu são mais escuras e é melhor para morder uma bunda e sair correndo nadando se confundindo melhor com as águas. Eles, sejam da espécie que for, não botam muita banca, são bonzinhos até demais pra quem vive na Terra.

Nenhum deles evoluiu o suficiente para saber que é mais seguro ficar longe dos humanos. Por sinal, nem sei porque a preocupação em reconhecer os diferentes tipos: nenhum deles é perigoso para as pessoas. Eles sim, deveriam ter um estudo completo para saber reconhecer os tipos de humanos, e quais eles podem chegar perto sem correr perigo.

Nem podemos falar dos períodos da Segunda Guerra em que eles eram usados para passar mensagem, com um recado furando a testa, porque aqui mesmo, o capeta encasquetou na cabeça de muitas pessoas, que o pau dos botos sendo feito chazinho, poderia curar os problemas dos broxas... daí nem é preciso dizer mais nada... até mesmo ter orgãos sexuais saudáveis põe os botos em perigo, e nesse caso, realmente eles não tem culpa nenhuma se seus membros estão na boca de humanos... e esse é mais um motivo para seu risco de extinção.

Canto Cantadas dos botos[editar]

Precisando cantar uma dentista.
Quase pego em flagrante na trepada transmutação, perceba a alegria da moça.

Eles cantam, e tem algo de foca nesse sonido, mas é menos ridiculozinho, tambem não é tipo o das baleias que só elas entendem, bem, pelo menos só elas apreciam. O dos botos não chega a ser inintelegível a ponto de não ser considerado um canto. Ele não é alto e nem desagradável, e agora novamente, segundo, terceiro, quarto... a lenda, por isso é que ele são bons em cantadas, e podem ensinar os humanos a saber passar o xaveco.

Eles se inspiram em seu próprio habitat, não tem a nostalgia emo dos humanos em estar sempre com o olhar no horizonte procurando inspiração, os botozinhos vão direto ao ponto mas, sem serem grotescos, não são necessariamente palavras (nesse caso estamos com a ideia na lenda e, nela os botos falam), mas se usarem palavras elas serão muito simples e sábias ao mesmo tempo, pode acreditar, e é mais fácil acreditar em lenda do que aquela gostosa dar condição pra você, mas continue lendo as dicas do boto. Eles aproveitam a fluidez das águas, mas nem por isso deixam de enterrar. Eles sabem sentir e fazer sentir a elegia da natureza, mas sabem quando precisam agir como borrachas sintéticas, que não são nada naturais.

Daí só chegam cantando e se esfregando nas gurias, e quando querem botas... botos fêmea, nada de crise existencial, só se destransformam novamente e lá vão se acasalar... na verdade, eles fazem sexo com as golfinhas ou botos fêmea, e se acasalam com as humanas, e não me pergunte esse mecanismo, se ouvirem o canto dos botos poderá ser comido estenderá...

Eles usam as botas para sexo porque elas tem fetiche por botinas, mas para as humanas eles as tiram, e não posso revelar mais nada sobre esse assunto.


Reza a lenda[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Lenda do boto


Documento oficial, provando que o boto se transmuta em gente.

Não ia dissertar sobre isso, mas já que Reza Vela a lenda já rezou tanto, falemos das especulações. Uma delas é de que o cara que aparece do nada em festas caipiras e seduz uma guria depois some, é nada mais do que um sem-vergonha que quer dar uma, bem dada, sem compromisso, e depois colocam a culpa no boto... Ora, essa é a coisa mais absurda que se pode dizer. Essa é a teoria mais irreal de todas acerca da lenda do boto, é fantasia demais para se acreditar. Então agora, vamos às mais prováveis:

Uma delas conta que o boto está nadando tranquilamente, quando é atraído por uma cantiga, e querendo participar pede à Tupã que lhe conceda a forma humana, daí ele vai, se diverte, come (nos dois sentidos), e naõ tem más intenções ao sumir, mas é porque acabou o tempo que ele tinha para ser gente, nada demais: há pessoas que são humanas sempre e nem são gente.

Note que uma já está grávida.

Outra teoria bem mais razoável, é que lá no reino de Netuno, quando as águas do mar e do rio Amazonas se misturaram, ele ordenou que um boto se transformasse em gente e fosse à superfície procurar uma humana para engravidá-la. O propósito disso é que os humanos, com os genes de boto, sejam mais doces com as criaturas das águas, tanto doce quanto salgada.

Há ainda uma teoria pra explicar de onde o povo tira isso, que não é tão próxima de parecer a real quanto as duas anteriores, mas não é tão fantasiosa quanto a primeira. Seguinte: Os botos após uma das brincadeiras com humanos, sentiram inveja dos cachorros, mais ainda com aquela história do homem ser o melhor amigo do cão, e viram que os canídeos continuaram junto à eles em terra firme, e pensaram na melhor forma de chamar a carrocinha se aproximar fora d'água. Invocaram então, um gênio que acharam em uma garrafa de cachaça que havia caído no rio. O gênio disse que não poderia fazer com que os botos, com aquela natureza, respirassem e se locomovessem em terra, mas que poderia transformar um por vez, em humano durante um tempo, e eles aceitaram.


Atlantes[editar]

Se os atlantes fossem mesmo descendentes de botos, não teriam morrido afogados.

Isso sim deve ser lenda: os tais atlantes que viveram na Terra (no planeta, não dentro da terra), seriam descendentes de golfinhos e botos. Ora, se as espécies evoluem, e o que se diz dos atlantes é que eles eram humanos, só um pouco mais inteligentes, mas bem pouco, então não seria evolução, e sim, regressão. Invertendo: Se os botos forem descendentes deles, daí sim dá pra pensar na história.

Bom, 'se' fossem os atlantes, como nas histórias do tal Aquaman, até se poderia pensar, já que aquela sim, até parecia uma civilização moderna decente, mas pelo que se pesquisa e se encontra do que pode ter sido, na realidade e não na ficção, esse povo atlante, eles nem tinham mais destreza na água do que os humanos atuais, e só tinham mais tecnologia, e descobriu-se ainda, que eram mais orgulhosos e sujões, revelando em certos pontos ser até mais tontos que os atuais humanos, ou a mesma coisa, apenas com mais descobertas... se assim o for, não, jamais um descendente de golfinho seria assim.

Se como nas histórias, eles fossem sim, mais inteligentes, calmos, fortes, amáveis (ui), daí sim, podemos pensar que eram tipo botos.

Poesias[editar]

Existem poesias sobre os botos, mas aqui vai só algumas estrofes, pra não deixar esse artigo aguado muito grande, causando uma inundação e, os golfinhos e botos detestam destruição:

Cena de inspiração da poesia... mas, agora ele já comeu virou boto novamente.
Cquote1.png Eu venho de um mundo
que tu não conheces;
do onde, do quando,
do nunca, talvez...


Eu venho de um rio
perdido em teus sonhos,
um rio insondável
que corre em silêncio
entre o ser e o não ser


Eu venho de um tempo
que os homens não medem,
O boto agradecendo a poesia.
nenhum calendário
registra os meus dias.
sou filho das ondas
que gemem na praia,
sou feito de sombras
de luz, de luar
e trago em meu rosto
mandinga e mistério
e guardo em meus olhos
funduras de um rio. Cquote2.png
Antonio Juraci Siqueira (tinha que ter nome de índio).


Como se pode ver, como diz o poeta e, poeta é 100% racional, de pensamento concreto, o ser que gerou a lenda só pode se tratar de um boto mesmo, e a primeira teoria da sessão Reza a lenda é impossível.



Alguns seres são suspeitos de serem botos, conforme a lenda, veja:


Ver também[editar]