Breath of Fire III

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Breath of Fire III é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, a Samus mata uns Space Pirates.


Breath of Fire III
BOFIII.jpg
Informações
Desenvolvedor Capcom
Publicador Capcom
Ano 11 de Setembro de 2001
Gênero RPG
Plataformas PolyStation
Avaliação 50%, pois Robertão não conseguiu desvendar o segredo das fadas
Idade para jogar 5, no máximo

Breath of Fire III é mais um daqueles jogos de RPG, cujo objetivo é ficar matando gelatinas mutantes em formato fálico para ganhar experiência e, consequentemente, força. Que será necessária para matar o chefão final. Que é um bicho alucinógeno com planos de destruição mundial que, apesar de já no começo do jogo possuir um poder que beira a onipotência (e poder concluir seus planos rapidamente e sem enrolação), fica esperando pacientemente pelos heróis, para lhes contar sua história triste de vida. E só aí começar a desenvolver a destruição planejada, apenas para ver os heróis frustrarem suas expectativas, já que, a essa altura do campeonato, o jogador resto de aborto já teve tempo de botar uns cheats no gameshark, e está invencível com mana infinita e hp que não desce nunca.

Enredo[editar]

90% da história do jogo eu já escrevi na introdução deste artigo. Não espere que o enredo de Breath of Fire III vá fugir muito disso, pois não vai. O jogo em si possui todos aqueles elementos clichês de RPGs que ninguém aguenta mais. O jogo começa com um herói mudinho chamado Ryu, que apesar de fracote, possui muita determinação. Aí ele começa a se aventurar pelo mundo por uma causa nobre, e também por não ter nada de melhor para fazer da vida, e vai encontrando companheiros igualmente desocupados, que aceitam acompanhá-lo nessa jornada para derrotar todo o mal do mundo.

Durante a aventura, o grupo vai encontrando alguns bichinhos super-fófis, que são uma espécie de moringa, pois quando derrotados deixam cair ouro, itens e um monte de bugigangas. Como eles estavam carregando tudo isso, eu não sei, talvez eles usem o mesmo esquema do Bátima no filme Feira da Fruta, enfiando tudo no cu. Ou então eles apenas se aproveitam da falta de lógica dos RPGs mesmo, onde até mesmo os heróis conseguem carregar centenas de itens sem nem ter uma mochila para auxiliá-los.

No final, os heróis encontram a fonte de todo o mal, Myria, uma espécie de Deusa que parece pronta para desfilar no Carnaval, tendo inclusive confetes e serpentinas guardados em seu abdómen. Na hora dessa luta, acontece a única parte verdadeiramente interessante do jogo: o jogador pode escolher lutar com Myria para salvar o mundo e todo mundo ficar feliz. Ou pode mandar toda a raça humana se fuder, pedindo pra Myria mandá-lo pro Eden, onde encontrará as 40 virgens prometidas, e assistirá de camarote o Planeta Terra ser destruído aos poucos.

Personagens[editar]

Garr apanhando de uma mulher pelada (sim, esse amontoado de pixels é uma mulher pelada, ou pelo menos era para ser). Ápice do jogo.
  • Ryu O protagonista da bagaça, não sabe soltar Hadouken, e muito menos falar, mas consegue se transformar em um dragão apelão com poderes ilógicos que owna qualquer um, o que compensa os outros defeitos, ou não. Eu não iria falar, pra não dar spoiler (se bem que o jogo é antigo pra caralho, e provavelmente ninguém liga se ler um spoiler sobre isso), mas conforme revelado em Breath of Fire IV, Ryu originalmente era um Deus fodão imortal que recuperava 9.999 de HP por turno, mas acabou caindo na Terra onde tornou-se apenas um esboço do que era antes. Assim como qualquer outro protagonista de RPG, no começo do jogo, Ryu está dormindo, e é despertado por um idiota que não respeita o sono dos outros. Porém, diferentemente dos outros protagonistas, que ao serem acordados resolvem na hora que são paladinos honrados da justiça que devem sair vagando pelo mundo derrotando todo o mal, Ryu irritado por ainda estar com um sono do cão, se transforma em dragão e sai carbonizando centenas de trabalhadores inocentes. Foda-se a piedade. Porém, no frigir dos ovos, Ryu, do nada, acaba voltando-se para o lado do bem, e finalmente parte em sua aventura para derrotar o mal.
  • Nina Guria retardada inútil com asas. Teoricamente, era para ser a maga branca de papel que cura todo mundo de forma eficiente mas morre ao levar um único hit. Porém, na prática, apenas a segunda observação é válida.
  • Teepo Ladrão baixinho que, apesar da pouca força (ou melhor, nula força), é bastante rápido e furtivo. Pra não dar spoiler, eu não vou revelar que, assim como Ryu, ele é um membro da raça dos dragões e pode se transformar em um.
  • Rei Meio homem e meio oncinha, Rei é um ladrão que, além de rápido pra cacete, ainda consegue roubar itens das gelatinas em formato fálico que aparecem nas estradas. Por conta disso, ele é um dos personagens favoritos dos jogadores, perdendo apenas para o bombadão Garr, que apenas integra o time lá pela metade do jogo.
  • Momo Cientista esquisitão que ninguém escolhe para deixar na party. Cúmulo da inutilidade.
  • Peco Uma cebola andante e falante. Comentários adicionais desnecessários.
  • Garr Favorito dos jogadores por possuir a maior força e as melhores habilidades do jogo, que só são inferiores a última transformação de Ryu, que é apelação total. Originalmente criado para eliminar todos os dragões da face da Terra, Garr até tenta matar Ryu uma vez, mas leva um pau e acaba pedindo água.

Pescaria[editar]

Assim como nos Breath of Fire's anteriores (como se alguém conhecesse) o jogo conta com um sistema de simulação de pesca que você pode fisgar desde tua mãe uma piranha até tua avó uma baleia, isso mesmo, se usar a vara certa você pega uma baleia. Há também uma moeda como isca para fisgar um vendedor ilegal de itens na qual você pode trocar seus peixes por armas, troque um bacalhau por um Três Oitão e seja feliz.

Jogabilidade[editar]

Assim como em qualquer RPG, para zerar Breath of Fire III basta ficar apertando "X" que nem um retardado.

Sonoplastia[editar]

Tem algumas musiquinhas de piano ao fundo, apenas para o jogo não ficar no completo silêncio perturbador.

Conclusão[editar]

Breath of Fire III é apenas um Final Fantasy com um nome diferente.

v d e h
Breathe of Fire logo.png