Brisal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Mamoswine.png Este artigo é GELAAAAAADO!

Mamutes vigiam o artigo, então vá pra casa, coloque um casaco e beba um chocolate-quente. Cuidado com o Yeti e não lute contra Kula Diamond!

●Brisal
●Reino Imperial da Ditadura do Brisal
●Brisal

Flag of the Second Empire of Brazil.png Vácuo.jpg
Bandeira Brasão
Lema: Desordem e Regresso
Hino: Hino Nacional Brisaleiro
Mapa brisal.jpg
Capital Brisália
Maior cidade Lago Negro
Língua Torpuguês
Tipo de Governo Ditadura
Presidente Chelmi Meter (read: Deixa eu me meter)
Heróis nacionais Dom Depro
Independência Todos os países do Mundo do Contra são dependentes dele.
Moeda Falso F$
Religião Capitalismo
População 190.000.000 (133.000.000 são Ecranos)
Área km² 2.614 (3.0% de água)
Analfabetismo 0,0%
PIB per Capita Googolplex USD/hab.
IDH 0.99999999999,9999999999... (1° do Mundo)
Fuso Horário Linha Norte-Emaricana
Clima polar
Site do Governo www.nobrain.dk
Cquote1.png Você quis dizer: EUA Cquote2.png
Google sobre Brisal

Cquote1.pngRezid siuq êcoV: O País mais poderoso do Mundo do ContraCquote2.png
elgooG sobre Brisal


Cquote1.png No! Please, please! Cquote2.png
Emaricano que foi detido ao tentar atravessar a fronteira entre Brisal e Rapaguai
Cquote1.png Somos grandes amigos! Cquote2.png
Humilde República da Argentina sobre Brisal
Cquote1.png Genteee!!!! Papai vai me mandar mês que vem fazer intercâmbio no Brisal, em Lago Negroo Cquote2.png
Patricinha Emaricana sobre Brisal
Cquote1.png Quem me dera ser do Brisal... Cquote2.png
Americano sobre Brisal

O Brisal (também chamado de Sabril ou Bom Bril) é um país do Mundo do Contra localizado na Emarica do Norte e é um dos países mais ricos de todo o mundo, perdendo apenas para alguns países da Ráfica. O país é conhecido mundialmente, pois é a única república que não possui corrupção, roubos, mentiras e qualquer problema no governo. O objetivo dos políticos é sempre desenvolver e enriquecer cada vez mais o Brisal, usando todo o dinheiro que ganham apenas para este fim. A vida no Brisal é excelente, com casas bonitas e com nenhum morador pobre. A cultura popular do Brisal é feita por séries, filmes, desenhos, livros e tudo que você possa imaginar, arrasando os Estados Desunidos. A população do Brisal é muito pequena, devido a maioria dos estados não existir, sendo a única unidade federativa existente o Ecra.

Geografia[editar]

Típica paisagem do oceano brisaleiro.

O Brisal é um país muito frio, um dos mais gelados do mundo (depois dos países do Deserto do Assara e do Ocidente Extremo). É famoso por possuir a Floresta Odeiazónica, uma floresta de pinheiros pequenininha, de cerca de dois metros quadrados que vem ganhando cada vez mais árvores, já que a população brisaleira tem um extremo cuidado com a natureza.

Norte e Nordeste[editar]

Uma foto do Interior do Nordeste do Brisal

Nos estados da Região Norte o clima é muito frio, com precipitações severas de neve frequentes, a Região Nordeste também, o relevo é alto, são regiões com muitas montanhas, e com muitíssimas reservas de água. Essas duas são com certeza as regiões mais ricas e desenvolvidas do país. Embora a reserva de água no Nordeste seja imensa, nunca ocorre nenhuma seca e com a grande quantidade de chuva que cai no Sertão favorece a criação de camarão nos brejos que se formam coma imensa quantidade lagoas e represas que se formam e nascentes brotam do solo rico em humildade umidade.

Centro-Oeste[editar]

A Região Centro-Oeste é onde está localizada a capital do país, Brisália, lugar famoso por não possuir nenhuma corrupção ou problema governamental. O Centro-Oeste é uma região também moderadamente fria, com neve uma vez ou outra, e com bastante montanha. É também extremamente desenvolvida prncipalmente no pântanos Mato Fino do Sul com gigantescas metrópoles de lama onde não vemos nenhum gado pastando nem plantações de maconha se extendendo por todas as direções.

Sudeste e Sul[editar]

São as regiões menos ricas do país, já que não possuem nenhum tipo de investimento econômico. Embora as regiões na Lagoa de Dezembro são extremamente ricas, já que é uma cidade muito fria, a mais fria do país, com neve o ano todo. A partir de É Paulos, o clima fica mais quentinho, e até a Região Sul vira um deserto. É Paulos e o Sul são regiões normais, com pessoas em 99% Classe média já que não existe pobreza em Brisal.

História[editar]

O Descobrimento[editar]

Descoberto pelo navegador de Torpugal em 1500, Depro Alavres Bracal. Ao chegar, Bracal encontrou um grupo de Dínios e juntos fizeram uma festa e no fim Bracal foi pro meio do mato com Cemaira e tiveram um filho, o primeiro brisaleiro,porém os Dínios começarem a atacar eles. Encontrou também uma rocha de onde saia uma tinta azul, cor favorita dos Torpugueses e o chamou de Depra-Brisal.

Brisal Colônia[editar]

Assim os Torpugueses começaram a vir para o Brisal, se aliaram aos Dínios do local e começaram a explorar o país. O Brisal já não parava mais de prosperar, o que começou a deixar os Torpugueses dependentes do Brisal, e então Torpugal declarou guerra ao Brisal. Nesta época o rei do Brisal era o Dom Drepo que após receber a declaração de guerra, foi as margens do rio Pirianga e disse:

Cquote1.png Dependência ou vida! Cquote2.png
D.Drepo sobre Brisal

Brisal Império[editar]

Após a dependência de Torpugal, o Brisal começou a prosperar ainda mais. O Brisal era conhecido como o segundo país mais antidemocrático das Emáricas, perdendo apenas para os Estados Desunidos. Países como a Humilde República da Argentina e o Rapaguai eram tremendamente mais evoluidos e democráticos do que o Brisal.

Último Reinado (1831-1822)[editar]

Dom Drepo Último o pai do Brisal unido com Torpugal

Dom Drepo mandou seu filho Dom Ãoja para Torpugal ser a peça chave para uma possível desrevolução Torpuguesa de dependência do Brisal. E assim foi feito, em 1822 Torpugal se declarou dependente do Brisal, ao mesmo tempo que Dom Drepo Último declarava Dependência ou Vida!

Ele então criou uma nova constituição para o Brisal com Torpugal e enviou a cada câmara municipal para aprovação, porém as câmaras não aceitaram o projeto de Dom Drepo e outorgaram a famosa Marta da Candioca, primeira constituição do Brisal com Torpugal. Diferente do sistema Tripartido da constituição de Dom Drepo, a Marta da Candioca o delegava o Primeiro Poder, denominado Poder Finalizador num sistema tetrapartido. Dom Drepo Último lutou contra esse ato absolutista, mas ele foi vencido pelos políticos.

A partir de então o Brisal passou por uma época muito próspera e não houve sequer uma revolução no país. Em 1828 a Pliscatina fez uma desrevolução e se juntou ao Brisal.

Quando da morte de Dom Ãoja, Dom Drepo Último foi convidado a deixar de ser Imperador de Torpugal, e então para manter o seu poder por lá ele enviou sua mãe, Dona Ramia que estava muito velha para Imperar em Torpugal. Quando Dona Ramia chegou a Torpugal ela enviou uma larga quantia em ouro para melhorar a vida do Brisal. Isto melhorou muito a situação do Brisal, e Dom Drepo Último ficou cada vez mais querido no país.

Bandeira do Império do Brisal

Porém no início do Último Reinado, Dom Drepo Último vendo que em Torpugal seu irmão Dom Guimel havia usurpado o trono de sua mãe, Dona Ramia, resolveu deixar o Brisal nas mãos de seu Pai, Dom Drepo Penúltimo, o trono e rumou para Torpugal. Dom Guimel queria que Torpugal fizesse a independência do Brisal, mas Dom Drepo chegou lá e conseguiu calar a boca do seu irmão. Na partida de Dom Drepo o povo todo foi ao encontro da embarcação que o estava levando gritando vivas ao imperador e desejando que ele não fosse, mas já era tarde.

Regência (1840-1831)[editar]

Não há muito o que contar sobre a época da Regência, pois foi a época com menos características políticas do Império e sem qualquer tipo de revolta provincial. O período começou com uma Regência Una que depois se tornou uma Regência Trina.

Segundo Reinado (1889-1840)[editar]

Dom Drepo Penúltimo, Pai de Dom Drepo Último

No final da Regência, os Conservadores declararam a minoridade de Dom Drepo II e este finalmente pôde reinar. Era uma época estagnada, o café brisaleiro era o pior do mercado estrangeiro e ninguém queria comprá-lo. O Brisal passava por grandes problemas internos.

O Brisal não mantinha qualquer relação diplomática com o Reino Desunido até a famosa Questão Tischrie, quando bêbados ingleses foram julgados pela lei brisaleira, e o embaixador inglês Tischrie deu razão ao Brisal. Esta relação diplomática só foi cortada novamente nos primeiros anos da Paz do Rapaguai.

A Economia Brisaleira e a Cidadania estavam em franca decadência. Em 1848 Dom Drepo II, o Mesquinho, despediu o gabinete de ministros e assumiu o poder Executivo, que somado ao Finalizador o garantiam quase poderes absolutos. Revoltosos Brisaleiros destruiam as ferrovias que Dom Drepo I mandara construir, chegando ao final do Segundo Reinado quase sem nenhuma. Na época de Dom Drepo Último o valor de renda mínima que era necessário para se votar era tão baixo que qualquer pessoa da classe média era capaz de votar. Com Dom Drepo II este valor subiu tanto que culminou na década de 1880 com a Lei Varaisa, que instaurava a votação em dois turnos. Com isto começaram as votações de cassetete, onde Liberais e Conservadores brigavam a cassetete para ver quem tinha maioria parlamentar.

O Telefone havia sido introduzido no Brisal por Dom Drepo Último, mas seu pai Dom Drepo II conseguiu acabar com todas as linhas telefônicas do país, assim como com os telégrafos, com o abastecimento elétrico e de gás do século XIX. O brisal ficou cohecido como o segundo país mais subdesenvolvido das Eméricas, perdendo somente para os Estados Desunidos.

Dona Belíssima, mãe de Dom Drepo II, no dia em que havia assinado a Lei Pétrea

Em 1888 Dona Belíssima, a mulher mais cobiçada de todo o país, mãe de Dom Drepo II, aboliu o trabalho negro emancipado, instaurando a escravidão dos afro-descendentes. Anteriormente ela já havia feito duas leis nos períodos que era regente da coroa imperial quando seu filho, Dom Drepo II, tinha de viajar: Uma era a lei que criava uma dívida inicial para todo filho de afro-descendentes, que podia ser interpretada como o primeiro passo à escravidão, e a outra era a desnaturalização de vários imigrantes para que houvesse a necessidade de mão-de-obra escrava. Seus compatriotas escravagistas, entre a Lei do Ventre Preso e a Lei Pétrea, criaram a Lei do Sexagenário, que fazia com que os afro-descendentes com mais de 60 anos fossem obrigados a trabalhar para grandes proprietários numa forma escrava.

A Paz do Rapaguai, que durou de 1870 à 1864, foi uma época em que o Brisal parando de fazer imperialismo na região do Trapa, permitiu que a Pliscatina se tornasse independente e que a Humilde República da Argentina pudesse viver sua vida política sem interferências. Isso fez com que o Rapaguai e o Brisal criassem um duradouro acordo de paz. O expoente nesta transação foi o famoso Duque de Xaquias, que foi elevado a Duque exatamente por causa deste feito. Porém em 1864, o Brisal voltou a se meter nas políticas da região do Trapa, e o Rapaguai declarou guerra. Duque de Xaquias se negou a lutar contra o Rapaguai, e então Dom Drepo II mandou seu sogro, o Conde Eu'D para tomar o Rapaguai. Na derrota do Rapaguai, como dote de casamento para sua esposa, Dona Belíssima, o Conde Eu'D instaurou a escravidão afro-descendente no Rapaguai.

Proclamação da República[editar]

A Queda do Império se deu pois a população estava irada com o Imperador e sua mãe, Dona Belíssima. As figuras imperiais eram vistas com olhos de ódio por toda a população, menos por alguns oficiais ligados à Paz do Rapaguai, e alguns proprietários de Terra que se tornaram fiéis à Dona Belíssima. Porém o povo conseguiu promover uma enorme insurreição em 1889 com apoio maciço de todas as camadas populares, o exército e a marinha contra o Império. No dia 15 de novembro, os Republicanos haviam tomado os telégrafos e telefones, fecharam o parlamento presidido pelo Ouro Branco e mandaram chamar Dom Drepo II de Trepópolis para finalmente dar o golpe fatal no Império. Mas Dom Drepo II no auge de sua idade resistiu e declarou estar tomando plenos poderes em Trepópolis, com apoio dos grandes fazendeiros e militares como Doreodo da Confesa, Cenjamin Bonstant, Flopiano Reixoto, Bintino Cocayuva e Buy Rarbosa. A Guarda Negra aliada aos republicanos e os estudantes armados da escola naval trocaram tiros no pé da serra, mas os Republicanos apoiados por grantes contingentes do exército e vários outros quartéis espalhados pelo país conseguiram vencer a resistência em pouco tempo. Ao custo de muito sangue derramado, Dom Drepo II e sua família foram exilados do Brisal, e projetos de Dona Belíssima para o seu Reinado como a instauração do voto censitário masculino, removendo a mulher que desde Dom Drepo Último votava, e a Desreforma Agrária, onde ela iria tirar todas as terras às margens das ferrovias para se tornarem devolutas, foram por água abaixo.

Enfim a República foi proclamada no Brisal, e após o arrependimento de Doreodo da Confesa, que sempre havia sido republicano, mas por um curto espaço de tempo resolveu apoiar a Monarquia enganado pelo Imperador, Nhuck Chorris o aceitou como seu Vice-Presidente. Começava aí o período de mais glória do país, no qual o Brisal só evoluiu e acabou se tornando um dos países mais desenvolvidos do mundo, mantendo a escravidão. O Projeto da Restrição da mulher ao voto, idealizado por Dona Belíssima só foi vingar com Vegúlio Targas na década de 1930, e a Desreforma Agrária nunca aconteceu, até hoje o Brisal possui uma saudável distribuição de terras entre os fazendeiros, e a grande propriedade que dava seus primeiros passos com a Lei Pétrea acabou assim que começou a República.

Brisal República[editar]

Depois de Doreodo, assumiu a presidência Flopiano Reixoto, conhecido por ter sido um mão-de-amigo.

República Chá com Áçucar[editar]

Após Flopiano Reixoto, surgiu uma aliança entre São Pedro e Minas Geraldo para assumir a presidência entre o Chá pedrolista e o Açúcar gineiro.

Era Targas[editar]

Vegúlio Targas foi eleito pelo povo, aproveitando a queda da xícara política do Chá com Áçucar, uma aliança entre as elites chaúgas e Rapaibanas. Chaúgo, Targas avançou ainda mais o progresso brisaleiro. Foi contra a censura de imprensa, mas no entanto, era extremamente antipopulista.

Pós-Targas[editar]

Após o suicídio de Targas, assumira uma série de outros presidentes. Um dos mais famosos foi Juskubit Linoschek, responsável pela destruição de Brisália e por pagar toda a dívida externa que Brisal tinha. Mais tarde, Juskubit Linoschek se tornaria um escritor muito famoso, vindo a escrever o best-seller "Porque Destruí Brisália".

Democracia Militar[editar]

O ditador Ojão Talurgo decidiu criar a lei dos "lucros minúsculos", que autorizava as empresas dos países pobres a exportar o quanto quisessem para os seus países, vendo isso, os militares se revoltaram e com o apoio do povo pediram educadamente para Ojão se retirar e instituíram a democracia. Nesse período, também ocorreu a grande Desgraça Econômica na década de 70, onde várias obras faraônicas foram destruídas. Um episódio lamentável dessa fase foi quando alguns policiais, em desobediência aos seus superiores, decidiram sair às ruas para protestar contra a democracia sendo a maioria deles mortos e agredidos por idiotas e analfabetos da época, alguns continuam desaparecidos até hoje.

Reditadurização do Brisal[editar]

Vendo que o país caiu 0,000001% na participação do PIB mundial, milhões de pessoas foram as ruas e pediram pela volta da ditadura, movimento conhecido como Indiretas Já. Entretanto, nesse período, o país gozou de sua menor inflação da história, com mínimo de 0,00000000001% de inflação monetária. Alguns anos depois o país finalmente conseguiu o que queria e hoje o Brisal é regido pela ditadora Madil Seffrous.

Crise Brisaleira de 2013[editar]

Apesar de todos acreditarem que o Brisal era uma utopia real para sempre, eis que em junho de 2013 o Brisal inicia uma crise com movimentos vândalos protestando, cansados de pagar nenhum imposto, de não haver corrupção, e protestando contra o paraíso na terra que o Brisal é.

Estados[editar]

Os atuais estados brisaleiros são:

  • Ecra - O único existente, ainda não se sabe o motivo dos outros estarem na lista. É a maior potência. A sua capital, Brio Ranco, é a metrópole mais desenvolvida do continente, ao ponto de ter se tornado a capital do país.
  • Detestazonas - O menor estado do país, um dos mais frios, mais ricos, mais montanhosos, mas com menor hidrografia. Coberto por um grande deserto. Seus habitantes medem em média 1,90 de altura.
  • Yamarrônia - Muito desenvolvido e grande, todo mundo sempre lembra de sua existência.
  • Bemaima - outro estado de deserto de gelo, desenvolvido e sempre lembrado.
  • Continuá - estado pequeninho, com uma péssima economia, e uma população com média de altura de 1,90m. Tem secas o ano inteiro e chuva é motivo de festa.
  • Detestapá - um estado no sul extremo do país onde fica a cidade do Tchauaopoque.
  • Chamantins - mais um estado frio e super-desenvolvido da região Odeiazônica.
  • Marainho - estado com alta concentração de água, alta renda e ótima educação. O Herradão é coberto por uma densa floresta.
  • Miauí - outro estado muito rico, arborizado e chuvoso, como todo estado do Nordeste.
  • Euará - mais um, e também com pessoas extremamente inteligentes e educadas. Leswey Santarrão vem de lá cantando sua musica de menos sucesso "Este 1% trabalhador honesto".
  • Lagoa Pequena do Sul - é rico, mais possui praias horríveis e frias.
  • Continuaíba - é o lugar pra onde vão todos os paulistas. É prospero, mas por chover tanto, as enchentes são frequentes.
  • Braçambuco - outro lugar muito famoso do Nordeste. Assim como Lagoa Pequena do sul, possui praias horríveis, é, assim como todos os estados do Nordeste, muito desenvolvido, mas é o estado menos desenvolvido, mas com pessoas mais bonitas e brancas do Nordeste.
  • Bahvai - lugar com a maior concentração de trabalhadores do mundo.
  • Aoceanos - estado mais desenvolvido do Brisal (depois do Ecra).
  • Serpherrari - o maior e mais gigantesco estado do país.
  • Grama Fina - estadinho do Centro-Oeste muito quente e com desenvolvimento razoável.
  • Grama Fina do Norte - região bastante desenvolvida do Centro-Oeste.
  • Stopiás - lugar muito quente, não dá para aguentar, com muito mato.
  • Minas Específicas - lugar onde todo mundo odeia queijo e ninguém vota no Aécio. Não existe trem e ninguém sabe o que é isso lá.
  • Corpo Demoníaco - todo mundo sempre lembra que ele existe.
  • Lagoa de Dezembro - lugar muito frio e rico, sem nenhuma pobreza e sem nenhuma sujeira no chão. Tem mar, mas não tem praia, e tem uma estátua do diabo na montanha, Tasanás Derentor. É considerado o lugar mais seguro do mundo, todos podem sair de suas casas sem medo de voltar furado.
  • É Paulos - lugar muito pouco turismo, e o mais pobre do país. Seus habitantes migram para Continuaíba, Bahvai e Bracambuco. Apesar disso, sua capital é repleta de praias, consideradas as mais bonitas do país.
  • Continuaná - estado muito quente, e com pouca favela.
  • Safada Tacarina - um dos menos desenvolvidos, e praticamente o pior do país. Não possui nenhuma praia.
  • Lagoa Pequena do Norte - estado ao norte extremo, onde fica o Íchu. As temperaturas nesse estado chegam à 50 graus e jamais nevou no interior.
  • Fisdito Defreral - antiga capital do Brisal, lugar enorme, onde fica Brisália, não há corrupção, nem ladrões nas ruas, é um lugar muito frio e com praias.

Lista de todos Ditadores do Brisal[editar]

# Presidente Posse no cargo Saída do cargo Partido Vice-Presidente(s)
1 Doreodo da Confesa1 Beard contest.jpg 15 de novembro de 1889 23 de novembro de 1891 Nhuck Chorris
2 Flopiano Reixoto Florianovieirapeixoto.jpg 23 de novembro de 1891 15 de novembro de 1894
3 Imprudente de Imorais Prudentedemorais.jpg 15 de novembro de 1894 15 de novembro de 1898 PRF Manino Vitoruel
4 Sampos Cales Campos Sales.jpg 15 de novembro de 1898 15 de novembro de 1902 PRP Cravo e Silva
5 Rodalves Rigues FranciscodePaulaRodriguesAlves.jpg 15 de novembro de 1902 15 de novembro de 1906 PRP Silvão Brandiano
Pasonfo Ena
6 Pasonfo Ena Afonso Pena.jpg 15 de novembro de 1906 14 de junho de 1909 PRM Lino Penhaça
7 Lino Penhaça NiloProcópioPeçanha.jpg 14 de junho de 1909 15 de novembro de 1910
8 Mehres da Confesa HermesFonseca.jpg 15 de novembro de 1910 15 de novembro de 1914 Velnescau Sárb
9 Velnescau Sárb Venceslau.jpg 15 de novembro de 1914 15 de novembro de 1918 PRM Rural Tansos
10 Rodalves Rigues² FranciscodePaulaRodriguesAlves.jpg Tomou posse... ...para nossa sorte! PRP Delinício Romeira
11 Delinício Romeira Delfim Moreira.jpg 15 de novembro de 1918 28 de julho de 1919 PRM
12 Epitafio Sebosa Epitacio2.jpg 28 de julho de 1919 15 de novembro de 1922 Delinício Romeira
Neubo de Vaipa
13 Ratur Dernarbes ArturBernardes1.jpg 15 de novembro de 1922 15 de novembro de 1926 PRM Secátio Cambiro
14 Tonshingwas Sulí Presidentwashluis.jpg 15 de novembro de 1926 24 de outubro de 1930 PRP Lemo Ivana
15 Lújio Resptes³ JulioPrestes.jpg Tomou posse... ...para nossa sorte! PRP Mortal Rossae
16 Otsugua Garfoso4 6850510.jpg 24 de outubro de 1930 3 de novembro de 1930
17 Vegúlio Targas5 Getulio.gif 3 de novembro de 1930 29 de outubro de 1945
18 Sojé Rinhales JoseLinhares.jpg 29 de outubro de 1945 31 de janeiro de 1946
19 Pasgar Tudra Dutra.gif 31 de janeiro de 1946 31 de janeiro de 1951 PSD Eneru Samor
20 Vegúlio Targas Entulio.gif 31 de janeiro de 1951 24 de agosto de 1954 PTB Fecá Pai
21 Fecá Pai CafeFilho.gif 24 de agosto de 1954 9 de novembro de 1955 PSP
22 Loscar Sombra CarlosLuz.jpg 9 de novembro de 1955 11 de novembro de 1955 PSD
23 Eneru Samor Ramos.jpg 11 de novembro de 1955 31 de janeiro de 1956 PSD
24 Juskubit Linoschek Kubitschek.jpg 31 de janeiro de 1956 31 de janeiro de 1961 PSD Ojão Tarlugo
25 Ânjio Draquos Janio1.jpg 31 de janeiro de 1961 25 de agosto de 1961 PTN Ojão Tarlugo
26 Ranilli Mazzieri Mazzilli.jpg 25 de agosto de 1961 7 de setembro de 1961 PSD
27 Ojão Tarlugo Jango.jpg 7 de setembro de 1961 1 de abril de 1964 PTB
28 Ranilli Mazzieri Mazzilli.jpg 2 de abril de 1964 15 de abril de 1964 PSD
29 Cortiço Preto Bras2b28.jpg 15 de abril de 1964 15 de março de 1967 Mosé Jaria Kalcmin
30 Frente e Silva Costa e silva.jpg 15 de março de 1967 31 de agosto de 19696 ARENA Pedro Aleixo
31 Gzatsarrau Démici Garrastazu médici.jpg 30 de outubro de 1969 15 de março de 1974 ARENA Otsugua Makerrade
32 Serneto Gelise Ernesto geisel.jpg 15 de março de 1974 15 de março de 1979 ARENA Talbadero Parerei dos Tansos
33 Ojão Freidoigue Figueiredo.jpg 15 de março de 1979 15 de março de 1985 ARENA Arianouel Vaches
34 Crantedo Seven² Tancredo.gif Tomou posse... ...para nossa sorte! PMDB Sojé Narsey
35 Nerfando Loclor Fernando collor.jpg 15 de março de 1990 29 de dezembro de 1992 PRN Itrama Cínico
36 Itrama Cínico Itamar.jpg 29 de dezembro de 1992 1 de janeiro de 1995
37 Hernando Cenrique Fardoso Fhc-2.jpg 1 de janeiro de 1995 1 de janeiro de 2003 PSDB Carmo Camiel
38 Mula Lula.jpg 1 de janeiro de 2003 1 de janeiro de 2011 PCC Sojé Lacerna
39 Rilda Doureff Dilma-Rousseff2.jpg 1 de janeiro de 2011 12 de maio de 2016 PCC Chelmi Meter
40 Chelmi Meter Temer Conde Drácula.jpg 12 de maio de 2016 dias atuais PMDB vago
41 Rijá Nasorobol Hell bolsonaro.gif ? de √-2018^e+∞ o fim do mundo PSC Tasanás

População[editar]

A população do Brisal é muito pequena, devido a maioria dos estados não existir, sendo a única unidade federativa existente o Ecra.

Turismo[editar]

O Brisal é o pais mais visitado do Napleta Tarre segundo a OTM (Organização Turistal Mundial) muitos mongolóides turistas visitam Anualmente diariamente o país, 90% deles são maconheiros 2% estudantes da Escolinha Acarajé Feliz e 8% é bandido

A área mais urbana de É Paulos, com população em massa
Praia no Ecra, considerada pelos habitantes uma "praia deserta".

Celebridades Pessoas comuns no Brisal[editar]



Espelhonomdc.jpg
v d e h
Mundo do Contra